Artigo de irmãos da WLC revela o que a IASD esconde sobre o sábado

PROFECIA DOS 2300 DIAS E O CALENDÁRIO LUNI SOLAR

“E disse-me, até  Duas  mil e 300 tardes e manhãs, então o santuário será purificado. “(Daniel 8:14, KJV)

Esta profecia, abraça o mais longo período de tempo na Bíblia, foi o Alto Clamor do grande movimento Millerita da década de 1840 e tornou-se fundamental para o estabelecimento da  Igreja Adventista do Sétimo Dia.

As três datas desta profecia são os pregos em um lugar certo.

Tudo começou no outono de 457 aC com a “ordem para restaurar e para edificar Jerusalém”. As primeiras 

70 semanas de anos chegou à queda de 34 dC, quando o evangelho foi aos gentios após o apedrejamento de Estêvão. No meio da última semana de sete anos, o Messias foi morto. Um adicional de 1.810 anos estendeu a 1844. 

Esta é uma equação matemática simples com o qual a maioria dos adventistas do sétimo dia estão bem familiarizados:

2300 – 457, (você tem que subtrair porque é BC), + 1, (porque não houve ano zero), atinge a 1844. Isso aponta 31 dC como o ano da crucificação. Mas como é que Guilherme Miller chegou a uma data final precisa para a profecia?

Os Milleritas sabia que, a fim de encontrar o Dia da Expiação, e a data final precisa para o fim dos 2300 anos da profecia, eles precisavam usar o calendário bíblico , que se baseia exclusivamente nos movimentos dos corpos celestes, Yahveh usou este movimento profético poderoso para começar a restaurar o conhecimento do calendário original para o mundo!

 O entendimento da profecia  e a da purificação do santuário tornou-se a doutrina fundamental da Igreja Adventista do Sétimo Dia que cresceu a partir do movimento milerita. infelizmente, e  menos de 100 anos depois, IASD esqueceu-se  completamente dos estudos dos dos Milleritas .

Guilherme Miller chegou a uma data precisa  para o Dia da Expiação em 1844 e a data de término da profecia 2300 dias .

Em 1938, o presidente da Associação Geral, JL McElhaney, nomeou uma Comissão de Investigação para estudar a questão. A comissão incluiu Dr. Leroy Froom, presidente;  Dr. Lynn Harper Wood, Secretário;Dr. ML Andreasen e Elder FC Gilbert, entre outros conhecidos líderes da Igreja Adventista do Sétimo Dia. 

O estudo cuidadoso dos métodos mileritas e calendário bíblico levou a uma descoberta totalmente inesperada e indesejada: ! Quando o sábado é calculada pelo calendário bíblico, não cai no sábado, ao rever cuidadosamente as linhas proféticas dos 2300 dias, eles viram  uma outra revelação chocante: embora a Escritura deixa claro que Yahshuah foi crucificado na Páscoa, o sexto dia da semana, a Páscoa não caiu na sexta-feira em 31 dC!

As implicações deste estudo são vastos e profundos. O ano 457 a.C. para o início da profecia dos 2300 dias/anos é inatacável. Isso deixa um ano e um ano, só para a crucificação do Messias: AD 31. No entanto, quando o calendário bíblico é aplicado aos movimentos lunares em 31 dC, descobriu-se que a crucificação ocorreu no equivalente moderno de terça-feira 2 , 24 de abril, não sexta-feira, 27 de abril.

(A lua cheia ocorreu em 25 de abril, em 31 AD, o que teria sido o primeiro dia da Festa dos Pães Ázimos (Abib 15), a contar daprimeira aurora depois da Conjunção Lunar-Solar – com o equivalente moderno de quarta-feira. Isto significa que Yahushua foi realmente crucificado com o equivalente moderno de terça-feira, o que teria sido Abib 14. Mesmo o primeiro método crescente visível para imputando Dia da Lua Nova, tal como aprovado pelos Millerites, não coloca a crucificação na sexta-feira; ao contrário, coloca a crucificação com o equivalente moderno de quarta-feira. Não há maneira de contornar isso.)

O problema é claro: Se ano 31 for rejeitado como o ano da crucificação, então a profecia 2300 dia não começou em 457 a.C. e, portanto, não terminou em 1844. Além disso, o ciclo semanal do  calendário das Escrituras não corresponde ao ciclo semanal do  calendário gregoriano, porque não há nenhuma maneira possível para Yahshuah ter sido crucificado numa sexta-feira , em 31 d.C.

A pesquisa adicional confirmou a descoberta indesejável. Grande parte dessa pesquisa tem sido preservada na Coleção de Grace Amadon, do Centro de Pesquisa Adventista da Universidade Andrews. Outros documentos estão alojados nos “Arquivos e Estatísticas do Departamento da Conferência Geral dos Adventistas do Sétimo Dia”.
O Comité de Investigação estava sem saber o que fazer. Eles estudaram as ramificações da apresentação do calendário bíblico para a Igreja. ML Andreasen escreveu numerosas cartas aconselhando contra a Igreja a adotar o calendário bíblico com seu ciclo semanal e seus sábados  regulados  pela Lua Nova . 

