Até quando a IASD irá apoiar a tirania do governador João Dória?

Até o momento nenhuma linha de texto foi oficialmente publicada pela Igreja Adventsta contra a evidente tirania, corrupção e abusos de João Dória frente ao Governo do Estado de São Paulo. Os pastores que mais o apoiavam na UCB foram afastados por denúncias de desvio de milhões no Unasp, adultério e acusações de assédio e até estupro de dezenas de mulheres. Mesmo assim, nas publicações oficiais, há apenas elogios para João Dória. Veja:

Governador João Doria participa de uma programação sobre liberdade religiosa na capital paulista, promovida pelo escritório administrativo da Igreja Adventista na região central de São Paulo.

Para o governador de São Paulo, João Doria, é muito importante o papel da Igreja Adventista no incentivo à liberdade religiosa. Doria também enfatiza que o papel do adventismo vai além da defesa da liberdade, pois deve-se promover a dignidade do ser humano.

Na ocasião, foi entregue a Doria um certificado honorífico em reconhecimento à sua atuação como gestor público voltado às causas sociais, à defesa e proteção da liberdade religiosa, à valorização da vida e à dignidade humana.

 

Sobre o assunto, a deputada Damaris Moura enfatiza que hoje a defesa da liberdade religiosa carece de um trabalho de conscientização. “Percebemos que as pessoas desconhecem o direito do outro, desconhecem o outro como merecedor. É muito importante que a Igreja, o estado e todas as organizações da sociedade civil tenham o entendimento de que precisamos educar as pessoas”, destaca.

A deputada ainda explica a importância do relacionamento da Igreja com o estado em defesa dos direitos civis, no qual ambos devem cooperar em benefício da sociedade, desde que não interfiram nas decisões um do outro.

Fonte: https://noticias.adventistas.org/pt/noticia/liberdade-religiosa/liberdade-religiosa-em-sao-paulo/

8 comentários em “Até quando a IASD irá apoiar a tirania do governador João Dória?”

  1. E desde quando a IASD faz crítica política?
    Parem de ser tendenciosos nas publicações.
    Se vcs fossem honestos nas críticas a IASD, no que realmente merece crítica, quem sabe alguém levaria isso aqui a sério.
    Vcs só prestam desserviço!

    1. Se não faz crítica, também não deveria elogiar, promover e pedir voto, como aconteceu com João Dória, Alckmin, Gleisy Hoffman, Lula, Hitler, etc

  2. Foi graças à campanha Bolsodoria que o atual PR foi eleito, quando um grande número, senão todos eleitores tucanos, resolveram votar para o cargo majoritário do Br, nesse senhor que está envergonhando todos os brasileiros perante todo o mundo.
    Propagador do ódio, defensor de torturas ocorridas durante o regime militar, durante quase 3 décadas, nunca fez nada pelo país enquanto membro do Congresso Nacional.
    Esse sim é um sério candidato a ser um ditador, inclusive tendo já feito muitas ameaças aos outros poderes da República.
    Agora, muitos defensores desse projeto de poder, estão atacando aquele que foi o maior responsável por ele hoje estar na PR, carreando os votos dos tucanos, porque esse ex aliado quer em 2022 ser o candidato à PR, e com grande chance de se eleger.
    Agora, para quem sonha com Messias políticos, e dizem acreditar na Bíblia, lembrem-se que, nenhum político, muito menos “Messias” principalmente aqueles que não são obedientes à Lei de Deus, nenhum deles irá cumprir a vontade de Deus, mas ao contrário, só irão cumprir os desejos do inimigo de Deus.

    1. Respeitamos sua opinião, mas o que aconteceu foi exatamente o contrário. Dória pegou carona na campanha de Bolsonaro. Informe-se melhor.

      1. Percebe-se que o ilustre Editor é um fã do Bolsonaro.
        No caso do Estado de São Paulo e na eleição para Governador, o PR eleito não trouxe nenhum voto para o Dória, assim como para o cargo de Prefeito de São Paulo ocorrido em 2016, lhe pergunto: Quantos votos o Bolsonaro trouxe para o Dória???!!!

        1. Nosso assunto aqui não é preferência politica, mas coerência com nossas crenças. O que defendemos são as liberdades individuais, inclusive de culto, seja ele uma reunião de dois ou três ou numa igreja ou residência de portas abertas. Usar máscara tanto pode ser evidência de falta de fé em Deus ou evidência de amor ao próximo. Cada um deve ser livre para escolher, pois o que entra pela boca não contamina o homem e o seguidor de Cristo não teme sequer veneno de cobras ou escorpiões.

          Contudo, quanto ao ditador e tirano João Dória, não poderia sequer fazer oposição a Jair Bolsonaro, nunca. Se pesquisar, verá que dados do Ibope mostraram que 92% dos votos que elegeram o governador de São Paulo vieram de eleitores do presidente eleito.

          1. Interessante essa resposta do Sr. Editor. Ao mesmo tempo que fala que o assunto não é preferência política, ataca o Governador de São Paulo e posta matérias simpáticas ao Presidente. Não é preciso ser vidente para ver um certo posicionamento político pró Bolsonaro.

          2. No momento, um dos poucos que se posicionaram em defesa das liberdades individuais que eram garantidas pela Constituição e se posicionou contra abusos de autoridade cometidos por ordem de governadores e prefeitos foi o presidente Jair Bolsonaro. A partir do momento em que este se colocar no lugar de Deus, como faz João Dória e outros não apoiados explicitamente pela IASD, decidindo inclusive sobre o funcionamento de locais de culto, também o denunciaremos aqui neste site.

Deixe uma resposta