Igreja Oportunista do Sétimo Dia! — 2: IASD usa ADRA para realizar campanha de Alckmin no UNASP

Veja o que diz o pastor adventista Michelson Borges, autor do livro “O Poder da Esperança”, entregue por membros da Igreja Adventista do Sétimo Dia ao candidato do PSDB à presidência, Geraldo Alclkmin:

“Apoiar candidatos de esquerda é ajudar a promover antivalores que vão totalmente de encontro aos valores judaico-cristãos. Apoiar candidatos de direita é ajudar a montar um possível cenário profético favorável a uma maior aproximação entre Estado e igreja e a aprovação de leis que terão como justificativa a proteção da família e dos valores cristãos, mas que levarão em conta a vontade da maioria cristã e/ou a vontade do segmento mais forte entre os cristãos. E nós que estudamos as profecias sabemos no que isso vai dar…”

Fonte: https://michelsonborges.wordpress.com/2018/09/19/a-sindrome-conservadora-que-afeta-pessoas-e-paises-e-as-implicacoes-profeticas-disso/

Curiosamente, o mesmo livro foi entregue ao candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, antes do atentado sofrido pelo presidenciável m Juiz de Fora!

Enquanto isso, a Igreja Adventista segue apoiando, de fato, o candidato Geraldo Alckmin, como comprovam as fotos abaixo, que registraram a participação dele e de outros candidatos a deputado estadual e federal em evento realizado pela Associação Paulista Sul da IASD, através da Adra, nas dependências do Unasp (Antigo IAE), região do Capão Redondo, estrada de Itapecerica da Serra, no domingo dia 16 de setembro de 2018:

“…Segundo a reportagem publicada neste domingo, os decretos assinados por Alckmin resultaram na desapropriação de imóveis de propriedade de Othon Cesar Ribeiro e Juliana Fachada Cesar Ribeiro. Othon é filho de Adhemar Ribeiro, irmão da esposa do tucano, Dona Lu. Depois de deixar o Campo Limpo, Alckmin visitou um evento organizado pela Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (ADRA).”

Fonte: https://politica.estadao.com.br/noticias/geral,em-sp-alckmin-faz-apelo-por-voto-util-no-primeiro-turno,70002504771

“Alckmin fez campanha em São Paulo. Ele caminhou no Campo Limpo, bairro da zona sul da capital paulista e depois visitou um mutirão de cidadania promovido por uma igreja, no Capão Redondo.”

Fonte: https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/eleicoes/2018/noticia/2018/09/16/alckmin-diz-que-economia-nao-sera-recuperada-na-bala-mas-com-grande-ajuste-fiscal.ghtml

Serviço
Mutirão da Cidadania

Onde: UNASP – Estrada de Itapecerica, 5859, São Paulo SP
Quando: 16/09/2018
Horário: das 9h às 16h
*Evento gratuito

Fonte: https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/desenvolvimento/noticias/?p=263759

“Juntamente com a querida Dra. Damaris Moura e o Pr. Ivo Suedekum, diretor da ADRA Brasil no Estado de SP, visitando o Mutirão da Cidadania, uma importante ação social promovido pela Unasp.” Facebook do candidato a deputado federal Ailton Lima. Fonte: https://www.facebook.com/AiltonLimaOFICIAL/photos/pcb.2032121020172917/2032120800172939/?type=3&theater

Veja também: Alianças Político-Religiosas da IASD Incomodam Membros

CLIPPING

Erro estratégico de Alckmin revela a verdadeira face do PSDB, “coirmão” do PT
23/09/2018 às 07:06

O PSDB vem ao longo do tempo fazendo uma invencível dobradinha com o PT.

Publicamente trocam ‘farpas’, mas nos bastidores sempre se acertam e sucessivamente governam o país e os seus principais estados há mais de duas décadas.

O próprio Geraldo Alckmin já governou São Paulo, o mais poderoso estado da federação, por 4 vezes.

No pleito atual, Alckmin escolheu como alvo principal o candidato Jair Bolsonaro, atacando-o de maneira sórdida, cruel, impiedosa e rasteira.

Poupou o PT, poupou o presidiário, poupou Haddad, almejando um 2º turno entre os dois coirmãos. Não adiantou. Alckmin estagnou e Bolsonaro continuou crescendo.

Ato contínuo, FHC anunciou aliança PT e PSDB no 2º turno, contra o inimigo comum, Jair Bolsonaro.

Caiu a máscara!

