Purificação do Santuário no Céu: Explicações e justificativas de Paroschi, Michelson e Eleazar não convencem

Roteiro do vídeo:

0:00 Abertura e introdução

2:39 Semi-fordismo só para os líderes – por que não um jejum e reforma alimentar para eles?

5:55 História de Ford: sua tese “infelizmente” não convenceu em Glacier View.

11:16 Texto atribuído erroneamente a EGW. Porta do santíssimo fechada até 1844.

12:34 “Além do véu”, entre aspas

13:10 Aonde é a destra do Pai no NT

16:50 A vinda ao ancião de dias de Daniel 7

17:23 Texto de MR

19:30 Paroschi relativiza a autoridade de EGW

23:28 Paroschi pHD Heidelberg

24:28 Final de Marcos não seria inspirado

27:26 Guardai-vos do fermento dos fariseus e saduceus

29:01 Nisto Cremos: Expiação completa na cruz

30:07 Oração Final

EGW “No futuro, engano de toda espécie está para surgir, e precisamos de terreno firme para nossos pés. Queremos colunas sólidas para a edificação. Nem um só alfinete deve ser removido daquilo que o Senhor estabeleceu. O inimigo introduzirá falsas teorias, tais como a doutrina de que não existe santuário. Este é um dos pontos em relação ao qual haverá um desviamento da fé. Onde encontraremos segurança senão nas verdades que o Senhor nos deu nos últimos cinqüenta anos?” {CS 14.3}

EGW “Seria possível termos confiança em pastores que, às mesas em que é servida a carne, unem-se aos outros em comê-la?” CRA 401.3

EGW “Que nenhum de nossos pastores estabeleça um mau exemplo no comer carne. Que eles e sua família vivam segundo a luz da reforma de saúde.” CRA 399.3 EGW “Limitado pela humanidade, Cristo não poderia estar em toda parte em pessoa.” DTN 473.3

EGW “Quando Cristo, o Mediador, irrompeu da morada dos mortos e ascendeu para o alto para ministrar pelo homem, Ele, primeiramente, entrou no Lugar Santo, no qual pela virtude de Seu próprio sacrifício, fez uma oferta pelos pecados dos homens. Ele apresentou com intercessão e pleito as orações e arrependimento pela fé de Seu povo diante de Deus, purificado pelo incenso dos Seus méritos; depois, Ele entrou no Lugar Santíssimo, para fazer expiação pelos pecados do povo e purificar o santuário. O trabalho Dele como Sumo-sacerdote completa o plano divino da redenção pela Expiação Final pelo pecado.” Ms 69, 1912. MR2, 54

EGW “… ‘para dentro do véu’ que formava a porta e separava o lugar santo do pátio externo…” GC 420.3 O “Pastor G”, abraçou a idéia de que quando Cristo voltou para o Céu após Seu ministério na Terra, entrou à presença de Deus, e que onde Deus está, deve estar o lugar santíssimo, de modo que em 22 de Outubro de 1844, não houve a entrada no lugar santíssimo do santuário celestial, como cremos e ensinamos. Estes dois conceitos, ambos os quais feriam a doutrina do santuário como a mantemos, levaram Ellen White a se referir várias vezes à solidez e integridade deste ponto de nossa fé. Em 1904 ela escreveu: {CS 14.5} “Eles [os filhos de Deus], quer por palavras quer por atos, não levarão ninguém a duvidar em relação à distinta personalidade de Deus, ou em relação ao santuário e seu ministério.” {CS 15.1}

EGW “Quando encontrardes homens pondo em dúvida os testemunhos, criticando-os, e procurando desviar o povo de sua influência, estai certos de que Deus não está operando por meio deles. É outro espírito. Dúvidas e incredulidades são acariciadas pelos que não andam ponderadamente.” {ME1 45.1}

EGW “Satanás está… continuamente forcejando por introduzir o falso — para afastar da verdade. O último engano de Satanás será tornar sem efeito o testemunho do Espírito de Deus. “Não havendo profecia, o povo se corrompe” (no inglês, “o povo perece”). Provérbios 29:18. Satanás operará habilmente de várias maneiras e por diferentes instrumentalidades, para perturbar a confiança do povo remanescente de Deus no verdadeiro testemunho.” {ME1 48.3}

EGW “Será ateado contra os testemunhos um ódio satânico. A operação de Satanás será perturbar a fé das igrejas neles, por esta razão: Ele não pode achar caminho tão livre para introduzir seus enganos e prender almas em suas mentiras se as advertências e repreensões e conselhos do Espírito de Deus forem atendidos”. — Carta 40, 1890. {ME1 48.4}

EGW “Em breve serão feitos todos os esforços possíveis para desmerecer e perverter a verdade dos testemunhos do Espírito de Deus. Precisamos ter de prontidão as mensagens claras, exatas que têm vindo desde 1846 ao Seu povo.” {ME1 41.2}

EGW “Outros por motivos diversos põem em dúvida porções da Palavra de Deus. Assim muitos andam cegamente por onde o inimigo prepara o caminho. Ora, não é da alçada de homem algum proferir sentença sobre as Escrituras, julgar ou condenar qualquer porção da Palavra de Deus. Quando alguém se atreve a fazer isto, Satanás criará para ele respirar uma atmosfera que lhe tolherá o desenvolvimento espiritual. Quando um homem se sente tão sábio que ousa dissecar a Palavra de Deus, sua sabedoria, para com Deus, é considerada loucura.” {ME1 42.3}

2 comentários em “Purificação do Santuário no Céu: Explicações e justificativas de Paroschi, Michelson e Eleazar não convencem”

  1. Jesus ficou 1814 anos esperando a data para entrar no santíssimo? kkkkkkkkkkkkkkkk esse adventistmo histórico não avança mesmo, padrão 1888. Palmas para os adoradores de EGW

  2. Até hoje, vi poucos que tenham tido a compreensão do simbolismo das parábolas relativas ao processo celestial da Redenção.
    Os rituais terrestres foram parábolas que, até hoje, dentre os estudiosos ainda não entenderam, especialmente pontos importantes quanto ao ambiente do ritual mais importante conhecido como YOM KIPPUR.
    Se esquecem que Deus é ONIPRESENTE, e como tal, não precisa de um espaço restrito como uma construção, que mesmo existindo, seja apenas e tão somente como um museu para ser visitado no futuro.
    Só para lembrar, o espaço, na construção do Santuário Terrestre, onde o ritual do sacrifício era realizado, esse acontecimento que era uma parábola do PROCESSO VERDADEIRO, o verdadeiro sacrifício; no terrestre ocorria no PÁTIO DO SANTUÁRIO, no PROCESSO VERDADEIRO o sacrifício não aconteceu no pátio do Santuário Celestial, mas aconteceu na Terra, num lugar aberto, conhecido por GÓLGOTA.
    Assim como o SACRIFÍCIO VERDADEIRO não aconteceu numa construção celestial, o restante do processo de REDENÇÃO e PERDÃO, também não acontecem em nenhuma construção, mesmo que seja divina e esteja em algum lugar no espaço conhecido por CÉU.
    O Deus ONISCIENTE não precisa fazer nenhuma INVESTIGAÇÃO para conhecer os fatos e até os pensamentos de suas criaturas.
    O Deus ONISCIENTE, por ser onisciente, desde sempre soube que suas criaturas iriam se rebelar, e nem por isso deixou de cria-las, e, mais, antes de realizar qualquer criação ou criatura, elaborou um plano de REDENÇÃO.
    O Deus ONISCIENTE, sempre soube quem Ele iria salvar, antes de qualquer data, e bem por isso deixou em escritos feitos por humanos, mas por Ele inspirados, que pesados foram na balança da justiça divina e achados em falta como Belsazar ou justificados como o patriarca Jó, como Abel, como Enoque, como Elias e tantos outros registrados nos Escritos Sagrados, e todos que viveram antes de uma data específica, e que tiveram acesso aos registros Sagrados, souberam o resultado final de tais personagens. E, uma vez que foi anunciada a “sorte” de tais pessoas, absolutamente, não tem nenhum sentido dizer ou pensar que poderia haver algum julgamento em alguma data posterior que viesse alterar ou inverter a condição de tais pessoas cujos nomes foram expostos com o resultado do julgamento divino. Lembrando: Deus não muda, e nEle não há sem sombra de variação.

Deixe uma resposta