China desenvolve geneticamente “super soldados”, uma revolução da guerra biológica

Publicado em 22 de outubro de 2019

Os especialistas internacionais em segurança Elsa Kania e Wilson VornDick dizem que a China está desenvolvendo armas biológicas, incluindo robótica biônica, exoesqueletos inteligentes e soldados editados por engenharia genética como parte de sua estratégia militar de longo prazo. Em sua anaálise de ‘China Brief Volume‘ , Kania e VornDick escrevem: “Embora a potencial alavancagem do CRISPR (edição de genes) para aumentar as capacidades humanas no futuro campo de batalha continue sendo apenas uma possibilidade hipotética no momento, há indicações de que os pesquisadores militares chineses estão começando a explorar seu potencial“.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

China desenvolve ”super soldados editados geneticamente’, uma revolução da guerra biológica. 

Fonte:  https://www.dailystar.co.uk/news/latest-news/china-developing-gene-edited-super-20546721

Por Anna Savva

Acredita-se que a superpotência asiática comunista esteja trabalhando secretamente em engenharia genética para os militares

  • As especialistas internacionais em segurança Elsa Kania e Wilson VornDick dizem que a China está desenvolvendo armas biológicas, incluindo robótica biônica, exoesqueletos inteligentes e soldados editados por engenharia genética como parte de sua estratégia militar de longo prazo. 
  • Em seu China Brief Volume, Kania e VornDick escrevem: “Embora a potencial alavancagem do CRISPR (edição de genes) para aumentar as capacidades humanas no futuro campo de batalha continue sendo apenas uma possibilidade hipotética no momento, há indicações de que os pesquisadores militares chineses estão começando a explorar seu potencial uso”.
  • Kania e VornDick dizem que a China está aproveitando muitos aspectos da biotecnologia como parte de um projeto multidisciplinar, “combinando indústria, instituições acadêmicas e programas militares”. O conceito de um esforço nacional para comandar o domínio e a superioridade da biologia na China é conhecido como ‘zhishengquan’. Essa visão está “começando a se tornar mais prevalente nos escritos sobre guerras futuras com graus variados de autoridade”. Um foco principal é o desenvolvimento de ‘interfaces cérebro-máquina’ que um dia permitirão que os humanos controlem armas através do poder do pensamento.

A China estaria priorizando pesquisas secretas em engenharia genética de ponta em guerra biológica como parte de sua estratégia militar de longo prazo, dizem especialistas em segurança internacional. Acredita-se que o foco da superpotência oriental esteja no desenvolvimento de armas biológicas, incluindo robótica biônica, exoesqueletos inteligentes e soldados editados por engenharia genética.

Engenharia genética, robótica biônica, exoesqueletos inteligentes e técnicas de colaboração homem-máquina “estão sendo exploradas pela China. (Imagem: Getty Images)

Ao escrever no China Brief Volume, Elsa Kania e Wilson VornDick, dizem que a China agora o transformou esse projeto em um projeto nacional, com os militares apoiando e financiando pesquisas comerciais, que mais tarde serão utilizadas em projetos militares.

Eles também acreditam que a pesquisa em edição de genes, para promover a melhora do desempenho dos soldados chineses, está sendo levada muito a sério.

Eles escrevem: “Embora a potencial alavancagem do CRISPR (edição de genes) para aumentar as capacidades humanas no futuro campo de batalha continue sendo apenas uma possibilidade hipotética no momento, há indícios de que os pesquisadores militares chineses estejam começando a explorar seu potencial”.

Também há especulações de que a edição de genes esteja sendo usada na China como parte de um exercício patrocinado pelo Estado para aprimorar as habilidades cognitivas dos animais.

As técnicas de edição de genes já são evidências no uso da terapia para editar animais para desenvolver órgãos semelhantes aos humanos, que tocaram inúmeros alarmes no ocidente sobre a criação da indústria chinesa na extração de órgãos.

A China está aproveitando muitos aspectos da biotecnologia como parte de um projeto multidisciplinar, “combinando indústria, instituições acadêmicas e programas militares”, disseram eles. Ele até desenvolveu um novo conceito para descrever o esforço nacional. 

Eles escrevem: “O conceito ‘zhishengquan’, traduzido como ‘domínio biológico’ ou ‘comando / superioridade em biologia’ ‘está começando a se tornar mais prevalente em escritos sobre guerras futuras de graus variados de autoridade”.

Um foco principal é o desenvolvimento de “interfaces cérebro-máquina”, que podem um dia permitir que os humanos controlem armas através do poder do pensamento.

Membros do DEEP STATE, consciente e secretamente, nos últimos governos dos EUA, vem transferindo tecnologia e informações vitais para que a CHINA possa assumir o controle do planeta em substituição aos EUA na implantação da agenda de um GOVERNO GLOBAL TOTALITÁRIO, estilo NWO-Nova Ordem Mundial.

Uma empresa comercial da Cogrowth já é especializada no desenvolvimento de produtos que usam inteligência artificial para interpretar sinais cerebrais, dizem os especialistas. No momento, a biotecnologia já foi utilizada em pequena escala.

Kania e VornDick dizem que a polícia chinesa já usou terapias genéticas para criar “cães altamente musculosos para uso no policiamento”, que já “ilustram o potencial de animais editados por engenharia genética contribuírem para a coerção estatal”. 

Um gato de estimação também foi clonado por um dono de animal consternado pela sua perda disposto a pagar uma quantia enorme pela clonagem do seu pet. Segundo relatos, clones humanos – macacos também estão sendo pesquisados secretamente ​​na China.

Deixe uma resposta