Igreja que apoiou Hitler, agora desestimula protesto contra corrupção e roubalheira no Governo Dilma

image_pdfimage_print

40904-970x600-1

998457_10152125004167995_1934151654_n1

Depois de apoiar como igreja as ações de Hitler contra os judeus na Europa com argumentação fundamentada na Bíblia, décadas depois, direto do setor de mansões de Brasília, onde residem os maiorais da DSA, a liderança adventista do Brasil repete o erro de legitimar a ação de autoridades corruptas brasileiras, usando para isso argumentos também extraídos da Bíblia e de livros atribuídos ao Espírito de Profecia.

Desta vez, o apoio, expresso na forma de desestímulo à participação de adventistas no protesto contra a corrupção e roubalheira durante o governo Dilma, está documentado em recentes publicações denominacionais na internet.

Fotos de Lula e Dilma, como as mostradas acima, frequentemente são publicadas com destaque positivo nos noticiários oficiais da IASD. Mas em relação aos protestos do próximo domingo, primeiro, foram postadas no Twitter mensagens de apoio às “autoridades”, com base em textos bíblicos da carta aos Romanos:

Michelson Borges ‏@criacionismo Mar 11 — Rm 13:11 – Com a volta de Jesus tão próxima (a solução final), não temos mais tempo de ficar lutando em causas políticas.

Lisandro W. Staut ‏@lisandrostaut Mar 11 — “Deem a cada um o que lhe é devido: se imposto, imposto; se tributo, tributo; se temor, temor; se honra, honra” Romanos 13:7

Igreja Adventista ‏@iasd Mar 11 — Respeito às autoridades constituídas sempre desde que não firam as leis de Deus. Romanos 13

Houve também postagem de figura que atribui a Deus a existência de desigualdades sociais:

ricoepobre-asd

P.S. Na tarde do domingo dia 15, depois do protesto pacífico por todo o Brasil, com a participação de quase dois milhões de brasileiros, que simplesmente exerceram seu direito democrático de expressar insatisfação, ungido certamente com óleo de peroba, o pastor Luís Gonçalves veio a público dar a impressão de que a liderança adventista brasileira não havia se posicionado contrariamente à manifestação que sacudiu o País. Direto do quintalzinho de suahumilde residência, usou até o mesmo texto da epístola de Tiago que mencionamos abaixo em uma resposta a um comentário.

Na última quinta-feira, porém, foram bem mais explícitos e publicaram no site oficial da IASD, textos fundamentados em citações de Ellen G. White, tida como “profetisa” e “mensageira do Senhor”, quando convém à liderança:

Texto-orienta-adventistas-sobre-participacao-em-manifestacoes-politicas2

12 de março de 2015
Texto orienta adventistas sobre participação em manifestações políticas

Brasília, DF… [ASN] Descontentes com o rumo da política nacional, milhares de pessoas já confirmaram sua ida às ruas nos próximos dias 13 e 15 de março para apoiar o governo e protestar contra ele, respectivamente. Diversos brasileiros que vivem em outros países também estão se organizando para que em suas localidades haja protestos. Em relação a isso, qual deve ser a postura do adventista? Ele deve ou não participar deste tipo de ato? Quais são os riscos?

Veja neste artigo as orientações em relação ao assunto e de que forma as ações do cristão devem estar voltadas à proclamação do evangelho.

evangelhos (1024x980)

11 de março de 2015
As Manifestações e o Evangelho

O Brasil vive momentos delicados e complexos com a possibilidade de novas manifestações no País, inclusive de forte conotação política. Há um descontentamento de parte da população por conta do aumento de taxas, preços e custos, além de constante relação do Brasil com a corrupção na administração pública. Já vivemos no passado atos pacíficos e outros violentos entre manifestantes e policiais, resultando no vandalismo em várias cidades.

Diante desse quadro complexo, a pergunta que se ouve nestes últimos dias é: devem os adventistas se envolver nessas manifestações? Devem os pastores adventistas sair às ruas e fazer eco aos protestos?

Vale a pena mencionar uma citação inspirada da escritora Ellen White, que esclarece alguns pontos:

“O governo sob que Jesus viveu era corrupto e opressivo; clamavam de todo lado os abusos — extorsões, intolerância e abusiva crueldade. Não obstante, o Salvador não tentou nenhuma reforma civil. Não atacou nenhum abuso nacional, nem condenou os inimigos da nação. Não interferiu com a autoridade nem com a administração dos que se achavam no poder. Aquele que foi o nosso exemplo, conservou-Se afastado dos governos terrestres. Não porque fosse indiferente às misérias do homem, mas porque o remédio não residia em medidas meramente humanas e externas. Para ser eficiente, a cura deve atingir o próprio homem, individualmente, e regenerar o coração”. (O Desejado de Todas as Nações, 358).