A maioria dessas cartas não estão disponíveis para o Adventist média. No entanto, o impulso dos argumentos de Andreasen são bem resumida em uma carta sem data mandou a colega-comité, Grace Amadon:

ML Andrease

Não seria( ou não é fácil) explicar as pessoas que o Deus que determinou e instituiu tal compromisso( mandamento) é muito específico acerca do Sétimo Dia exatamente.

“Se uma explicação fosse possível, e as pessoas estivessem finalmente dispostas para a mudança no dia da festa e da estabilidade do sétimo dia , pode-se supor que, no momento elas iriam se acostumar com o ajuste (ou mudança). Mas antes elas teriam que se acostumar com isso, até que outra mudança fosse feita. . . . outra mudança vem , e outra e outra . . . Não há uniformidade e assim como as pessoas se acostumarem com um determinado ajuste (mudança) certo (ou seja, qdo elas começam a se acostumar o dia é mudado novamente), o dia é alterado novamente. Assim é mais que as pessoas comuns podem compreender , e se formos para as pessoas agora com tal proposição (ou proposta) , devemos esperar que a confusão será o resultado. . . .


“Se no novo esquema de calendário, estamos pensando em adotar deve-se admitir que as comunidades locais têm o direito de fazer suas próprias observações [ da lua ] . . . Ficaria ainda uma questão se os homens adequados e competentes para tal observação estariam disponíveis . . . .

“Se as pessoas que observam o shabat  também defendem o novo esquema de calendário, a confusão resultante não será de nenhuma ajuda para nós. . . A aprovação, sem reservas , do plano agora diante de nós , parece-me . . . Em suas implicações tão carregado de dinamite(perigo), com TNT, que nós podemos acautelarmos (sermos cuidadosos) . Eu advertiria seriamente o comitê neste assunto. eu tenho medo das repercussões . . . . (M. L. Andreasen, Grace Amadon Collection, Andrews University, Box 2, Folder 4.)

Evangelistas da IASD apontam para a doutrina da purificação do santuário, que começou no outono de 1844, como exclusiva do adventismo. Esta doutrina é inseparável do calendário luni-solar bíblico de diz que dia cai o shabat.. 

O fato de que aI Igreja Adventista Sétimo Dia manteve o sábado gregoriano, durante muitos anos não é a prova de que o sábado é o sábado bíblico.

“Não há desculpa para qualquer um em tomar a posição de que não há mais verdade a ser revelada, e que todas as nossas exposições das Escrituras são, sem um erro. O fato de que certas doutrinas têm sido aceitas como verdade por muitos anos pelo nosso povo , não é uma prova de que nossas ideias são infalíveis. O tempo não fará com que o erro se torne em verdade, e a verdade pode se dar ao luxo de ser justa. Nenhuma verdadeira doutrina perderá nada por ser investigada de perto” (EG White, Review & Herald, 20 de dezembro de 1892.)

“Aqueles que se apegam a velhos costumes e erros venerandos perderam de vista o fato de que a luz é cada vez maior no caminho de todos os que seguem [Yahushuah];… A verdade é constantemente desdobramento para o povo de [YHWH]…. Devemos estar continuamente avançando, se estamos a seguir o nosso Líder. É quando andamos na luz que brilha sobre nós, que nós recebemos mais luz, a obediência à verdade que está aberta para o nosso entendimento,  Não podemos ser desculpável em aceitar apenas a luz que nossos pais tinham cem anos atrás. Se o nossos  pais tinham visto o que vemos e ouvimos o que ouvimos, eles teriam aceitado a luz, e caminhou na mesma. Se desejamos imitar o seu fidelidade, devemos receber as verdades abertas para nós, como eles receberam os apresentados a eles, devemos fazer como eles teriam feito, se tivessem vivido em nossos dias “. (EG White, Historical Sketches, 1891, p. 197.)

A luz está avançando. A decisão deve ser tomada. Ou você vai desistir de sábado, como o bíblico sábado do sétimo dia e aceitar o verdadeiro sábado bíblico calculado pelo calendário luni-solar original, ou você vai se apegar a sábado, e dar-se a profecia dos 2300 dias, de 1844, e a doutrina do santuário.  Eles são crenças que se excluem mutuamente.

“Quando um homem que é honestamente enganado ouve a verdade, ele quer parar de ser enganado ou deixar de ser honesto.” (Richard Humpal, JD)

A luz está avançando. Você vai seguir?

Fonte: http://estudosimpressionantes.blogspot.com.br/2014/11/profecia-2300-dias-e-o-calendario-luni.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *