7 Coisas que você precisa resolver antes de rejeitar a teoria dos Nefilins como antibíblica

dna-bible

Sem a noção do conflito entre Jeová, Seu Filho, suas hostes e o povo escolhido contra o Diabo, seus demônios e descendentes “humanos”,

1. …a Bíblia seria um livro que apenas conteria a Mensagem de Deus a ser descoberta…

2. …entre a inutilidade genealógicas,

3. …as incoerências de um Deus que teria se arrependido de criar os seres humanos,

4. …destruiu quase todos eles num dilúvio apenas por se reproduzirem

5. …e nos séculos seguintes favoreceu uma raça específica de humanos,

6. …determinando que eliminasse nações inteiras da face da Terra, exterminando inclusive velhos, mulheres e crianças,

7. chegando ao cúmulo de premiar um de Seus profetas com uma viagem para o Céu num carro de fogo, depois que este assassinou 450 sacerdotes da religião concorrente.

Por essas e outras razões, além da necessidade de conciliar a história bíblica com os outros registros históricos terrestres também preservados, tudo aquilo que lemos, ouvimos, aprendemos e pensamos que entendemos sobre a Bíblia precisa ser revisto.

12 comentários em “7 Coisas que você precisa resolver antes de rejeitar a teoria dos Nefilins como antibíblica”

  1. Querido irmão, receio que você não entendeu o que motivou meu comentário. Quando citei EGW, quis lhe mostrar que ela tinha uma posição muito clara a esse respeito. Você costuma citá-la, dando a entender que ela apoiaria sua fantasia sobre os nefilins e anjos caídos mantendo relações sexuais com mulheres. O único objetivo de meu comentário é esclarecer: ELLEN WHITE NÃO CONCORDA COM SUAS FANTASIAS!

    Abraço cristão a todos.

    Bernardo

    1. Ellen White em nenhum momento negou que tenham existido nefilins ou gigantes antediluvianos. Portanto, não tinha posição muito clara a respeito. Ela até chegou a imaginar que Adão fosse um dos gigantes de outrora, quando afirmou que Adão tinha o dobro da estatura de um homem comum e que Eva alcançava a altura do ombro dele. Isso não está escrito em parte alguma da Bíblia, a não ser que ela estivesse atribuindo a Adão a estatura do gigante Ogue, rei de Basã, cuja cama de ferro media 4 metros de comprimento por 1,80 m de largura.

      Não entendo como pode dizer que EGW não concorda com o que chama de minhas fantasias. Primeiro, porque não são fantasias. Segundo, porque não minhas, mas dos judeus fiéis anteriores e contemporâneos de Cristo. E quarto, porque EGW está morta e não poderia mesmo concordar nem discordar. Ou o irmão teria por acaso invocado o espírito dela em algum Centro White, como fez SAul com Samuel?

  2. Só é aceitável essa teoria considerando que o Criador foi muito incompetente!
    Pois, para quem acredita da Bíblia e portanto no relato de Gênesis 1; e acreditando que o Criador ao fazer e ver o que havia feito e declarado ser tudo muito bom, passado não muito tempo houve a necessidade de alterar as condições genéticas, uma vez que desde a muito já se comprovou a impossibilidade de cruzamento de espécies diferentes entre si.
    Só se esse Criador não fosse “onisciente” e o que disse no início não fosse verdade, pois não era tudo bom; e só depois de impedir o cruzamento entre espécies diferentes é que as coisas ficaram melhores, portanto não era tão bom assim, e portanto as declarações de Gênesis 1 seriam mentirosas.
    Nem os símios que segundo a teoria da evolução originou-se de um ancestral comum aos humanos, não são capazes de reproduzir um terceiro ser a partir do cruzamento de humanos e símios.
    Logo, é mais fácil acreditar na teoria da evolução do que nessa teoria, que qualquer principiante em biologia sabe ser impossível.

    1. Meu caro irmão, o senhor tem toda a razão, quando se recusa a aceitar uma “novidade”, que contraria tudo que aprendeu provavelmente ao longo de décadas na Igreja Adventista do Sétimo Dia. Com a maioria de nós, aconteceu quase do mesmo jeito e foi muito difícil admitir que estivemos equivocados durante tantos anos.

      Essa é uma característica dos laodiceanos. Pensamos que somos tão ricos de verdades doutrinárias que não percebemos a ignorância espiritual em que vivemos. E por isso relutamos em aceitar que um terceiro possa estar certo, enquanto nós, o remanescente fiel, o povo escolhido, a menina dos olhos de Deus, fomos enganados por nossos pastores!

      Seu argumento da impossibilidade biológica já foi apresentado e rebatido aqui no site, por não ser este o ponto em discussão. Como já dissemos, do ponto de vista da Biologia, a Luz não brilharia sobre a Terra antes que houvesse o Sol; se soprássemos nas narinas de um boneco de barro, ele não ganharia vida; de uma costela masculina não se extrairia uma mulher; uma cobra não conversaria com Eva, oferecendo-lhe um fruto que lhe alteraria o DNA… Tudo isso, são impossibilidades biológicas!

      Além do mais, nenhum biólogo pôde negar até hoje em laboratório, que um anjo ou ser celestial pudesse engravidar uma fêmea humana! Do mesmo modo, não podemos negar que Deus pudesse engravidar uma virgem humana e fazer com que dela nascesse Seu próprio Filho, pré-existente e santo, Jesus Cristo. São espécies diferentes, mesmo assim cremos no nascimento virginal do Filho de Deus.

      E mais: Podem não ter sido meros cruzamentos, fruto de relações sexuais. Talvez estejamos falando de uma amálgama ou mistura que apenas a Biotecnologia e a Engenharia Genética podem explicar, pois a manipulação genética, mesmo entre diferentes espécies, deixou de ser uma impossibilidade em nossos dias.

      A verdade, segundo a Bíblia, é que “nos diasde Noé” toda a carne foi corrompida, homens e animais, a ponto de Deus decidir destruir essas criaturas híbridas, geneticamente modificados, com um dilúvio. Se pretendesse destruir a humanidade pecadora, por seus excessos, muito mais justo teria sido Deus se decidisse destruir a Satanás e seus anjos.

      É para que as declarações do Gênesis não se tornem mentirosas que retornamos à compreensão original do antigo povo judeu e dos primeiros cristãos até o quinto século.

      1. Jesus, porém, respondendo, disse-lhes: Errais, não conhecendo as Escrituras, nem o poder de Deus.
        Porque na ressurreição nem casam nem são dados em casamento; mas serão como os anjos de Deus no céu.
        Mateus 22:29-30

        Os anjos “não se casam”, ou seja não têm conjunções carnais, não se procriam; afinal o casamento é para a conjunção carnal. É verdade que no texto está dizendo que isso ocorre com os “anjos no céu”, mas onde é que está escrito que “na terra” os anjos teriam a possibilidade de conjunção carnal e procriação?!

        Aos anjos não foi dado o poder de procriar, nem de criar, por isso mesmo se rebelaram contra o Criador. Essa teoria se presta a dar poderes a criaturas, que elas não possuem, e muito queriam possuir.

        Fazer comparações das realizações de Deus, o Todo-poderoso, com “possibilidades” atribuidas a anjos rebeldes, é simplesmente hilariante. Vê-se a confusão de vosso raciocínio, atribuindo a criaturas o mesmo poder do Criador.

        1. Irmão querido, o que está dito nesse texto de São Mateus é que os ressuscitados não se casam nem são dados em casamento, uma vez que serão como os anjos de Deus no Céu. Embora discordemos de que a razão para o casamento seja apenas a conjunção carnal, percebemos que o caro irmão já se permite perguntar: Onde é que está escrito que na Terra os anjos tenham a possibilidade de conjunção carnal e procriação?

          Pois bem, comecemos pelo Gênesis onde o próprio Deus diz a Satanás que porá inimizade entre a sua semente (ou descendência, linhagem) e a semente da mulher. Satanás teria, portanto, uma semente, descendência, linhagem… Intérpretes judaicos antigos chegaram a afirmar que, entorpecida pelo fruto proibido, Eva teria traído a Adão com Satanás, imaginando ser este o próprio Senhor. Por essa razão, após a desobediência, Deus teria dito a ela que dali para frente seu desejo deveria ser apenas para o seu marido. Dizem até que Caim teria sido gerado pelo Enganador, tendo sido rebelde, mentiroso e homicida como seu pai, desde o princípio. O oferecimento de frutos proibidos ao Senhor como sacrifício pode ter sido interpretado como uma zombaria da parte dele. Mas o que precisa ficar bem claro é que, em Gênesis 3, Deus afirmou que Satanás viria a ter descendentes.

          Vem então o relato de Gênesis 6, onde filhos de Deus (anjos caídos) se encantam com fêmeas humanas e as possuem, gerando gigantes poderosos, conhecidos hoje como Nefilins, literalmente “os caídos, que vieram do Céu”, numa clara referência a seus pais. Esse relato é confirmado e detalhado diversas vezes em registros históricos judaicos chamados hoje de “apócrifos”, sendo o livro de Enoch, o principal deles.

          Um pouco mais adiante, vemos habitantes de Sodoma e Gomorra serem condenados à destruição não apenas por falta de hospitalidade, mas especialmente por pretenderem fazer novamente sexo com seres angelicais, uma vez que talvez já estivessem acostumados a isso, no caso dos demônios. Desse modo, repetiram o erro da geração antediluviana, que também foi destruída permitir e incentivar o sexo com anjos

          Esses dois incidentes, de sexo entre demônios e fêmeas humanas, ou tentativa de sexo entre homens e anjos, são citados nas epístolas de Judas e Pedro como exemplos de perversão e abandono da condição de “anjos no Céu”. Veja o que diz Judas 1:6-7, na versão da Nova Tradução na Linguagem de Hoje:

          Lembrem dos anjos que não ficaram dentro dos limites da sua própria autoridade, mas abandonaram o lugar onde moravam. Eles estão amarrados com correntes eternas, lá embaixo na escuridão, onde Deus os está guardando para aquele grande dia em que serão condenados.

          Lembre-se dos dos moradores de Sodoma, de Gomorra e das cidades vizinhas, que agiram como aqueles anjos e cometeram imoralidades e pecados sexuais. Eles sofreram o castigo do fogo eterno, o que é um aviso claro para todos. — Nova Tradução na Linguagem de Hoje

          Traduzido em linguagem coloquial, menos formal que outras versões tradicionais, o texto não deixa dúvida: Os moradores de Sodoma, Gomorra e cidades vizinhas, agiram como aqueles anjos caídos do passado por tentarem cometer imoralidades e pecados sexuais.

          …aos anjos que não guardaram o seu principado, mas deixaram a sua própria habitação, ele os tem reservado em prisões eternas na escuridão para o juízo do grande dia, assim como Sodoma e Gomorra, e as cidades circunvizinhas, que, havendo-se prostituído como aqueles anjos, e ido após outra carne, foram postas como exemplo, sofrendo a pena do fogo eterno. — Judas 1:6-7 — Almeida Revisada

          Ora, se Deus não poupou anjos quando pecaram, antes, precipitando-os no inferno, os entregou a abismos de trevas, reservando-os para juízo; e não poupou o mundo antigo, mas preservou a Noé, pregador da justiça, e mais sete pessoas, quando fez vir o dilúvio sobre o mundo de ímpios; e, reduzindo a cinzas as cidades de Sodoma e Gomorra, ordenou-as à ruína completa, tendo-as posto como exemplo a quantos venham a viver impiamente; e livrou o justo Ló, afligido pelo procedimento libertino daqueles insubordinados… II Pedro 2:4-7.

          Os Evangelhos deixam clara a existência de dois grupos de demônios: os que transitam por aqui e os que foram lançados ao abismo.

          Perguntou-lhe Jesus: Qual é o teu nome? Respondeu ele: Legião, porque eram muitos os demônios que nele haviam entrado. Estes lhe suplicaram que não os mandasse ir para o abismo. — Lucas 8:30-31

          João Batista e Jesus Cristo pessoalmente referiram-se a algumas pessoas como “descendentes da serpente”:

          Mas vendo João que muitos fariseus e saduceus vinham ao seu batismo, disse-lhes: Raça de víboras, quem vos recomendou que fugísseis da ira vindoura? — Mateus 3:7

          Dizia, então, às multidões que saíam para ser batizadas por ele: Raça de víboras, quem vos recomendou que fugísseis da ira vindoura? — Lucas 3:7

          Serpentes, raça de víboras! como escapareis da condenação da geena? — Mateus 23:33

          Vós sois filhos do Diabo, e tendes vontade de cumprir os desejos de vosso pai. Ele era homicida desde o princípio e não permaneceu na verdade, porque não há nele verdade. Quando ele diz uma mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e o pai da mentira. — João 8:44

          Não te maravilhes de eu te dizer: É-vos necessário nascer de novo.— João 3:7

          Sementes de Satanás e da mulher misturadas até o final

          Jesus lhes propôs outra parábola: O reino dos céus é semelhante a um homem que semeou boa semente no seu campo.
          Mas enquanto os homens dormiam, veio um inimigo dele, semeou joio no meio do trigo e retirou-se.

          Porém quando a erva cresceu e deu fruto, então apareceu também o joio. Chegando os servos do dono do campo, disseram-lhe: Senhor, não semeaste boa semente no teu campo? pois donde vem o joio?

          Respondeu-lhes: Homem inimigo é quem fez isso. Os servos continuaram: Queres, então, que vamos arrancá-lo?

          Não, respondeu ele, para que não suceda que, tirando o joio, arranqueis juntamente com ele também o trigo.
          Deixai crescer ambos juntos até a ceifa; e no tempo da ceifa direi aos ceifeiros: Ajuntai primeiro o joio e atai-o em feixes para o queimar, mas recolhei o trigo no meu celeiro.

          Mateus 13:24-30

        2. Quando ainda não havia luz elétrica, as pessoas viam muitos “fantasmas”!

          A falta de luz, faz as pessoas que não enxergam verem fantasmas!

          Parábolas, são apenas parábolas!

          1. Os argumentos para a defesa dessa teoria são mais fracos do que os argumentos para a defesa da teoria da trindade.

      2. Querido irmão, a sua imaginação é muito fértil! Pelo visto o senhor anda lendo muitas coisas pela internet, sugiro que leia um livro que pode esclarecer definitivamente este assunto.

        Trata-se do livro “Patriarcas e Profetas”, da Sra. Ellen White. No cap. 6 (Sete e Enoque), pág. 47, lemos o seguinte:

        ” (…) Por algum tempo as duas classes permaneceram separadas. A descendência de Caim, espalhando-se do lugar em que a princípio se estabeleceu, dispersou-se pelas planícies e vales onde os filhos de Sete haviam habitado; e os últimos, para escaparem de sua influência contaminadora, retiraram-se para as montanhas, e ali fizeram sua morada. Enquanto durou esta separação, mantiveram em sua pureza o culto a Deus. Mas com o correr do tempo arriscaram-se pouco a pouco a misturar-se com os habitantes dos vales. Esta associação produziu os piores resultados. “Viram os filhos de Deus que
        as filhas dos homens eram formosas”. Gênesis 6:2. Os filhos de Sete, atraídos pela beleza das filhas dos descendentes de Caim, desagradaram ao Senhor casando-se com elas. Muitos dos adoradores de Deus foram seduzidos ao pecado pelos engodos que constantemente
        estavam agora diante deles, e perderam seu caráter peculiar e santo. Misturando-se com os depravados, tornaram-se semelhantes a eles, no espírito e nas ações; as restrições do sétimo mandamento eram desatendidas, “e tomaram para si mulheres de todas as que escolheram”. Os filhos de Sete “entraram pelo caminho de Caim”
        (Judas 11); fixaram a mente na prosperidade e alegrias mundanas, e negligenciaram os mandamentos do Senhor. Os homens “se não importaram de ter conhecimento de Deus”; “em seus discursos se desvaneceram, e seu coração insensato se obscureceu”. Por isso “Deus os entregou a um sentimento perverso”. Romanos 1:21, 28. O pecado propagou-se largamente na Terra como uma lepra mortal. (…)”.

        Querido irmão, existem algumas lacunas na Bíblia Sagrada. Satanás tem usado essas lacunas para confundir as pessoas. Receio que você esteja sendo usado pelo inimigo para propagar essas fantasias.

        Deus iluminou a irmã Ellen White para esclarecer algumas questões que ele sabia que seriam polêmicas entre o seu povo. Espero você reconheça seu equívoco, pelo menos quanto a este tema; ou você sabe mais que a irmã White sobre o assunto?

        Um abraço cristão a todos.

        Bernardo

        1. Conheço o texto citado pelo irmão. Contudo, não posso aceitar que considere nosso ponto de vista como biblicamente infundado apenas por não se harmonizar com o ponto de vista de Ellen White nessa citação que faz. O correto é comparar o que dissemos com a própria Bíblia…

          Escritos da Sra. White não podem ser sobrepostos ao que dizem as Sagradas Escrituras. Até mesmo porque ela própria considerava ter recebido apenas uma “luz menor” para nos encaminhar à Luz Maior, que são as Escrituras Sagradas. Além disso, recomendava que seus testemunhos fossem avaliados à luz da Bíblia e que, estando em desacordo, fossem rejeitados.

          As revelações que EGW alegou ter recebido da parte de Deus também não esgotam a temática bíblica, a ponto de nos impedirem de continuar pesquisando e redescobrir velhas verdades soterradas sob o lixo das doutrinas e interpretações humanas. O dom profético não incluiu a onisciência. Caso contrário, não mais haveria nenhuma necessidade de estuar e pesquisar as Escrituras. Bastaria ler os livros de Ellen G. White!

          De igual modo, um comentário de EGW sobre qualquer passagem bíblica não esgota o leque de possibilidades de interpretações corretas acerca daquele texto. Afinal, trata-se da Palavra de Deus. Textos de EGW também não podem servir como parâmetro de verificação da correção ou incorreção de uma conclusão sobre qualquer tema bíblico. As mensagens dela é que devem ser testadas pela Bíblia e não o contrário.

          Ellen White errou muitas vezes na interpretação da Bíblia, ao longo do seu ministério. Afirmou, por exemplo, que a porta da graça havia se fechado em seu tempo, que poderíamos comer carne de porco e outros animais imundos sem nos preocupar, que não poderíamos jamais ter certeza plena de nossa salvação… Transformou o dom divino em fonte derenda para si e sua família, copiando textos de terceiros, contratando redatores para escrever em seu lugar… Fez até pacto com o marido já morto! E evidentemente errou também quando alegorizou a interpretação dessas relações entre anjos caídos e fêmeas humanas.

          Logo no princípio de seu ministério, porém, Deus lhe deu pistas sobre o que, de fato, aconteceu nos dias de Noé:

          “Mas se há um pecado acima de todo outro que atraiu a destruição da raça pelo dilúvio, foi o aviltante crime de amálgama de homem e besta que deturpou a imagem de Deus e causou confusão por toda parte.” Spiritual Gifts, Vol. 3, pg.64, 1864.

          “Toda espécie de animal que Deus criou foi preservada na arca. As espécies confusas que Deus não criara, resultantes da amálgama, foram destruídas pelo dilúvio. Desde o dilúvio, tem havido amálgama de homem e besta como pode ser visto nas quase infindáveis variedades de espécies animais e em certas raças de homens.” — Ellen G. White, em Spiritual Gifts, Vol. 3, pg. 75, 1864.

          “Todo joio é semeado pelo maligno. Toda erva nociva é de sua semeadura, e por seus métodos engenhosos de amálgama ele corrompeu a Terra com joio.” — Mensagens Escolhidas, volume 2, pág. 288-289.

          Portanto, de acordo com essas afirmações da profetisa adventista Ellen G.White, pouco antes do Dilúvio:

          1) Houve mistura de DNA ou manipulação genética antinatural envolvendo seres humanos;

          2) Houve mistura de DNA ou manipulação genética antinatural envolvendo animais;

          3) Pode também ter havido mistura de DNA ou manipulação genética antinatural envolvendo seres humanos e animais;

          4) Esse grave pecado de mistura de DNA ou manipulação genética antinatural teria sido a principal razão para que a humanidade fosse quase completamente destruída no Dilúvio;

          5) Por meio dessa mistura de DNA ou manipulação genética antinatural, deturpou-se a imagem de Deus nos seres humanos e houve confusão por toda parte;

          6) Na Arca construída por Noé, foram salvas apenas as espécies de animais criadas por Deus;

          7) Espécies confusas, que Deus não criara, resultantes de mistura de DNA ou manipulação genética antinatural, foram destruídas no Dilúvio;

          8) A mistura de DNA ou manipulação genética antinatural de seres humanos e animais continuou ocorrendo após o Dilúvio.

Deixe uma resposta para Hermano de Jesus -- Editor Cancelar resposta