Como Igreja, respeitamos as reivindicações porque nós temos saído às ruas para defender ideias, como o projeto Quebrando o Silêncio , contra o álcool, o fumo e as drogas e em defesa da liberdade religiosa. Saímos com os jovens no projeto Missão Calebe e para doar sangue (www.vidaporvidas.com), chamando a atenção da sociedade para o bem, entre outras iniciativas.
Não é errado defender ideias e ideais, e todos têm o direito de se manifestar livremente, conforme a própria Constituição Brasileira prevê. Como Igreja, contudo, alertamos que nessas manifestações existem pessoas com intenções equivocadas que não combinam com os nossos pensamentos e princípios cristãos. Muito mais do que reivindicar, nossa missão é proclamar. Como cristãos, fomos chamados para influenciar o mundo e devemos continuar fazendo isso através do amor, doando-se e desgastando-se pelo bem da comunidade.

Na continuação, Ellen White diz: “Não pelas decisões dos tribunais e conselhos, nem pelas assembleias legislativas, nem pelo patrocínio dos grandes do mundo, há de estabelecer-se o reino de Cristo, mas pela implantação de Sua natureza na humanidade, mediante o operar do Espírito Santo. “A todos quantos O receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus; aos que creem no Seu nome; os quais não nasceram do sangue, nem da vontade do varão, mas de Deus”. Jo 1:12, 13. Aí está o único poder capaz de erguer a humanidade. E o instrumento humano para a realização dessa obra é o ensino e a observância da Palavra de Deus”. (O Desejado de Todas as Nações, 358)

Estamos, como adventistas, neste mundo com uma mensagem especial que é preparar um povo para o encontro com o Senhor! Cremos que a nossa força não deve estar nas manifestações por justiça, mas em anunciar a volta do Senhor Jesus, a verdadeira causa!

A Bíblia é o nosso guia segura sempre. No livro de Hebreus 11:16 está escrito que: “Mas, agora, aspiram a uma pátria superior, isto é, celestial. Por isso, Deus não se envergonha deles, de ser chamado o seu Deus, porquanto lhes preparou uma cidade.”

O sonho dos sul-americanos, o sonho dos brasileiros, o sonho dos europeus… Todos querem uma pátria melhor. E ela existe. A cidade de Deus, a pátria celestial. Enquanto não estamos nela, seguindo Romanos 13, dedique tempo para orar pelas autoridades e para que o evangelho continue sendo anunciado com toda a força.

Lembre-se sempre: “Crede no Senhor vosso Deus e estareis seguros”. (2 Crônicas. 20:20).

Fontes:

http://noticias.adventistas.org/pt/noticia/comunicacao/texto-orienta-adventistas-sobre-participacao-em-manifestacoes-politicas

http://www.adventistas.org/pt/comunicacao/2015/03/11/as-manifestacoes-e-o-evangelho/

11 ideias sobre “Igreja que apoiou Hitler, agora desestimula protesto contra corrupção e roubalheira no Governo Dilma

  1. Uma pena que esse site se coloque a falar de política mas demonstrando tão pouco conhecimento sobre ela e principalmente sobre a história de nosso país. Parece que para o Adventistas.com a corrupção começou nos últimos 13 anos, basta ver as fotos dos supostos corruptos. Não estou apoiando ninguém, mas temos que ser mais inteligentes e deixar de ser comandado por Globos e Vejas. Outro detalhe, uma manifestação que tem duas propostas, intervenção militar e retirada de um governo que foi eleito legitimamente (gostemos ou não) não me representa e poderia representar os cristãos. Por fim, penso que Jesus nao estaria nas ruas no dia 15/03/15.

  2. O meu pai escreveu ao então Presidente Lula, para que não apoiasse a decisão Internacional favorável ao Islamismo, sob pena do Brasil sofrer “convulsões climáticas e sociais’…Todos que são contra Israel, vão sofrer consequências(Zacarias 12,13 e 14)… Parece que até agora a carta estava mesmo correta.

  3. Gosto de muitas matérias publicadas neste site, mas tenho que concordar com os adventistas, pois não conheço passagem bíblica que Jesus cristo ínsita a desordem, ou seja, o povo de Israel estava escravo do povo romano, e ele mesmo disse que seu reino não era daqui, e os romanos e os corruptos judeus roubavam do pobre povo, exemplo zaqueo, fico triste de neste site critica a algo que Jesus cristo jamais concordaria de ver seu povo irem a ruas se manifestarem, isto servem para Malafaias que tem interesse monetário em jogo, o povo de Deus é um povo ordeiro, e respeitador de autoridades seja ela quem for.

