Tese da USP analisa depoimentos de “Ex-Gays” adventistas na Rede Novo Tempo

“No passado a IASD fez tentativas para extinguir a homossexualidade de seus membros tratando-a como uma doença. Bonnie Dwyer (1988), descreveu como esta igreja foi a primeira instituição religiosa a financiar um centro de tratamento para a cura de homossexuais chamado Cook’s Quest Counseling Center, criado no fim da década de 70 por Colin Cook, um ex-pastor adventista que dizia ser ex-gay. A igreja logo retirou seu apoio financeiro após notícias de que este pastor, que fazia os tratamentos, assediava sexualmente seus pacientes (JAPENGA, 1987).

“Hoje, a IASD não tem ministérios de cura ou tratamento para homossexuais, mas alguns de seus programas evangelísticos ainda apresentam membros que se consideram curados por conseguirem combater, com a ajuda de deus e da igreja, seus desejos homossexuais, como apresentado também por Natividade (2007). Inclusive, a TV Novo Tempo, o canal de televisão da IASD no Brasil, num programa supostamente chamado de “Sem Tabus”, mas que fala sobre sexualidade através dos preceitos religiosos, abordou em algumas transmissões casos de pessoas que disseram deixar de ser homossexuais, e outras que deixaram de ser transexuais, com a mensagem de que é possível uma transformação genuína em vista de manter a pureza sexual para Deus…”

Utilize este link para baixar a monografia completa:
SDA Kinship e a resposta à marginalização LGBT na Igreja Adventista do Sétimo Dia: uma etnografia das masculinidades rejeitadas

SDA Kinship e a resposta à marginalização LGBT na Igreja Adventista do Sétimo Dia uma etnografia das masculinidades rejeitadas

1 thought on “Tese da USP analisa depoimentos de “Ex-Gays” adventistas na Rede Novo Tempo

  1. Olá. Eu sou o autor desta dissertação de mestrado. Gostaria que vocês mudassem o título deste artigo. Eu nunca sequer questionei o conteúdo e a legitimidade destes depoimentos (eu não sou investigador nem estava fazendo um inquérito sobre o discurso deles). Simplesmente disse que estes discursos e depoimentos existem e que estão sendo propagados pelo programa Sem Tabus. Nada mais. O único questionamento presente nestes paragrafos que vocês copiaram é sobre o título do programa, que se diz “Sem Tabus”, mas impõe todos os tabus sobre sexualidade presentes na IASD nas entrevistas feitas. Agradeço a compreensão e o compromisso com a verdade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *