Browse By

Narcotraficante patrocinou construção em troca de seu conforto e IASD (DSA) assumiu autoria

Perceba no vídeo acima que o narcotraficante Jarvis Chimenes Pavão que patrocinou a construção da Igreja e do “pavilhão adventista” no presídio paraguaio de Tacumbu é identificado pelo pastor adventista Carlos Parra como um “empresário influente dentro da prisão”…

CLIPPING DE CONFIRMAÇÃO

Jarvis Pavão, um embaixador do Narcosul há 20 anos no tráfico

Jarvis Pavão (ao centro, de camisa amarela) após ser preso no Paraguai
Foto: Divulgação / Senad

Guilherme Amado

Nos arquivos da Polícia Federal brasileira, Jarvis Ximenes Pavão trafica desde 1994, quando foi preso em Itajaí, Santa Catarina, com 25 quilos de cocaína. O juiz federal brasileiro Odilon Reis, que o condenou, diz que ele diversificou sua operação ao se mudar para o Paraguai. Segundo a PF, Pavão comanda o tráfico de cocaína e de pasta base desde 1994 a partir de Pedro Juan Caballero e de outras cidades do departamento de Amambay. Condenado pelo Tribunal de Justiça de Santa Catarina por lavagem de dinheiro e ocultação de bens, tem 17 anos e 8 meses de pena para cumprir.

De acordo com as investigações, ele compra maconha de intermediários no departamento de Amambay e cocaína de atravessadores bolivianos em Santa Cruz de la Sierra. A organização criminosa de Pavão tem aviões próprios e faz entregas para diferentes compradores da região Sul, do interior de São Paulo – entre eles, a maior facção do Brasil – e de pequenas organizações no interior de Minas Gerais.

Segundo o Ministério Público paraguaio, ele optou por não registrar imóveis em seu nome em Pedro Juan Caballero, usando laranjas. Mas os investigadores reuniram indícios de que a fazenda Quatro Filhos é sua. Quando Pavão foi preso, a Senad paraguaia encontrou 120 quilos de cocaína dentro do imóvel, que tem até uma pista de boliche. O MP do país tenta expropriar o imóvel.

Fonte: https://extra.globo.com/noticias/mundo/jarvis-pavao-um-embaixador-do-narcosul-ha-20-anos-no-trafico-12626365.html

Pavão: “Eu construí uma igreja, uma sala de jantar e celas para 99 presos em Tacumbú”

Em Tacumbú, Jarvis Chimenez Pavão ocupou por 8 anos uma cela VIP que possuía três quartos, uma TV de tela plana, frigobar, cama de casal, entre outras comodidades. Por outro lado, assegura que construiu igrejas, realizou obras sociais, distribuiu 1.200 litros de leite de soja a cada 3 dias e promoveu o esporte entre os internos.

Isto foi afirmado em uma conferência de vídeo que foi publicado sexta-feira pelo meio Estadão Brasileira da prisão federal em Mossoró, onde Pavao, que é chamado de “padrão”, cumprindo uma sentença de 10 anos e 9 meses de prisão por tráfico de drogas.

Durante seu encarceramento no Paraguai, ele foi tratado como um ‘leka’, ‘chefe’, ‘patrono’ e ‘pai de todos’. Ele era muito temido, admirado e, ao mesmo tempo, respeitado por outros, segundo os promotores do caso. Jarvis no vídeo sobre sua permanência em Tacumbú e sobre as supostas melhorias que ele fez na prisão.

“Dos 4.000 detentos que foram presos lá, mil condições não tinha. Eu construí dentro Tacumbú 1.100 metros trabalha em quatro pavilhões. Não começou cursos de informática, eu colocé equipamentos para cortar o cabelo, eu comprei Slicer”, disse ele.

Pavão disse que também construiu a igreja adventista, uma sala de jantar e celas para 99 prisioneiros com 33 camas de três andares. “Tudo para que pudessem receber uma educação espiritual, eles poderiam aprender uma profissão. Durante quatro anos que o pavilhão operou, mais de 300 pessoas foram batizadas. Eu construí uma biblioteca com mais de 2.000 livros. Certas coisas não são contadas”, acrescentou.

Embora ele foi preso desde 2009, Pavao continuou comandando o PCC da prisão e envolvido em tráfico de cocaína da Bolívia, Peru e Colômbia, com o Paraguai depósito, ele diz que a publicação brasileira foi baseada em um relatório do Ministério Público Federal.

Em 2016, foi descoberto que o preso tinha muitos privilégios dentro de Tacumbú e eles o transferiram para o Grupo Especializado, por questões de segurança. Depois de muita controvérsia e resoluções invalidadas, Pavão foi extraditado em dezembro do ano passado e desde então está na prisão do Rio Grande do Norte. Terça-feira passada, sua condenação era conhecida.

Fonte: https://www.extra.com.py/actualidad/pavao-yo-construi-tacumbu-una-iglesia-un-comedor-y-celdas-99-presos-n1594037.html

Adventistas e MJT criam novo pavilhão em Tacumbú
19 DE NOVEMBRO DE 2013

Na segunda-feira, foi realizado o ato simbólico de inauguração de um novo pavilhão moderno para 150 detentos da Penitenciária Nacional de Tacumbú. O investimento foi feito em conjunto por membros da Igreja Adventista e do Ministério da Justiça e do Trabalho (MJT).

As autoridades ministeriais e religiosas visitaram as novas instalações dentro da penitenciária.

De acordo com as autoridades carcerárias, os beneficiários dessa nova zona de construção do presídio com mais detentos do Paraguai serão os chamados corredores, que não têm celas e vivem em corredores entre os pavilhões, devido à superlotação.

O novo edifício dentro da prisão tem quatro níveis diferentes, onde os presos estarão interagindo como parte do trabalho religioso para a reintegração social.

No primeiro nível do edifício foram colocados a cozinha e a sala de jantar; o segundo andar será usado exclusivamente para o treinamento de presos da penitenciária.

Enquanto no terceiro nível os quartos foram montados, enquanto o quarto bloco é destinado à recepção de visitantes.

O acto, que teve lugar às 16:00 horas, contou com a presença da ministra da Justiça e do Trabalho, Sheila Abed; o Vice-Ministro da Justiça e Direitos Humanos, Éver Martínez; e vários pastores e representantes da Igreja Adventista.

19 DE NOVEMBRO DE 2013 | NOVO PAVILHÃO HABILITA PARA ALUGAR 150 MÓDULOS

Eles procuram descongestionar o problema da superpopulação em Tacumbú

Um pavilhão para acomodar 150 presos foi qualificada ontem na Penitenciária Nacional de Tacumbú no âmbito do trabalho que procuram aliviar o problema da superlotação. A população carcerária faz fronteira com os 4.000 presos, dos quais apenas 841 são condenados. O presídio tem capacidade para abrigar 1.200 presos.

O novo pavilhão administrado pela Igreja Adventista conta com um salão de cozinha moderno e equipado.

O novo pavilhão, que será de responsabilidade da Igreja Adventista do Sétimo Dia, foi qualificada ontem em uma cerimônia que contou com a presença da Ministra Sheila Abed; o diretor da prisão Tacumbú, Dr. Artemio Vera, e Pastor Ignacio Kalbermatter, chefe dessa denominação religiosa no Paraguai.

“Vamos continuar com a melhoria do sistema prisional e estamos trabalhando nisso. Temos o apoio das igrejas e também do governo nacional “, disse Abed, durante a inauguração. “Não queremos ser meros depósitos de seres humanos”, acrescentou.

Secretário de Estado informou que a construção do novo pavilhão exigiu um investimento de 2.000 milhões de guaranis, mas disse que foi financiado pela Igreja Adventista e os próprios prisioneiros participaram na sua construção.

Ele argumentou que o pavilhão será destinado principalmente para os presos que são viciados em drogas e que haverá trabalho em seu tratamento e reintegração social.

Até ontem, a população penal era composta por 3.955 condenados, dos quais apenas 841 tinham uma sentença fixa. “Estamos trabalhando em um processo, um plano que nos permite descongestionar a população penitenciária. É preciso muito esforço “, disse a diretora Vera.

Fonte: http://www.abc.com.py/edicion-impresa/judiciales-y-policiales/buscan-descongestionar-problema-de-la-superpoblacion-en-tacumbu-640813.html

Novo pavilhão será aberto para 150 detentos em Penal de Tacumbú

O Ministério da Justiça e do Trabalho, juntamente com a Igreja Adventista, terá agora um novo pavilhão que abrigará 150 presos chamados “pasilleros” dentro da Penitenciária Nacional de Tacumbú.

A inauguração terá lugar na segunda-feira 18 de novembro às 16:00 na Penal Tacumbú e será presidido pelo Ministro da Justiça e Trabalho, Sheila Abed, vice-ministro da Justiça e Direitos Humanos, Ever Martinez e representantes da Igreja Adventista .

O edifício tem quatro níveis são divididos da seguinte forma, no primeiro andar é cozinha e sala de jantar no segundo detentos nível têm um lugar para aceder à formação, o terceiro são os quartos, enquanto o quarto bloco destina-se à recepção de visitas.

Fonte: MJT — https://sicompy.wordpress.com/2013/11/18/habilitaran-nuevo-pabellon-para-150-internos-en-penal-de-tacumbu-2/

Publicado em: 16/06/16 12:04

Separados condenados daqueles processados ​​em Tacumbú

Ações para solucionar o problema da superlotação na penitenciária nacional
Ministro da Justiça e Trabalho, Sheila Abed, anunciou a separação de presos acusados ​​condenados, permitindo um novo pavilhão construído pela Igreja Adventista na Penal Tacumbú e fazer mais transferências de pasilleros referidas Ambush Rehabilitation Center, como algumas das ações imediatas para resolver o problema da superlotação na penitenciária nacional.

“Todo o sistema penitenciário precisa ser melhorado. O que estamos fazendo agora é aliviar os problemas que estão ocorrendo, não é ideal atuar apenas em emergências, mas neste momento não há outro. Ontem finalizamos um plano para melhorar todo o sistema prisional, agora vamos nos socializar com o Poder Judiciário eo Ministério Público, e depois tomar as ações correspondentes no médio e longo prazo “, afirmou.

O Secretário de Estado reiterou que a superlotação da Penitenciária Nacional de Tacumbú é uma realidade, de modo que ações de curto prazo estão sendo tomadas para resolver a situação. “Estamos construindo um muro para separar os condenados dos acusados, o que é uma das recomendações internacionais. Nós também permitiremos na próxima semana um novo pavilhão que foi feito através da Igreja Adventista, e continuaremos a mover os corredores para o Centro de Reabilitação Social “Padre Juan Antonio de la Vega”.

“Também estamos separando os presos com problemas de saúde de outras pessoas privadas de liberdade. A cota zero em Tacumbú é ideal, mas enquanto isso continuaremos realizando as ações possíveis “, afirmou.

20% condenado

Por outro lado, vale ressaltar que o Ministério da Justiça e do Trabalho (MJT) possibilitará uma divisão dentro da pasta do Estado que se encarregará de promover a situação processual aos internos, através de um estudo prévio de cada pessoa privada de liberdade.

Segundo o relatório do Mecanismo de Prevenção da Tortura (MNPT), apenas 20% da população de Tacumbú é condenada, sendo 80% processados.

Fonte: http://www.lanacion.com.py/articulo/143464–separaran-a-condenados-de-los-procesados-en-tacumbu.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *