ECUMENISMO MASCARADO: Vaticano anuncia que Católicos, Evangélicos e Adventistas se uniram em parceria para combater a COVID-19 na Venezuela

Caracas.– Representantes das igrejas: católica, evangélica, anglicana e adventista, a comunidade judaica e um grupo de organizações sociais se uniram para formar o Conselho Inter-religioso Social da Venezuela”, uma estrutura de reflexão e ação baseada na pluralidade, cuja contribuição será gerar consenso para mitigar os sérios problemas que nossa sociedade está enfrentando”, como declarou em uma entrevista coletiva do Bispo Auxiliar de Caracas e Secretário Geral da Conferência Episcopal da Venezuela, Dom José Trinidad Fernández.

Estamos nos reunindo desde novembro de 2019 — ANTES DA PANDEMIA DE COVID19! —, incentivados pela busca de soluções que contribuam para o bem e a paz, que nos permitem mostrar a possibilidade de construir confiança onde há precariedade, ver esperança onde apenas a fatalidade é vista, vislumbrando a vida em vez de morte e destruição ”, Dom Fernández expressou durante a conferência de imprensa. Ele explicou ainda que este Conselho será constituído pela Igreja Católica, representada pela Conferência Episcopal, pelo Conselho Evangélico, pela Igreja Adventista, pela Comunidade Judaica, pela União das Confederações de Igrejas Cristãs (UNICRISTIANA), pela Igreja Anglicana e pelo Conselho de Igrejas Históricas da Igreja. Caracas. IMPRENSA CEV.

Ecumenismo mascarado? O recém-formado Conselho Social Inter-religioso da Venezuela.

Uma nova organização religiosa, social e pluralista foi criada na Venezuela para ajudar a combater a pobreza, a corrupção e promover a unidade. O Vaticano acaba de anunciar que católicos romanos, evangélicos e adventistas do sétimo dia se uniram para criar o novo “Conselho Social Inter-religioso Venezuelano”. [1]

Em 22 de abril de 2020, foi anunciada uma “Declaração Conjunta” que explica o objetivo desta nova organização. Eles estão se unindo para combater o “COVID-19” e trazer a “paz”, estabelecer um “bem comum” e “construir confiança” na Venezuela. O Conselho Social Inter-Religioso da Venezuela trabalhará para estabelecer: “justiça social, igualdade, respeito mútuo, tolerância e respeito pelas liberdades”.

O novo conselho é composto pela Igreja Católica, o Conselho Evangélico, a Igreja Adventista do Sétimo Dia, a Comunidade Judaica, a Confederação de Igrejas Cristãs, a Igreja Anglicana e o Conselho de Igrejas Históricas de Caracas. Sua declaração conjunta é uma promessa de trabalhar em prol da “paz e reconciliação, com mecanismos de construção inclusivos e animados por um espírito participativo e solidário, capaz de recuperar os valores comuns que devem sustentar as ações urgentes que nosso povo precisa hoje .  [1]

Estamos formando alianças estratégicas com Roma e com as outras igrejas, a fim de lutar pela justiça social. O evangelho social é uma tentativa de redefinir a obra da igreja por meio da ação social, e não através da apresentação do evangelho eterno de Apocalipse 14. Quando o evangelho social entra na igreja, a pregação da Mensagem dos Três Anjos começa a declinar. e uma nova agenda de ataque às desigualdades sociais do mundo começa a evoluir.

“O Senhor deseja que a proclamação da mensagem do terceiro anjo seja a maior e mais alta obra realizada em nosso mundo atualmente. Esta mensagem é a mensagem do evangelho para os últimos dias e, em nenhum caso, deve ser ofuscada por outras pessoas. interesses, e fez parecer uma consideração não essencial ”(Manuscript Release, Vol. 9, p. 82).

“Deus não chamou Seu povo para ignorar a verdade presente nestes últimos dias, e empreende uma obra que absorve obreiros e significa que o Senhor não está representado como seria de outra maneira” (Ibid., P. 84).

“As verdades contidas no Apocalipse devem ser ensinadas, e todos nós devemos aprender as lições da temível importância das coisas a acontecer nestes últimos dias da história da Terra. Você perdeu de vista essas coisas. Outras coisas introduzidas por você não vieram sob a instrução de Deus. Você precisa ser convertido ”(Ibid., P. 86).

“Há muitos lugares onde os meios deveriam ter sido apropriados para fazer uma guerra agressiva … Todo golpe deve contar para Deus e Seu santo sábado. Isso deve se destacar em todo o nosso trabalho de maneira distinta e pronunciada, para testemunhar que o sétimo dia é o sinal, o selo de Deus. O sábado deve ser exaltado e destacado mais do que é feito agora ”(Ibid., P. 88).

É difícil imaginar algo mais básico para a fé adventista do sétimo dia do que despertar os habitantes do mundo através da proclamação da Mensagem dos Três Anjos. Qualquer outro trabalho que possamos fazer deve ajudar a complementar essas mensagens e não silenciá-las. Mas, estranhamente, a atitude predominante hoje prefere procurar uma associação com Roma. Alguns preferem lutar por iniciativas sociais, econômicas e ecumênicas, em vez de se envolverem em “combate à besta e à sua imagem” (Early Writings, p. 254).

Estamos nos unindo a Roma para promover as “novas” questões morais da época. As novas questões morais não são os Dez Mandamentos, a Segunda Vinda de Cristo ou o Julgamento Investigativo; não, trata-se de eliminar a pobreza, a epidemia do COVID-19, o ecumenismo e salvar o meio ambiente. A organização política e o ativismo social superaram a pregação da Mensagem dos Três Ângulos. Estamos trabalhando em vão para criar uma sociedade utópica perfeita neste mundo. Nossos pioneiros eram pessoas diferentes. Para eles, a Mensagem dos Três Anjos era seu principal fardo.

“Nosso povo precisa se calar sobre perguntas que não têm relação com a mensagem do terceiro anjo.” (Mensagens selecionadas, livro 2, p. 336).

Observe como claramente nossos pioneiros falaram sobre essas questões. WA Spicer (1865-1952) foi um missionário pioneiro, editor da Review and Herald e presidente da Associação Geral de 1922-1930:

“Os homens falam e sonham com uma conversão do mundo; mas sabemos a futilidade de tal pensamento . Todas as forças desta grande conferência missionária (Conselho Ecumênico de Edimburgo de 1910) não podem remover as favelas e a depravação dessas antigas passagens estreitas de Edimburgo, que se encontram ao mesmo local do congresso missionário. A vinda do Senhor é a única esperança do mundo. A maior traição de confiança na história do homem seria que os adventistas do sétimo dia se instalassem em meros esforços filantrópicos e humanitários. Nós nunca podemos curar a dor deste mundo; mas podemos obedecer à ordem de nosso Senhor e levar o testemunho de sua última mensagem a todo o mundo, e então Ele acabará com o pecado.”(WA Spicer, Notas da Conferência Missionária de Edimburgo, Review and Herald, 21 de julho de 1910).

Hoje precisamos de liderança que compartilhe esses mesmos valores fundamentais.

Referência

[1] https://www.vaticannews.va/es/iglesia/news/2020-04/venezuela-consejo-interreligioso-social-crisis.html

Fonte: http://adventmessenger.org/vatican-report-catholics-evangelicals-and-adventists-unite-in-partnership-to-fight-covid-19-and-food-shortages-in-venezuela/

Coronavírus, Venezuela: nasce o Conselho Inter-religioso Social

A ideia surgiu numa reunião realizada em novembro de 2019, “animada pela busca de soluções que contribuam para o bem comum e a paz, que ajudem a construir confiança onde há precariedade, ver esperança onde se vê apenas fatalidade e vislumbrar vida em vez de morte e destruição”.
 

Cidade do Vaticano

“Uma estrutura de reflexão e ação baseada na pluralidade, cuja contribuição será criar consenso para aliviar os graves problemas que a nossa sociedade está vivendo e prejudicam o valor essencial da família, o sentido de comunidade, além de enfraquecer a vida e as instituições democráticas.”

Nesse espírito, foi criado o Conselho Inter-religioso Social da Venezuela, composto por representantes das Igrejas Católica, Evangélica, Anglicana e Adventista, Comunidade judaica e um grupo de organizações sociais.

A Declaração conjunta, divulgada na última quarta-feira (22/04), explica que a ideia surgiu numa reunião realizada em novembro de 2019, “animada pela busca de soluções que contribuam para o bem comum e a paz, que ajudem a construir confiança onde há precariedade, ver esperança onde se vê apenas fatalidade e vislumbrar vida em vez de morte e destruição”.

Com o objetivo de oferecer uma contribuição concreta e conjunta para superar os enormes desafios que o país enfrenta, o Conselho Inter-religioso Social da Venezuela quer ajudar a fortalecer a capacidade de integração e esforço coletivo entre os diferentes setores do país.

“Um espaço de comunhão sem exclusões”, lê-se no documento, “para todos os atores religiosos, políticos e sociais que desejam trabalhar juntos pelo bem da família venezuelana, praticando as virtudes que são a base de uma boa ação política: justiça social, igualdade, respeito mútuo, tolerância e respeito pelas liberdades”.

Obviamente, os líderes religiosos não ignoraram que à situação frágil e urgente do país, que causou a migração maciça de venezuelanos, juntou-se a emergência humanitária e a crise global gerada pelo Covid-19. Assim, em 7 pontos, os representantes religiosos expuseram as bases do compromisso que, como Conselho, os levará a oferecer uma ampla gama de perspectivas, para que a sociedade venezuelana possa enfrentar a emergência, reencontrar a paz e iniciar a reconstrução do país.

O Conselho Inter-religioso Social da Venezuela, composto pela Igreja Católica, representada pela Conferência Episcopal, o Conselho Evangélico, a Igreja Adventista, a Comunidade Judaica, a União das Confederações de Igrejas Cristãs (UNICRISTIANA), a Igreja Anglicana e o Conselho de Igrejas Históricas de Caracas conclui sua declaração, afirmando que o trabalho conjunto “permitirá anunciar os sinais de paz e reconciliação possíveis, com mecanismos de construção inclusiva e animado por um espírito participativo e solidário, capaz de recuperar os valores comuns que devem sustentar as ações urgentes que hoje o nosso povo necessita”.

Fonte: https://www.vaticannews.va/pt/igreja/news/2020-04/coronavirus-venezuela-nasce-conselho-inter-religioso-social.html

Venezuela anuncia a criação do Conselho Social Inter-religioso

É uma organização composta por representantes da Igreja Católica, Evangélica, Anglicana, Adventista, Judaica e organizações sociais, como a União das Confederações de Igrejas Cristãs (UNICRISTIANA) e o Conselho de Igrejas Históricas de Caracas.

O Conselho Inter-religioso Social da Venezuela funcionará como uma estrutura de reflexão e ação baseada na pluralidade. O objetivo é encontrar um consenso que ajude a mitigar os problemas que a sociedade venezuelana vive e que prejudicam a família e as comunidades; enfraquecendo instituições democráticas. Portanto, este conselho buscará soluções que contribuam para o bem e a paz. Eles também trabalharão para o bem da família venezuelana; praticar justiça social, equidade, respeito mútuo, tolerância e respeito pelas liberdades.

Diante da emergência causada pelo COVID-19 e da migração maciça de cidadãos venezuelanos, eles se esforçarão para se unir amplamente em suas perspectivas e ajudar a reconstruir o país. Pode ser do seu interesse: CNBB lança nota contra a ADI 5581 de que é possível descriminalizar o aborto quando infectado pelo vírus Zika

Este organismo trabalhará com uma Secretaria Executiva composta pelo Secretário-Geral da Conferência Episcopal Venezuelana, Monsenhor José Trinidad Fernández e o Vigário Geral da Igreja Anglicana, Padre José Francisco Salazar.

Principais tarefas do Conselho Inter-religioso

1. Promover a dignidade humana e executar respostas oportunas de assistência humanitária às populações vulneráveis.

2. Promover a reflexão, o diálogo e a compreensão entre comunidades, instituições religiosas, organizações religiosas e os diferentes atores da sociedade do país.

3. Unir a família e as comunidades religiosas na Venezuela.

4. Sensibilizar os líderes políticos para que o diálogo e a paz sejam restaurados, garantindo os direitos humanos, o respeito ao Estado de Direito e a democracia.

5.Criar mecanismos para a construção de propostas inclusivas, com espírito de participação e solidariedade, para que a Venezuela seja um país onde a vida, a diversidade de pensamentos e o trabalho sejam valorizados e respeitados.

6.Comprometer-se com comunidades, instituições religiosas, organizações religiosas e entidades sociais, servindo de apoio a todos os habitantes do país.

7. Incentivar iniciativas que promovam o trabalho de todas as pessoas dedicadas à construção da paz, solidariedade e respeito; dos setores político, econômico, religioso e social.

Fonte: https://prensacelam.org/2020/04/22/venezuela-anuncia-creacion-de-consejo-interreligioso-social/

2 comentários em “ECUMENISMO MASCARADO: Vaticano anuncia que Católicos, Evangélicos e Adventistas se uniram em parceria para combater a COVID-19 na Venezuela”

  1. Amem que se unam mesmo, para ajudar ao seu semelhante, isso nao tem nada a ver com ecumenismo, ecumenismo mesmo tem a ver com a fe que se professa, pois jamais os adventistas irao se unir aos catolicos e evangelicos que estao combatendo a verdadeira lei de Deus, que mostra o sabado e nao o domingo como dia abencoado, mas enquanto se puder ter paz com todos e ainda lutar pelo bem comum, o adventista ta dentro, gracas a Deus, eles nao sao separados do mundo quanto em relacao a ajudar o proximo.

    1. Unir-se ao catolicismo na Venezuela é unir-se aos esquerdistas apoiadores do narcotraficante e ditador Nícolas Maduro. Para ajudar ao próximo, não há necessidade de se unir a outras igrejas. A informação correta sobre o paradeiro de Maduro para o governo americano já renderia 15 milhões de dólares (75 milhões de reais) para o benefício de milhares de pobres. Leia mais sobre adventistas e católicos n Venezuela: http://www.adventistas.com/?s=adventistas+venezuela

Deixe uma resposta