Depois de visita do Papa aos EUA, Nasa prepara o caminho para a vinda de Salvador extraterresre

Deu em O Globo: Marcas no solo provam que existe água em Marte, diz Nasa
Achado alimenta especulações sobre vida extraterrestre no Planeta Vermelho

_85788121_perspective_1-1024x532

RIO — Marte sempre foi visto como um planeta desolado, seco, mas essa visão acaba de mudar com uma descoberta anunciada nesta segunda-feira. Um estudo, publicado na revista científica “Nature Geoscience“, aponta para sinais definitivos de água líquida na superfície do planeta vermelho, o que alimenta as especulações de que seria possível a existência de vida extraterrestre.

— Isso, eu acredito, dá pista de onde deveríamos olhar mais cuidadosamente — disse Alfred S. McEwen, pesquisador de geologia planetária na Universidade do Arizona e investigador do programa Mars Reconnaissance Orbiter. — É a detecção direta de água em forma de sais hidratados. É preciso a existência de água líquida recente para produzir esses sais.

Já era sabido que Marte já foi inundado por rios, lagos e até mesmo oceanos há alguns bilhões de anos, assim como já foi detectada a presença de água congelada em calotas polares, mas essa é a primeira evidência da presença de água em estado líquido.

Os estudos começaram em 2011, após a descoberta de estrias escuras descendentes ao longo de encostas de crateras, cânions e montanhas em imagens captadas pela Mars Reconnaissance Orbiter. As marcas surgiam no verão, e desapareciam durante o inverno, quando as temperaturas eram mais baixas, para reaparecerem no ano seguinte.

Os cientistas suspeitavam que a água exercia papel principal no fenômeno, da mesma forma que o concreto se escurece quando molhado, sem mudanças no formato da superfície, e depois retorna à cor original quando seca. Mas isso era apenas especulação.

— Nós não tínhamos nenhuma prova, era apenas a nossa melhor suposição — disse McEwen, durante coletiva realizada pela Nasa.

Para validar a teoria, uma equipe de cientistas liderada por Lujendra Ojha, candidato a Ph.D no Instituto de Tecnologia da Georgia, buscou subsídios em outros instrumentos a bordo da Mars Reconnaissance Orbiter. Com o espectrômetro, foi possível identificar tipos de moléculas e descobrir esses sais hidratados em quatro locais diferentes do planeta. E, assim como na análise das imagens, esses sais desapareciam dependendo da estação.

— Nós tivemos que criar novas técnicas e formas para analisar a assinatura química — disse Ojha. — É definitivo que existe alguma forma de água líquida.

Por muito tempo, pensou-se ser impossível encontrar água líquida em Marte por causa das condições climáticas e atmosféricas do planeta. Na Terra, a água congela em 0º Celsius e evapora em 100º Celsius, o que não acontece no planeta vizinho. Por lá, a pressão atmosférica extremamente baixa faz com que a água ferva a 10º Celsius. O segredo, explica Ojha, são os sais de perclorato.

— Com esse sal, a água congela apenas a -70º Celsius, e evapora a 24º Celsius — explicou o jovem cientista.

Após alcançar a resposta sobre a presença de água líquida em Marte, surgem novas questões. A primeira delas é: de onde vem essa água?

— Existem duas origens básicas para a água: por cima ou por baixo — disse McEwen.

Os percloratos podem estar agindo como esponjas, absorvendo líquidos do ar, mas medições já realizadas indicam que a umidade é muito baixa em Marte. Contudo, a tese não pode ser descartada se a parte mais baixa da atmosfera for mais úmida do que se imagina. A outra possibilidade é de aquíferos subterrâneos, que se congelam durante o inverno e derretem no verão.

E a pergunta principal é sobre a presença de vida no planeta vizinho. A água é considerada elemento essencial para o surgimento e manutenção da vida. Na Terra, onde existe água, existe vida, mesmo em condições extremas de salinidade e temperatura.

— Nós não descobrimos formas de vida, mas a descoberta de água é tremendamente excitante — disse McEwen. — Agora temos a oportunidade de selecionar os locais para investigar melhor.

Fonte: http://oglobo.globo.com/sociedade/ciencia/marcas-no-solo-provam-que-existe-agua-em-marte-diz-nasa-17626973

Deu no Estadão: Estudo encontra evidência de água no verão em Marte
Achado pode influenciar os estudos sobre a possibilidade de presença de vida microbiótica no planeta vermelho.