Amanda Acosta
Articulista e repórter
amanda@jornaldacidadeonline.com.br

Fonte: https://www.jornaldacidadeonline.com.br/noticias/11509/erro-estrategico-de-alckmin-revela-a-verdadeira-face-do-psdb-coirmao-do-pt

Toda a escumalha da esquerda estará junta, se houver 2º turno
23/09/2018 às 05:22

A eleição presidencial se aproxima. O primeiro turno será no próximo dia 7 de outubro. Bolsonaro estaria liderando, pelas pesquisas, com 28% das intenções de voto, tanto no IBOPE, quanto no DATAFOLHA.

A não ser que, contrariando as pesquisas, com Bolsonaro vitorioso já no primeiro turno, somando mais de 50% dos votos válidos, tudo leva a crer que haverá um segundo turno, disputado pelos dois candidatos mais votados no primeiro turno.

Na “cola” de Bolsonaro, se procedentes as pesquisas, estariam 4 (quatro) candidatos com alguma chance de passar ao segundo turno, todos “teoricamente” de esquerda, mais precisamente, Fernando Haddad (Ibope 19% e Datafolha 16%), Ciro Gomes (Ibope 11 % e Datafolha 13 %), Geraldo Alckmin (Ibope 7% e Datafolha 9%) e, finalmente, Marina Silva (Ibope 6% e Datafolha 7%). Os demais candidatos seriam “cartas fora do baralho”.

Nessas eleições, sem dúvida a esquerda foi bem mais esperta que a direita. Entrou com diversos candidatos na certeza de que pelo menos um deles estaria assegurado no segundo turno, onde ainda contaria com uma “ajuda” dos computadores do TSE na totalização dos votos.

Enquanto a chamada direita “dormiu” e somente colocou um candidato com alguma chance de passar à segunda fase das eleições, no caso, Jair Bolsonaro, a esquerda se equipou com um verdadeiro “batalhão” de candidatos, espalhados em diversas siglas partidárias.

A esquerda sabe melhor que ninguém que o “jogo” eleitoral tem múltiplas semelhanças com qualquer jogo de loteria. Quanto mais se joga, maiores serão as chances de ganhar.

“Matematicamente” falando, a tendência seria de que qualquer candidato de esquerda que passar para o segundo turno das eleições, para disputar com Bolsonaro, levaria consigo os votos dos demais competidores da “esquerda”, seus “colegas”, derrotados.

Ora, enquanto Bolsonaro teria 28% das intenções de voto, nos dois citados institutos de pesquisa, a “soma” dos demais candidatos de esquerda estaria representando 43%, no Ibope, e 45 %, no Datafolha.

Mas mesmo assim a possibilidade de vitória de Bolsonaro num eventual segundo turno não estaria afastada.

Embora a cúpula do PSDB tenha vínculos sólidos com o “socialismo fabiano”, e “caviar”, do “deus” desse partido, o ex-Presidente Fernando Henrique Cardoso, na verdade o eleitorado potencial dessa agremiação partidária não tem esse mesmo perfil ideológico. Está muito mais para a direita do que para a esquerda. O mesmo pode ser afirmado em relação ao candidato do PDT, Ciro Gomes, que nem é um trabalhista “histórico”, e que certamente não teria tamanha ascendência sobre o seu partido de modo a levar os seus eleitores a votar no PT, que inclusive era “odiado” por Leonel Brizola.

Dificilmente Bolsonaro levaria para o segundo o turno, se fosse o caso, o eleitorado de Marina Silva. Tanto a candidata, quanto os seus apoiadores, não passam de PT “disfarçados”, ou do seu “Plano B”.

Portanto será preciso grande esforço para expulsar a esquerda dos estragos políticos, sociais e econômicos que fez ao Brasil, desde 1995, após a eleição e posse de FHC, incrementados após a posse de Lula, em 2003, até hoje.

O que mais impressiona é a “cara de pau” do PT em culpar Michel Temer “sozinho” por todos os estragos feitos no Brasil pela esquerda. O PT esteve na Presidência da República em 13 dos últimos 15 anos. Como pretender culpar Temer? Temer somente deu continuidade ao desgoverno e corrupção do PT.

Parece, pois, que a melhor chance de apear o PT do poder seria uma grande votação para Bolsonaro vencer ainda no primeiro turno.

Num eventual segundo turno, ainda haveria um risco maior de manipulação das eleições, pelas urnas eletrônicas e computadores do Tribunal Superior Eleitoral, ou seja, uma fraude eleitoral para beneficiar o candidato da esquerda.

Sérgio Alves de Oliveira
Advogado, sociólogo, pósgraduado em Sociologia PUC/RS, ex-advogado da antiga CRT, ex-advogado da Auxiliadora Predial S/A ex-Presidente da Fundação CRT e da Associação Gaúcha de Entidades Fechadas de Previdência Privada, Presidente do Partido da República Farroupilha PRF (sem registro).

Fonte: https://www.jornaldacidadeonline.com.br/noticias/11507/toda-a-escumalha-da-esquerda-estara-junta-se-houver-20-turno

Ele sim, representa a única chance real do PT voltar a poder
22/09/2018 às 04:51

Desintegrado nas Eleições de 2018, Geraldo Alckmin (PSDB) decidiu usar seu latifúndio de tempo de TV para difamar adversários, em especial Jair Bolsonaro.

Difamação pesada, sem medo ou vergonha de mentir.

Pois o Brasil precisa saber que a única chance de a quadrilha do PT voltar à Presidência da República Federativa do Brasil é com os votos dados exatamente em Alckmin.

Justo por isso, os desavergonhados do PSDB e do PT já falam em “aliança” no 2° turno.

Ou seja, farinhas de um mesmo saco podre.

Mas, Alckmin prefere difamar.

#VaiPerder!

Helder Caldeira
Escritor, Colunista Político, Palestrante e Conferencista
*Autor dos livros “Águas Turvas” e “A 1ª Presidenta”, entre outras obras.

Fonte: https://www.jornaldacidadeonline.com.br/noticias/11507/toda-a-escumalha-da-esquerda-estara-junta-se-houver-20-turno

Carta Aberta aos eleitores de Geraldo Alckmin
22/09/2018 às 14:12

Estimo as melhoras ao Geraldo Alckmin, mas hoje eu quero conversar com os seus eleitores.

Todos os dias eu escuto a propaganda do seu candidato, o Alckmin, onde ele começa dizendo a mesma coisa: “Estimo as melhoras para o Jair Bolsonaro, mas hoje eu quero conversar com os seus eleitores…”

Em seguida a mensagem tenta passar a ideia de que, num segundo turno, o Bolsonaro perderia para Haddad, e o Brasil seria entregue novamente nas mãos do PT, mas que só ele, Alckmin, pode evitar isso “para o bem do Brasil”.

Em primeiro lugar, se o Alckmin tivesse realmente algum amor pelo Brasil e medo do PT voltar, nem ele votaria em si próprio. Nem com toda propaganda do mundo o tucano consegue tirar votos do Bolsonaro, que tem o triplo de votos certos, enquanto ele, quando não está estagnado, cai.

Em segundo lugar, caro eleitor do Alckmin, o PT não vai voltar ao poder. O PT agora já está no poder.

O Brasil tem três poderes: Executivo, Legislativo e Judiciário, sendo este último o mais “sensível” deles, pois seus cargos não são eletivos e portanto não estão sujeitos a mudanças de quatro em quatro anos de acordo com a vontade popular. E justamente este Poder passou a ficar nas mãos do PT, a partir do momento que Dias Toffoli assumiu a presidência do STF (e CNJ), e passou a ser o chefe do Judiciário. Lembram quem estava na posse dele? O Favreto. Aquele ‘desembargadorzinho’ mequetrefe que tentou soltar o Lula.

Na base de apoio do Toffoli está a laia de Ministros ordinários, como Lewandowiski, Marco Aurélio Mello e Gilmar Mendes, além da indiscutivelmente contaminada OAB, que mais parece um seminário de marxistas, leninistas, maoistas, vigaristas e afins. Quem disse que o PT não está no poder? A subida de Toffoli foi uma oportunidade de tomada pelos flancos ou de comer pelas beiradas para atingir o centro do prato, tática que o PT conhece bem e até dá aula, porque suas ações são sempre dissimuladas.

“Ah… Mas o Toffoli votou pela manutenção da prisão do Lula” – Diriam alguns tontinhos desmiolados. É claro que votou! Não era a hora certa para fazer qualquer coisa! O Brasil não poderia colocá-lo sob suspeita, para que num futuro próximo ele e sua laia possam agir em favor do seu líder máximo e da seita à qual pertencem! Recuar um passo muitas vezes é avançar dez e isso é ensinado nos livros mais primários de estratégia.

Com tudo isso, o que teremos? Inúmeras tentativas de sabotar a Lava Jato e de estabelecer a impunidade como uma instituição perene.

Haddad, sendo eleito, faz maioria no Legislativo, pelo voto de legenda. Aí a porca torce o rabo de vez e o PT parte para a dominação que ele tanto quer, anistiando bandidos como Dirceu, Genuíno, Lula et caterva, perseguindo Juízes e Procuradores e manipulando a Polícia Federal. O caos e a corrupção estarão consolidados. E você, eleitor do Alckmin, vai ficar com cara de bunda, mas vai ser co-responsável por isso.

No momento o que precisamos é de um presidente que vá frear essa tentativa de dominação que o PT faz, assim como fazem os traficantes que sempre ficam na espreita planejando tomar a boca de fumo de um rival num ataque furtivo. E não é o Alckmin, mentiroso e apelativo quem vai fazer isso, e muito menos qualquer outro candidato que tenha discurso mole e adocicado, como Marina e Amoedo, ou até de aliança como Ciro Gomes. Quem hoje tem condições de fazer isso, goste você ou não, é o Bolsonaro.

E então, eleitor do Alckmin, você acha que patinando em 9% das pesquisas e sem conseguir aderência de votos, o seu candidato vai realmente conseguir frear o PT, como diz? Se você acredita tanto nas pesquisas citadas pelo SEU candidato, então não seria mais lógico agregar o seu voto ao Bolsonaro? Ou acha que quem tem 28% vai apoiar quem tem parcos 8 ou 9%? O mais forte segue o mais fraco, ou é o contrário?

Alckmin é mentiroso e sua propaganda sim é o que pode levar o PT a tomar o Executivo, isso se não se declarar um aliado no segundo turno, pois não há escrúpulos no PSDB, já acostumado às velhas políticas dos conchavos e acordos sombrios.

E quanto a você, eleitor do Alckmin, diante do quadro que estamos vivendo, não tenha medo do PT. Ele é um monstro mas não morde os da mesma espécie. Votando no Alckmin você estará apenas se revelando um petista, e o da pior espécie! Aquele com uma maquiagem que lhe dá nova aparência mas não muda a essência. Se quer realmente evitar que o PT domine os três poderes e transforme o país numa esbórnia, repense seu voto, ou feche a boca quando pensar em falar a palavra BRASIL.

Para finalizar eu quero justificar que, quando falei no início que estimo as melhoras do Alckmin, estava me referindo à grave patologia que o acomete, que lhe distorce o caráter, lhe ausenta de moral e o transforma em mais um psicopata político que apenas pensa no poder e não no Brasil. Apenas isso.

Marcelo Rates Quaranta
Articulista

Fonte: https://www.jornaldacidadeonline.com.br/noticias/11502/carta-aberta-aos-eleitores-de-geraldo-alckmin

Texto de magistrada sobre a rejeição a Bolsonaro viraliza nas redes sociais 23/09/2018 às 19:38

Que sua rejeição por ele não seja maior que sua rejeição de ver o país governado de dentro da prisão pelos comandos de um candidato condenado em duplo grau de jurisdição, assim como ocorre com os líderes das facções criminosas já tão conhecidas.

Que a sua rejeição por ele não seja maior que os ensinamentos que recebeu de seus pais sobre não subtrair aquilo que é dos outros.

Que sua rejeição por ele não seja maior que os princípios de educação, moral e cívica que aprendeu quando criança nos bancos das escolas, na época em que escola ensinava o que, realmente, era papel da escola.

Que sua rejeição por ele não seja maior do que sua indignação com a inversão de valores existentes em nossa sociedade atual.

Que sua rejeição por ele não seja maior do que seu medo de viver o que já está vivendo a população dos países “amigos deles”, tais como, Venezuela, Bolívia e Cuba.

Que sua rejeição por ele não seja maior que sua indignação com cada escândalo de corrupção e desonestidade revelados na lava a jato.

Que sua rejeição por ele não seja maior do que seu pânico de viver numa sociedade tão insegura, onde pais de família são mortos diariamente e audiências de custódias são criadas para soltar aqueles que deveriam pagar por seus crimes.

Que sua rejeição por ele não te leve ao grave erro de demonizar a polícia e santificar bandido.

Que sua rejeição por ele não seja maior que sua defesa pelo fortalecimento da família, como estrutura básica da sociedade.

Que sua rejeição por ele não seja maior do que sua repulsa pelo mal que as drogas têm causado em nossas famílias.

Que sua rejeição por ele não seja maior que sua esperança de ter um país melhor para viver.

Que sua rejeição por ele não tire sua capacidade crítica de apurar tudo que é tendencioso na mídia.

Enfim, que sua rejeição por ele não te deixe cego a ponto de não enxergar que, neste momento, o Brasil está numa UTI e seu voto deve ser ÚTIL para salvá-lo.

Não brinque com isso, não se iluda com a maquiagem dos discursos bonitos, a coisa é séria.

Na hora de votar, lembre-se de sua essência e do que, realmente, sempre foi importante para você.

(Texto que circula nas redes sociais. Autoria atribuída à Dra. Isabele Papafanurakis Ferreira Noronha, juíza substituta da 6ª Vara Criminal de Londrina – PR)

Fonte: https://www.jornaldacidadeonline.com.br/noticias/11519/texto-de-magistrada-sobre-a-rejeicao-a-bolsonaro-viraliza-nas-redes-sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *