Irnãos adventistas da Tanzânia dão exemplo à IASD em todo o mundo sobre como lidar com a Covid 19

Presidente da Tanzânia participa de culto adventista, ao lado da esposa.

Enquanto o coronavírus (COVID-19) se espalhava pela Ásia, Europa e América do Norte no início deste ano, especialistas médicos alertaram que era apenas uma questão de tempo até que outros continentes, incluindo a África, começassem a relatar casos. 

Para a Tanzânia, esse dia chegou na segunda-feira, 16 de março de 2020, quando o ministro da Saúde, Ummy Mwalimu, relatou o primeiro caso de COVID-19 no país. Uma mulher viajou da Tanzânia para a Bélgica no dia 3 de março e retornou no dia 15 de março, infectada com COVID-19.

Foi uma má notícia para todos no país. Estávamos com tanto medo e não sabíamos o que fazer. Ninguém sabia que tipo de vírus era; a única coisa que ouvimos foi que não havia cura – caso alguém fosse infectado.

O primeiro-ministro Kassim Majaliwa fechou todas as escolas primárias e secundárias, faculdades e outras instituições de ensino superior por alguns meses para ajudar a conter a propagação do vírus mortal. Em todo o país, reuniões e conferências foram canceladas. Quase todos os prédios públicos foram higienizados e baldes de água tratada com cloro e sabão usados ​​para lavar as mãos. Disseram-nos para usar máscaras em locais públicos e praticar o distanciamento social.

O Dr. John Magufuli, o presidente da República Unida da Tanzânia, encorajou o público a continuar frequentando os locais de culto, em vez de impor restrições severas para mitigar a propagação do surto de COVID-19. Explicando sua decisão, o presidente afirmou:

“Não estamos fechando locais de culto. É aí que existe a verdadeira cura. Corona é do diabo e não pode sobreviver no corpo de Jesus. ” 

Ele disse à nação para continuar trabalhando duro enquanto usa nossa medicina tradicional local para conter a propagação do vírus mortal. O transporte público estava instalado e funcionando. Ele foi amplamente criticado.

O presidente Magufuli ordenou que amostras de papagaio, pássaro e cabra fossem testadas para COVID-19 no Laboratório Químico do Governo. As amostras receberam nomes humanos e idades e os técnicos desconheciam suas origens. O papagaio, o pássaro e a cabra testaram positivo. Os resultados foram compartilhados por toda a Tanzânia em todas as plataformas de mídia, chocando os cidadãos e levantando suspeitas sobre o vírus.

Os resultados do laboratório do governo que diagnosticou as amostras como COVID-19 positivas foram seguidos por uma mudança nas mensagens de saúde pública. Na verdade, o presidente Magufuli pediu a todos os tanzanianos que não tivessem medo. Ele pediu a todos os líderes religiosos que mantenham os locais de culto abertos, parem o medo e o pânico e continuem com as atividades econômicas.

O presidente pediu a todos os líderes religiosos que incentivassem seus irmãos na fé a dedicar três dias para orar e jejuar, pedindo a Deus que cure nossa nação. A liderança adventista do sétimo dia no país já nos encorajou a orar pela proteção e cura de Deus. Eles nos disseram pela mídia (televisão e rádio) para confiar em Deus em uma situação tão difícil, de acordo com 2 Crônicas 7:14. Deus diz,

“Se o Meu povo que é chamado pelo Meu nome se humilhar e orar e buscar a Minha face e se afastar de seus maus caminhos, então ouvirei do céu, perdoarei seus pecados e curarei sua terra”.

Como membros da Igreja Adventista do Sétimo Dia na Tanzânia, reivindicamos essa promessa. Jejuamos e oramos pela cura e proteção de Deus em nossa terra. Enquanto nossos vizinhos pensavam que éramos loucos por não tomarmos todas as precauções apresentadas pela OMS, recorremos a Deus para remover o medo e o pânico entre nós.

Por um breve período, tivemos o culto divino sozinhos e muitos membros ficaram com medo de ir à igreja. Muitas igrejas organizaram cultos religiosos pela Internet. Depois de alguns meses, escolas, faculdades e outros locais públicos foram abertos. Hoje as igrejas estão abertas para todas as atividades. As crianças estão na escola, as faculdades estão abertas, os negócios estão funcionando e as pessoas não falam muito sobre o COVID-19.

Participamos das reuniões campais como de costume e louvamos a Deus por sua proteção em nossa terra. Como adventistas do sétimo dia, e como nação, decidimos confiar em Deus em vez da ciência e tecnologia no caso do COVID-19. Deus nos protegeu, nos curou e tirou o medo e o pânico de nós.

É meu humilde conselho que, sejam quais forem as dificuldades pelas quais você esteja passando, você pode entregar tudo a Jesus. Confie nele e deixe-o cuidar de tudo por você. Apenas confie Nele.

Fonte: http://www.fulcrum7.com/blog/2020/11/27/curbing-the-fear-and-panic-due-to-covid-19-pandemic

Deixe uma resposta