Cientistas desenvolveram uma nova técnica para analisar mapas químicos da superfície marciana obtidos pela sonda da Nasa Reconnaissance, o que possibilitou a nova descoberta.

CABO CANAVERAL – Cientistas encontraram a primeira evidência de que água salgada pode correr na superfície de Marte durante os meses do verão no planeta, de acordo com estudo publicado nesta segunda-feira, 28.

Apesar de a fonte da água ser desconhecida, a descoberta pode influenciar os estudos sobre a possibilidade de presença de vida microbiótica no planeta mais parecido com a Terra no Sistema Solar.

Cientistas desenvolveram uma nova técnica para analisar mapas químicos da superfície marciana obtidos pela sonda espacial da Nasa Reconnaissance, o que possibilitou a nova descoberta.

“Existe vida em Marte? As evidências supõem que isto é possível”, disse o cientista da Nasa John Grunsfield.

“Nossos instrumentos tecnológicos hoje mostram um planeta muito mais complexo e dinâmico. Quando exploramos, fazemos descobertas. A partir disso podemos responder a perguntas como de onde nós viemos, para onde nos vamos? Qual é o futuro da vida no planeta Terra?”

Até 2020, os cientistas pretendem coletar amostras em Marte e trazê-las para os melhores laboratórios para identificar se há condições de existir vida em Marte.

“Se voltássemos três bilhões de anos, veríamos que Marte era um planeta muito diferente. Havia o que acreditamos ser um oceano enorme, que cobria dois terços de sua superfície. Mas algo aconteceu: Marte sofreu uma mudança climática e perdeu água. Hoje estamos revolucionando nosso conhecimento do planeta. As descobertas são apenas o início da compreensão de Marte”, afirmou o físico espacial da Nasa Jim Green.

De acordo com os cientistas da Nasa, novas missões deverão ser realizadas futuramente com o objetivo de identificar a possibilidade de vida no planeta. Segundo os estudiosos, ainda é necessário ter mais conhecimento do meio ambiente de lá para se ter melhores parâmetros para elaborar as missões.

Os próximos desafios, segundo os cientistas, são encontrar outras regiões que possam ter água e descobrir exatamente de onde a água veio.

Apesar de a fonte da água ser desconhecida, a descoberta pode influenciar os estudos sobre a possibilidade de presença de vida microbiótica no planeta mais parecido com a Terra no Sistema Solar.

Cientistas desenvolveram uma nova técnica para analisar mapas químicos da superfície marciana obtidos pela sonda espacial da Nasa Reconnaissance, o que possibilitou a nova descoberta.

“Existe vida em Marte? As evidências supõem que isto é possível”, disse o cientista da Nasa John Grunsfield. “Nossos instrumentos tecnológicos hoje mostram um planeta muito mais complexo e dinâmico. Quando exploramos, fazemos descobertas. A partir disso podemos responder a perguntas como de onde nós viemos, para onde nos vamos? Qual é o futuro da vida no planeta Terra?”

Até 2020, os cientistas pretendem coletar amostras em Marte e trazê-las para os melhores laboratórios para identificar se há condições de existir vida em Marte.

“Se voltássemos três bilhões de anos, veríamos que Marte era um planeta muito diferente. Havia o que acreditamos ser um oceano enorme, que cobria dois terços de sua superfície. Mas algo aconteceu: Marte sofreu uma mudança climática e perdeu água. Hoje estamos revolucionando nosso conhecimento do planeta. As descobertas são apenas o início da compreensão de Marte”, afirmou o físico espacial da Nasa Jim Green.

De acordo com os cientistas da Nasa, novas missões deverão ser realizadas futuramente com o objetivo de identificar a possibilidade de vida no planeta. Segundo os estudiosos, ainda é necessário ter mais conhecimento do meio ambiente de lá para se ter melhores parâmetros para elaborar as missões.

Os próximos desafios, segundo os cientistas, são encontrar outras regiões que possam ter água e descobrir exatamente de onde a água veio.

Os pesquisadores disseram que é possível haver um ciclo completo da água como o da Terra. Eles lembraram a descoberta feita com auxílio do Curiosity de que há bilhões de anos havia grandes quantidades de água no planeta, indicando que também haveria chuva.

Os pesquisadores disseram que é possível haver um ciclo completo da água como o da Terra. Eles lembraram a descoberta feita com auxílio do Curiosity de que há bilhões de anos havia grandes quantidades de água no planeta, indicando que também haveria chuva.

http://ciencia.estadao.com.br/noticias/geral,estudo-encontra-evidencia-de-agua-no-verao-em-marte,1770490

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *