Novo livro da CPB e DSA prepara o caminho para a Lei Dominical

Um livro aparentemente inocenta, que traz supostas orientações sobre a felicidade família, integra a agenda católica de preparação da humanidade para a santificação do primeiro dia da semana, como dia dedicado à família. Plano ecumênico que já está em andamento desde a aceitação do dogma católico da Trindade em lugar da doutrina bíblica do Deus único e verdadeiro, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo. Quase todas as igrejas cristãs, inclusive a Adventista, estão em pleno desacordo com a Bíblia, aliadas declaradamente ao catolicismo, preparado-se para a guarda do domingo como “Dia da família”.

“Na consumação da obra de Deus na Terra, a norma de Sua lei será de novo exaltada. A falsa religião pode prevalecer, a iniqüidade abundar, o amor de muitos esfriar, a cruz do Calvário pode ser perdida de vista, e as trevas, como um manto de morte, podem espalhar-se sobre o mundo; toda a força da corrente popular pode ser carreada contra a verdade; trama após trama pode ser formada para aniquilar o povo de Deus; mas na hora de maior perigo, o Deus de Elias levantará instrumentalidades humanas para dar uma mensagem que não será silenciada.

“Nas populosas cidades da Terra, e nos lugares onde os homens têm ido mais longe em falar contra o Altíssimo, a voz de severa repreensão será ouvida. Corajosamente, homens indicados por Deus denunciarão a união da igreja com o mundo. Com fervor chamarão a homens e mulheres para que voltem da observância de uma instituição de feitura humana para a guarda do verdadeiro sábado.

“‘Temei a Deus e dai-Lhe glória’, proclamarão a toda nação, ‘porque vinda é a hora do Seu juízo. E adorai Aquele que fez o céu, e a Terra, e o mar, e as fontes das águas. … Se alguém adorar a besta, e a sua imagem, e receber o sinal na sua testa, ou na sua mão, também o tal beberá do vinho da ira de Deus, que se deitou, não misturado, no cálice da Sua ira’. Apoc. 14:7-10.” — Profetas e Reis, pág. 187

6 thoughts on “Novo livro da CPB e DSA prepara o caminho para a Lei Dominical

  1. Exatamente! É muito forçado,para não dizer outras coisas. Satanás fez da família o seu alvo predileto,ocasionando famílias desestruturadas, ruína, perda, como podemos ficar indiferente à destruição da família?

    Outra coisa a igreja romana não tem o monopólio da família e o vocábulo esperança, qualquer um pode fazer uso.Sendo que a família é a base da sociedade, todos se preocupam com ela governo e instituições tem programas para a família. E muita má fé e ignorância da parte daqueles que em seus equívocos e contradições, abordam tais temas.

  2. Delírios de eternos inimigos gratuitos que não conhecem as Escrituras Sagradas e o EP,porém em sua cegueira espiritual seguem a teoria da conspiração. Está escrito e nada mudará a vitória da Igreja ns crise final. Todos os acontecimentos envolverão a guarda coercitivamente do primeiro dia da semana. Fora disso é pura mentira. Quanto a chamada trindade, trio, terceto ou qualquer outro vocábulo, está a mesma solidamente confirmada tanto nas Escrituras como no EP, só não vê quem não quer. Quem for apto que admita.

  3. Pura perda de tempo ficar conjecturando “teorias da conspiração”.
    Quando ocorrer o que está predito em Apoc. 13:16-17, mesmo aqueles que não tem a menor ideia sobre profecias, receberão a orientação necessária, se forem escolhidos pelo Criador para testemunhar, e farão a escolha correta.

  4. Desculpe mas ao ver o título da matéria achei que vc iria abordar o livro da CPB, mas não vi nada disso apenas mais um desabafo contra a IASD. “Um livro aparentemente inocente, que traz supostas orientações sobre a felicidade família, integra a agenda católica de preparação da humanidade para a santificação do primeiro dia da semana, como dia dedicado à família. Plano ecumênico que já está em andamento desde a aceitação do dogma católico da Trindade em lugar da doutrina bíblica do Deus único e verdadeiro, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo.” Outro coisa: o tal “dogma da Trindade” não tem nada a ver com decreto dominical (a controvérsia será sábado x domingo). Se entendi errado, por favor me explique!

    1. Quem aceita a heresia maior (mudança do único Deus a ser objeto de adoração), aceitará, com certeza, uma heresia menor (mudança no dia oficial de adoração, do sábado para o domingo). Afinal, nossas instituições, membresia e liderança já guardam os dias católicos de festa, não funcionando e honrando feriados católicos, como sexta-feira santa, domingo de páscoa, dia das mães (segundo domingo do Mês de Maria), corpus christi, dia de nossa senhora (com apoio aos romeiros inclusive!), dias de padroeiros das cidades, dia de finados, Natal, etc.

      Assim, metade do mandamento católico inserido na Lei de Deus em lugar do quarto, já está sendo guardado por nós, adventistas: “Guardar domingos e festas”. Quanto aos domingos, muitos de nossas instituições como escolas, por exemplo, já não funcionam nesse dia.

      1. Obrigado pela atenção. Se entendi, vc fez um paralelo entre aceitar a “mudança do único Deus” X mudança do sábado para o domingo. Imagino eu que seja indiferente a questão, pois a humanidade será forçada a adoração (no domingo) e se estivermos preparados para a crise que virá em consequência disso, então seremos selados com o selo do Deus vivo; caso não… perderemos a salvação. Com relação aos feriados, existe diferença entre honrar e aceitar. Eu sou funcionário público e nos feriados católicos não há expediente. Eu não pedi isso e também não tenho como trabalhar pois tudo está fechado. Não aceito e não honro esses dias, mas fico de mãos atadas. Se eu fosse empreendedor também seria forçado a dispensar meus funcionários, pois o Ministério do Trabalho não aceitaria a ideia de que esses dias não devem ser respeitados. Mesmo os funcionários (que na sua grande maioria não são adventistas) ficariam contentes. O único dia que não trabalho, por objeção de consciência é o sábado, o restante é resto. Li também com relação aos domingos que nossas escolas e instituições não funcionam nesses dias. Ora isso não seria possível, até mesmo por obediência ao calendário escolar (no caso das escolas e universidades). Não funcionar aos domingos não significa honrá-lo, pois NADA (nesse sentido) funciona. E por fim, e não menos importante, a ligação que vc fez sobre o livro da CPB do Impacto Esperança com a igreja católica foi muito forçado. Faz tempo que a igreja católica vem batendo nessa tecla da família; se levarmos por consideração essa analogia, a lição da escola sabatina do 2º trim/2019 então está fazendo apologia ao papado. O assunto família tem que ser banido dos púlpitos e nem deveríamos ler os conselhos de EGW sobre o Lar Cristão. Deixa a igreja católica com seus planos para lá e vamos ajudar nossas famílias, pois queremos elas no céu e que venha logo esse decreto dominical, porque já deu esse mundo. Abraço!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *