Em Israel, recusar a vacinação contra o coronavírus significa que sua vida acabou

Quarta-feira, 10 de março de 2021
Por Ethan Huff

Muitos brasileiros ainda não sabem disso, mas do outro lado do mundo em Israel, recusar-se a ser vacinado contra o coronavírus Wuhan (Covid-19) é agora uma sentença de morte.

Embora eles ainda não estejam cortando as cabeças das pessoas por recusarem a picada (ver Apocalipse 20: 4 ), o governo de Israel tornou obrigatória a vacinação para viver uma “nova vida normal”.

“Quando você não toma a vacina, basicamente sua vida acaba”, avisa Ilana Rachel em um vídeo sobre o que está acontecendo na Terra Santa.

“Sem entrada para shoppings. Não há mais visitas ao teatro. Crianças com cerca de 16 anos que não tomaram a injeção não podem fazer os exames. Os partidos de protesto no Knesset são silenciados e ameaçados pelos militares. ”

Rachel continua explicando que o governo de Israel na verdade revogou a licença médica de um líder do partido adversário por falar em desafio ao decreto da vacina, chamando-o de “apartheid médico”.

“A prefeitura recebe dossiês médicos para verificar se você tomou a vacina”, diz Rachel. “Israel se tornou o inferno na terra por causa da mentira de Covid. O resto do mundo — inclusive o Brasil! — nos seguirá se não fizermos nada.”

Veja abaixo:




Ser vacinado diminuirá sua resistência e força de vontade contra as fases finais da Marca da Besta

Rachel faz parte de um movimento de direitos humanos que se expandiu em seu próprio partido político devido aos horrores em curso em torno da gripe de Wuhan e a resposta draconiana do governo israelense a ela.

Este partido político está, obviamente, sendo censurado pelos poderes constituídos, que incluem o amigo de Donald Trump, Benjamin Netanyahu, que implementou sua própria “Operação Warp Speed” para vacinar em massa o povo israelense o mais rápido possível.

Felizmente no Brasil, pelo menos até agora, a vacinação não é uma coisa obrigatória — e espero que continue assim. Infelizmente para Israel, é obrigatória e as pessoas que vivem lá estão tendo que tomar uma decisão difícil.

Ou o povo israelense permite que o estado médico profundo os espete e reprograme seu DNA a fim de comprar, vender e comer , ou eles rejeitam a injeção e são condenados ao ostracismo, possivelmente morrendo de fome como resultado.

Mesmo que a picada em si não seja a Marca da Besta completa, como alguns afirmam, ela reescreve o projeto genético de uma pessoa. Isso significa que, em vez de ser um ser humano “orgânico”, uma pessoa vacinada contra a gripe Wuhan se torna uma pessoa OGM (organismo geneticamente modificado).

Também é possível que essas vacinas contra o vírus da China estejam reprogramando quem recebe de tal forma que mais tarde eles não terão mais força de vontade ou compreensão para rejeitar a Marca da Besta completa, tornando sua aceitação seu destino inevitável.

As vacinas contra o coronavírus Wuhan (Covid-19) parecem ser a Parte Um do lançamento da Marca da Besta, com mais componentes e peças por vir. Assim como um edifício também precisa de um alicerce, essas injeções estão preparando a base para a construção contínua da Marca da Besta dentro dos corpos das pessoas, ou templos, que estão sendo contaminados com uma abominação desoladora.

“Isso soa como o Holocausto 2.0”, escreveu um comentarista no YouTube.

“Na UE (União Européia) isso já está acontecendo com o novo passaporte obrigatório de vacinas, sem o qual você não vai poder fazer nada”, escreveu outro.

Mais notícias relacionadas sobre o coronavírus Wuhan (Covid-19) e o lançamento da Marca da Besta, que as vacinas contra vírus chinesas estão programando geneticamente o mundo para receber de boa vontade, podem ser encontradas em Pandemic.news,

Deixe um comentário