Associação Geral apoia o uso de força, violência, espancamentos e a prisão de irmãos adventistas no Burundi

Adventistas do sétimo dia ainda estão sendo expulsos de suas igrejas no Burundi

No início de 2020, a Conferência Geral pediu à Igreja a nível mundial que orasse pela situação no Burundi enquanto nosso povo estava sendo perseguido. [1] Bem, agora que a propriedade e o controle foram restaurados para a Divisão Centro-Leste da África dos Adventistas do Sétimo Dia e, respeitosamente, para a Associação Geral, não há mais apelos para oração.

Portanto, se a Associação Geral, por meio da Divisão Centro-Leste da África, recuperou todas as propriedades e controle da igreja em Burundi, como é que os adventistas do sétimo dia continuam a ser excluídos de suas próprias igrejas? Por que os edifícios da igreja estão trancados e as pessoas são forçadas a adorar do lado de fora? Esta é a parte da história que você não lerá na Adventist Review ou em qualquer publicação de propriedade da Igreja.

No Burundi está ocorrendo uma situação nova e estranha. Os perseguidos agora se tornaram os perseguidores. Os oprimidos agora se tornaram os opressores. Aqueles que uma vez alegaram que estavam sendo excluídos de suas igrejas, agora estão excluindo outros de suas igrejas. O que mudou? Doutrinas, crenças ou padrões? Não. Poder e controle.

Isso não é novidade. Durante o tempo de Cristo, havia facções opostas dentro da nação judaica que tentavam obter o controle do Grande Templo Judaico. Observe o que a caneta da inspiração diz sobre o que o antigo povo de Deus fazia uns aos outros:

“Os líderes das facções opostas às vezes se uniam para saquear e torturar suas vítimas miseráveis , e novamente caíram sobre as forças uns dos outros e massacraram sem piedade . Mesmo a santidade do templo não conseguiu conter sua terrível ferocidade . Os adoradores foram derrubados diante do altar e o santuário poluído com os corpos dos mortos. Ainda assim, em sua presunção cega e blasfema, os instigadores desta obra infernal declararam publicamente que não temiam que Jerusalém fosse destruída, pois era a cidade de Deus. Para estabelecer seu poder com mais firmeza, eles subornaram falsos profetas para proclamar, mesmo enquanto as legiões romanas sitiavam o templo, que o povo deveria esperar a libertação de Deus ”(Grande Conflito, p. 29).

Que situação terrível. Aqueles que participaram desta obra “infernal” e “blasfema” estavam todos perdidos. O povo judeu foi privado de liberdade durante o cativeiro egípcio e babilônico. Em seu sofrimento, clamaram a Deus; Deus os ouviu e os livrou. Mais tarde, porém, quando a nação judaica recebeu liberdade, eles não estenderam essas mesmas liberdades e cortesias aos seus irmãos na fé . Não para os profetas, Jesus, os apóstolos ou mesmo as “facções opostas” no templo. Mas essa história terrível não terminou aí.

Você já ouviu falar da Santa Inquisição? Durante a Reforma Protestante do século 16, muitas das chamadas “igrejas” na Europa tinham câmaras de tortura e instrumentos de tortura dentro dessas “igrejas”. A “igreja” pegaria aqueles que faziam parte da facção oposta, membros da mesma fé cristã, torturá-los e queimá-los vivos na fogueira. Isso é o que muitos dos chamados cristãos fizeram.

Eles foram privados de liberdade religiosa pelo Império Romano pagão. Então, o que os cristãos fizeram? Eles oraram a Deus por ajuda. Mas o que aconteceu quando os cristãos pobres e perseguidos chegaram ao poder? Quando os cristãos finalmente tiveram influência política e religiosa sobre o estado, o que aconteceu a seguir? Eles não estenderam a liberdade e a liberdade religiosa aos seus irmãos na fé . Os perseguidos se tornaram os perseguidores. Mas essa história trágica não terminou aí.

Por que os peregrinos vieram para a América? Por que eles arriscaram sua fortuna, suas vidas e suas famílias para empreender a perigosa jornada através do oceano? Eles vieram pela liberdade religiosa. Eles vieram para a América porque estavam sendo perseguidos na Europa. Mas uma vez que eles chegaram aqui e estavam no controle, o que aconteceu a seguir? Os perseguidos se tornaram os perseguidores. Eles não estendiam essas mesmas liberdades e cortesias aos seus irmãos na fé . Muitos foram perseguidos quando as igrejas na América colonial instituíram suas Leis Azuis.

Isso é exatamente o que está acontecendo agora no Burundi dentro do adventismo. A natureza humana é a mesma em todas as idades. Essas imagens e vídeos são da semana passada . Esta é a história mais importante que está acontecendo na igreja hoje, e ninguém quer falar sobre essa situação trágica. Houve uma crise mundial há alguns meses. Cada publicação da igreja pedia orações, tolerância e consideração. Mas agora que o poder e o controle mudaram de mãos, mesmo enquanto a perseguição continua, nenhuma palavra é dita sobre a contínua tragédia no Burundi.

Houve duas facções operando no Burundi. O grupo Joseph esteve no poder por mais de um ano. Ted Wilson, Ganoune Diop e outros iniciaram uma campanha mundial denunciando o abuso, a prisão e os maus-tratos de seus constituintes. [1] O clamou contra o fechamento das igrejas. Eles culparam o governo do Burundi por apoiar o grupo Joseph. Mas assim que a situação mudou e o grupo Daniel (apoiado pela Conferência Geral e pela Divisão Centro-Oriental da África) assumiu o poder, o que aconteceu desde então? Aqueles que estiveram com Joseph ou que simpatizaram com ele agora se tornaram os destinatários das mesmas violações sistemáticas da liberdade religiosa denunciadas por Ted Wilson e Ganoune Diop.

Eu não me importo se você está no grupo de Daniel ou no grupo de Joseph. Não me importo se você simpatiza com Daniel ou Joseph. Não me importo se você é independente, dependente ou suspenso. Não me importa se você faz parte do grupo legítimo ou do grupo ilegítimo. Se você tolera o uso de força, violência, espancamentos e a prisão de companheiros adventistas do sétimo dia, homens, mulheres e crianças, você não é um cristão, Cristo não vive em você e você não faz parte do Reino de Deus, a menos que você se arrepende e deixa a obra de Satanás.

A Igreja de Jesus NUNCA torturou ninguém. A Igreja de Jesus nunca queimou ninguém na fogueira. A Igreja de Jesus nunca colocou inocentes na prisão. A Igreja de Jesus nunca perseguiu ninguém. E sempre que participamos dessas atividades, temos outro pai espiritual que não é Deus, mas o diabo:

“Vós sois de vosso pai, o diabo, e fareis os desejos de vosso pai. Ele foi um assassino desde o princípio, e não morou na verdade, porque não há verdade nele. Quando ele fala uma mentira, ele fala por si mesmo: porque ele é um mentiroso, e o pai dela. ” João 8:44.

“Todo aquele que odeia a seu irmão é homicida; e vós sabeis que nenhum homicida tem a vida eterna permanecendo nele.” 1 João 3:15.

Onde estão todas as cartas de Ted Wilson agora? Onde estão as chamadas para a oração? Não há nenhum. Onde está Ganoune Diop? Ele não está em lugar nenhum. Por quê? Porque o grupo certo agora está no poder. Nós realmente acreditamos na liberdade religiosa? Ou é apenas conversa fiada? É bom apenas para arrecadar fundos? Não é nosso dever estender essas mesmas cortesias cristãs aos nossos irmãos na fé? Ou iremos repetir a mesma história trágica do antigo Israel? Vamos repetir as tragédias que ocorreram durante a Santa Inquisição?

Aqui nos Estados Unidos e em outras nações desenvolvidas, estamos lidando com restrições e fechamento de igrejas. Mas as restrições são impostas por governos municipais e estaduais autoritários. Isso não é nada parecido com o que está acontecendo no Burundi. No Burundi, o fechamento de igrejas está sendo executado por outros crentes adventistas do sétimo dia com o total apoio da Divisão Centro-Leste da África e da Associação Geral.

Esta é uma importante questão de liberdade religiosa que tem sido ignorada, não apenas pelo mundo, mas também pela igreja. Infelizmente, nossos irmãos e irmãs na fé em Burundi foram esquecidos. Eles não têm voz. Isso pode acabar hoje. Deve terminar hoje. Estes são os homens que podem acabar com isso:

Referência:

[1] http://adventmessenger.org/from-persecuted-to-persecutor-the-growing-crisis-in-burundi-has-worsened/

Fonte: http://adventmessenger.org/seventh-day-adventists-are-still-being-excluded-from-their-churches-in-burundi/

Deixe uma resposta