Conheça a profecia de Pedro sobre a zombaria de adventistas “criacionistas” contra os adventistas “terraplanistas” nos últimos dias

[Legendas obtidas por tradução automática. Transcrição abaixo:]

[Legendas melhoradas]

Desde a retirada do selo dos 2.300 dias da profecia de Daniel 8:14, os homens zombaram da proclamação do advento iminente de Cristo, dizendo: “Onde está a promessa de Sua vinda? Desde que os pais adormeceram, todas as coisas continuam como eram desde o começo da criação.”

Embora o ridículo geral aumentasse após a data do advento, a mensagem serviu como um cumprimento parcial deste versículo. O cumprimento primário da profecia de Pedro será manifestado pouco antes da segunda vinda de Cristo. Como veremos, os escarnecedores da 2 Pedro 3 representam uma classe muito particular de pessoas na última geração.

Dentro deste texto aparentemente simples, a profecia de Pedro fornece detalhes muito específicos que nos permitem identificar exatamente quem esta classe representa e, mais importante, a verdade que eles escolhem ignorar, a qual no final das contas resulta em sua queda.

Antes de revelarmos o erro fatal desse grupo, é importante identificar quem estará na extremidade receptora de sua ridicularização e desprezo.

Nos últimos dias, as mensagens dos três anjos serão repetidas em um crescente e alto clamor, uma proclamação com grande poder e a terra será iluminada com a Glória de Deus. Portanto, aqueles que dão o alto brado do anúncio de Deus, da mensagem do advento iminente de Cristo, que suportarão o ridículo e o desprezo de escarnecedores dos últimos dias.

Em 2 Pedro 3, o apóstolo compara o último dia com a zombaria daqueles que zombaram de Noé. pouco antes do mundo ser destruído pelo Dilúvio. Pedro começa sua advertência dizendo:

“Amados, escrevo-vos agora esta segunda carta, em ambas as quais desperto com exortação o vosso ânimo sincero [“mente sincera”, “mente pura”, “mente esclarecida”, “habilidade de pensar de modo claro”, em outras versões.] ; Para que vos lembreis das palavras que primeiramente foram ditas pelos santos profetas, e do nosso mandamento, como apóstolos do Senhor e Salvador.” 2 Pedro 3:1,2

Mentes puras são mentes com discernimento, que respondem à luz que incide sobre elas e estão procurando pela verdade de Deus. Isto é seguido pela injunção de Pedro para estar atento às palavras que foram faladas antes pelos santos profetas e do mandamento dos apóstolos.

Isso é significativo, a profético declaração que Pedro está prestes a fazer exige que discernamos corretamente muitos das palavras faladas pelos santos profetas, particularmente em relação à criação.

“Sabendo primeiro isto, que nos últimos dias virão escarnecedores, andando segundo as suas próprias concupiscências, E dizendo: Onde está a promessa da sua vinda? porque desde que os pais dormiram, todas as coisas permanecem como desde o princípio da criação.” 2 Pedro 3:3,4

De sua observação zombeteira, podemos aprender muito sobre quem são esses zombadores. Por um lado, eles são criacionistas ao contrário do que pensam os evolucionistas. Isso é evidenciado por sua observação de que todas as coisas continuam como eram desde o início da criação.

Na verdade, portanto, esta classe não é composta por incrédulos. Pelo menos são pessoas que professam acreditar no relato bíblico da criação, além da questão que eles levantam sobre onde está a promessa de Sua vinda. Isso indica que eles acreditam no segundo advento de Cristo, em oposição a um arrebatamento secreto.

Em outras palavras, eles são adventistas, mas estranhamente esses homens que professam acreditar no advento de Cristo, são vistos zombando da promessa ou anúncio do retorno iminente de Cristo, que está simultaneamente sendo pregado por outra classe sob a bandeira do alto clamor.

Por favor, note que esses irmãos estão caminhando atrás de seus próprios desejos. A palavra luxúria aqui traduzida é “epitélio’. Esta palavra não denota apenas paixões sensuais, mas os próprios sentimentos. sejam eles bons ou ruins. Por exemplo, o apóstolo Paulo desejava ver os rostos do irmãos tessalonicenses, com grande epitélio, com grande desejo.

“Nós, porém, irmãos, sendo privados de vós por um momento de tempo, de vista, mas não do coração, tanto mais procuramos com grande desejo ver o vosso rosto.” 1 Tessalonicenses 2:17

A partir disso, podemos deduzir que os zombadores no 2 Pedro 3 não estão necessariamente engajados nas paixões baixas, mas simplesmente andando e trabalhando de acordo com seus próprios pensamentos e sentimentos, esquecendo-se das palavras ditas por todos por os santos profetas. E as obras deles não estão em acordo com a ordem de Deus.

Agora seria de se supor que em uma situação tão deplorável haveria muitos erros antibíblicos que Pedro pudesse apontar ou talvez houvesse pecados acariciados no arraial que tivessem levado à sua queda, mas, curiosamente, há apenas um ponto de fé que Pedro aponta para distinguir essa classe.

Em uma única passagem ele nos dá todas as informações que precisamos para entender a apostasia desses escarnecedores dos últimos dias:

“Eles voluntariamente ignoram isto, que pela palavra de Deus já desde a antiguidade existiram os céus, e a terra, que foi tirada da água e no meio da água subsiste.” 2 Pedro 3:5

2 Pedro 3 é todo sobre o fim de o mundo e a segunda vinda de Cristo e este é o aviso de que Deus inspirou Pedro a escrever para o professo povo de Deus nestes últimos dias. Bem no fim da história deste mundo, Deus lembra do início de Sua criação.

Para aqueles que zombam do alto clamor um pouco antes do retorno de Cristo, seremos aqueles que negam isso. “Pela palavra de Deus já desde a antiguidade existiram os céus, e a terra, que foi tirada da água e no meio da água subsiste.” 2 Pedro 3:5.

Inequivocamente, Pedro revela que esses escarnecedores escolheram ser ignorantes sobre os fatos declarados da criação. Esse é o único ponto que Pedro usa para identificar esse povo condenado. Mas como pode ser que essas pessoas que claramente afirmaram que elas acreditavam naquele Deus que criou o mundo no princípio, dizem agora que todas as coisas continuam como eram desde o começo da criação?

Então a questão é: Como adventistas criacionistas podem ser ignorante sobre os fatos registrados da criação? A única resposta é que eles acreditam em uma falsa criação. Eles acreditam em uma criação que não é encontrada em nenhum lugar de Gênesis 1, nem na Bíblia em geral.

Nesse versículo 5, Pedro identifica alguns dos fatos da criação que esses irmãos escolheram ignorar. Antes de prosseguirmos, observe que esses irmãos não são apenas ignorantes. Eles são voluntariamente ignorantes sobre a criação. Isso significa que eles tiveram a oportunidade de aprender sobre isso. Os fatos foram disponibilizados para eles, embora, por algum motivo, eles tenham evitado este conhecimento.

Em uma referência clara a Gênesis 1, Pedro declara que esses zombadores “voluntariamente ignoram isto, que pela palavra de Deus já desde a antiguidade existiram os céus”.

A primeira vez em que vemos Deus falando e trazendo os Céus à existência é encontrado em Gênesis 1, versículos 6 a 8. Depois que Deus criou a luz, a próximo coisa que Ele fez foi o firmamento:

“E Deus disse: — Haja um firmamento no meio das águas e separação entre águas e águas. E Deus fez o firmamento e a separação entre as águas debaixo do firmamento e as águas acima do firmamento. E assim aconteceu. E Deus chamou ao firmamento “céus”. Houve tarde e manhã, o segundo dia.” Gênesis 1:6-8.

Deus chamou o firmamento ou céu “rakia” ou “shamayim”. A palavra hebraica traduzida como “céu” ou “céus” em Gênesis 1 é “shamayim”. Gênesis 1:8 diz que Deus chamou o firmamento, que é o céu, “rakia”, o que significa que a palavra “shamayim” pode ser usada para denotar “rakia” ou firmamento, porém o fato de que Deus fez uma distinção entre os “shamayim” (céus) e o firmamento (rakia) algumas vezes, usando os dois na mesma frase, significa que também devemos fazer distinção entre as duas palavras.

Por exemplo, vemos que depois de fazer a lua, o sol e as estrelas, Deus os colocou no firmamento do céu para iluminar a terra. Deus também fez as aves que podem voar acima da terra a céu aberto. no interior do firmamento do céu. Podemos, portanto, ver que o firmamento ou “rakia” é um componente que constitui o céu “shamayim”, assim como dizem os versos 14, 15 e 17, é o firmamento do céu.

A palavra “rakia” ocorre apenas 17 vezes no Antigo Testamento e tem um significado muito específico. A palavra raiz para “rakia” é “raka” que significa “bater, martelar, espalhar, expandir uma olha de metal”. Isso prova que os hebreus acreditavam que o firmamento seria algo sólido , construído e não apenas uma extensão ou vazio.

Por outro lado, a palavra “shamayim” tem um significado muito amplo. Ocorre 421 vezes nas escrituras e pode ser aplicado ao sol, lua e estrelas, e à extensão que eles atravessar e até à morada divina. Isaías descreveu o firmamento como um material sólido que foi estendido sobre a terra, quando ele declarou que:

“Ele é o que está assentado sobre a cúpula da terra, cujos moradores são como gafanhotos. É ele quem estende os céus como cortina e os desenrola como tenda para neles habitar.” Isaías 40:22

Isaías descreveu até a forma deste material sólido, quando o descreveu como sendo uma tenda que estava esticada, ou arqueada, sobre a superfície da terra.

Elihu também se maravilhou com a engenharia divina quando perguntou a Jó:

“Será que você pode ajudar Deus a estender o firmamento, que é sólido como espelho de metal fundido?” Jó 37:18.

Elihu comparou o céu a um espelho de metal fundido, que foi martelado e expandido sobre a terra. Elihu baseou sua compreensão na descrição encontrada em Gênesis 1, versículos 6 e 7, onde diz que Deus separou as águas que estavam acima do firmamento das águas que estavam abaixo do firmamento. Em sua mente, esSe material que separou as águas tinha que ser forte porque suporta um peso imenso de águas acima dele, o que apenas a mais forte das estruturas poderia segurar.

Assim, o firmamento não pode ser simplesmente um vazio que se expande, ou expansão; Ao contrário, é apenas em virtude do firmamento que uma extensão ou vazio pode existir acima de tudo, E para aqueles que especulam que as águas acima da terra desapareceram após o dilúvio, Davi fala que eles ainda estão lá no Salmo 148:

“Louvem o Senhor, céus dos céus e as águas que estão acima do firmamento.” Salmo 148:4.

Esses são apenas alguns dos versos que provar que o firmamento é uma estrutura sólida, arqueado como uma tenda sobre a superfície da terra. Até mesmo os tradutores da bíblia entenderam isso porque usaram a palavra FIRMamento em sua interpretação da palavra
“rakia’.

Apesar de tantas evidências bíblicas, muitos se apegam à ciência popular de hoje, com essa ideia de que vivemos numa bola giratória, voando pelo espaço vazio. Sua compreensão dos céus é totalmente em desacordo com o relato bíblico. Por isso, pode-se dizer deles que, em verdade, “voluntariamente ignoram isto, que pela palavra de Deus já desde a antiguidade existiram os céus”.

O segundo aspecto do relato bíblico do qual Pedro declara que esses zombadores são ignorantes é o de que a terra flutua parada sobre a água e fora da água. Voltando ao capítulo 1 de Gênesis, versículo 9:

“E Deus disse: — Ajuntem-se as águas debaixo dos céus num só lugar, e apareça a porção seca. E assim aconteceu.” Gênesis 1:9.

Em vez de ser arrastada através do espaço pela suposta gravidade do sol, a Bíblia descreve a terra como se estivesse flutuando sobre as águas do grande e profundo abismo.

O salmista declara que:

“Ao Senhor pertence a terra e a sua plenitude, o mundo e os que nele habitam. Porque ele fundou-a sobre os mares e sobre as correntes a estabeleceu.” Salmos 24:1,2.

De acordo com a cosmologia bíblica, a terra ou “porção seca” que apareceu tem pilares e fundamentos, como o próprio Deus declara:

“Onde você estava, quando eu lancei os fundamentos da terra? Responda, se você tem entendimento.” Jó 38:4.

Em outro lugar, Ele diz:

“Ainda que tremam a terra e todos os seus moradores, eu firmarei as suas colunas.” Salmos 75:3.

Os pilares e os fundamentos da terra estão inseridos dentro daquelas águas do grande abismo, que correm abaixo da terra. Da mesma maneira, os pilares da morada de Deus são firmados dentro das águas acima da terra, como Davi proclama

“Pões nas águas o vigamento da tua morada, tomas as nuvens por carruagem e voas nas asas do vento.” Salmo 104:3.

Sem dúvida, estes são os fatos declarados da Criação, realmente miraculosa e muito além do nossa finita compreensão. Mesmo assim, para a mente perspicaz, eles são digno de toda aceitação. No entanto, muitos ainda se agarram a um entendimento não encontrado em nenhum lugar das Escrituras de que se deve descartar todos esses versículos como meramente poético ou figurativos e, apesar disso, afirmar que eles realmente creem na Bíblia,

Ao fazer isso, eles se mostram voluntariamente ignorantes em relação à palavra de Deus revelada e totalmente alheios às palavras dos profetas da antiguidade. De acordo com a profecia de Pedro, esse é o erro que os coloca em oposição à mensagem final de misericórdia de Deus para o mundo. A ridicularização já mostrada contra aqueles que ensinam a verdade sobre a Criação de Deus fala por si mesma. E se tal hostilidade para com a verdade de Deus continuar, eles se manifestarão como os zombadores dos últimos dias, quando a mensagem do alto clamor for dada ao mundo.

“O espírito de crítica incapacita os homens para receber a luz que Deus lhes enviaria, ou para ver o que é evidência da verdade. Caso o Senhor revelasse luz segundo seu próprio plano, muitos não o respeitariam ou compreenderiam; eles ridicularizariam o portador da mensagem de Deus, como alguém que se coloca acima dos mais qualificados para ensinar.” Ellen G. White, em The Signs of the Times, 26 de maio de 1890.

Que essa classe se oponha ao alto clamor faz todo o sentido quando reexaminamos a mensagem do primeiro anjo de Apocalipse 14.

“Dizendo com grande voz: Temei a Deus, e dai-lhe glória; porque é vinda a hora do seu juízo. E adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas.” Apocalipse 14:7.

Esse anjo é visto chamando os homens de volta não apenas para a adoração do verdadeiro Deus, mas para o Deus que fez o céu e terra e o mar e as fontes de águas, como Pedro ele está chamando os homens de volta ao Deus que fez a criação conforme é descrita em Gênesis, capítulo 1 e o sábado que a comemora.

Então, como alguém pode dar essa mensagem se rejeitar o que Deus disse sobre como criou o céu, a terra, o mar e as fontes das águas? É o quem Deus fez durante os seis dias menos importante do que o dia em que Ele descansou? Enquanto a verdadeira criação não fazia parte da mensagem cem anos atrás, foi um conselho sábio não agitar o assunto que era tão divisivo naquela época. Isso não significa que ainda o seja em nossos dias.

Jesus não voltou no século 19 e desde então o mundo tem sido envolto em uma escuridão muito maior em relação à origem de nosso mundo e da raça humana. O domínio desses encantamentos deve ser quebrado e Deus, em Sua sabedoria, reservou um revelação sobre o nosso mundo para estes últimos dias.

O salmista declara que:

“A luz semeia-se para o justo, e a alegria para os retos de coração.” Salmo 97:11. Deus revela a verdade para que possamos acreditar nela. Quando o Senhor permite que a luz brilhe sobre nós e nós a rejeitamos, qualquer outro lampejo de luz não será percebido. Assim será com aqueles que se tornarão os zombadores dos últimos dias. Pela rejeição da luz do Céu em relação à criação, eles se tornaram cegos para o desdobramento de luz que os capacitaria para apresentar a verdade em alto clamor.

A verdade é por sua própria natureza divisiva. O próprio senhor declarou: “Vocês pensam que vim trazer paz à terra? Não, eu lhes digo. Pelo contrário, vim trazer divisão!” Lucas 12:51.

Mas para aqueles que aceitam isso na verdade se torna o próprio vínculo de unidade, Restaurar a verdade é que causa divisão. Por mais divisivo que seja, devemos apressar a vinda do Senhor que não pode voltar até que todas as coisas faladas pelos santos profetas, incluindo Moisés. sejam restauradas. Em Atos, lemos que “é necessário que o céu receba [Cristo] até os tempos da restauração de todas as coisas, de que Deus falou por boca dos seus santos profetas desde a antiguidade.” Atos 3:21. “É necessário que ele permaneça no céu até que chegue o tempo em que Deus restaurará todas as coisas, como falou há muito tempo, por meio dos seus santos profetas.” NIV.

Em 1904, Ellen White foi abordada por um homem que desejava falar com ela em relação ao mundo redondo ou plano. Ela lhe enviou uma mensagem, dizendo que:

“…quando Cristo deu minha comissão para fazer o trabalho que Ele havia colocado sobre mim, o [formato do] mundo plano ou redondo não estava incluído na mensagem; o Senhor cuidara de Sua casa, Seu mundo aqui embaixo, melhor do que qualquer agência humana poderia cuidar dele, e até que a mensagem venha do Senhor, o silêncio sobre essa pergunta seria eloquência.” — Manuscript Releases, vol. 21 [Nos. 1501-1598], p. 414.2, 1904

Sobre essa questão, portanto, sabiamente, Ellen White absteve-se de tomar posição quanto ao mundo redondo ou plano, porque de acordo com sua própria confissão o Senhor não incluiu tal conhecimento na mensagem confiada a ela. O que ela deixou é uma mensagem aberta para a revelação futura, afirmando que, até que tal mensagem viesse do Senhor, o silêncio seria eloquente.

Em nossos dias, a cosmologia é um dos tópicos mais quentes no mundo digital. Ateus estão sendo atraídos para a Bíblia aos milhares fora do culto ao que eles chamam de ciência. Apenas Deus pode estar por trás de tal mensagem. E o fato de que hoje vemos professos Cristãos zombando de uma verdade que está atraindo incrédulos para acreditarem na Bíblia, é mais uma prova de que a mensagem é de fato proveniente do Senhor.

Se você discorda que é essa rejeição dos fatos declarados da
criação que distingue os zombadores dos últimos dias, então por favor explique esta contradição: Como podem esses zombadores
quem professam acreditar na criação ser ignorantes sobre os fatos declarados de criação?

De acordo com a profecia de Pedro, no entanto, se você pode ver que é essa rejeição do relato bíblico de Criação que distingue essas pessoas como zombadores dos últimos dias, então como você pode dizer que a cosmologia não tem nenhuma parte na mensagem final, particularmente quando o primeiro anjo distingue o verdadeiro Deus por Sua criação?

A profecia de Pedro nos diz que entre o povo de Deus a criação será o ponto mais contestado de doutrina pouco antes da segunda vinda de Cristo. As palavras de Pedro estão em conflito direto com essa noção de que aquilo que Deus disse a respeito da Criação não é importante, ou se for algo que entendemos ser verdadeiro, que devemos permanecer quietos sobre o assunto.

Deus inspirou esta profecia para não precisar condenar ninguém, pois como Pedro diz mais adiante, Deus não pretende que ninguém morra, mas, sim, que todos cheguem ao arrependimento

A época da colheita está quase chegando e, através da cosmologia, Deus está testando Seu povo. A agitação desta mensagem irá continuar até que haja apenas duas classes de pessoas professas de Deus, aqueles que ridicularizam e rejeitam a criação verdadeira feita por Deus e aqueles que irão declarar seu temor a Deus, dar glória a Ele e adorá-Lo porque fez o céu, a terra, o mar e as fontes de águas.

4 comentários em “Conheça a profecia de Pedro sobre a zombaria de adventistas “criacionistas” contra os adventistas “terraplanistas” nos últimos dias”

  1. e onde esta a liberdade de expressao que tanto pregam fazendo separacao de quem pensa diferente .Ate hoje e discutido entre os pts sobre genesis cap1 sendo literal ou simbolico eu creio na literalidade da biblia como sendo a Palavra do Criador fiel e verdadeira ….

  2. É uma pena que a igreja adventista está totalmente cega e vai atrás dos seus pastores que vão destruir o seu rebanho.
    Micheson Borges, Leandro Quadros, Rodrigo Silva pra mim todos são infiltrados jesuítas que misturam a verdade com o erro para cegarem as pessoas.

Deixe uma resposta