Comentário da Lição 3 deste trimestre, sobre o Espírito Santo. Imprima e distribua aos amigos da Escola Sabatina!

Arquivo em PDF -- Clique para visualizá-lo e imprimir
Arquivo em PDF — Clique para visualizá-lo e imprimir

7 comentários em “Comentário da Lição 3 deste trimestre, sobre o Espírito Santo. Imprima e distribua aos amigos da Escola Sabatina!”

  1. TEORIA
    Como se constrói uma teoria: a partir de hipóteses ou pressuposições, que podem ser prováveis ou improváveis, e, a partir de uma tese ou diversas teses desenvolvidas com alguma lógica ou até muita lógica, quando aceitas por um grande número de estudiosos do assunto, porém de difícil comprovação, então segue-se como uma TEORIA.
    Assim ocorre com a Teoria da Evolução ou da Criação!
    Teologicamente há uma teoria referente à Divindade, quanto ao número de pessoas Divinas, no cristianismo, que tem por base de pesquisa um compendio que é a Bíblia Sagrada.
    Na atualidade, provavelmente, a maioria dos pesquisadores bíblicos, têm aceito a teoria da Trindade, realidade essa que vem se modificando, pois na verdade a grande maioria não pesquisa em profundidade, e os que estão pesquisando, estão chegando a novas conclusões.

    Conheci uma pessoa que foi bancário e trabalhou em uma cidade do interior de um estado no centro oeste do Brasil, na década de 1970.
    Naquele tempo, ainda não eram utilizados os computadores, como hoje, e as agências bancárias tinham entre suas máquinas uma que era o “telex”, uma máquina que funcionava, ligada à rede telefônica, e recebia e transmitia mensagens de forma programada, especialmente à noite, de madrugada, após as 24 horas, quando o resultado da Câmara de Compensação era informado referente os cheques processados em outros Bancos e outras cidades, para que pudessem ser lançados nas contas dos emitentes, que eram fichas gráficas.
    Contou, esse bancário, que, numa agência onde ele trabalhou, quando chegou essa máquina (telex), esqueceram de informar ao guarda noturno que cuidava da agência que aquela máquina funcionava sozinha, sem o acionamento de uma pessoa sentada à sua frente dedilhando o seu teclado.
    Na primeira noite do funcionamento daquele telex, depois da meia noite, o guarda ouviu a máquina escrevendo, e não parava. Ela ficava no andar superior da agência, e o guarda ficou assustado, pois sabia que não havia nenhum funcionário trabalhando naquele horário. Então ele foi devagar subindo às escadas e ao chegar no pavimento, acionou o interruptor de luzes, e não viu ninguém, mas a máquina estava funcionando. Ele acreditava em “fantasmas”, e a notícia se espalhou. Na sua mente, as máquinas de datilografia só funcionavam quando uma pessoa estivesse dedilhando em seu teclado.
    Assim, muitos “teólogos”, graduados, e até com pós graduação (mestrado, doutorado e até pós doc em divindade), também acreditam e advogam que o Espírito de Deus, que sabe as coisas de Deus, para saber as coisas de Deus, tem que ser uma “pessoa”, um “outro” ser; e, equivocadamente usam o texto de 1Coríntios 2:10 para embasar sua tese, e assim estão como aquele guarda noturno daquela Agência Bancária, acreditando que uma ação só pode se realizar se uma pessoa a estiver realizando.
    Esses teólogos, advogados da “trindade”, ignoram a explicação do apóstolo que é apresentada no verso seguinte, ou seja no verso 11: Porque, qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o espírito do homem, que nele está? Assim também ninguém sabe as coisas de Deus, senão o Espírito de Deus. 1 Coríntios 2:11
    Ora, se o Espírito de Deus, por saber as coisas de Deus fosse uma “outra” pessoa, então também o espírito do ser humano seria uma outra pessoa.
    Como o apóstolo está explicando o Espírito Santo, ver verso 13, ele encerra a explicação no verso 16: Porque, quem conheceu a mente do Senhor, para que possa instruí-lo? Mas nós temos a mente de Cristo. 1 Coríntios 2:16
    Portanto, o Espírito Santo é a “mente” (capacidade mental, capacidade de pensar e realizar o que pensa) do Senhor (Deus, o Pai), e a “mente” de Cristo.
    Espírito = mente (capacidade mental), no caso do Espírito de Deus, é de capacidade INFINITA. No caso do espírito humano ou de outra criatura com capacidade mental (anjos, arcanjos, querubins, serafins) a capacidade de realização e de pensamento é FINITA.
    Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se é que o Espírito de Deus habita em vós. Mas, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele. Romanos 8:9
    Aqui, mais uma vez o apóstolo explica com muita objetividade, e estabelece a igualdade do Espírito de Deus e o Espírito de Cristo, portanto se o Espírito de Deus fosse uma terceira pessoa, então o Espírito de Cristo seria uma quarta pessoa, e assim não existiria uma “trindade”, mas um “quarteto” divino.

  2. Hi there

    Be Free from Neck Pain
    Try NeckFlexer & Relieve Neck Pain Effortlessly In 10 Min!
    Save 50% OFF + FREE Worldwide Shipping

    Shop Now: neckflexer.online

    ✅ Designed By Doctor & Chiropractor
    ✅ Ergonomic Design – Fits Everyone
    ✅ Circulation To Head
    ✅ Stimulating Key Result Area

    To your success,

    Comentário da Lição 3 deste trimestre, sobre o Espírito Santo. Imprima e distribua aos amigos da Escola Sabatina! – Adventistas.Com – adventistas.com

    1. Nichole:
      Não entendi !!!
      O que esse comentário, feito 6 anos após a matéria, tem a ver com o assunto???!!!
      Se o comentário é para trazer à análise o tema, segue o meu entendimento:
      ESPÍRITOS MINISTRADORES
      Não são todos eles espíritos ministradores, enviados para servir a favor dos que hão de herdar a salvação? Hebreus 1:14
      Os anjos não são, todos eles, espíritos ministradores enviados para servir aqueles que hão de herdar a salvação? Hebreus 1:14 – NVI – https://www.bibliaonline.com.br/nvi/hb/1
      Dependendo da versão em que se lê, pode ficar uma dúvida, ou caber uma pergunta: – Quem são esses “espíritos ministradores” ?
      Algumas versões, como a Nova Versão Internacional (conforme link), identificam quem são esses ‘espíritos’ citados em Heb. 1:14.
      Estes ‘espíritos ministradores’ citados na Bíblia, são ‘espíritos de Deus’, e, é importante entender que, existem, semelhantemente ‘espíritos’ que se afastaram de Deus e se tornaram ‘espíritos malignos’, e, portanto, não são mais ‘espíritos de Deus’.
      Assim, temos: ‘espíritos de Deus’ – os santos anjos, e ‘espíritos do maligno’ – os anjos caídos.
      Quando a Bíblia menciona no livro do Apocalípse, os sete ‘espíritos de Deus’ enviados por toda a terra (Apoc. 1:4, 3:1, 4:5 e 5:6), há alguns questionamentos, e alguns dizem ser “o Espírito Santo”, e, colocando que o número sete (7), como simbólico, e, que se refere a “um” ser específico, um terceiro na Divindade.
      Outra hipótese, quanto ao número sete desses ‘espíritos’, é que seja realmente um número literal, mas com significado espiritual, assim como o número doze (12), dos 12 filhos de Jacó, que mesmo quando um (Dã) foi rejeitado, houve um arranjo colocando Manassés, filho de José para completar o número (veja Apoc. 7:6, sendo que no verso 8 já havia constado a tribo de José); e também quando Jesus inicialmente tomou doze discípulos para serem os apóstolos, quando Judas se suicidou, outro foi escolhido (Atos 1:23 a 26) para continuar sendo doze (12) os apóstolos.
      No caso do registro da revelação do Apocalípse, pode-se ver no primeiro capítulo, verso 20, o desvendar do mistério representado por sete estrelas, que são sete anjos. (Apocalipse 1:20)
      A seguir, podemos verificar nos capítulos 8, 15 e 16, o uso de sete anjos, que são ‘espíritos ministradores’, veja: Apoc. 8:2, 8:6, 15:1, 15:6, 15:8 e 16:1.
      Não se pode dizer que esse número 7 seja simbólico e não literal, pois eles estão encarregados de conduzir eventos finais, e esses eventos tem um número certo, ou seja sete.
      ESPÍRITO SANTO
      Foi assim o nascimento de Jesus Cristo: Maria, sua mãe, estava prometida em casamento a José, mas, antes que se unissem, achou-se grávida pelo Espírito Santo. Mateus 1:18 – NVI
      Aqui, nesta declaração, o ser ‘Espírito Santo’, não se trata de um ‘anjo santo’, nem tampouco de um ‘terceiro’ Divino, mas é o Pai e não uma terceira pessoa.
      …procurando saber o tempo e as circunstâncias para os quais apontava o Espírito de Cristo que neles estava, quando lhes predisse os sofrimentos de Cristo e as glórias que se seguiriam àqueles sofrimentos.
      A eles foi revelado que estavam ministrando, não para si próprios, mas para vocês, quando falaram das coisas que agora lhes foram anunciadas por meio daqueles que lhes pregaram o evangelho pelo Espírito Santo enviado do céu; coisas que até os anjos anseiam observar. 1 Pedro 1:11,12
      Nesta revelação, o Espírito Santo, também chamado de Espírito de Cristo, não é uma outra terceira pessoa Divina (como alguns alegam), mas é o próprio Divino Filho de Deus.
      Portanto, Espírito Santo, não é um nome ou um título de um terceiro, mas uma referência a seres espirituais com a qualidade de ‘santidade’, ou seja: Espíritos Santos.
      Convém lembrar que o Divino Filho de Deus, não mentiu, não foi desafeto de qualquer pessoa, não foi omisso, e não foi incompetente como Mestre, nem tampouco ensinou os seus discípulos que existisse um outro terceiro, veja: – 1João 1:3, 2João 1:9, João 10:30, Lucas 9:26, Marcos 8:38 e 1Timóteo 5:21.
      Também convém lembrar que, por um breve período, o Divino Filho de Deus, viveu nesta terra como humano, mas conforme revelado em 1Coríntios 15:45, é “espírito vivificante”.
      E, conforme palavras do próprio Cristo, (João 4:24) Deus (conforme 2João 1:9) é espírito.

      Isto posto, podemos analisar o relato de Atos 8:26 a 39
      É a história do batismo do eunuco, importante oficial da rainha Candace da Etiópia.
      No verso 26, algumas versões dizem que ‘o anjo do Senhor’ deu ordem para Filipe; como se fosse determinado anjo, ou seja aquele anjo específico para aquela missão, ou o anjo designado para acompanhar, sempre, Filipe, assim como cada pessoa tem para si, designado o seu anjo que o acompanha por toda a vida.
      Outras versões como por exemplo a Nova Versão Internacional – https://www.bibliaonline.com.br/nvi/atos/8
      Registram: “Um anjo do Senhor…”, não usando o artigo definido, levam a se pensar em algum dos milhares de santos anjos, e não um determinado anjo específico.
      Detalhe à parte, sendo o anjo determinado, ou um dos milhares, podemos entender que, esse anjo que falou com Filipe, o estava acompanhando.
      No verso 29, diz: “E o espírito disse a Filipe…
      Esse espírito que falou a Filipe, não é outro, senão aquele ‘anjo do Senhor’, um ‘espírito ministrador’ conforme Hebreus 1:14.
      No verso 39, diz que o ‘espírito do Senhor’ arrebatou Filipe.
      Quem seria esse ‘espírito do Senhor’ ???!!!
      Entendendo que; os ‘anjos do Senhor’ são ‘espíritos ministradores’, neste relato, o ‘anjo do Senhor’ do verso 26; o ‘espírito’ do verso 29 e o ‘espírito do Senhor’ do verso 39, é o mesmo ‘espírito ministrador’ designado por Deus, para acompanhar Filipe, portanto “espírito do Senhor” ou “anjo do Senhor”.

  3. Boas tardes,

    Gostaria que me esclarecesse o que é que entendemos desta declaração do Espírito de Profecia, que vem mencionada na Lição de 2ª Feira , pois sobre a mesma não foi feita nenhuma alusão da sua parte :

    “o Espírito Santo é uma Pessoa, pois dá testemunho com o nosso espírito
    de que somos filhos de Deus. […] Deve ser também uma Pessoa divina, do contrário não poderia perscrutar os
    segredos que jazem ocultos na mente de Deus”

    O Espírito Santo é ou não uma Pessoa da Trindade ? Ou é apenas o Espírito (poder) de Deus ?

    Em João 14:16, Jesus afirma : “Eu rogarei ao Pai, e Ele vos dará outro Consolador …”

    Porque falou Jesus à cerca de outro Consolador, se se estava a referir a Si mesmo ?

    Obrigado pela atenção dada a estes assuntos da maior importância para a nossa Salvação.

    Rui Alemão

      1. Pessoal, tudo bem?
        Sou apenas um simples membro da igreja Adventista e tenho uma dúvida: qual o motivo de colocar o nome da igreja no endereço do blog?
        Se vocês não concordam com ela, ok. Cada um é livre para fazer as devidas escolhas. Só acho que vocês precisam ter um pouco mais de maturidade.
        Vocês são contra a igreja Adventista e o que ela ensina, e ainda, muitas vezes, atacam pessoas da igreja de maneira antiética. Coisas que, como cristãos, não deveriam fazer. Além disso, usam o nome da igreja sem qualquer autorização e ainda para ataca-la. Na minha opinião isso não é coisa de um verdadeiro seguidor de Cristo fazer. Há maneiras corretas para um verdadeiro cristão se manifestar.
        E outra coisa: Vocês continuam frequentando a igreja Adventista? Espero que não né, porque seria nada inteligente continuar em uma igreja que, segundo vocês, está pregando mentiras.

        No aguardo.

        Obs: Ah, só um pedido: sejam homens maduros de mandar a resposta com o mínimo de respeito. Obrigado.

        1. Respostas:

          1. Não colocamos o nome da igreja no endereço do blog. “Adventistas” é apenas um adjetivo, que se refere tanto a membros da denominação Igreja Adventista do Sétimo Dia quanto àqueles que aguardam o novo advento de Jesus Cristo (Ieshua), em outras denominações, congregações, grupos leigos, ou como indivíduos.

          2. Somos, obviamente, adventistas ligados à denominação adventista do sétimo dia, por batismo, frequência, estudos, afetividade e até por costume. Mas acima de todos somos adventistas livres, que não se sujeitam à estrutura de poder que se apropriou do comando do povo adventista e o escravizou.

          3. Somos contra o abandono de verdades bíblicas, por tanto tempo preservadas e mantidas pelo povo de Deus como crenças fundamentais, mesmo com risco para a própria vida. Depois de tantos anos de resistência e conformidade com a Palavra de Deus, não é justo que sejam rejeitadas, abandonadas, pisoteadas e substituídas por homens sem nenhum compromisso com a Verdade, infiltrados ou vendidos ao catolicismo romano.

          4. Somos autorizados a utilizar o adjetivo adventista por nossa própria e livre escolha, liberdade de pensamento e expressão. Somos também autorizados pelo nascimento em famílias adventistas há décadas e por nossa filiação ao rol de membros, ainda que temporária. Somos autorizados também pelos títulos acadêmicos obtidos em instituições adventistas de ensino.

Deixe uma resposta para Hermano de Jesus -- Editor Cancelar resposta