ENA, Belém de Maria, PE: Participante do Caldeirão do Huck denuncia abuso sexual e racismo em internato adventista

Confira algumas reações [autores omitidos]:

“Aqui na Associação Mineira Sul tá acontecendo algo assim. Os pastores sabem mais ao invés de ajudar e fazer justiça, querem botar quem denuncia como estando errada. Uma imbecilidade tamanha.”

“Conheço um fato de uma senhora ainda viva, quando jovem de 16 anos membra da IASD, foi assediada por um “pastor”, sendo procurada na escola na Praça do Centenário para ser presenteada por um corte de tecido, além de ter oferecido carona para levá-la sabe lá para onde. Trata-se de um pastor hoje aposentado, muito conhecido e altamente demagógico, pois sempre que pregava apelava para o emocional da igreja. Muito querido pela Missão Nordeste na época. Nunca foi a público porque certamente a jovem jamais seria levada a serio, pois o Sistema da IASD não tomaria nenhuma posição em prol da vítima.”

“Infelizmente está é a triste realidade da nossa iasd os casos que procuram ser ‘resolvidos’ dentro de uma sala… Porém é dentro de uma sala que acontecem os piores abusos psicológicos, ameaças de disciplina e até exclusão da igreja. Nossa igreja nos ensina a clamarmos diariamente por um reavivamento e reforma e que isto deve ser individual. Mas diante desses casos absurdos não encontramos um líder coerente com uma espiritualidade saudável a ponto de ouvir e discernir pelo poder do espírito o que está certo e o que é profano. Ainda acontece um verdadeiro linchamento psicológico dentro da igreja quando a história é vazada. Mas graças a Deus as coisas estão mudando. As neguinhas de cabelo de bombril não ficam mais caladas.”

“…O abuso aconteceu com a minha filha dentro da igreja por um senhor de 70 anos. Ele pregava na igreja mas eu ainda fui disciplinada na mesma proporção que o abusador por trazer o caso à tona. Nessa época, a minha filha tinha 9 anos e eu mae tinha só 3 anos de adventismo. Aconteceu no ano 2000.”

“Conheço pessoas queridas que sofreram com a obra e nunca quiseram processar pq tinham gratidão. Absurdos trabalhistas dentro de internatos: jornadas exaustivas, total inexistência de pagamento de horas extras, trabalho sem remuneração em troca de alimento e casa, redução salarial, entre outros absurdos. E fazem isso justamente apoiados na chantagem emocional do “nossa , mas vc vai processar a igreja?”

“A forma como as igrejas (todas)lidam com abusos e assédios é algo que precisa ser mudado. Abuso é caso de polícia, não é pra resolver dentro da estrutura da igreja não.”

“Eu não preciso ser negro e nem feminista pra dizer e achar que tem alguma coisa errada na instituição, se não mudarem a maneira de tratar certos assuntos temo que surgirá denuncias graves de abusos encobertos na instituição que pode se tornar público e mais vergonhoso que isso, nada há encoberto e um dia vem à tona e os fiéis ja demoraram em agir.”

“Eles não se importam com as pessoas, eles abafam porque enchem o peito para falar que são igreja perfeita escolhida por Deus, infelizmente ela não foi a primeira e não será a ultima,o dinheiro é o deus da IASD , cada dia eu fico mais tranquila de ter saído , mas continuo com Deus confiando só nele .Quem sabe e se cala é cumplice e também recebera castigo, tristeza tanta coisa errada e as pessoas ainda defendem .”

“Na IASD que eu frenquentava, um grupo de jovens, uns 3 jovens entre 20 e 22 anos abusaram de uma garota de 12 anos, filmaram e tudo, o vídeo parou no pastor mas nada foi feito, nem msm exclusão. Os jovens eram da família dos fundadores da igreja. A menina saiu da igreja, os pais proibiram de ir e tbm de ir ao clube. E os jovens seguem suas vidas na igreja tranquilamente, e ha quem diga que a culpa foi dela. Casos como estes n são isolados, e a igreja passa pano, a igreja é conivente pq n querem escândalo, então fod*se a pessoa. Ivan Saraiva traiu a esposa por 2 anos com uma irmã, a igreja n fez nd, apenas o promoveu p outro país, n querem escândalo, e acobertam coisas de pessoas influentes na igreja, mas os mortais n podem nem questionar as doutrinas que vem gente das profundezas dizer que é o demônio. Viver de aparências.”

“Dividi o teto com uma moça que passou a mesma coisa: fugindo de lar violento, foi pro internato em Petrópolis onde trabalhava feito escrava. De lá pra UNASP pq um pastor prometeu bolsa. Não tinha bolsa, teve que ser babá e doméstica da casa de um outro pastor amigo do primeiro. Acordava às 4:00 ia dormir às 23h. Além de trabalhar em troca de teto e comida, foi assediada. Recusou e o pastor derrubou ela de uma escada enquanto ela limpava o lustre. Fraturou o cóccix. Demoram 1 semana pra levar ela ao hospital, só qndo o noivo dela conseguiu vir do outro campus e levou ela, dopada com medicações tarja preta da esposa do pastor.
O noivo levou ela embora, não deixou ela denunciar. Não demorou muito, o noivo a estuprou. Batia nela. Quebrava suas coisas. Qndo ela tomou coragem foi à delegacia. Riram dela e nem fizeram BO. Procurou a igreja, mas o noivo já havia pintado ela de louca.
E é isso. Não deu em nada e até hoje a tratam como um lixo. ‘Saiu da igreja pq nunca esteve lá por causa de Jesus'”

Irmã Janaí no site oficial da IASD

“O Dia da Princesa terminou com uma mensagem sobre a vida da personagem bíblica Ester, que enfatizou a importância de cultivar a beleza interior. O sermão contextualizou para as adolescentes as características comuns às princesas, como o altruísmo, a elegância e a autoestima. No final elas foram coroadas e ganharam uma Bíblia e um exemplar do curso bíblico Ouvindo a Voz de Deus. ‘Quis mostrar que elas têm valor e que são princesas porque são filhas de Deus, o rei do universo”, esclarece a voluntária Janaí Caló, que transmitiu a mensagem para as adolescentes.”

Fonte: https://noticias.adventistas.org/pt/noticia/projetos-sociais/iniciativa-voluntaria-resgata-auto-estima-de-adolescentes-infratoras/

Deixe uma resposta