    • Por ocasião de Sua encarnação, não era propósito de Cristo libertar Seu povo do domínio romano. Mas Israel nasceu como nação através de um ato de libertação conduzido pelo próprio Deus, que ouviu o clamor de seu povo oprimido e decidiu que era hora de agir. As chamadas “pragas” que castigaram os egípcios foram também juízos de Deus contra o governo do Faraó.

      Para nós, os protestos dos brasileiros são também o clamor de um povo oprimido e espezinhado por uma elite que rouba de todos nós o direito de viver em condições dignas. Trabalhamos como escravos mais da metade do ano para sustentar essa máquina que nos devora. Nosso clamor precisa chegar aos Céus para que Deus interfira na história brasileira. Afinal, a Bíblia condena a opressão e desigualdade sócio-econômica:

      “Digo-vos que não sabeis o que acontecerá amanhã. Porque, que é a vossa vida? É um vapor que aparece por um pouco, e depois se desvanece.Em lugar do que devíeis dizer: Se o Senhor quiser, e se vivermos, faremos isto ou aquilo. Mas agora vos gloriais em vossas presunções; toda a glória tal como esta é maligna. Aquele, pois, que sabe fazer o bem e não o faz, comete pecado.

      “Eia, pois, agora vós, ricos, chorai e pranteai, por vossas misérias, que sobre vós hão de vir. As vossas riquezas estão apodrecidas, e as vossas vestes estão comidas de traça. O vosso ouro e a vossa prata se enferrujaram; e a sua ferrugem dará testemunho contra vós, e comerá como fogo a vossa carne. Entesourastes para os últimos dias. Eis que o jornal dos trabalhadores que ceifaram as vossas terras, e que por vós foi diminuído, clama; e os clamores dos que ceifaram entraram nos ouvidos do Senhor dos exércitos.” — Tiago 4:14-5:4.

      • Meu irmão você citou Tiago 4 : 14, em cito o mesmo Tiago dizendo 5: 7 Por isso, irmãos tenham paciência até que o senhor venha, vejam como o lavrador que sua terra dê colheita preciosa, Ele espera pacientemente pela chuva de outono e primavera, a paciência è um dos frutos do espirito santo, e como diz o referido versículo o Senhor Jesus esta voltando já imaginou se ele volta e os irmãos estão no meio de uma passeata gritando palavras de contra o governo, toda e qualquer gera ira, e a ira não é de Deus e sim do inimigo, para finalizar irmão como cristão não podemos condenar as pessoas se pelo menos as mesma serem julgadas, e o que parecem eles estão na faze de investigação, quem já estão os condenando é própria imprensa, Jesus também nos deu seus mandamentos, Amar a Deus de todo meu coração, de toda minha alma e entendimento e amar o próximo como a mim mesmo, meu irmão ame o próximo mesmo se a indícios de ele ser corrupto.

        • O protesto pacífico é um direito democrático de qualquer cidadão brasileiro e não contraria nenhuma lei ou mandamento divino, pois não resulta necessariamente de ira ou pré-julgamento. Apenas expressa insatisfação com a má administração do País. Ora, se protestamos aqui inclusive contra a má administração da Igreja, iremos deixae de condenar a corrupção e roubalheira no governo de nosso País?

    • Ademir

      Acho que não é correto comparar sociedades e contextos diferentes. Naquela ocasião, protestar seria visto como um ato de rebelião contra Roma, o que, possivelmente, poderia até ser punido com a morte dos que protestassem. Hoje vivemos em uma sociedade onde o direito de opinião – e até de protestar, desde que dentro dos limites aceitáveis – é garantido pela Constituição, ou seja, está AMPARADO NA LEI MAIOR do país. Ninguém vai ser preso ou morto por se manifestar contra o Governo. Manifestar é um DIREITO. Naquela sociedade de Cristo seria uma AFRONTA.

      Consegue perceber a diferença?

      E outra, está claro que a missão de Cristo era uma só: morrer pela humanidade. Ele não encarnou para mudar o regime sob o qual viviam os judeus. Se fosse esta a missão com certeza ela teria sido executada, como ocorreu em outras ocasiões do passado, quando Deus quebrou as correntes dos opressores do seu povo, algumas vezes, até permitindo que os judeus fossem à guerra.

  4. Além de fazer o povo de “gado” em relação a bíblia, querem fazê-los em relação a situação politica brasileira. Bando de retardados….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *