HUMOR PLANO: A parábola da tartaruga, quatro elefantes e a sucuri gigante

Dois caipiras terraplanistas estavam conversando:

— Compadre, se a gente pudesse usar bichos para explicar melhor essa tal cosmologia da Bíblia, que animal que você usaria?

— Como assim, compadre?

— Ora, com que bicho você representaria, por exemplo, a Terra plana e imóvel dentro da água com os fundamentos nas profundezas?

— Já sei, compadre! Podia ser uma tartaruga dessas grandes do mar. O casco dela meio para fora da água seria a terra… E as patas dela, encostando no fundo, seriam os fundamentos da terra. E tartaruga, você sabe, quase não se mexe…

— E só para a gente ter certeza de que ela iria ficar bem estacionária, a gente podia colocar quatro elefantes bem pesadões e fortes em cima dela!

— Quatro elefantes, compadre, para quê?

— Ora, para segurar a abóbada celeste, o domo, com a tromba e não deixar a tartaruga se mexer de jeito nenhum!

— Boa ideia, compadre… Um para cada canto da terra!

— Mas será que essa geringonça não iria desmontar, desequilibrar e derrubar tudo uma hora, compadre?

— Iria, não, porque eu já pensei num jeito…

— E como é que iria ser, compadre?

— Simples. A gente pegava a maior sucuri do mundo, ou a cobra mais comprida que a gente achasse, dava uma volta ao redor desses bichos todos e protegia nossa representação animal da cosmologia bíblica! Que tal?

— Compadre, eu não sei, não… Mas acho que vão dizer que a gente plagiou a tal da cosmologia védica…

“A imagem acima mostra um dos conceitos hindus do Universo. A Terra, chamada por eles de Monte Meru, e as regiões infernais eram transportadas por uma tartaruga, símbolo da força e poder criativo. Por sua vez, a tartaruga repousava sobre a grande serpente, que era o emblema da eternidade. Existiam três mundos: a região superior era a residência dos deuses, a região intermediária era a Terra e a região inferior era a região infernal. Eles acreditavam que o Monte Meru cobria e unia os três mundos. No topo do Monte Meru estava o triângulo, o símbolo da criação. As estrelas giravam em volta da montanha cósmica Meru.” Cosmologia da Origem do Universo (2015) Observatório Nacional — Ministério da Ciência e da Tecnologia, pág. 24.

 

Veja também em www.criacionismo.org:

Tartaruga: O mascote milenar da cosmologia da Terra plana 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *