DOSSIÊ NEFILINS: Os Vigilantes e a Sabedoria Antediluviana

Vigilantes

Por Jason Colavito
 
O mito dos Anjos Caídos, ou Vigilantes, que possuíam grande sabedoria e se acasalavam com mulheres humanas antes do Dilúvio é incrivelmente complexo, mas também é a base para os argumentos da história periférica sobre extraterrestres, uma raça perdida de gigantes, civilizações perdidas e mais. Este mito tem várias correntes interligadas: (a) Enoque e os Anjos Caídos, (b) a Profecia de Adão, (c) tábuas de sabedoria antediluvianas e (d) a tradição de sabedoria de Hermes Trismegistus. Originalmente separadas, essas peças se combinaram e se recombinaram de maneiras interessantes na literatura antiga e medieval. Abaixo, coletei um grande número de textos sobre os Vigilantes e a tradição da sabedoria. Material adicional sobre a contribuição hermética pode ser encontrado em minha página sobre a tradição da pirâmide medieval.

 

 

Epic of Gilgamesh 1.1-9 (c. 1900 DC)

Contarei a história de Gilgamesh, aquele que sabe tudo o que aconteceu e viu todas as terras do mundo, aquele que viu todos os tipos de sabedoria e conhece os mistérios e viu o que está oculto. Ele traz notícias que datam de muito tempo antes do dilúvio. Ele viajou por estradas longínquas e ficou cansado, e agora gravou em pedras monolíticas toda a história.

Adaptado da tradução de William Muss-Arnoldt.

 

 

Colofão de Assurbanipal (sétimo século AEC)

Tive grande alegria ao ler inscrições em pedra antes do Dilúvio.
 

 

Gênesis 6: 1-4 (c. Século VI AEC)

Foto

 

1 E aconteceu que quando os homens começaram a se multiplicar na face da Terra e nasceram-lhes filhas,  2  os filhos de Deus viram que as filhas dos homens eram formosas; e tomaram para si mulheres de todas as que escolheram. 3  E disse o Senhor: Nem sempre o meu espírito lutará com o homem, porque também ele é carne; contudo, os seus dias serão cento e vinte anos. 4  Havia gigantes na terra naqueles dias; e também depois disso, quando os filhos de Deus vieram às filhas dos homens e elas geraram filhos, os mesmos se tornaram os poderosos da antiguidade, os homens de fama.

King James Version

 

 

Livro dos Vigilantes (c. 300 AEC)

Preservado em 1 Enoque 6-8 (texto completo aqui )

Capítulo 6 
1 E aconteceu que, quando os filhos dos homens se multiplicaram, naqueles dias nasceram lindas e formosas filhas.
2 E os anjos, os filhos do céu, as viram e as desejaram, e disseram uns aos outros: ‘Venham, vamos escolher-nos esposas entre os filhos dos homens e gerar-nos filhos.’
3 E Semjaza, que era seu líder, disse-lhes: ‘Temo que não concordareis em fazer este ato, e só eu terei de pagar a penalidade de um grande pecado.’
4E todos eles lhe responderam e disseram: ‘Vamos todos fazer um juramento, e todos nos obrigarmos por mútuas imprecações a não abandonar este plano, mas a fazer isso.’
5 Então eles juraram todos juntos e se prenderam por mútuas imprecações sobre ele.
6 E eram ao todo duzentos; que desceu nos dias de Jarede no cume do Monte Hermon, e eles o chamaram de Monte Hermon, porque eles juraram e se prenderam por mútuas imprecações sobre ele.
7 E estes são os nomes de seus líderes: Samlazaz, seu líder, Araklba, Rameel, Kokablel, Tamlel, Ramlel, Danel, Ezeqeel, Baraqijal, Asael, Armaros, Batarel, Ananel, Zaqiel, Samsapeel, Satarel, Turel, Jomjael, Sariel .
8 Estes são seus chefes de dezenas.

Capítulo 7
1 E todos os outros juntamente com eles tomaram para si esposas, e cada um escolheu para si uma, e eles começaram a ir até eles e a contaminar-se com eles, e eles lhes ensinaram encantos e encantamentos, e como cortar raízes, e familiarizou-os com as plantas.
2 E ficaram grávidas, e deram à luz grandes gigantes, cuja altura era de três mil homens :
3 Que consumiram todas as aquisições dos homens.
4 E quando os homens não podiam mais sustentá-los, os gigantes se voltaram contra eles e devoraram a humanidade.
5 E eles começaram a pecar contra pássaros e animais e répteis e peixes, e devorar a carne uns dos outros, e beber o sangue.
6Então a terra lançou acusações contra os iníquos.

Capítulo 8
1 E Azazel ensinou os homens a fazer espadas e facas e escudos e couraças, e deu a conhecer a eles os metais da terra e a arte de trabalhá-los, e braceletes e ornamentos, e o uso de antimônio, e o embelezamento das pálpebras e todos os tipos de pedras caras e todas as tinturas coloridas.
2 E surgiu muita impiedade e eles cometeram fornicação e foram desencaminhados e tornaram-se corruptos em todos os seus caminhos.
3Semjaza ensinou encantamentos e cortes de raízes, ‘Armaros a resolução de encantamentos, Baraqijal (ensinou) astrologia, Kokabel as constelações, Ezeqeel o conhecimento das nuvens, Araqiel os signos da terra, Shamsiel os signos do sol e Sariel o curso da lua. E quando os homens morreram, eles choraram, e seu clamor subiu ao céu. . .  

Traduzido por RH Charles (trad. Rev. 1913).

 

 

Fragmento do Livro dos Gigantes  ou Livro de Noé (300 AEC? A 100 AEC?)

Preservado em George Syncellus, Crônica  26-27

Mas da montanha em que eles juraram, e se uniram por maldições mútuas entre si, para sempre não se afastará dela fria e neve — geada ou orvalho não descerão sobre ela até dia de grande julgamento, a menos que eles sejam levados a descer sobre ele para execração. Naquele dia ela será consumida, deprimida e consumida, derretida como cera na chama. Assim será queimado com todas as obras dele. E agora vos digo, filhos dos homens, grande ira sobrevirá a vós e a vossos filhos; e a ira não cessará de você até o dia da matança de seus filhos.  

Traduzido por Edward Murray.

 

 

Berossus, Babyloniaca (c. 290-278 AC)

Preservado em George Syncellus, Chronicle 30-32 e Eusebius, Chronicle 31-37 

Após a morte de Ardates, seu filho Xisuthrus reinou dezoito sari. Em sua época aconteceu um grande Dilúvio; cuja história é assim descrita. A Deidade, Cronos, apareceu a ele em uma visão, e o avisou que no décimo quinto dia do mês de Daesius haveria um dilúvio, pelo qual a humanidade seria destruída. Ele, portanto, ordenou-lhe que escrevesse uma história do início, procedimento e conclusão de todas as coisas; e para enterrá-lo na cidade do Sol em Sippara; e construir um navio, e levar consigo seus amigos e parentes; e levar a bordo tudo o que é necessário para sustentar a vida, junto com todos os diferentes animais; pássaros e quadrúpedes, e confia sem medo nas profundezas.

Se lhe perguntassem para onde pretendia navegar, ele deveria dizer: “Aos deuses, para orar pela felicidade da humanidade.” Ele então obedeceu à admoestação divina: e construiu um vaso de cinco estádios de comprimento e dois de largura. Nisto ele colocou tudo o que havia preparado; e, por último, trouxe para dentro dela sua esposa, seus filhos e seus amigos.

Depois que o dilúvio caiu sobre a terra, e com o tempo diminuiu, Xisuthrus enviou pássaros do navio; os quais, não encontrando comida, nem lugar onde pudessem descansar os pés, voltaram a ele. Após um intervalo de alguns dias, ele os enviou uma segunda vez; e eles agora voltaram com os pés manchados de lama. Ele fez uma terceira tentativa com esses pássaros; mas eles não voltaram mais a ele: de onde ele julgou que a superfície da terra tinha surgido acima das águas. Ele, portanto, fez uma abertura no vaso e, ao olhar para fora, descobriu que estava encalhado na encosta de alguma montanha; após o que ele imediatamente desistiu com sua esposa, sua filha e o piloto. Xisuthrus então prestou sua adoração à terra: e tendo construído um altar, ofereceu sacrifícios aos deuses, e,

Eles, que permaneceram dentro, descobrindo que seus companheiros não haviam retornado, deixaram o navio com muitas lamentações e invocaram continuamente o nome de Xisuthrus. Eles não o viram mais; mas eles podiam distinguir sua voz no ar, e podiam ouvi-lo admoestá-los a prestar a devida consideração à religião; e igualmente informou-os que foi por causa de sua piedade que ele foi transladado para viver com os deuses; que sua esposa e filha, e o piloto, haviam obtido a mesma honra. A isso ele acrescentou que eles deveriam retornar à Babilônia; e, como foi ordenado, procure os escritos em Sippara, que eles deveriam divulgar a toda a humanidade; além disso, o lugar onde eles estavam então era a terra da Armênia. O resto, tendo ouvido essas palavras, ofereceu sacrifícios aos deuses; e dando uma volta, viajou para a Babilônia.

Sendo assim, o navio encalhado na Armênia, parte dele ainda permanece nas montanhas Corcyræan da Armênia; e as pessoas raspam o betume com o qual ele foi revestido externamente e fazem uso dele por meio de um alexifármico e amuleto. E quando eles voltaram para a Babilônia e encontraram os escritos em Sippara, eles construíram cidades e erigiram templos; e Babilônia foi assim habitada novamente.

Adaptado da tradução de IP Cory (1826/1832), uma revisão sem créditos daquela de Jacob Bryant.

Preservado em Sêneca, Questões Naturais  3.29
Alguns supõem que na catástrofe final a terra também será sacudida e, por meio de fendas no solo, descobrirá fontes de novos rios que fluirão de sua nascente em maior volume. Berossus, o tradutor dos [registros de] Belus, afirma que toda a questão é provocada pelo curso dos planetas. Ele é tão positivo que atribui uma data definitiva tanto para a conflagração quanto para o dilúvio. Tudo o que a terra herdar, ele nos garante, será consignado às chamas quando os planetas, que agora se movem em órbitas diferentes, se reunirem em Câncer, dispostos em uma linha de modo que uma linha reta possa passar por suas esferas. Quando a mesma reunião ocorre em Capricórnio, corremos o risco do dilúvio.

Traduzido por John Clarke. 
 

 

Pseudo-Eupolemus, a  respeito dos judeus da Assíria  (c. 158 AEC)

Preservado em Eusébio, Praeparatio Evangelica 9.17

‘Eupolemus em seu livro Concerning the Judies of Assyria diz que a cidade Babilônia foi fundada primeiro por aqueles que escaparam do Dilúvio; e que eles eram gigantes, e construiu a torre de renome na história. ‘Mas quando este havia sido derrubado pelo ato de Deus, os gigantes foram dispersos sobre toda a terra. E na décima geração, diz ele, em Camarina uma cidade da Babilônia, que alguns chamam de cidade de Uria (e que por interpretação é a cidade dos caldeus ), +

na décima terceira geração + nasceu Abraão, que superou a todos os homens em nobreza e sabedoria, que também foi o inventor da astronomia e da arte caldeia, e agradou a Deus com seu zelo pela religião.

‘Pelas ordens de Deus, este homem veio morar na Fenícia e agradou ao rei ensinando aos fenícios as mudanças do sol e da lua e todas as coisas desse tipo. E depois os armênios invadiram os fenícios; e quando eles foram vitoriosos e fizeram seu sobrinho prisioneiro, Abraão veio ao resgate com seus servos e prevaleceu sobre os captores, e fez prisioneiros das esposas e filhos do inimigo.

‘E quando veio a ele embaixadores pedindo que ele os resgatasse em dinheiro, ele não escolheu pisar sobre os desafortunados, mas ao receber comida para seus jovens restituiu o butim; ele também foi admitido como um convidado no templo da cidade chamada Argarizin, que sendo interpretado como “Monte do Altíssimo”, e recebeu presentes de Melquisedeque, que era o rei, e sacerdote de Deus.

‘Mas quando veio uma fome, Abraão levou para o Egito com toda a sua família, e habitou lá, e o rei do Egito casou-se com sua esposa, tendo Abraão dito que ela era sua irmã.

‘Ele também relatou plenamente que o rei não era capaz de se associar com ela e que aconteceu que seu povo e sua família estavam morrendo. E chamando os adivinhos, eles disseram que a mulher não era viúva; e assim o rei do Egito soube que ela era esposa de Abraão e a devolveu ao marido.

‘E Abraão habitou com os sacerdotes egípcios em Heliópolis e ensinou-lhes muitas coisas; e foi ele quem apresentou a astronomia e as outras ciências a eles, dizendo que os babilônios e ele mesmo haviam descoberto essas coisas, mas remontando a primeira descoberta a Enoque, e dizendo que ele, e não os egípcios, havia inventado a astrologia.

‘Pois os babilônios dizem que o primeiro homem foi Belus, que é Cronos; e aquele dele nasceu um filho Belus e Chanaan; e que este Chanaan gerou o pai dos fenícios, e que seu filho era Churn, que é chamado pelos gregos de Asbolus, e é pai dos etíopes, e irmão de Mestraim, pai dos egípcios. Mas os gregos dizem que Atlas inventou a astrologia e que Atlas é igual a Enoque: e que Enoque teve um filho Matusalém, que aprendeu todas as coisas por meio dos anjos de Deus, e assim obtivemos nosso conhecimento. ‘

Traduzido por EH Gifford.

 

 

Livro dos Jubileus 5: 1-6, 8: 1-4 (c. 150 AEC)

 
CAPÍTULO 5
 
1 E aconteceu que quando os filhos dos homens começaram a se multiplicar na face da terra e nasceram filhas deles, os anjos de Deus os viram em certo ano deste jubileu, que eram lindos de se ver sobre; e tomaram para si esposas de todas as que escolheram, e deram-lhes filhos e eles eram gigantes. 
 
2 E a ilegalidade aumentou na terra e toda carne corrompeu seu caminho, como homens e gado e animais e pássaros e tudo que anda na terra – todos eles corromperam seus caminhos e suas ordens, e eles começaram a devorar uns aos outros, e a ilegalidade aumentou na terra e toda imaginação dos pensamentos de todos os homens (era), portanto, mal continuamente. 
 
3 E Deus olhou para a terra e eis que estava corrompida e toda a carne havia corrompido suas ordens e todos os que estavam sobre a terra haviam feito todo tipo de mal diante de Seus olhos. 
 
4 E Ele disse: “Destruirei o homem e toda a carne sobre a face da Terra que criei.” 
 
5 Mas Noé encontrou graça diante dos olhos do Senhor. 
 
6 E contra os anjos que Ele havia enviado sobre a terra, Ele ficou extremamente irado, e deu o mandamento de arrancá-los de todo o seu domínio, e ordenou-nos que os prendêssemos nas profundezas da terra, e eis que estão amarrados no meio deles, e são (mantidos) separados.
 
CAPÍTULO 8
 
1No vigésimo nono jubileu, na primeira semana, no início do mesmo, Arpachshad tomou para si uma esposa e o nome dela era Râsû’ĕjâ, filha de Sûsân, filha de Elam, e ela lhe deu um filho no terceiro ano nesta semana, e ele chamou seu nome Kâinâm. 
 
2 E o filho cresceu, e seu pai o ensinou a escrever, e ele foi procurar para si um lugar onde pudesse apoderar-se de uma cidade. 
 
3 E ele encontrou uma escrita que (gerações anteriores) haviam entalhado na rocha, e ele leu o que estava nela, e a transcreveu e pecou devido a ela; pois continha o ensino dos Vigilantes de acordo com o qual costumavam observar os presságios do sol, da lua e das estrelas em todos os signos do céu. 
 
4E ele escreveu e não disse nada a respeito; pois ele estava com medo de falar com Noé sobre isso para não ficar zangado com ele por causa disso. […]Traduzido por RH Charles (1913).
 

 

2 Enoque ( Segredos de Enoque ) 18: 1-7 (c. Século 1 AEC)

1 Os homens me levaram ao quinto céu e me colocaram, e lá eu vi muitos e incontáveis ​​soldados, chamados Grigori, de aparência humana, e seu tamanho (era) maior que o de grandes gigantes e seus rostos murcharam, e o silêncio de suas bocas perpétuas, e não havia serviço no quinto céu, e eu disse aos homens que estavam comigo:

2 Por que estão estes tão mirrados e seus rostos melancólicos, e suas bocas silenciosas, e (por que) não há serviço neste céu?

3 E eles me disseram: Estes são os Grigori, que com seu príncipe Satanail (Satanás) rejeitaram o Senhor da luz, e depois deles estão aqueles que estão presos em grandes trevas no segundo céu, e três deles desceram para terra do trono do Senhor, para o lugar Ermon, e quebrou seus votos na encosta da colina Ermon e viu as filhas dos homens como elas são boas, e tomaram para si esposas, e sujaram a terra com seus atos, que em todos os tempos de sua idade se tornaram ilegalidade e mistura, e gigantes nascem e grandes homens maravilhosos e grande inimizade.

4 E, portanto, Deus os julgou com grande julgamento, e eles choram por seus irmãos e serão punidos no grande dia do Senhor.

5 E eu disse aos Grigori: Eu vi seus irmãos e suas obras, e seus grandes tormentos, e orei por eles, mas o Senhor os condenou (a estar) debaixo da terra até que (o existente) céu e terra acabem por sempre.

6 E eu disse: Por que vocês esperam, irmãos, e não servem diante da face do Senhor, e não colocam seus serviços diante da face do Senhor, para não irritarem totalmente o seu Senhor?

7 E eles ouviram a minha admoestação e falaram às quatro classes no céu, e eis! Enquanto eu estava com aqueles dois homens, quatro trombetas soaram juntas com grande voz, e os Grigori começaram a cantar em uma só voz, e sua voz subiu diante do Senhor de maneira lamentável e afetiva.

Traduzido por WR Morfill (1896).

 

 

Documento de Damasco  2: 18-19  (anteriormente Documento zadoquita 3: 4-5) (c. 100 AEC-70 dC)

Porque eles caminharam na teimosia de seus corações, os Vigilantes do céu caíram; sim, eles foram pegos assim porque não guardaram os mandamentos de Deus.

Assim também seus filhos, cuja altura era como os cedros elevados e cujos corpos eram como montanhas. Eles também caíram.

Traduzido por RH Charles (1913).

 

 

Kore Kosmou 1 (possivelmente século I a.C. ou CE)

Não vou contar esta Natividade, disse Ísis; Não ouso, ó Horos poderoso, declarar a origem de tua raça, para que os homens no futuro não aprendam a geração dos Deuses. Direi apenas que o Deus Supremo, Criador e Arquiteto do mundo, finalmente concedeu à terra por um período, teu pai Osíris e a grande Deusa Ísis, para que eles pudessem trazer a salvação esperada. 

Por eles a vida alcançou sua plenitude; guerras selvagens e sangrentas terminaram; eles consagraram templos aos deuses, seus ancestrais, e instituíram oblações. Eles deram aos mortais leis, nutrição e vestuário. “Eles lerão”, disse Hermes, “meus escritos místicos, e dividindo-os em duas partes, eles manterão alguns deles e inscreverão nas colunas e obeliscos aqueles que podem ser úteis ao homem”. 

Instituidores dos primeiros tribunais, eles estabeleceram em todos os lugares o reino da ordem e da justiça. Com eles começou a fé nos tratados e a introdução na vida humana do dever religioso dos juramentos. 

Eles ensinaram os ritos da sepultura para aqueles que deixam de viver; eles interrogaram os horrores da morte; eles mostraram que o espírito sem se deleita em retornar ao corpo humano, e que se o caminho de entrada for fechado contra ele, ele provoca o fracasso da vida. Instruídos por Hermes, eles gravaram em mesas escondidas que o ar está cheio de gênios. 

Instruídos por Hermes nas leis secretas de Deus, somente eles foram os professores e legisladores da humanidade, iniciando-os nas artes, nas ciências e nos benefícios da vida civilizada. Instruído por Hermes sobre as simpáticas afinidades que o Criador estabeleceu entre o céu e a terra, eles instituíram representações religiosas e mistérios sagrados. E, considerando a natureza corruptível de todos os corpos, eles ordenaram a iniciação profética, para que o profeta que levanta as mãos aos Deuses seja instruído em todas as coisas, e que assim a filosofia e a magia possam fornecer alimento para a alma, e a medicina possa curar os sofrimentos da carne.

Traduzido por Anna Kingsford e Edward Maitland

 

 

Philo, em gigantes 6-11 (antes de 50 dC)

6 “E quando os anjos de Deus viram que as filhas dos homens eram lindas, tomaram para si esposas de todas as que escolheram.” (Gên. 6: 2) Esses seres, a quem outros filósofos chamam de demônios, Moisés geralmente chama de anjos; e eles são almas pairando no ar. 

7 E que ninguém suponha que o que está declarado aqui é uma fábula, pois é necessariamente verdade que o universo deve ser preenchido com coisas vivas em todas as suas partes, uma vez que cada uma de suas porções primárias e elementares contém seus animais apropriados e tais como são consistentes com sua natureza; – a terra contendo animais terrestres, o mar e os rios contendo animais aquáticos, e o fogo, como nascidos no fogo (mas é dito que, como estes últimos são encontrados principalmente na Macedônia), e o céu contendo as estrelas: 

8 pois essas também são almas inteiras que permeiam o universo, sendo inadulteradas e divinas, na medida em que se movem em um círculo, que é o tipo de movimento mais semelhante à mente, pois cada uma delas é a mente-mãe. Portanto, é necessário que o ar também esteja repleto de seres vivos. E esses seres são invisíveis para nós, visto que o próprio ar não é visível à vista dos mortais. 

9 Mas não se segue, porque nossa vista é incapaz de perceber as formas das almas, que por isso não há almas no ar; mas segue-se necessariamente que devem ser compreendidos pela mente, para que semelhantes possam ser contemplados por semelhantes. 

10 Desde o que devemos dizer? Não devemos dizer que esses animais terrestres ou aquáticos vivem no ar e no espírito? O que? Não costuma haver aflições pestilentas quando o ar está contaminado ou corrompido, como se essa fosse a causa de toda essa vitalidade assumida? Novamente, quando o ar está livre de toda contaminação e inocente, como é especialmente comum quando o vento norte prevalece, a absorção de um ar mais puro não tende a uma duração de vida mais vigorosa e mais duradoura? 

11 É então natural que aquele meio pelo qual todos os outros animais, sejam aquáticos ou terrestres, são vivificados, seja ele próprio vazio e destituído de almas? Pelo contrário, mesmo se todos os outros animais fossem estéreis, o ar por si só seria produtivo de vida, tendo recebido do grande Criador as sementes de vitalidade por seu favor especial.

Traduzido por CD Yonge.

 

 

Judas 1: 9 (c. 60-90 EC)

E os anjos que não guardaram seu primeiro estado, mas deixaram sua própria habitação, ele os reservou em cadeias eternas sob as trevas para o julgamento do grande dia.

Versão King James.

Nota: Este texto é paralelo a 2 Pedro 2: 4.

 

 

Flávio Josefo, Antiguidades dos Judeus 1,68-74 (93-94 EC)

Todos esses se mostraram de boa disposição. Eles também habitaram o mesmo país sem dissensões e em uma condição feliz, sem nenhuma desgraça caindo sobre eles, até que morreram.

Eles também foram os inventores daquele tipo peculiar de sabedoria que se refere aos corpos celestes e sua ordem.

70 E que suas invenções não se perdessem antes de serem suficientemente conhecidas, mediante a predição de Adão de que o mundo seria destruído em um momento pela força do fogo , e em outro momento pela violência e quantidade de água, eles fizeram dois pilares, um de tijolo, o outro de pedra: eles inscreveram suas descobertas em ambos, 

71 que caso o pilar de tijolo fosse destruído pelo dilúvio, o pilar de pedra poderia permanecer, e exibir essas descobertas para a humanidade; e também informá-los de que havia outra coluna de tijolo erguida por eles. Agora, isso permanece na terra de Siriad [ou seja, Egito] até hoje.

72 Agora, esta posteridade de Seth continuou a estimar Deus como o Senhor do universo, e a ter uma consideração completa pela virtude, por sete gerações; mas com o passar do tempo eles foram pervertidos e abandonaram as práticas de seus ancestrais; e não prestaram as honras a Deus que lhes foram designadas, nem tiveram qualquer preocupação de fazer justiça aos homens. Mas quanto ao grau de zelo que anteriormente demonstravam pela virtude, agora demonstravam por suas ações um duplo grau de maldade, por meio do qual faziam de Deus seu inimigo. 

73 Porque muitos anjos de Deus acompanharam mulheres e geraram filhos que se mostraram injustos e desprezadores de tudo o que era bom, por causa da confiança que tinham em suas próprias forças; pois a tradição é que esses homens fizeram o que se assemelha aos atos daqueles a quem os gregos chamam de gigantes.

74 Mas Noé ficou muito inquieto com o que eles fizeram; e ficando descontente com sua conduta, persuadiu-os a mudar suas disposições e seus atos para melhor: mas vendo que eles não se rendiam a ele, mas eram escravos de seus prazeres perversos, ele temeu que o matassem, junto com sua esposa e filhos e aqueles com quem se casaram; então ele partiu daquela terra.

Traduzido por William Whiston.

 

 

Testamento dos Doze Patriarcas , Reuben 5 (c. Século 2 EC)

Machucam as mulheres, meus filhos; porque, uma vez que eles não têm poder ou força sobre o homem, eles agem sutilmente por meio de uma aparência externa como podem atraí-lo para si; e a quem eles não podem vencer pela força, a ele eles vencem pela astúcia. Além disso, o anjo de Deus falou-me a respeito deles e ensinou-me que as mulheres são dominadas pelo espírito de fornicação mais do que os homens, e planejam contra os homens em seu coração; e por meio de seu adorno eles enganam primeiro suas mentes e instilam o veneno com o olhar, e então os levam cativos por suas ações, pois uma mulher não pode vencer um homem pela força.

Portanto, fujam da fornicação, meus filhos, e ordene a suas esposas e suas filhas que não adornem suas cabeças e seus rostos; porque toda mulher que age enganosamente nessas coisas foi reservada para o castigo eterno. Pois assim eles atraíram os Vigilantes antes do dilúvio; e enquanto estes continuamente os viam, eles caíram no desejo um do outro, e eles conceberam o ato em suas mentes, e se transformaram na forma de homens, e apareceram para eles em sua união com seus maridos; e as mulheres, tendo em suas mentes o desejo por suas aparições, deram à luz gigantes, pois as Sentinelas pareciam chegar até o céu. 

Traduzido por Robert Sinker.

 

 

Justin Martyr, First  Apology  5 (155-157 CE)

Em nosso caso, que nos comprometemos a não praticar iniqüidade, nem a manter essas opiniões ateístas, vocês não examinam as acusações feitas contra nós; mas, cedendo à paixão irracional e à instigação de demônios malignos, você nos pune sem consideração ou julgamento. Pois a verdade será falada; desde a antiguidade, esses demônios malignos, efetuando aparições de si mesmos, tanto mulheres contaminadas quanto meninos corrompidos, e mostraram aos homens visões tão temerosas que aqueles que não usaram sua razão para julgar as ações que foram feitas, ficaram aterrorizados; e sendo levados pelo medo, e não sabendo que aqueles eram demônios, eles os chamaram de deuses, e deram a cada um o nome que cada um dos demônios escolheu para si.

Traduzido por Marcus Dods e George Reith.

 

 

Atenágoras, A Plea for the Christians 24-25 (176 ou 177 DC)

24(…) Alguns, agentes livres, você observará, como foram criados por Deus, continuaram nas coisas para as quais Deus havia feito e sobre as quais Ele os ordenou; mas alguns ultrajaram tanto a constituição de sua natureza quanto o governo que lhes foi confiado: a saber, este governante da matéria e suas várias formas, e outros daqueles que foram colocados neste primeiro firmamento (você sabe que não dizemos nada sem testemunhas, mas estado as coisas que foram declaradas pelos profetas); estes caíram no amor impuro pelas virgens e foram subjugados pela carne, e ele se tornou negligente e perverso no manejo das coisas que lhe foram confiadas. 
 
Destes amantes de virgens, portanto, foram gerados aqueles que são chamados de gigantes. E se algo foi dito pelos poetas também sobre os gigantes, não se surpreenda com isso: a sabedoria mundana e a divina diferem tanto uma da outra quanto a verdade e a plausibilidade: uma é do céu e a outra da terra; e, de fato, de acordo com o príncipe da matéria, – “Sabemos que muitas vezes falamos mentiras que parecem verdades.”
 
25. Esses anjos, então, que caíram do céu e assombram o ar e a terra, e não são mais capazes de subir às coisas celestiais, e as almas dos gigantes, que são os demônios que vagam pelo mundo, realizam ações semelhantes, uma (isto é, os demônios) às naturezas que receberam, a outra (isto é, os anjos) aos apetites aos quais se entregaram. Mas o príncipe da matéria, como se pode ver apenas pelo que transparece, exerce um controle e uma administração contrários ao bem que há em Deus …
 
Traduzido por BP Pratten.
 

 

Clemente de Alexandria, Stromata 1.5 (c. 200 CE)

“Pois o mais aprovado dos que têm reputação sabe vigiar. E a justiça irá prender os falsificadores e testemunhas de mentiras ”, diz o efésio. Pois ele, tendo derivado seu conhecimento da filosofia bárbara, está familiarizado com a purificação pelo fogo daqueles que levaram vidas ruins, que os estóicos posteriormente chamaram de Conflagração (ἐκπύρωσις), na qual também ensinam que cada um surgirá exatamente como ele foi, então tratando da ressurreição.

Enquanto Platão diz o seguinte, que a terra em certos períodos é purificada pelo fogo e pela água: “Houve muitas destruições de homens de muitas maneiras; e haverá muito grandes pelo fogo e pela água; e outros mais breves por inúmeras causas. ” E depois de um tempo ele acrescenta: “E, na verdade, há uma mudança dos objetos que giram em torno da terra e do céu; e no decorrer de longos períodos ocorre a destruição dos objetos na terra por uma grande conflagração. ” 

Em seguida, ele acrescenta a respeito do dilúvio: “Mas quando, novamente, os deuses inundam a terra para purificá-la com água, os que estão nas montanhas, pastores e pastores, são salvos; aqueles em suas cidades são carregados pelos rios para o mar. ” 

E mostramos na primeira Miscelânea que os filósofos dos gregos são chamados de ladrões, visto que tomaram sem reconhecimento seus principais dogmas de Moisés e dos profetas. Ao que também devemos acrescentar que os anjos que haviam obtido a posição superior, tendo mergulhado nos prazeres, contaram às mulheres os segredos que chegaram ao seu conhecimento; enquanto o resto dos anjos os ocultou, ou melhor, os manteve contra a vinda do Senhor.

Traduzido por William Wilson.

 

 

Tertuliano, On the Apparel of Women 1.2-3 (c. 200 CE)

Capítulo 2. A origem da ornamentação feminina, rastreada até os anjos que caíram.

Pois eles, além disso, que os instituíram são designados, sob condenação, à pena de morte – aqueles anjos, a saber, que correram do céu sobre as filhas dos homens; de modo que essa ignomínia também se liga à mulher. Pois quando, em uma era muito mais ignorante (do que a nossa), eles revelaram certas substâncias materiais bem escondidas, e várias artes científicas não bem reveladas — se é verdade que eles revelaram as operações da metalurgia e divulgaram o natural propriedades das ervas, e promulgaram os poderes dos encantamentos, e traçaram toda arte curiosa, até mesmo a interpretação das estrelas ,
 
Eles conferiam apropriadamente e como era peculiar às mulheres aquele meio instrumental de ostentação feminina, os esplendores de joias com os quais colares são variados, e as argolas de ouro com as quais os braços são comprimidos, e os medicamentos de orquídea com os quais as lãs são coloridas, e o próprio pó preto com o qual as pálpebras e os cílios são destacados.
 
Qual é a qualidade dessas coisas pode ser declarada entretanto, mesmo neste ponto, a partir da qualidade e condição de seus professores: em que os pecadores nunca poderiam ter mostrado ou fornecido qualquer coisa que conduza à integridade, amantes ilegais qualquer coisa que conduza à castidade, espíritos renegados qualquer coisa que leve ao temor de Deus.
 
Se (essas coisas) devem ser chamadas de ensinamentos, os maus mestres devem necessariamente ter ensinado mal; se como o salário da luxúria, não há nada de base do qual o salário seja honroso. Mas por que era tão importante mostrar essas coisas, além de conferi-las? Será que as mulheres, sem causas materiais de esplendor, e sem artifícios engenhosos de graça, não podiam agradar aos homens, quem, embora ainda sem adornos, e rude e — por assim dizer — rude e rude, tinha movido (a mente de) anjos?
 
Ou será que os amantes pareceriam sórdidos e – por uso gratuito – desonrosos, se não tivessem conferido nenhum presente (compensador) às mulheres que haviam sido atraídas para uma conexão conjugal com eles? Mas essas questões não admitem cálculos.
 
Mulheres que possuíam anjos (como maridos) não podiam desejar mais nada; eles tinham, com certeza, feito um grande casamento! Certamente aqueles que, é claro, às vezes pensavam de onde haviam caído e, após os impulsos acalorados de suas luxúrias, olhavam para o céu, correspondiam assim à própria excelência das mulheres, a beleza natural, como (tendo provado) a causa do mal , a fim de que sua boa fortuna não lhes beneficiasse nada; mas que, afastando-se da simplicidade e da sinceridade, eles, junto com (os anjos) eles mesmos, pode se tornar ofensivo a Deus.
 
Eles tinham certeza de que toda ostentação, ambição e amor por agradar por meios carnais desagradava a Deus. E estes são os anjos a quem estamos destinados a julgar: estes são os anjos a quem no baptismo renunciamos: estes, naturalmente, são os motivos pelos quais merecem ser julgados pelo homem.
 
Que negócio, então, têm suas coisas com seus juízes? Que comércio têm os que devem condenar com os que devem ser condenados? O mesmo, suponho, que Cristo fez com Belial. Com que consistência montamos aquela (futura) cadeira de juiz para pronunciar sentença contra aqueles cujos dons nós (agora) buscamos?
 
Para você também, (mulheres como você é), tem a mesma natureza angelical prometida como sua recompensa, o mesmo sexo que os homens: o mesmo avanço para a dignidade de julgar, (o Senhor) promete a você. A menos, então, que comecemos aqui mesmo a pré-julgar, por pré-condenar suas coisas, que iremos condenar em si mesmos, eles irão julgar e nos condenar.
 
Capítulo 3. Sobre a Genuinidade de “A Profecia de Enoque”.
Estou ciente de que a Escritura de Enoque, que atribuiu esta ordem (de ação) aos anjos, não é recebida por alguns, porque também não é admitida no cânon judaico. Suponho que eles não pensaram que, tendo sido publicado antes do dilúvio, poderia ter sobrevivido com segurança àquela calamidade mundial, o abolidor de todas as coisas. 
 
Se for esse o motivo (para rejeitá-lo), que eles lembrem à memória que Noé, o sobrevivente do dilúvio, era o bisneto do próprio Enoque; e ele, é claro, tinha ouvido e se lembrado, de fama doméstica e tradição hereditária, sobre a “graça aos olhos de Deus” de seu próprio bisavô e sobre todas as suas pregações; visto que Enoque não havia dado nenhuma outra incumbência a Matusalém a não ser que ele deveria passar o conhecimento deles para sua posteridade. 
 
Noé, portanto, sem dúvida, pode ter tido sucesso na tutela de (sua) pregação; ou, se o caso fosse diferente, ele não teria ficado em silêncio sobre a disposição (das coisas) feita por Deus, seu Preservador, e sobre a glória particular de sua própria casa.
 
Se (Noé) não tivesse esse (poder conservador) por um caminho tão curto, haveria (ainda) essa (consideração) para garantir nossa afirmação (da genuinidade) desta Escritura: ele poderia igualmente tê-la renovado, sob a Inspiração do Espírito, depois de ter sido destruído pela violência do dilúvio, pois, após a destruição de Jerusalém pela invasão babilônica dela, todos os documentos da literatura judaica são geralmente aceitos como tendo sido restaurados por meio de Esdras.
 
Mas visto que Enoque na mesma Escritura pregou da mesma forma a respeito do Senhor, nada deve ser rejeitado por nós que diga respeito a nós; e lemos que “toda Escritura adequada para edificação é divinamente inspirada”. Pelos judeus, pode agora parecer ter sido rejeitado por essa (mesma) razão, assim como todas as outras (porções) quase que falam de Cristo. 
 
Nem, é claro, este fato é maravilhoso, que eles não receberam algumas Escrituras que falavam dAquele que mesmo em pessoa, falando em sua presença, eles não deveriam receber. A essas considerações é adicionado o fato de que Enoque possui um testemunho no apóstolo Judas. Traduzido por S. Thelwall.
 

 

Julius Africanus, Cronografia (c. 221 DC)

Preservado em George Syncellus, Chronicle  19-20

Quando os homens se multiplicaram na terra, os anjos do céu se reuniram com as filhas dos homens. Em algumas cópias, encontrei “os filhos de Deus”. O que significa o Espírito, em minha opinião, é que os descendentes de Sete são chamados de filhos de Deus por causa dos homens justos e patriarcas que surgiram dele, até mesmo ao próprio Salvador; mas que os descendentes de Caim são chamados de semente dos homens, como nada tendo de divino neles, por causa da maldade de sua raça e da desigualdade de sua natureza, sendo um povo misto e tendo despertado a indignação de Deus. Mas se se pensa que se referem a anjos, devemos considerá-los como aqueles que lidam com magia e malabarismo, que ensinaram às mulheres os movimentos das estrelas e o conhecimento das coisas celestiais, por cujo poder conceberam os gigantes como seus filhos,

Traduzido por SDF Salmond (1869).

 

 

Setne Khamwas e Naneferkaptah , p. 3, linhas 12-20 (c. Século III dC)

12 … Se é que] procuras pronunciar um feitiço, vem a mim para que eu possa fazer com que você seja levado ao lugar onde está o livro que Thoth escreveu com sua própria mão quando ele desceu seguindo os deuses. (Existem) duas fórmulas escritas sobre ele, 

13 e quando você [ler a primeira fórmula, você irá] encantar o céu, a terra, o mundo subterrâneo, as montanhas, os mares; tu descobrirás tudo o que os pássaros do céu e as coisas rastejantes dirão; verás os peixes das profundezas, havendo 

14 [poder de Deus descansando nas águas] sobre [eles]. Se você ler a segunda fórmula, embora você esteja em Amenti, você tomará novamente a sua forma na terra; verás Ra brilhando no céu com todos os deuses de sua companhia, e a lua nascendo [em] seu sábio. ”

‘[E Neneferkaptah disse-lhe]: “Ó rei, vive para 15 sempre! diga-me alguma coisa boa que buscas e eu farei com que isso seja feito a ti, para que possas me indicar o lugar em que este livro está. ”

‘E o sacerdote disse a Neneferkaptah: “Se [tu] procuras ser direcionado para [o lugar onde este livro está], tu 16 me darás cem dezen de prata para meu sepultamento, e tu deves fazer seja-me dado dois ofícios sacerdotais (?) sem taxa (?). ”

‘Neneferkaptah chamou um jovem e mandou dar ao sacerdote os cem dezen de prata; ele fez com que dois fossem feitos, ele fez com que fossem dados [a ele 17 sem taxa (?).

‘E o sacerdote disse a] Neneferkaptah: “O livro chamado, está no meio do Mar de Coptos, em uma caixa de ferro, sendo a caixa de ferro [em] uma caixa [de bronze, a caixa de bronze] em 18 uma caixa [de] kete -wood em uma caixa de marfim e 19 de ébano, a caixa de marfim e ébano em uma [caixa de prata, e a caixa] de prata em uma caixa de ouro, onde está o livro: ali [sendo um schoenus] de todo tipo de serpente, escorpião e réptil 20 ao redor da caixa em que está o livro, havendo [uma serpente sem fim em torno] da caixa chamada. ”… ‘

Traduzido por F. Ll. Griffith

 

 

Commodianus,  Instruções  3 (c. 240-250 CE)

A adoração de demônios
Quando Deus Todo-Poderoso, para embelezar a natureza do mundo, desejou que aquela Terra fosse visitada por anjos, quando eles foram enviados, eles desprezaram Suas leis. Tamanha era a beleza das mulheres, que as desviou; para que, estando contaminados, não pudessem voltar para o céu. Rebeldes de Deus, eles proferiram palavras contra ele. Então o Altíssimo proferiu Seu julgamento contra eles; e de sua semente dizem que nasceram gigantes. Por eles as artes foram feitas conhecidas na terra, e eles ensinaram o tingimento de lã e tudo o que é feito; e para eles, quando morriam, os homens erguiam imagens. Mas o Todo-Poderoso, por serem de uma semente do mal, não aprovou que, depois de mortos, eles fossem trazidos de volta da morte. De onde, errantes, eles agora subvertem muitos corpos, e é especialmente como esses que vocês hoje adoram e oram como deuses. Traduzido por  Robert Ernest Wallis.
 

 

Orígenes,  Contra Celsum  5 (248 CE)

54 Em seguida, passa a responder a si mesmo como julgar conveniente, nos seguintes termos: “E assim não é o único que se registra ter visitado a raça humana, como até mesmo aqueles que, a pretexto de ensinar em nome de Jesus, apostataram do Criador como um ser inferior, e deram em sua adesão a alguém que é um Deus superior e pai daquele que visitou (o mundo), afirmam que antes dele certos seres vieram do Criador para visitar o raça humana.” Agora, como é no espírito da verdade que investigamos tudo o que se relaciona com o assunto, devemos observar que é afirmado por Apeles, o célebre discípulo de Marcião, que se tornou o fundador de uma certa seita, e que tratou dos escritos dos judeus como fabuloso, que Jesus é o único que veio visitar a raça humana. Mesmo contra ele, então, que sustentava que Jesus era o único que veio de Deus aos homens, seria em vão Celso citar as declarações a respeito da descendência de outros anjos, visto que Apeles desacredita, como já mencionamos, as narrativas milagrosas das Escrituras Judaicas. ; e muito mais ele se recusará a admitir o que Celso aduziu, por não compreender o conteúdo do livro de Enoque. Ninguém, então, nos convence de falsidade ou de fazer afirmações contraditórias, como se sustentássemos que nosso Salvador foi o único ser que veio aos homens, e ainda que muitos outros vieram em ocasiões diferentes. E da maneira mais confusa, além disso, ele aduz, ao examinar o assunto das visitas dos anjos aos homens, o que ele derivou, sem ver seu significado, do conteúdo do livro de Enoque;
 
55Mas, para que possamos conceder a ele em espírito de franqueza o que ele não descobriu no conteúdo do livro de Gênesis, que “os filhos de Deus, vendo as filhas dos homens, que eram formosas, tomaram para si esposas de todos os que escolheram ”, devemos, no entanto, mesmo neste ponto, persuadir aqueles que são capazes de compreender o significado do profeta, que mesmo antes de nós houve alguém que referiu esta narrativa à doutrina sobre as almas, que ficou possuído pelo desejo de a vida corpórea dos homens, e isso em linguagem metafórica, disse ele, era denominado “filhas dos homens”. Mas qualquer que seja o significado dos “filhos de Deus que desejam possuir as filhas dos homens”, isso não contribuirá em nada para provar que Jesus não foi o único que visitou a humanidade como um anjo, e que manifestamente se tornou o Salvador e benfeitor de todos aqueles que se afastam da inundação da iniquidade. Então, misturando e confundindo tudo o que ele tinha ouvido em qualquer momento, ou tinha encontrado em qualquer lugar escrito – considerado de origem divina entre os cristãos ou não – ele acrescenta: “Os sessenta ou setenta que desceram juntos foram lançados sob a terra, e foram punidos com correntes. ” E ele cita (como no livro de Enoque, mas sem nomeá-lo) o seguinte: “E daí é que as lágrimas desses anjos são fontes termais” – algo que não foi mencionado nem ouvido nas Igrejas de Deus! Pois ninguém foi tão tolo a ponto de materializar em lágrimas humanas aquelas que foram derramadas pelos anjos que desceram do céu. E se fosse certo passar uma piada sobre o que é proposto contra nós com um espírito sério por Celsus,
 
56Prosseguindo imediatamente após misturar e comparar coisas que são diferentes e incapazes de serem unidas, ele acrescenta a sua declaração a respeito dos sessenta ou setenta anjos que desceram do céu e que, segundo ele, derramam fontes de calor água para lágrimas, o seguinte: “É relatado também que veio ao túmulo do próprio Jesus, segundo alguns, dois anjos, segundo outros, um”; tendo falhado em notar, eu acho, que Mateus e Marcos falam de um, e Lucas e João de dois, declarações essas que não são contraditórias. Pois aqueles que mencionam “um”, dizem que foi ele quem rolou a pedra do sepulcro; enquanto aqueles que mencionam “dois”, referem-se àqueles que apareceram em vestes brilhantes às mulheres que se dirigiram ao sepulcro, ou que foram vistas sentadas em vestes brancas. Cada uma dessas ocorrências pode agora ser demonstrado ter realmente ocorrido e ser indicativo de um significado figurativo existente nesses “fenômenos” (e inteligível) para aqueles que estavam preparados para contemplar a ressurreição da Palavra. Tal tarefa, entretanto, não pertence ao nosso propósito presente, mas sim a uma exposição do Evangelho.Traduzido por Frederick Crombie.
 

 

Asclépio 9,24-26 (c. Século III dC ou posterior)

(Hermes está falando)

4
1 . (…) Não sabes, Asclépio, que o Egito é a imagem do Céu; ou, o que é mais verdadeiro ainda, a transferência, ou a descida, de todos os que estão no governo ou exercem no Céu? E se mais verdadeiramente [ainda] deve ser dito, —esta nossa terra é o Santuário de todo o mundo.

2Além disso, visto que é apropriado que o prudente saiba tudo antes, não é certo que você ignore isso. Chegará o tempo em que o Egito parecerá ter servido em vão à Divindade com mente piedosa e adoração constante; e todo o seu santo culto cairá ao nada e será em vão. Pois aquela Divindade está agora prestes a voltar rapidamente da Terra para o Céu, e o Egito será deixado; e a Terra, que era a sede de cultos piedosos, será privada e viúva da presença dos deuses. E estrangeiros preencherão esta região e esta terra; e não haverá apenas a negligência de cultos piedosos, mas – o que é ainda mais doloroso, – como se promulgado pelas leis, uma penalidade será decretada contra a prática de [nossos] cultos piedosos e adoração aos Deuses- [todo ] proscrição deles.

3Então, esta terra mais sagrada, sede de [nossos] santuários e templos, será sufocada com tumbas e cadáveres. Ó Egito, Egito, de teus cultos piedosos somente as histórias permanecerão, tão inacreditáveis ​​para teus próprios filhos [como para o resto dos homens]; somente palavras serão deixadas cortadas em tuas pedras, contando tuas ações piedosas! E o Egito se tornará o lar de citas ou indianos, ou de alguém como eles – esse é um vizinho estrangeiro. Sim, porque a companhia de Deus subirá novamente ao Céu, e seus adoradores abandonados morrerão todos; e o Egito, assim privado de Deus e do homem, será abandonado.

4E agora eu falo a ti, ó Rio, [riacho] sagrado! Eu te digo o que será. Com torrentes sangrentas tu transbordarás tuas margens. Não apenas tuas correntes divinas serão manchadas com sangue; mas todos eles transbordarão [com o mesmo]. A história das tumbas deve exceder em muito o [número de] vivos; e os remanescentes sobreviventes serão egípcios somente em sua língua, mas em suas ações, estrangeiros.

25
1.Por que choras, Asclépio? Não, mais do que isso, muito mais miserável, – o próprio Egito será impelido e manchado com males maiores. Pois ela, a [Terra] Santa, e uma vez merecidamente a mais amada por Deus, em razão de seu serviço piedoso aos Deuses na terra, – ela, a única colônia de santidade e professora de religião [na terra], seja o tipo de tudo que é mais bárbaro E então, por causa de nossa aversão pela humanidade, o mundo parecerá não mais merecer nossa admiração e nosso louvor. Todas essas coisas boas – além da qual nada mais houve que se pudesse ver, nem há nada, nem haverá [nunca] – estará em perigo.

2E será um fardo para os homens; e por causa disso eles desprezarão e deixarão de amar este Cosmos como um todo – a obra imutável de Deus; a gloriosa construção do Bem, composta de múltiplas formas; o motor da Vontade de Deus, apoiando Seu próprio trabalho sem rancor; o multitudinário todo reunido em uma unidade de todos, que deve ser reverenciado, louvado e amado – pelo menos por aqueles que têm olhos para ver. Pois as Trevas serão colocadas antes da Luz, e a Morte será considerada preferível à Vida. Ninguém vai levantar os olhos para o céu; o homem piedoso será considerado louco, o ímpio um sábio; o frenesi mantido tão forte, o pior como melhor.

3Para a alma, e tudo o que diz respeito a ela, – pelo que presume que ou nasceu imortal, ou que atingirá a imortalidade, de acordo com o argumento que apresentei para você, – [tudo isso] não será considerado apenas comida por esporte, mas até vaidade. Não, [se vocês quiserem] acreditar em mim, a pena de morte será decretada para aquele que se devotar à Religião da Mente. Novos estatutos entrarão em vigor, uma nova lei; nada [que seja] sagrado, nada piedoso, nada que seja digno do Céu, ou Deuses no Céu, [ainda] será ouvido, ou [mesmo] mentalmente acreditado.

4A dolorosa partida dos Deuses dos homens ocorre; Só ficam os anjos maus, que se misturam com a humanidade colocarão as mãos sobre eles e conduzirão o infeliz a todos os males de imprudência – guerras e roubos, enganos e todas as coisas que se opõem à natureza da alma. Então a Terra não se manterá mais unida; o Mar não será mais navegado; nem deve o céu continuar com os cursos das estrelas, nem o curso das estrelas no céu. A voz de cada Deus cessará no [Grande] Silêncio que ninguém pode quebrar; os frutos da Terra apodrecerão; não, a Terra não mais produzirá; e o próprio Ar desmaiará naquela triste apatia.

26
1.Isso, quando vier, será a velhice do mundo, impiedade – irregularidade e falta de racionalidade em todas as coisas boas. E quando todas essas coisas acontecerem, Asclépio, – então Ele, [nosso] Senhor e Sire, Deus primeiro em poder e Governante do Deus Único [Visível], para controlar o crime, e chamando de volta o erro da corrupção de todas as coisas para boas maneiras e para ações espontâneas com a Sua Vontade (isto é, a Bondade de Deus), – terminando tudo mal, seja lavando-o com água ou queimando-o com fogo, ou por meio de doenças pestilentas , espalhado por todas as terras hostis, – Deus vai trazer de volta o Cosmos à sua forma antiga; de modo que o próprio Mundo pareça digno de ser adorado e admirado; e Deus, o Criador e Restaurador de tão vasta obra, seja cantado pela humanidade que será então,

2. Pois este [Renascimento] do Cosmos é a renovação de todas as coisas boas, e a mais sagrada e piedosa restauração do eu da Natureza, por meio de um determinado curso de tempo, – da Natureza, que foi sem começo e que não tem fim. Pois a Vontade de Deus não tem começo; e, nisso é o mesmo e como é, não tem fim.

Traduzido por GRS Mead

 

 

Vida latina de Adão e Eva  49,3-50,2 (séculos 3 a 5 dC)

Por causa da tua transgressão, Nosso Senhor trará sobre a tua raça a ira do seu julgamento, primeiro pela água, a segunda vez pelo fogo; por esses dois, o Senhor julgará toda a raça humana. Mas ouçam-me, meus filhos. Fazei então tábuas de pedra e outras de barro, e escrevi nelas toda a minha vida e a de vosso pai (tudo) o que de nós ouvistes e viste. Se pela água o Senhor julgar nossa raça, as tábuas de barro se desfarão e as tábuas de pedra permanecerão; mas se for pelo fogo, as mesas de pedra serão quebradas e as mesas de barro serão cozidas (duras). 

Traduzido por RH Charles (1913).

 

 

Iambilichus, Theurgia 1.2, 8.16 (c. 300 CE)

1.2 Hermes, o patrono da literatura, foi justamente considerado na antiguidade como um deus comum a todos os sacerdotes e aquele que preside o ensino genuíno relativo aos deuses, um e o mesmo entre todos. Conseqüentemente, nossos predecessores costumavam atribuir a ele suas descobertas com sabedoria e nomear todas as suas respectivas obras como Livros de Hermes . […] 8,16 Conseqüentemente, como Seleukos descreve, Hermes estabeleceu os princípios universais em dois mil pergaminhos, ou como Manetho afirma, ele os explicou completamente em trinta e seis mil quinhentos e vinte e cinco tratados. Os diferentes escritores antigos, entretanto, estando em conflito uns com os outros, em muitos lugares deram diferentes interpretações com respeito à essência particular. É necessário, no entanto, averiguar a verdade com respeito a todos eles, e então apresentá-la a ti de forma concisa, conforme pudermos.

Traduzido por Alexander Wilder (1911).

 

 

Zosimus of Panoplis, Imouth  9 (c. 300 CE)

Preservado em George Syncellus, Crônica  14

As Sagradas Escrituras nos informam que existe uma tribo de gênios que faz uso de mulheres. Hermes menciona essa circunstância em sua Física; e quase todos os escritos, sejam sagrados ou apócrifos, afirmam a mesma coisa. As antigas e divinas Escrituras nos informam que os anjos, cativados pelas mulheres, lhes ensinaram todas as operações da natureza. Ofendidos com isso, eles permaneceram fora do céu, porque haviam ensinado à humanidade todo tipo de mal e coisas que não poderiam ser vantajosas para suas almas. As Escrituras nos informam que os gigantes surgiram desses abraços. Chema é a primeira de suas tradições a respeitar essas artes. O próprio livro foi chamado de Chema; daí a arte ser chamada de Chemia.

Traduzido por Thomas Thomson.

 

 

Lactantius , Institutos Divinos 2.15 ( Origem do Erro 15) (303-311 CE)

Quando, portanto, o número de homens começou a aumentar, Deus em Sua previdência, para que o diabo, a quem desde o princípio Ele deu poder sobre a terra, por sua sutileza corrompa ou destrua os homens, como fez em primeiro, enviaram anjos para a proteção e aperfeiçoamento da raça humana; e visto que deu a estes livre arbítrio, ordenou-lhes acima de todas as coisas que não se contaminassem com a contaminação da Terra, e assim perdessem a dignidade de sua natureza celestial. Ele claramente os proibiu de fazer o que Ele sabia que fariam, para que não nutrissem esperança de perdão. Portanto, enquanto eles moravam entre os homens, aquele governante mais enganoso da terra, por sua própria associação, gradualmente os atraiu para os vícios e os poluiu por relações sexuais com mulheres. Então, não sendo admitidos no céu por causa dos pecados em que se haviam mergulhado, eles caíram por terra. Assim, o diabo os faz dos anjos para se tornarem seus satélites e assistentes. Mas aqueles que nasceram destes, porque não eram anjos nem homens, mas tendo uma espécie de natureza mista, não foram admitidos no inferno, como seus pais não foram para o céu. Assim, surgiram dois tipos de demônios; um do céu, o outro da terra. Os últimos são os espíritos maus, os autores de todos os males que são cometidos, e o mesmo diabo é seu príncipe. Por isso, Trismegistus o chama de governante dos demônios. Mas os gramáticos dizem que são chamados de demônios, como se fossem dama, isto é, hábeis e familiarizados com as coisas: pois pensam que são deuses. Eles estão familiarizados, de fato, com muitos eventos futuros, mas não todos, visto que não lhes é permitido conhecer inteiramente o conselho de Deus; e, portanto, estão acostumados a acomodar suas respostas a resultados ambíguos. Os poetas sabem que eles são demônios, e assim os descrevem. Hesíodo assim fala: – “Estes são os demônios segundo a vontade de Zeus, Bom, vivendo na terra, os guardiões dos homens mortais.”

E isso é dito com esse propósito, porque Deus os enviou como guardiães da raça humana; mas eles próprios também, embora sejam os destruidores dos homens, desejam aparecer como seus guardiães, para que eles próprios sejam adorados e Deus não seja adorado. Os filósofos também discutem o assunto desses seres. Pois Platão tentou até mesmo explicar suas naturezas em seu “Banquete”; e Sócrates disse que havia um demônio continuamente em torno dele, que se apegou a ele quando menino, por cuja vontade e direção sua vida era guiada. A arte também e o poder dos Magos consistem inteiramente nas influências deles; invocados por quem enganam a vista dos homens com ilusões enganosas, de modo que não vêem as coisas que existem, e pensam que vêem as coisas que não existem. Esses espíritos contaminados e abandonados, como eu disse, vagam por toda a terra e planejam um consolo para sua própria perdição pela destruição dos homens. Portanto, eles preenchem todo lugar com armadilhas, enganos, fraudes e erros; pois se apegam a indivíduos e ocupam casas inteiras de porta em porta, e assumem para si o nome de gênios; pois por esta palavra eles traduzem demônios na língua latina. Eles os consagram em suas casas, a estes diariamente derramam libações de vinho, e adoram os demônios sábios como deuses da terra e como evitadores daqueles males que eles próprios causam e impõem. E estes, uma vez que os espíritos não têm substância e não podem ser apreendidos, insinuam-se nos corpos dos homens; e trabalhando secretamente em suas partes internas, eles corrompem a saúde, apressam as doenças, aterrorizam suas almas com sonhos,

Traduzido por William Fletcher.

 

 

Juliano, o Apóstata, Contra os Galileus  (363 DC)

Preservado em Cirilo de Alexandria, contra  9 de julho
E que Moisés chama os anjos de deuses, você pode ouvir de suas próprias palavras: “Os filhos de Deus viram que as filhas dos homens eram belas; e tomaram para si mulheres de todas as que escolheram.” E um pouco mais adiante: “E também depois disso, quando os filhos de Deus vieram às filhas dos homens, e elas geraram filhos, os mesmos se tornaram os gigantes da antiguidade, os homens de renome.” Agora que ele quer dizer que os anjos são evidentes, e isso não foi imposto a ele de fora, mas é claro também por ele ter dito que não homens, mas gigantes nasceram deles. Pois é claro que se ele tivesse pensado que os homens e não seres de alguma natureza superior e mais poderosa eram seus pais, ele não teria dito que os gigantes eram seus descendentes. Pois me parece que ele declarou que a raça dos gigantes surgiu da mistura de mortal e imortal. Novamente, quando Moisés fala de muitos filhos de Deus e os chama não de homens, mas de anjos, ele não teria então revelado à humanidade, se soubesse disso, Deus, o “Verbo unigênito”, ou um filho de Deus ou como você chamá-lo?Traduzido por Wilmer Cave Wright (1923)
 

 

Efrém, o Sírio,  Comentário sobre Gênesis e Êxodo  (antes de 373 EC)

Preservado em Sincelo,  Crônica  15 O

Paraíso é mais alto do que todos os lugares aprazíveis e elevados da terra; as águas do dilúvio só alcançaram seus alicerces. Mas os homens mais velhos do que o dilúvio habitaram entre o oceano e o paraíso : a descendência de Caim, de fato, habitou a terra de Nod, que significa “trêmulo”; os filhos de Sete habitaram nos terrenos mais elevados em obediência à ordem de Adão, para que não se misturassem com a descendência do fratricida Caim. Os descendentes de Caimeram de baixa estatura, por causa da maldição pronunciada sobre seu progenitor, mas os filhos de Sete eram gigantes, e como os anjos de Deus nas regiões superiores. Mas as filhas de Caim, indo até eles com vários instrumentos musicais, os trouxeram das regiões superiores e os casaram; o desprezo pela lei conseqüentemente aumentando, o dilúvio surgiu. E Deus trouxe a arca de Noé (através do oceano) para o Monte Ararat, e daí em diante, os homens viveram nesta terra. De onde é evidente que a terra agora cultivada estava então deserta, pois pela misericórdia de Deus, os homens habitavam, antes do dilúvio, em regiões próximas ao paraíso, entre o paraíso e o oceano.Mas o exterior escuridão da qual Cristo fala, está além para dise. Pois o paraíso, com o oceano, dá a volta na terra. O Éden fica no lado oriental, e as duas luzes do sol e da lua nascem no paraíso e , depois de atravessá-lo, se põem do lado de fora.

Traduzido anonimamente no The Foreign Quarterly.

 

 

Epiphanius, Panarion 1.39 (c. 374-378 CE)

Seção
14 [A seita sethiana] dá seu ensino da seguinte forma: todas as coisas, dizem eles, são obra de anjos e não do poder do alto.Seção 2
1 Dois homens nasceram bem no início, e Caim e Abel eram os filhos dos dois. E discutindo por causa deles, os anjos entraram em guerra uns com os outros, e assim aconteceu que Abel foi morto por Caim. […]
 
Seção 3
1 Mas, mais uma vez, vendo uma grande quantidade de relações sexuais e apetite indisciplinado por parte dos anjos e dos homens desde que as duas raças [de Caim e Seth] se uniram para a relação sexual, e vendo que sua indisciplina causou certas origens novas) raças, a Mãe e a Fêmea retornaram e trouxeram o dilúvio, e destruíram toda a raça humana e todas as linhagens opostas – a fim de que, supostamente, apenas a linhagem pura que derivou de Seth e era justa permanecesse no mundo, pois a origem do estoque do alto e a centelha da justiça. 2Mas, sem seu conhecimento, os anjos, por sua vez, colocaram Ham, que era de sua semente, para dentro da arca. Pois eles dizem que das oito pessoas que foram salvas na então arca de Noé, sete eram de linhagem pura, mas uma era Cam, que pertencia ao outro poder e entrou sem a presença da Mãe nas alturas. 3 Um plano desse tipo, da invenção dos anjos, foi então executado. Pois, dizem eles, uma vez que os anjos aprenderam que toda a sua semente seria exterminada no dilúvio, eles contrabandearam Ham por meio de alguma velhacaria para preservar o estoque perverso que haviam criado.Traduzido por Frank Williams (1987).
 

 

Pseudo-Clemente, Reconhecimentos  4 (c. Século IV dC)

Capítulo 26. Sedutores dos anjos do mal.
Agora, portanto, uma vez que você ainda não entende como a grande escuridão da ignorância o cerca, por enquanto eu desejo explicar a você de onde a adoração de ídolos começou neste mundo. E por ídolos, quero dizer aquelas imagens sem vida que você adora, sejam feitas de madeira, ou faiança, ou pedra, ou latão, ou quaisquer outros metais: destas o começo foi assim. Certos anjos, tendo deixado o curso de sua ordem apropriada, começaram a favorecer os vícios dos homens e, em alguma medida, a prestar ajuda indigna à sua luxúria, a fim de que por esses meios eles pudessem condescender com seus próprios prazeres ainda mais; e então, para que eles não parecessem inclinados por conta própria a serviços indignos, ensinaram aos homens que os demônios podiam, por certas artes – isto é, por invocações mágicas – obedecer aos homens; e assim, como de uma fornalha e oficina de maldade,Capítulo 27. Ham, o primeiro mago.
Por essas e outras causas, um dilúvio foi trazido sobre o mundo, como já dissemos e diremos novamente; e todos os que estavam sobre a terra foram destruídos, exceto a família de Noé, que sobreviveu, com seus três filhos e suas esposas. Um deles, de nome Cam, infelizmente descobriu o ato mágico e passou a instrução sobre ele a um de seus filhos, que se chamava Mesraim, de quem descendia a raça dos egípcios, babilônios e persas. Ele as nações que então existiam o chamavam de Zoroastro, admirando-o como o primeiro autor da arte mágica; sob cujo nome também existem muitos livros sobre este assunto. Ele, portanto, estando muito e frequentemente concentrado nas estrelas, e desejando ser considerado um deus entre elas, começou a atrair, por assim dizer, certas faíscas das estrelas, e mostrá-las aos homens, para que os rudes e ignorantes se espantem, como num milagre; e desejando aumentar sua estima por ele, ele tentou essas coisas repetidamente, até que foi incendiado e consumido pelo próprio demônio, a quem abordou com grande importunação.Traduzido por Thomas Smith.
 

 

Ammianus Marcellinus, História Romana  22.15.30 (antes de 391 DC)

Existem também [no Egito] passagens subterrâneas, e retiros sinuosos, que, diz-se, homens hábeis, nos mistérios antigos, por meio dos quais adivinharam a vinda de um dilúvio, construído em diferentes lugares para evitar a memória de todos os seus. cerimônias sagradas devem ser perdidas. Nas paredes, à medida que as recortam, esculpem vários tipos de pássaros e feras, e inúmeras outras figuras de animais, que chamam de hieróglifos.

Traduzido por CD Yonge.

 

 

Panodorus of Alexandria, Chronicle  (c. 400 DC)

Preservado em George Syncellus, Crônica  42
Desde a formação de Adão até Enoque, ou até o Ano do Mundo 1282, a humanidade ignorava o número de dias do mês e do ano. Mas os Egregori descendo à Terra no milésimo ano do mundo, e conversando com os homens, ensinou-lhes que os períodos de ambas as luminárias (o Sol e a Lua) foram completados em sua passagem por doze signos consistindo de 360 ​​graus. Mas os homens, considerando principalmente o período lunar menor e mais observável ao redor da Terra, concordaram entre si que o círculo lunar de trinta dias deveria ser o ano estabelecido; pois o círculo do Sol foi completado da mesma maneira, passando por doze signos de 360 ​​partes iguais, ou graus.Trans. John Jackson (ligeiramente adaptado).
 

 

Sulpício Severo, Crônica 1.2 (403 CE)

Quando a essa altura a raça humana havia aumentado para uma grande multidão, certos anjos, cuja habitação era no céu, foram cativados pelo aparecimento de algumas belas virgens, e nutriram desejos ilícitos após elas, tanto assim, que caíram abaixo de seus próprios natureza e origem, eles deixaram as regiões superiores de que eram habitantes, e se aliaram em casamentos terrenos. Esses anjos, aos poucos, espalhando hábitos perversos, corromperam a família humana, e de sua aliança dizem que surgiram gigantes, pois a mistura com eles de seres de uma natureza diferente, naturalmente, deu à luz monstros. 

Traduzido por Alexander Roberts.

 

 

São João Cassiano, Collationes 8.21 (c. 428 CE)

[O abade Sereno está falando:] [Os] filhos de Sete que eram filhos de Deus, […] abandonaram aquele verdadeiro estudo da filosofia natural, transmitido a eles por seus ancestrais … Este conhecimento, então, de toda a natureza, a semente de Sete recebeu através de gerações sucessivas, transmitido pelos pais, enquanto permaneceu separado da linhagem perversa [de Caim], e como o recebeu em santidade, então fez uso dele para promover a glória de Deus e as necessidades da vida cotidiana. Mas quando foi misturado com a geração do mal, ele afastou por sugestão de demônios para usos profanos e prejudiciais o que tinha aprendido inocentemente, e audaciosamente ensinado por ele as curiosas artes dos feiticeiros e encantamentos e superstições mágicas, ensinando sua posteridade a abandonar a adoração sagrada da Divindade e honrar e adorar os elementos ou o fogo ou os demônios do ar. Como foi então que este conhecimento das artes curiosas de que falamos não pereceu no dilúvio, mas se tornou conhecido nas eras que se seguiram, deve, penso eu, ser brevemente explicado, como a ocasião desta discussão sugere, embora a resposta à questão levantada dificilmente o exige. E assim, como as tradições antigas nos dizem, Ham, o filho de Noé, que havia aprendido essas superstições e artes perversas e profanas, pois sabia que não poderia trazer nenhum manual sobre esses assuntos para a arca, na qual ele deveria entra com seu bom pai e irmãos sagrados, inscreveu essas artes nefastas e dispositivos profanos em placas de vários metais que não podiam ser destruídos pela enchente das águas, e em rochas duras, e quando o dilúvio acabou ele os perseguiu com os mesmos curiosidade com que ele os escondeu, e assim transmitiu a seus descendentes uma sementeira de profanação e pecado perpétuo. Desta forma, então, aquela noção comum, segundo a qual os homens acreditam que os anjos entregaram aos homens encantos e artes diversas, é na verdade cumprida. Destes filhos de Sete então e filhas de Caim, como dissemos, nasceram crianças ainda piores que se tornaram caçadores poderosos, homens violentos e ferozes que foram chamados de gigantes por causa do tamanho de seus corpos e sua crueldade e maldade. Pois estes primeiro começaram a assediar seus vizinhos e a praticar pilhagem entre os homens, ganhando a vida mais com a rapina do que contentes com o suor e o trabalho do trabalho duro, e sua maldade aumentou a tal ponto que o mundo só poderia ser purificado pelo inundação e dilúvio. Desta forma, então, aquela noção comum, segundo a qual os homens acreditam que os anjos entregaram aos homens encantos e artes diversas, é na verdade cumprida. Destes filhos de Sete então e filhas de Caim, como dissemos, nasceram crianças ainda piores que se tornaram caçadores poderosos, homens violentos e ferozes que foram chamados de gigantes por causa do tamanho de seus corpos e sua crueldade e maldade. Pois estes primeiro começaram a hostilizar seus vizinhos e a praticar pilhagem entre os homens, ganhando a vida mais com a rapina do que contentes com o suor e o trabalho do trabalho árduo, e sua maldade aumentou a tal ponto que o mundo só poderia ser purificado pelo inundação e dilúvio. Desta forma, então, aquela noção comum, segundo a qual os homens acreditam que os anjos entregaram aos homens encantos e artes diversas, é na verdade cumprida. Destes filhos de Sete então e filhas de Caim, como dissemos, nasceram crianças ainda piores que se tornaram caçadores poderosos, homens violentos e ferozes que foram chamados de gigantes por causa do tamanho de seus corpos e sua crueldade e maldade. Pois estes primeiro começaram a assediar seus vizinhos e a praticar pilhagem entre os homens, ganhando a vida mais com a rapina do que com o suor e o trabalho do trabalho duro, e sua maldade aumentou a tal ponto que o mundo só poderia ser purificado pelo inundação e dilúvio. Destes filhos de Sete então e filhas de Caim, como dissemos, nasceram crianças ainda piores que se tornaram caçadores poderosos, homens violentos e ferozes que foram chamados de gigantes por causa do tamanho de seus corpos e sua crueldade e maldade. Pois estes primeiro começaram a assediar seus vizinhos e a praticar pilhagem entre os homens, ganhando a vida mais com a rapina do que contentes com o suor e o trabalho do trabalho duro, e sua maldade aumentou a tal ponto que o mundo só poderia ser purificado pelo inundação e dilúvio. Destes filhos de Sete então e filhas de Caim, como dissemos, nasceram crianças ainda piores que se tornaram caçadores poderosos, homens violentos e ferozes que foram chamados de gigantes por causa do tamanho de seus corpos e sua crueldade e maldade. Pois estes primeiro começaram a assediar seus vizinhos e a praticar pilhagem entre os homens, ganhando a vida mais com a rapina do que contentes com o suor e o trabalho do trabalho duro, e sua maldade aumentou a tal ponto que o mundo só poderia ser purificado pelo inundação e dilúvio.

Traduzido por CS Gibson.

 

 

O Livro da Caverna dos Tesouros, Segundo Mil Anos (c. Século VI dC)

Yôbâl (Jubal) e Tôbalkîn (Tubal-Cain), os dois irmãos, filhos de Lameque, o cego que matou Caim, inventou e fez todos os tipos de instrumentos musicais. Jôbâl fez instrumentos de cana, harpas, flautas e apitos, e os demônios foram morar dentro deles. Quando os homens sopravam nos canos, os demônios cantavam dentro deles e emitiam sons de dentro deles. Tôbalkîn fez [Fol. 12 a, col. 2] pratos e sistra e pandeiros (ou tambores). E a lascívia e a fornicação aumentaram entre os filhos de Caim, e eles não tinham nada com que se ocupar, exceto a fornicação – agora eles não tinham obrigação [de pagar] tributo e não tinham príncipe nem governador – e comer e beber e lascívia e embriaguez e dança e canto ao som de instrumentos musicais, e as brincadeiras lascivas dos demônios, e o riso que proporciona prazer aos demônios, e os sons da luxúria furiosa de homens relinchando atrás de mulheres. E Satanás, encontrando [sua] oportunidade nesta obra de erro, regozijou-se muito, porque assim ele poderia obrigar os filhos de Sete a descer daquele monte sagrado. Lá eles foram feitos para ocupar o lugar daquele exército [de anjos] que caiu [com Satanás], lá eles foram amados por Deus,Fol. 12 b , col. 1 ], Vós sois deuses e todos vós, filhos do Altíssimo. ” (Salmos lxxxii. 6.)

Enquanto isso, a fornicação reinava entre as filhas de Caim, e sem vergonha [várias] mulheres corriam atrás de um homem. E um homem atacava outro, e eles cometeram fornicação na presença um do outro descaradamente. * * * Pois todos os demônios estavam reunidos naquele acampamento de Caim, e espíritos imundos entraram nas mulheres e tomaram posse delas. As velhas eram mais lascivas do que as donzelas, pais e filhos se contaminavam com suas mães e irmãs, os filhos não respeitavam nem mesmo seus próprios pais, e os pais não faziam distinção entre seus filhos [e outros homens]. E Satanás foi feito governante (ou príncipe) daquele acampamento [ Fol. 12 b , col. 2] E quando os homens e mulheres foram levados ao frenesi lascivo pelo toque diabólico dos juncos que emitiam sons musicais, e pelas harpas que os homens tocavam por meio da operação do poder dos demônios, e pelos sons dos pandeiros e da sistra que foi espancada e sacudida pela agência de espíritos malignos, os sons de suas risadas foram ouvidos no ar acima deles, e ascenderam àquela montanha sagrada.

E quando os filhos de Seth ouviram o barulho, e alvoroço, e gritos de riso no acampamento dos filhos de Caim, cerca de cem deles que eram poderosos homens de guerra se reuniram e se prepararam para descer ao acampamento dos filhos de Caim. Quando Yârêd ouviu suas palavras e soube de suas intenções, ele ficou extremamente aflito, e os enviou e chamou a si, e disse-lhes: “Pelo santo sangue de Abel, farei com que jurem que nenhum de vocês descerá desta montanha sagrada. Lembre-se de vocês [Fol. 13 a, col. 1] os juramentos que nossos pais Seth, e Ânôsh, e Kainân, e Mahlâlâîl te fizeram jurar. ” E Enoque também lhes disse: “Ouvi, ó filhos de Set, nenhum homem que transgredir o mandamento de Yârêd e [quebrar] os juramentos de nossos pais e descer desta montanha, nunca mais a subirá”. Mas os filhos de Seth não deram ouvidos ao mandamento de Yârêd, nem às palavras de Enoque, e eles ousaram transgredir o mandamento, e aqueles cem homens, que eram poderosos homens de guerra, desceram [ao acampamento de Caim] . E quando eles viram que as filhas de Caim eram lindas na forma e que elas estavam nuas e sem vergonha, os filhos de Seth ficaram inflamados com o fogo da luxúria. E quando as filhas de Caim viram a bondade dos filhos de Seth, elas os agarraram como bestas vorazes e contaminaram seus corpos. E os filhos de Seth mataram suas almas por fornicação com as filhas de Caim. E quando os filhos de Seth desejaram subir [novamente] para aquela montanha sagrada [Fol. 13a , col. 2], depois de terem descido e caído, as pedras daquele monte sagrado tornaram-se fogo à vista deles, e tendo contaminado suas almas com o fogo da fornicação, Deus não permitiu que subissem àquele lugar santo. E, além disso, muitos outros se atreveram e desceram atrás deles, e eles também caíram.

Trans. EA Wallis Budge (1927).

 

 

3 Enoque 5: 7-10 (quinto século EC ou posterior)

(7) E o que a geração de Enos fez? Eles foram de um extremo a outro do mundo, e cada um trouxe prata, ouro, pedras preciosas e pérolas em montes como montanhas e colinas fazendo deles ídolos em todo o mundo. E eles ergueram os ídolos em todos os quadrantes do mundo: o tamanho de cada ídolo era de 1000 parasangs. (8) E eles trouxeram o sol, a lua, planetas e constelações, e os colocaram diante dos ídolos à sua direita e à sua esquerda, para atendê-los assim como eles atendem ao Santo, bendito seja Ele, como é escrito (1 Reis xxii. 19): “E todo o exército do céu estava ao lado dele à sua direita e à sua esquerda”. (9) Que poder havia neles para serem capazes de derrubá-los? Eles não teriam sido capazes de derrubá-los se não fosse por ‘Uzza,’ Azza e ‘ Azziel que lhes ensinou feitiçarias pelas quais os derrubaram e fizeram uso delas (10) Naquele tempo os anjos ministradores apresentaram acusações (contra eles) perante o Santo, bendito seja Ele, dizendo diante dele: “Mestre do Mundo! tens que fazer com os filhos dos homens? Como está escrito (Salmos viii. 4) ‘O que é o homem (Enos) para que te lembres dele?’ ‘Mah Adam’ não está escrito aqui, mas ‘Mah Enosh’, pois ele (Enosh) é o cabeça dos adoradores de ídolos.

Trans. Hugo Odeberg (1928).

 

 

História Armênia dos antepassados  41 (início da Idade Média)

Sétimo, que ele [Enosh; confundido por Enoque] fez escritos e escreveu sobre estela (e) de tijolos cozidos e bronze, e ele profetizou que a terra passará pela água e pelo fogo por causa dos pecados dos humanos. E ele lançou o tijolo cozido na água e o bronze no fogo, a fim de testá-los, se o fogo viesse primeiro, o bronze derreteria, e se a água viesse primeiro, o tijolo seria destruído. E assim ele aprendeu que a água estava destinada a vir e depois o fogo. E essas são uma obra de esperança.

Trans. em ME Stone, Armenian Apocrypha Related to Adam and Eve ( Brill, 1996).

 

 

Armênio Abel  4.3-4 (início da Idade Média)

No entanto, descobrimos que Enos, filho de Sete, fez a (s) letra (s) e chamou os planetas pelo nome. E ele profetizou que este mundo passaria duas vezes, pela água e pelo fogo. E ele fez duas estelas, de bronze e de barro, e escreveu sobre elas os nomes das partes da criação que Adão havia chamado. Ele disse: “Se passar pela água, então o bronze (permanecerá), e se pelo fogo, então o barro cozido.” 

Trans. em ME Stone,  Armenian Apocrypha Related to Adam and Eve  ( Brill, 1996).

 

 

John Malalas,  Chronicle  1.2-3 (c. 565 DC)

… Pois os sacerdotes dos judeus interpretaram os relatos hebraicos de Moisés da seguinte maneira: “Os filhos de Deus viram as filhas dos homens que eram formosas, e tomaram para si esposas de todas as que escolheram e vieram a elas, como Moisés disse, e eles geraram filhos para eles. Naqueles dias havia gigantes na terra, os homens da antiguidade, os homens de renome ”( Gn 6.2, 4). 
 
De Adão até os anjos, os filhos de Sete, mulheres desejadas, ou melhor, as filhas dos homens, da tribo de Caim, foram 2.122 anos.
 
3Naquela época, Deus enviou uma bola de fogo dos céus contra os gigantes na terra celta e queimou a ela e a eles. A bola mergulhou no rio Jordão e se extinguiu. Eles contam histórias sobre este incêndio e dizem que Fthaethon, o filho do sol, caiu de sua carruagem para a terra, uma história que Ovídio escreveu poeticamente. Mas Plutarco de Chaironeia fala disso com mais verdade quando diz que a bola de fogo caiu sobre as terras celtas. Embora os gigantes restantes tenham visto muitos deles atingidos por um raio, eles permaneceram teimosos. Deus disse-lhes com raiva: “O meu espírito não habitará nestes homens, porque são carne” ( Gn 6.3). Traduzido por Elizabeth Jeffreys, Michael Jeffreys, Roger Scott e Brian Croke (1986).
 

 

Alcorão 2: 102-103 (632 CE)

102  E seguiram o ardil que os demônios arquitetaram contra o reino de Salomão; e Salomão não era incrédulo; mas os demônios não acreditaram, eles ensinaram feitiçaria aos homens, e aquilo que foi enviado aos dois anjos em Babel, Harut e Marut: contudo, aqueles dois não ensinaram nenhum homem até que disseram: Na verdade somos uma tentação, portanto não seja um incrédulo . Assim, os homens aprenderam com aqueles dois um feitiço pelo qual poderiam causar divisão entre um homem e sua esposa; mas eles não feriram ninguém por meio disso, a menos com a permissão de DEUS, e eles aprenderam o que os feriria, e não os beneficiaria; no entanto, eles sabiam que aquele que comprou aquela arte não participaria na vida futura, e woful é o preço pelo qual eles venderam suas almas, se o soubessem. 103 Mas se eles tivessem acreditado e temido a DEUS, na verdade a recompensa que eles teriam recebido de DEUS teria sido melhor, se eles soubessem disso.

Traduzido por George Sale.

 

 

Chronicon Paschale  1 (c. 627 CE)

Por que eles são chamados de anjos de Deus? Deve-se acabar com a idéia de que esses eram seres celestiais (de acordo com esta interpretação), pois as mentes dos anjos estão muito distantes dos corpos materiais. Mas eles disseram que esses seres eram chamados de “homens”, que tinham carne e eram mortais, porque, é dito, eles eram de carne.
 
Muitos, portanto, interpretam corretamente o que foi dito desta forma, que Moisés chamou a progênie de Sete os anjos de Deus porque, quando a progênie de Caim caiu em ciúme e odiou seus irmãos e ficou imbuída com a negação do divino, a linhagem de Seth começou a invocar o nome de Deus, que é o hino angélico. Pois assim diz a Escritura: “E a Sete também nasceu um filho; e ele chamou seu nome de Enos: então os homens começaram a invocar o nome do Senhor. ” Isso está no livro de Gênesis (4:26).
 
Esses filhos de Seth, comparados aos anjos e invocando o hino angelical, apegaram-se às malditas filhas de Caim e provocaram a fúria do divino. Pois assim na Escritura: “Nem sempre o meu espírito lutará com o homem, porque também ele é carne” (Gênesis 6: 3).
 
Portanto, depois de copularem, deram à luz essas crianças, que por sua imensa altura passaram a ser chamadas de gigantes nos livros. Ouça o que Gênesis tem a dizer: “Havia gigantes na terra naqueles dias; e também depois disso, quando os filhos de Deus vieram às filhas dos homens, e elas geraram filhos, os mesmos se tornaram os poderosos da antiguidade, os homens de renome ”.
 
Aqueles mencionados acima como os Anjos de Deus invocaram o nome do Senhor Deus, e também foram chamados de Filhos de Deus. E assim é nas Escrituras. É por isso que depois esses anjos foram chamados de deuses por algumas pessoas.  
 
Entre os caldeus, seu primeiro rei foi Aloros, a quem Alagoros sucedeu, e os outros líderes, a quem a Escritura parece referir-se (quando diz) “os mesmos se tornaram valentes que existiram na antiguidade, homens de fama” (Gn 6 : 4).Traduzido por Jason Colavito.
 

 

Pseudo-Metódio, Apocalipse  2 (c. Século sétimo EC)

No oitocentésimo ano da vida de Jarede, ou seja, no segundo milênio, o diabo perverso e destrutivo começou a afligir a guerra de fornicação sobre os filhos de Sete; ele os expulsou para as filhas de Caim, e lançou os gigantes de Seth no poço do pecado. O Senhor Deus ficou irado, e no final do segundo milênio, uma inundação de águas veio e toda a primeira criação e modelagem desapareceram.
 
Traduzido por Benjamin Garstad (2012).
 

 

O Venerável Bede, Comentário sobre Gênesis em 6: 4 (c. 700 EC)

Diz-se que os gigantes são homens altos, com corpos enormes e possuidores de força excessiva, como muitos dos quais lemos mesmo depois do Dilúvio, ou seja, na época de Moisés e Davi; estes têm um nome grego porque, a partir das histórias dos poetas, a terra os deu à luz. Parece que eles nasceram quando os descendentes de Seth escolheram esposas da linhagem de Caim por sua beleza excepcional, contra a dignidade de sua posição. Pois, como segue, “depois que os Filhos de Deus vieram às filhas dos homens”, etc. Mas observe que neste lugar, para os “gigantes” o hebraico lê “os caídos”, isto é, “Annafilim”; e o significado é perfeito, pois naqueles dias os homens estavam caindo na terra, isto é, apegando-se aos desejos terrenos, tendo perdido o estado justo de devoção a Deus. Além disso, 

Traduzido por Jason Colavito.

 

 

Alcuin, Questions and Answers on Genesis 96 (c. Final dos anos 700)

Por que se diz que “quando os homens começaram a se multiplicar na face da Terra e lhes nasceram filhas, os filhos de Deus viram que as filhas dos homens eram belas; e eles tomaram para si esposas de todas as que escolheram ”? Resposta: A Escritura pretende chamar os descendentes de Cam como as “filhas dos homens” e os descendentes de Shem como os “filhos de Deus”. O último piedoso teve a bênção de seu avô, enquanto o primeiro impuro carregou a maldição de seu pai. Mas depois, os filhos de Shem foram conquistados pela luxúria pelas filhas de Cam e uniram-se a elas em casamento. E de tais uniões nasceram homens com corpos imensos, orgulho arrogante e modos rudes, a quem as Escrituras chamam de “gigantes”.

Traduzido por Jason Colavito.

 

 

George Syncellus, Chronicle  (c. 800 CE)

41 Resta, portanto, fazer certos extratos relativos às dinastias dos egípcios, dos escritos de Maneto, o Sebennyte, o sumo sacerdote do templo idólatra do Egito no tempo de Ptolomeu Filadelfo. Estas, de acordo com seu próprio relato, ele copiou das inscrições que foram gravadas no dialeto sagrado, e caracteres hieroglíficos, nas colunas montadas na terra seriadica, por Thoth, o primeiro Hermes; e depois do dilúvio, traduzido do dialeto sagrado para a língua grega em caracteres hieroglíficos: e comprometido a escrever em livros, e depositado por Agathodaemon, o filho do segundo Hermes, o pai de Tat, nos santuários-templos do Egito.

Adaptado da tradução de IP Cory (1826/1832)

90  No ano 2585, Kainan estava caminhando no campo e descobriu a escrita dos Gigantes e a escondeu para si mesmo.

Traduzido por William Adler e Paul Tuffin

 

 

Palaea Historica (século IX dC)

… Quando os gigantes ouviram que o justo Noé estava construindo uma arca para o Dilúvio, eles riram dele. Mas Enoque, que ainda estava por aí, também estava dizendo aos gigantes que a terra seria destruída pelo fogo ou pela água. E o justo Enoque não fazia outra coisa senão sentar-se e escrever em mármore (tábuas) e em tijolos as obras poderosas de Deus que aconteceram desde o princípio. Pois ele costumava dizer: “Se a terra for destruída pelo fogo, os tijolos serão preservados para serem uma lembrança [para os que vierem depois] das poderosas obras de Deus que aconteceram desde o princípio; e se a terra for destruída pela água, as tábuas de mármore serão preservadas. ” E Enoque costumava alertar os gigantes sobre muitas coisas, mas eles permaneceram teimosos e impenitentes, nem queriam glorificar o Criador,

Traduzido por Andrei A. Orlov (2001).

 

 

Muhammad ibn Jabir al-Tabari, A História dos Profetas e Reis,  p. 170 (c. 915 CE)

Cem lindos filhos de Seth disseram: Quem dera pudéssemos ver o que nossos primos – ou seja, os filhos de Caim – estão fazendo. Então, a centena desceu para as lindas filhas de Caim. As mulheres detiveram os homens e eles permaneceram por algum tempo. Então, outros cem disseram: Oxalá pudéssemos ver o que nossos irmãos estão fazendo. Eles desceram da montanha e as mulheres os detiveram. Então todos os filhos de Seth desceram. O resultado foi a vinda do pecado. Eles se casaram e se misturaram, e os filhos de Caim aumentaram em número até encherem a terra. Eles são aqueles que se afogaram nos dias de Noé.

Trans. Franz Rosenthal (1989).

 

 

Eutychius (Sa’id ibn Batriq), Annales ( Nazm al-Jauhar ) (c. 920 DC)

Mas quanto à progênie de Caim, o assassino, seus homens pareciam garanhões relinchando de desejo por suas mulheres, e as mulheres da mesma maneira se associariam a eles prostituindo-se e pecando uns com os outros desenfreadamente e sem vergonha. Dois ou três homens moravam com cada mulher, e os mais velhos eram mais lascivos do que os jovens. Os pais usavam as filhas com promiscuidade sexual e os rapazes as mães. Na verdade, as crianças não podiam distinguir seus pais, nem os pais seus filhos. Eles fizeram uso de todos os instrumentos musicais e, de fato, o som de sua execução ascendeu ao topo da montanha sagrada. E quando a progênie de Seth ouviu isso, eles reuniram cem de seus homens, que desceram da montanha para a progênie do maldito Caim, embora Jarede os abjurasse pelo sangue de Abel para não descer do monte sagrado. Eles, no entanto, não deram ouvidos a suas palavras, e então desceram. E quando eles desceram, vendo que as filhas do maldito Caim eram lindas e despudoradamente nuas, eles foram vencidos pela luxúria. Da mesma forma, as filhas de Caim, vendo que esses eram homens bonitos de estatura gigantesca, agiram como animais selvagens e poluíram seus corpos com eles. Assim os filhos de Sete caíram em ruína por causa da prostituição das filhas de Caim. Assim as filhas de Caim geraram gigantes aos filhos de Sete. Como está de acordo com o Livro: “os filhos de Deus (chamados de vendo que as filhas do amaldiçoado Caim eram lindas e descaradamente nuas, elas foram dominadas pela luxúria. Da mesma forma, as filhas de Caim, vendo que esses eram homens bonitos de estatura gigantesca, agiram como animais selvagens e poluíram seus corpos com eles. Assim os filhos de Sete caíram em ruína por causa da prostituição das filhas de Caim. Assim as filhas de Caim geraram gigantes aos filhos de Sete. Como está de acordo com o Livro: “os filhos de Deus (chamados de vendo que as filhas do amaldiçoado Caim eram lindas e descaradamente nuas, elas foram dominadas pela luxúria. Da mesma forma, as filhas de Caim, vendo que esses eram homens bonitos de estatura gigantesca, agiram como animais selvagens e poluíram seus corpos com eles. Assim os filhos de Sete caíram em ruína por causa da prostituição das filhas de Caim. Assim as filhas de Caim geraram gigantes aos filhos de Sete. Como está de acordo com o Livro: “os filhos de Deus (chamados deBani Elohim), quando eles viram as lindas filhas dos homens, eles desceram a eles, e assim deram origem aos gigantes. ” Mas eles erram e não conseguem entender o que isso diz quando dizem que os anjos desceram às filhas dos homens, pois deve ser entendido que os filhos de Sete desceram da montanha sagrada às filhas do maldito Caim. Pois é por causa de sua santidade e de sua habitação no topo da montanha sagrada que os filhos de Sete foram chamados de Bani Elohim, o que significa filhos de Deus. Portanto, aqueles que dizem que os anjos descendem às filhas dos homens estão errados, pois a substância dos anjos é uma substância simples, nem sua natureza pode ser usada para atos sexuais. Porém, o homem, e igualmente todos os que têm vida, possui uma substância complexa, cuja natureza tem um uso sexual. Pois se os anjos pudessem fazer sexo com mulheres, não haveria uma virgem deixada incorrupta entre as filhas dos homens. E quando os filhos de Seth, que haviam descido às filhas do maldito Caim, desejaram subir a montanha sagrada, a pedra da montanha tornou-se fogo, e por isso não foi acessível para eles voltarem a subir a montanha. Depois disso, outros e depois ainda outros desceram da montanha sagrada para as filhas do maldito Caim. 

Traduzido por Jason Colavito

 

 

Agapius of Hierapolis, Kitab al-‘Unwan (c. 940 CE)

O texto segue a História Universal perdida de Teófilo de Edessa (c. 785 CE).

Está escrito que os filhos de Sete, filho de Adão, e seus descendentes, trezentos homens, se reuniram e desceram do monte sagrado aos filhos de Caim na planície ímpia, que havia recebido o sangue de Abel, liderado pelo desejo de ouvir suas peças e suas recreações. As filhas de Caim uniram-se a eles e cometeram adultério com eles. Poucos dias depois, quando quiseram subir a montanha para suas residências e seus domicílios, a montanha se tornou um fogo diante deles, de modo que não puderam se aproximar nem subir ali por causa de seus pecados. Os que estavam na montanha, supondo que era grave a demora de seus companheiros, e vendo que não haviam subido para casa, não cessaram de descer, um após o outro, eles próprios, seus filhos e suas esposas, até que houve apenas Noé que permaneceu na montanha; ele tinha então quinhentos anos e ainda não era casado. Então Deus disse a Noé que enviaria o dilúvio à terra e submergiria a terra e todos os que estão sobre ela. E Noé se levantou, pegou o corpo de Adão, pai da humanidade, desceu da montanha e se casou. Todos os descendentes de Seth e Caim foram devotados ao adultério, caíram de todos os caminhos da pureza e desceram em tudo à categoria de bestas. A primeira causa disso, como já dissemos, foram Tubal-Cain e sua irmã Nahama. O livro sagrado diz sobre este assunto que os filhos dos Anjos flertavam com as filhas dos homens, ou seja, os filhos de Sete e seus descendentes. Então Deus disse a Noé que enviaria o dilúvio à terra e submergiria a terra e todos os que estão sobre ela. E Noé se levantou, pegou o corpo de Adão, pai da humanidade, desceu da montanha e se casou. Todos os descendentes de Seth e Caim foram devotados ao adultério, caíram de todos os caminhos da pureza e desceram em tudo à categoria de bestas. A primeira causa disso, como já dissemos, foram Tubal-Cain e sua irmã Nahama. O livro sagrado diz sobre este assunto que os filhos dos Anjos flertavam com as filhas dos homens, ou seja, os filhos de Sete e seus descendentes. Então Deus disse a Noé que enviaria o dilúvio à terra e submergiria a terra e todos os que estão sobre ela. E Noé se levantou, pegou o corpo de Adão, pai da humanidade, desceu da montanha e se casou. Todos os descendentes de Seth e Caim foram devotados ao adultério, caíram de todos os caminhos da pureza e desceram em tudo à categoria de bestas. A primeira causa disso, como já dissemos, foram Tubal-Cain e sua irmã Nahama. O livro sagrado diz sobre este assunto que os filhos dos Anjos flertavam com as filhas dos homens, ou seja, os filhos de Sete e seus descendentes. caiu de todos os caminhos da pureza e desceu em tudo à categoria de bestas. A primeira causa disso, como já dissemos, foram Tubal-Cain e sua irmã Nahama. O livro sagrado diz sobre este assunto que os filhos dos Anjos flertavam com as filhas dos homens, ou seja, os filhos de Sete e seus descendentes. caiu de todos os caminhos da pureza e desceu em tudo à categoria de bestas. A primeira causa disso, como já dissemos, foram Tubal-Cain e sua irmã Nahama. O livro sagrado diz sobre este assunto que os filhos dos Anjos flertavam com as filhas dos homens, ou seja, os filhos de Sete e seus descendentes.  

E a palavra de Deus e seus mandamentos estavam neles e com eles durante sua estada nas montanhas sagradas. Mas depois de terem flertado com as filhas de Caim e caído dos caminhos da pureza, Deus ordenou a Noé, que tinha quinhentos anos, que construísse um navio; e Deus fixou o limite para ele e contou-lhe sobre o tempo do dilúvio no final de cento e vinte anos. Nisso, Noah se casou, como já dissemos, e teve três filhos, Sem, Cham e Jafeth. E Deus, que Ele seja abençoado e magnificado, mostrou-lhes durante esses anos o arco-íris, na parte inferior do qual havia uma corda de fogo e algumas flechas de fogo; a corda estava apertada; tudo estava em chamas, com uma espada de fogo, que brilhava permanentemente no ar. Isso é explicado no Livro dos Salmos, onde o profeta Davi disse: “Sua espada brilha e seu arco é atingido;  

Deus queria que os homens se arrependessem e renunciassem a seus pecados e erros; mas eles não fizeram penitência e não se arrependeram; pelo contrário, eles caíram em todos os tipos de impiedade e em todos os tipos de hipocrisia. Eles começaram a se matar; quem era mais forte que seu companheiro, o matava e comia para se saciar por causa da falta de animais e feras. Nesses eventos, Deus reduziu o prazo em vinte anos, antecipou a data do dilúvio e fixou-o no final de cem anos. Então Noé tinha seiscentos anos e Sem, seu filho, cem anos. Deus agiu assim por sua misericórdia para com eles, para evitar que fossem desencaminhados, de pecar, do derramamento de sangue entre eles e de comerem uns aos outros.

[…]Certos estudiosos também afirmam que Enoch – isto é, Idris – deu a conhecer, explicou e ensinou as artes da escrita, letras, estrelas (astronomia) e cálculo. Manetho, um estudioso do Egito e astrônomo, afirma que Deus elevou Enoque à esfera giratória e lhe deu a conhecer os signos do zodíaco, que estão ali, as estrelas fixas e errantes, horóscopos, os termos da influência das estrelas , as décadas dos graus, as constelações que existem e os outros mistérios da astrologia. É por isso que se diz que seu livro das estrelas é chamado de livro de significados ocultos. Todos os Harranians, que adoram os ídolos e as estrelas, compartilham a opinião de Manetho, o egípcio. 

Traduzido por Roger Pearse (2008). Tradução completa aqui .

 

 

Al-Mas’udi, Meadows of Gold  (c. 947-956 CE)

Os filhos de Shíth (Seth) travaram guerras com os descendentes de Caim. Uma raça de hindus, que descende de Adão, deriva sua origem dos filhos de Caim. Eles habitam aquela parte da Índia que é chamada Kom ár: deste país o Komári Aloe tem o seu nome. Lúd viveu 962 anos e morreu em Adár (março). Ele foi sucedido por seu filho Akhnukh (Enoque), que é a mesma pessoa que Edris (instrutor), o profeta. Os sabeus acreditam que ele é idêntico a Hermes, cujo nome significa ‘Utárid (o planeta Mercúrio). Deus diz sobre ele em seu livro (Alcorão 19:58), “que o exaltou a um lugar alto.” Ele viveu na Terra 300 anos ou mais. Ele foi o primeiro homem a ensinar os confortos da vida e a costurar com uma agulha. A ele foram revelados trinta livros, e a Shíth vinte e nove, nos quais existem as duas fórmulas: “Não há Deus senão Deus” e “Louvado seja Deus”.

Traduzido por Aloys Sprenger

 

 

Suda , sv “Seth” (século 10 EC)

Seth era o filho de Adão: disto é dito, os filhos de Deus entrou às filhas dos homens; isto é, os filhos de Sete foram ter com as filhas de Caim. Pois, quanto a idade Seth foi chamado Deus, porque ele tinha descoberto letras hebraicas e os nomes das estrelas; mas especialmente por causa de sua grande piedade, de modo que foi o primeiro a levar o nome de Deus.

Traduzido por Sabine Baring-Gould

 

 

Pseudo-Josephus Gorionides, Josippon 2.18 (século 10 EC?)

[Carta de Alexandre a Aristóteles]

Depois de ter entrado na região persa, que é uma província da Índia, cheguei a algumas ilhas do mar, e lá encontrei homens, como mulheres, que se alimentavam de peixe cru, e falavam uma língua muito parecida com o grego; eles me disseram que havia na ilha o sepulcro de um rei muito antigo, que se chamava Cainan, filho de Enos, e que governava o mundo inteiro, e ensinava aos homens todos os tipos de conhecimento, e tinha demônios e todos os tipos de males espíritos sob seu controle. Ele, por sua sabedoria, entendeu que o sempre bendito Deus traria um dilúvio nos tempos de Noé; portanto ele gravou tudo o que estava para acontecer em tábuas de pedra, que existem até hoje, e estão escritos em caracteres hebraicos. Ele escreveu ali que o oceano, naquela época, transbordaria uma terceira parte do mundo, o que aconteceu na vida de Enos, o filho de Seth,Na mesma ilha, Cainan construiu uma cidade muito extensa, cercada de muralhas; e uma grande cidadela de mármore, na qual ele guardava joias e pérolas, e ouro e prata em grande abundância.Além disso, ele ergueu uma torre, muito elevada, sobre um sepulcro para si mesmo, para servir de seu monumento. Esta torre não pode ser abordada por ninguém; pois foi construído pela arte astronômica sob os sete planetas, e com habilidade mágica, de modo que todo aquele que se aproximar da parede é abatido pela morte súbita.Traduzido por Sabine Baring-Gould
 

 

Glossia Ordinaria  em Gênesis 4:21 (século 10 EC?)

<span “font-size:12.0pt;mso-bidi-font-size:11.0pt;=”” font-family:”times=”” roman”,serif;mso-fareast-font-family:calibri;mso-fareast-theme-font:=”” minor-latin;mso-bidi-theme-font:minor-bidi;mso-ansi-language:en-us;mso-fareast-language:=”” en-us;mso-bidi-language:ar-sa”=””><span “font-size:12.0pt;mso-bidi-font-size:11.0pt;=”” font-family:”times=”” roman”,serif;mso-fareast-font-family:calibri;mso-fareast-theme-font:=”” minor-latin;mso-bidi-theme-font:minor-bidi;mso-ansi-language:en-us;mso-fareast-language:=”” en-us;mso-bidi-language:ar-sa”=””>O nome de seu irmão era Jubal. (RAB.) Josefo escreve que este (Jubal) escreveu música em duas colunas, uma de pedra e a outra de tijolo, para que a primeira sobrevivesse a uma inundação e a segunda chamas, que foram os dois julgamentos que Adão disse que viriam.

<span “font-size:12.0pt;mso-bidi-font-size:11.0pt;=”” font-family:”times=”” roman”,serif;mso-fareast-font-family:calibri;mso-fareast-theme-font:=”” minor-latin;mso-bidi-theme-font:minor-bidi;mso-ansi-language:en-us;mso-fareast-language:=”” en-us;mso-bidi-language:ar-sa”=””>Traduzido por Jason Colavito

 

 

O Manuscrito de Caedmon  (MS Junius 11) Gênesis  20.1248-1284 (c. 960 EC)

Foto

 

(ll. 1248-1254) Então os filhos de Deus começaram a tomar para si esposas da tribo de Caim, um povo amaldiçoado, e os filhos dos homens escolheram para elas esposas dentre aquele povo, as belas e encantadoras filhas daquela raça pecaminosa, contra a vontade de Deus. Então o Senhor do céu ergueu Sua voz em cólera contra a humanidade, e disse:

(11. 1255-1262) “Eis que não me esqueci dos filhos dos homens, mas a tribo de Caim me irritou gravemente. Os filhos de Seth ter mexido minha ira contra eles, eles tomaram para si mulheres dentre as filhas de meus inimigos beleza da mulher e graça da mulher e o demônio eterna se apegaram a este povo que habitava de idade em paz “..

(ll. 1263-1284) Cento e vinte invernos numerados no mundo em que o povo predestinado estava ocupado com o mal. Então o Senhor resolveu punir aqueles espíritos infiéis e matar os filhos gigantes pecaminosos, indignos de Deus, aqueles imensos e profanos, repugnantes ao Senhor. O Rei da vitória viu quão grande era a maldade dos homens na Terra e viu que eles eram ousados ​​no pecado e cheios de ardis. Ele resolveu trazer destruição sobre as tribos dos homens e ferir a humanidade com mão pesada. Arrependeu-se Dele muito por ter feito o homem, e o primeiro dos homens, quando criou Adão. Ele disse que pelos pecados dos homens Ele devastaria a terra, e tudo o que há sobre a terra, destruindo todos os seres vivos que respiram o fôlego da vida. Tudo isso o Senhor destruiria nos dias que viriam sobre os filhos dos homens.

Tradução anônima do século XIX do inglês antigo.

 

 

Abu Rayhan al-Biruni,  Chronology of Ancient Nations , p. 24 (1000 CE)

É relatado que Tahmurath ao receber o aviso do Dilúvio – 231 anos antes do Dilúvio – ordenou que seu povo selecionasse um local de bom ar e solo em seu reino. Agora eles não encontraram um lugar que respondesse melhor a essa descrição do que Ispahan. Em seguida, ele ordenou que todos os livros científicos fossem preservados para a posteridade e enterrados em uma parte daquele lugar, o menos exposto a influências desagradáveis. A favor deste relatório podemos afirmar que em nosso tempo em Jay, a cidade de Ispahan, foram descobertos morros que, ao serem escavados, revelaram casas, cheias de muitas cargas daquela casca de árvore, com as quais flechas e escudos estão cobertos, e que se chama  Tuz , trazendo inscrições, das quais ninguém soube dizer o que são e o que significam.

Traduzido por C. Edward Sachau

 

 

George Kedrenos,  A Concise History of the World,  1.16-20 (c. 1050 EC)

<span “mso-bidi-font-size:=”” 12.0pt;line-height:200%;mso-bidi-font-family:”times=”” roman””=””>Seth é registrado como o terceiro filho de Adão. <span “mso-bidi-font-size:=”” 12.0pt;line-height:200%;mso-bidi-font-family:”times=”” roman””=””>Ele se casou com sua própria irmã, chamada Asouam, e gerou Enos. Seth significa ressurreição. Ele também foi chamado de Deus, por causa do brilho de seu rosto, que durou toda a sua vida. Moisés também teve esta graça, e assim se velou quando falou com os judeus, por quarenta anos. Seth deu nomes aos sete planetas e compreendeu a tradição do movimento dos céus. Ele também preparou dois pilares, um de pedra e outro de tijolo e escreveu essas coisas sobre eles. Pois ele previu a ruína universal, que se viesse pela água, o pilar de pedra sobreviveria, e o tijolo se fosse pelo fogo; e o primeiro mesmo agora continua a existir na montanha de Siriad, como Josefo testemunha. Este mesmo Seth inventou as letras hebraicas.E no quadragésimo dia após seu desaparecimento, ele voltou e contou aos protoplastos tudo o que o anjo lhe ensinara. Ele era bonito e bem formado, tanto ele quanto aqueles que nasceram dele, que foram chamados de Vigilantes e Filhos de Deus por causa do brilho da face de Sete. E eles habitaram na terra superior do Éden perto do Paraíso, vivendo a vida de anjos, até o milésimo ano do mundo. […] 

Adão em seu 600º ano repetiu e sabia por revelação o que dizia respeito aos Vigilantes e ao Dilúvio, e ao arrependimento e à Divina Encarnação, e às orações que são enviadas a Deus a cada hora do dia e da noite por todas as criaturas através de Uriel, o arcanjo do arrependimento. […]

Depois de Adão, Seth governou sobre a humanidade. No 1.200º ano da criação do mundo, quando Jarede alcançou quarenta anos de vida e Seth 770, os Vigilantes, ou a progênie de Seth, desceram e foram levados ao erro, pois escolheram esposas para si entre as filhas de Caim, e eles geraram os gigantes famosos. Por causa do justo Seth, esses gigantes tinham grande força, e corpos enormes, e por causa disso eram monstruosos e abomináveis, e por isso esse nome foi imposto a eles. Na verdade, por causa do ímpio Caim, eles se dedicaram com força, coragem e a mais forte resolução a uma vida de homicídio, impiedade e devassidão. Alguns os chamam de pés de cobra, pois com suas almas enfurecidas à maneira das feras venenosas, eles não podiam pensar em nada de bom. Ou, de acordo com alguns relatos, eles tinham o nome de pés de cobra porque alguns deles fizeram guerra contra aqueles que moravam no céu, e com suas mãos e pés e rolos rastejaram no alto de suas barrigas como cobras, das quais muitos deles foram alvejados e mortos por aqueles no alto. Deus no céu matou mais do que alguns deles com bolas de fogo ou raios: Mas quando o resto deles permaneceu impassível por qualquer sentimento de punição, nem puderam ser induzidos a desistir de qualquer parte de sua vida atroz, depois Deus os removeu através do dilúvio universal. Eles juraram no Monte. Hermon toma para si esposas das filhas dos homens ou da descendência de Caim. E esta montanha ganhou seu nome porque lá eles se comprometeram sob juramento mútuo. Eles ensinaram feitiçaria e encantamentos para suas esposas: Primeiro Azael, o décimo de seus príncipes (pois havia 200 de seus príncipes que tinham descido), ensinou-os a fazer espadas e couraças e todos os instrumentos de guerra, e então a cavar das entranhas da terra ouro, prata e os outros metais. Da mesma forma, cada um dos outros príncipes lhes ensinou coisas: o embelezamento do corpo, pedras preciosas e tinturas, ervas e raízes, sabedoria, como neutralizar encantamentos, astronomia e os movimentos das estrelas, astrologia, as propriedades do ar e os signos da terra e do sol e da lua.

<span “mso-bidi-font-size:12.0pt;line-height:=”” 200%;mso-bidi-font-family:”times=”” roman””=””>Traduzido por MR James,  Jason Colavito e o Dicionário de Biografia Cristã

 

 

Targum Yerushalmi ( Targum Pseudo-Jonathan ) em Gênesis 6 (medieval; data contestada)

E foi quando os filhos dos homens começaram a se multiplicar na face da Terra e lindas filhas nasceram deles; e os filhos dos grandes viram que as filhas dos homens eram lindas, pintadas e enroladas, caminhando com revelação da carne e com imaginações de iniqüidade; que eles tomaram para si esposas de todos os que lhes agradaram. E o Senhor disse por Sua Palavra: Todas as gerações de ímpios que hão de surgir não serão purificadas segundo a ordem dos julgamentos da geração do dilúvio, que será destruída e exterminada do meio do mundo. Não dei o Meu Espírito Santo a eles (ou coloquei o Meu Espírito Santo neles) para que façam boas obras? E eis que suas obras são más. Eis que lhes darei um prolongamento de cento e vinte anos, para que operem arrependimento e não pereçam.

Schamchazai e Uzziel, que caíram do céu, estavam na terra naqueles dias; e também, depois que os filhos do Grande entraram com as filhas dos homens, eles deram à luz a eles: e estes são os que são chamados de homens que são do mundo, homens de nomes.

E o Senhor viu que a maldade do homem era grande na terra, e todas as imagens do pensamento de seu coração eram más todos os dias. E o Senhor se arrependeu em Sua Palavra de ter feito o homem na terra; e Ele os julgou por Sua Palavra.

E o Senhor disse: Vou abolir pela Minha Palavra o homem, a quem criei na face da terra, do homem ao gado, ao réptil e às aves do céu; porque me arrependi na Minha Palavra de que os fiz. Mas Noé, que era justo, encontrou graça diante do Senhor.

Traduzido por JW Etheridge (1862).

 

 

Hugo de São Vítor, Adnotationes Elucidatoriae em Pentateuchon em Gen. 11 (c. 1130)

Cham, rei de Bactria, foi conquistado por Ninus e chamado de Zoroastro, o inventor e criador das artes matemáticas do mal (ou seja, astrologia). Ele inscreveu as sete artes liberais em quatorze pilares, sete de bronze e sete de tijolos, contra a possibilidade de um dilúvio, a fim de fornecer utilidade à posteridade. Seus livros de matemática Ninus, tendo obtido a vitória, queimaram.

Traduzido por Jason Colavito.

 

 

Petrus Comestor, Historia Scholastica  (c. 1173 CE)

Liber Gênesis
16 … Deus lançou um sono profundo sobre Adão, não um sono regular, mas um êxtase, no qual ele deveria estar no meio da corte celestial. Deste estado, ele despertou e profetizou o casamento de Cristo e da Igreja, e ele sabia do Dilúvio que viria, e da mesma forma do Julgamento pelo fogo. E depois ele contou a seus filhos.28 … E porque ele (Tubal Cain) tinha ouvido Adão profetizar sobre os dois julgamentos, que as artes que ele inventou não deveriam perecer, ele as inscreveu em duas colunas, a totalidade delas em cada uma. Segundo Josefo, um era de mármore, o outro de tijolo, para que um não fosse dissolvido pelo Dilúvio e o outro não fosse incinerado pelas chamas. Josefo diz que o de mármore ainda estava na terra da Síria. …30Quando Noé tinha quinhentos anos, ele foi pai de Sem, Cão e Jafé (Gênesis 6). E Moisés diz que o Dilúvio foi enviado por este motivo: Quando os homens começaram a se multiplicar sobre a terra, os filhos de Deus, isto é, do piedoso Sete, viram as filhas dos homens, isto é, da raça de Caim, e , conquistados pela luxúria, eles os tomaram por esposas, e daí nasceram os gigantes. O momento em que isso ocorreu, seja sob Noé, ou muito antes dele, ou várias vezes, ou apenas um pouco antes, não foi determinado. Josefo, porém, diz que até a sétima geração os filhos de Sete persistiram na retidão, mas depois se inclinaram para o mal, afastando-se dos ritos de seus pais, e por isso provocaram o próprio Deus contra eles. Na verdade, muitos dos anjos de Deus – isto é, os filhos de Seth – o que quer dizer,Metódio (diz que) a causa do dilúvio foi o homem conhecer o pecado sexual e espalhá-lo. No ano quinhentos do primeiro chiliad, isto é, depois do primeiro chiliad, os filhos de Caim abusaram das esposas de seu irmão com fornicações excessivas. No ano de seiscentos, as mulheres mudaram as coisas e derrubaram os homens que as haviam abusado. Após a morte de Adão, Seth separou sua parentela da parentela de Caim, que havia retornado ao seu solo nativo. Na verdade, enquanto ele (Adão) estava vivo, seu pai não proibiu essa mistura. Seth morava em uma montanha perto do paraíso. Caim morou nas planícies onde matou seu irmão. No quinhentésimo ano do segundo quiliad, homens queimados por outras uniões sexuais. No ano setecentésimo do segundo quiliad, os filhos de Seth cobiçaram as filhas de Caim, e disso nasceram os gigantes. E no início do terceiro quiliad, o Dilúvio inundou a terra. Assim ordena Metódio.É até possível que íncubos demoníacos dêem origem a gigantes, cujo nome deriva da magnitude de seus corpos, assim chamados de Geo , que é a terra. Esses são os íncubos ou demônios que à noite estão acostumados a molestar mulheres; mas mesmo a selvageria de seus corpos correspondia à selvageria de suas mentes. Após o Dilúvio, no entanto, outros gigantes nasceram em Hebron, e mais tarde eles estavam na cidade de Tham no Egito, e foram chamados de Titãs, dos quais era a linhagem dos Enachin ( sic para Anakim), cujos filhos moraram em Hebron , de quem nasceu Golias, e alguns outros. …38  …  Ninus conquistou Ham, que ainda vivia nessa época, e reinou em Bractia [ al. Thracia; sicpara Bactria], e dizem que Zoroastro inventou as artes mágicas e inscreveu as sete artes liberais em quatorze pilares, sete de bronze e sete de tijolo, contra os julgamentos mencionados (de Adão). Na verdade, Ninus queimou todos os seus livros. Pelo mesmo (Ninus) foi assim instituída a idolatria.Traduzido por Jason Colavito.
 

 

Miguel, o Sírio, Crônica (antes de 1199 DC)

1.3. Nos dias de Seth, seus filhos se lembravam da vida abençoada do Paraíso e sonhavam em agradar a Deus por meio de sua pureza; portanto, eles ascenderam ao Monte Hermon e viveram lá nas sagradas ordens, renunciando ao casamento. Por isso eram chamados de Benê Elôhim e “anjos”. […]
 
No ano 40 de Jarede, terminou o primeiro milênio. Naquele ano o Benê Elôhim, que somava duzentos, desceu do Monte Hermon. Vendo que não poderiam retornar ao Paraíso, eles ficaram desanimados e abandonaram a vida angelical. Eles se renderam à carne voluptuosa e nomearam entre si um rei chamado Semiazo. Annianus conta que desceram do Monte Hermon em direção a seus irmãos, os filhos de Sete e Enos, que não quiseram dar-lhes esposas por terem falhado em cumprir sua promessa. Então, em vez disso, eles foram para os filhos de Caim, tomaram esposas e geraram poderosos gigantes que eram saqueadores, assassinos famosos e renomados, e também bandidos ousados.
 
1.4.O primeiro rei foi Adão; Seth o sucedeu. Em sua época, a concórdia e a paz que reinavam entre os homens [eram aplicadas] às boas obras no temor e no amor de Deus. Quando aqueles que foram chamados de “anjos” e “filhos de Deus” caíram, eles multiplicaram problemas, batalhas e assassinatos. Eles escolheram Semiazo para seu rei. Os filhos de Seth que viviam no norte, no terceiro clima, que é chamado de região inferior, tornaram-se seus imitadores e os imitaram. Eles aprenderam com a malícia dos filhos de Caim e seguiram seu exemplo. Eles também colocaram entre si um primeiro rei, Aloros, em imitação de Semiazo. Ele reinou por dez sáris . Havia então dois reinos.
 
Depois Aloros caldeu, outras nove reinou sucessivamente até o dilúvio, todos os caldeus, cujo número de anos foi calculado pelos caldeus e [expressa] de acordo com os nomes da época em Sares , neres e sosses. — O primeiro foi Aloros, um caldeu da Babilônia, que reinou 10 sares, ou seja, 98 anos e 230 dias. O segundo, seu filho Alaparos, reinou três sares, ou seja, 29 anos e 215 dias. O terceiro era Almelon, um caldeu, da cidade de Pantibiblon; Ele reinou 13 sares, ou seja, 128 anos e 80 dias. O quarto, Ammenon, um caldeu, também de Pantibiblon, reinou 12 sares, ou seja, 118 anos e 130 dias. O quinto, Amegalaros, também de Pantibiblon, reinou 18 sares, ou seja, 177 anos e 195 dias. O sexto, Daonos o pastor, também de Pantibiblon, reinou 10 sares, ou seja, 98 anos e 230 dias. O sétimo, Eudorancos, também de Pantibiblon, reinou 18 sares, ou seja, 177 anos e 195 dias. O oitavo, Amempsinos, de Laranchon, reinou 10 sares, ou seja, 98 anos e 230 dias. O nono, Otiartes, também da cidade de Laranchon reinou 8 sares, ou seja, 78 anos e 330 dias. O décimo, seu filho Xisoutros, reinou 18 sares, ou seja, 177 anos e 195 dias, e todos os anos juntos somaram 1.183 anos e 205 dias. No tempo deste último foi o Dilúvio, conforme consta nos livros dos Caldeus. Esses 1.183 anos e 205 dias somados aos 10.583 anos durante os quais não havia rei, e durante os quais Adão e Sete governaram, preenchem o espaço de tempo que vai de Adão até o Dilúvio, que ocorreu na época de Noé, e formou um total de 2.242 anos, de acordo com o Livro Sacerdotal. No tempo deste último foi o Dilúvio, conforme consta nos livros dos Caldeus. Esses 1.183 anos e 205 dias somados aos 10.583 anos durante os quais não havia rei, e durante os quais Adão e Sete governaram, preenchem o espaço de tempo que vai de Adão até o Dilúvio, que ocorreu na época de Noé, e formou um total de 2.242 anos, de acordo com o Livro Sacerdotal. No tempo deste último foi o Dilúvio, conforme consta nos livros dos Caldeus. Esses 1.183 anos e 205 dias somados aos 10.583 anos durante os quais não havia rei, e durante os quais Adão e Sete governaram, preenchem o espaço de tempo que vai de Adão até o Dilúvio, que ocorreu na época de Noé, e formou um total de 2.242 anos, de acordo com o Livro Sacerdotal.
 
1.8. […] Da raça de Seth eram aqueles que subiam na montanha e eram chamados de Benê Elôhim . Tendo quebrado sua promessa, eles desceram e se misturaram com as filhas de Caim. Eles cometeram impiedade. Um império foi formado, o primeiro rei do qual foi Semiazo. Este império durou até o Dilúvio, no qual todos eles pereceram.Traduzido por Jason Colavito
 

 

Crônicas de Jerahmeel 24-26 (século 12, mas com material anterior)

Capítulo 24
… 5 O ímpio Lemech teve duas esposas, ‘Ada e Ṣillah, e’ Ada deu à luz a Jabal; ele foi o pai dos que vivem em tendas e alimentam o gado. Ele descobriu o trabalho pertencente aos pastores e fez tendas e currais para o gado, um para as ovelhas e outro para os bois, distintos uns dos outros. Ele também inventou as fechaduras que são feitas para evitar que os ladrões entrem na casa, que são semelhantes a este, χ. E o nome de seu irmão era Jubal, o pai de todos os que tocam harpa e flauta. 6Nessa época, os habitantes da terra começaram a cometer violência, a contaminar uns aos outros e acender a ira do Senhor. Eles começaram a cantar com a harpa e a flauta de cana, e a se divertir com todos os tipos de canções que corrompiam a terra. Este Jubal descobriu a ciência da música, de onde surgiram todas as melodias para os dois instrumentos acima. Essa arte é muito boa. 7 E aconteceu que, quando ele ouviu os julgamentos que Adão profetizou sobre as duas provações que viriam sobre seus descendentes pelo dilúvio, a dispersão e o fogo, ele escreveu a ciência da música sobre dois pilares, um de mármore branco, e a outra de tijolo, para que se uma se derretesse e se desfizesse por causa da água, a outra se salvaria. 8E Sillah deu à luz Tubal Cain, que forjou todos os instrumentos de ferro para a guerra, e era um artífice em todos os tipos de ferragens. Ele também descobriu a arte de unir chumbo e ferro, a fim de temperar o ferro e tornar a lâmina mais afiada. Ele também inventou as pinças, o martelo, o machado e outros instrumentos de ferro. Tubal trabalhava em todos os tipos de estanho e chumbo, ferro e cobre, prata e ouro. Então os homens começaram a fazer imagens de escultura para adoração. A irmã de Tubal Cain chamava-se Naamah. Foi ela quem inventou todos os tipos de instrumentos usados ​​para tecer e costurar seda, lã e linho, e toda a arte do extravagante e do tecelão. 9Nos dias de Enos, os homens começaram a ser designados pelos nomes de príncipes e juízes, para serem feitos deuses, aplicando-se a eles o nome do Senhor. Eles também ergueram templos para eles, mas na época de Re’u todos foram derrubados. 10 Aconteceu que quando o homem começou a se multiplicar sobre a face da terra, os filhos de Elohim – isto é, a semente de Sete – olharam para as filhas do homem – isto é, a semente de Caim – e as levaram esposas de todas as que escolheram e geraram os gigantes que povoaram a terra nos dias de Noé. 11Durante toda a vida de Adão, os filhos de Sete não se casaram com a semente de Caim, mas quando Adão morreu, eles se casaram. Os filhos de Sete moraram nas montanhas perto do Jardim do Éden, enquanto Caim morou nos campos de Damasco, onde Abel foi morto. Por sete gerações os descendentes de Sete se mantiveram justos, mas daí em diante eles se tornaram ímpios. Foi por essa razão que Deus se arrependeu de ter feito o homem. 12Da semente de Sete e Caim surgiram os gigantes, que, por sua altivez de espírito, caíram e se tornaram corruptos e, portanto, foram arrastados pelas águas do dilúvio e, portanto, foram chamados de ‘Nefilim’ (os caídos) . Eles reivindicaram o mesmo pedigree dos descendentes de Seth, e se compararam a príncipes e homens de ascendência nobre – filhos de Elohim, senhores e juízes. A respeito deles, é dito: ‘Portanto, como o homem, morrereis, e como como os príncipes caireis.’Capítulo 25
1Uma vez perguntaram a R. Joseph qual era a história de Shemhazai e Azael, e ele respondeu: ‘Quando a geração de Enos se levantou e adorou ídolos, e quando a geração do dilúvio surgiu e se extraviou, Deus se entristeceu por ter criado o homem , como está dito: “E o Senhor se arrependeu de ter feito o homem, e Ele se entristeceu no coração”. 2 Então dois anjos, cujos nomes eram Shemḥazai e ‘Azael, apareceram diante de Deus e disseram: “Ó Senhor do universo, não dissemos a Ti quando criaste o Teu mundo:’ Não crias o homem ‘?” como está dito: “O que é o homem, para que te lembres dele?” “Então o que será do mundo?” disse Deus. Eles responderam: “Vamos nos ocupar com isso.” 3Deus disse: “É revelado e bem conhecido por Mim que se porventura você tivesse vivido naquele mundo terreno, a inclinação do mal o teria influenciado tanto quanto governa os filhos dos homens, mas você seria mais teimoso do que eles . ” “Dá-nos a Tua sanção, então, e vamos descer entre as criaturas, e então verás como santificaremos o Teu nome.” “Desce”, disse o Senhor, “e habita no meio deles.” Imediatamente, Ele permitiu que a inclinação do mal os influenciasse. 4 Assim que desceram e viram que as filhas do homem eram lindas, começaram a se divertir com elas, como está dito: “Quando os filhos de Elohim viram as filhas do homem”, eles não puderam conter sua inclinação. 5Shemhazai viu uma garota cujo nome era Esṭirah. Quando ele a viu, disse: “Ouça meu pedido.” Mas ela respondeu: “Não te ouvirei até que me ensines o nome pela menção do qual és capaz de subir ao céu.” Ele imediatamente lhe ensinou o Nome Inefável. 6 Ela então pronunciou o Nome Inefável e, assim, ascendeu ao céu. Deus disse: “Já que ela se afastou do pecado, vá e coloque-a entre as estrelas” – é ela quem brilha intensamente no meio das sete estrelas das Plêiades; para que ela seja sempre lembrada, Deus a fixou entre as Plêiades. 7Quando Shemhazai e ‘Azael viram isso, tomaram para si esposas e geraram filhos. O primeiro gerou dois filhos, cujos nomes eram Heyya e Aheyya. E ‘Azael foi nomeado chefe de todas as tinturas e de todos os tipos de ornamentos pelos quais as mulheres atraem os homens a pensamentos de pecado.8 ‘Deus então enviou a Metatron um mensageiro a Shemhazai, e disse-lhe: “Deus destruirá Seu mundo e trará sobre ele um dilúvio”. Shemhazai então ergueu a voz e chorou alto, pois estava profundamente preocupado com seus filhos e sua própria iniqüidade. “Como meus filhos viverão e o que comerão, e se o mundo for destruído, o que será de meus filhos, pois cada um deles come 1.000 camelos, 1.000 cavalos e 1.000 bois por dia?” 9Uma noite, os filhos de Shemhazai – Heyya e Aheyyah – tiveram sonhos. Um sonhou que viu uma grande pedra espalhada sobre a terra como uma mesa, toda ela coberta de escrita. Um anjo desceu do céu com uma faca na mão e apagou todas as linhas, exceto uma linha com quatro palavras nela. 10 O outro sonhou que viu um lindo jardim, plantado com todos os tipos de árvores e coisas bonitas. Um anjo desceu do céu com um machado na mão e cortou todas as árvores, de modo que restou apenas uma árvore com três ramos. 11Ao acordarem, ficaram muito confusos e, indo até o pai, relataram seus sonhos. Ele disse a eles: “Deus está prestes a trazer um dilúvio sobre o mundo, para destruí-lo, de modo que restará apenas um homem e seus três filhos”. Eles então choraram de angústia e choraram, dizendo: “O que será de nós, e como nossos nomes serão perpetuados?” “Não se preocupem com seus nomes. Heyya e Aheyya nunca cessarão da boca das criaturas, porque cada vez que os homens levantam pedras pesadas, ou navios, ou qualquer carga ou fardo pesado, eles suspiram e chamam seus nomes. ” Com isso, seus filhos ficaram satisfeitos (aquietados).12 ‘Shemhazai se arrependeu e se suspendeu entre o céu e a terra, de cabeça para baixo, porque ele não ousou aparecer diante de Deus, e ainda está suspenso entre o céu e a terra.13 ‘Azael, entretanto, não se arrependeu. Ele é designado sobre todos os tipos de corantes que induzem o homem a cometer pecado, e ele ainda continua a pecar. Portanto, quando os israelitas costumavam trazer sacrifícios no dia da expiação, eles lançavam um lote para o Senhor para que pudesse expiar as iniqüidades dos israelitas, e um lote para Azael para que ele pudesse carregar o fardo da iniqüidade de Israel. Este é o ‘Azazel que é mencionado nas Escrituras.’Capítulo 26
… 14 E Lemech tomou duas esposas. Ada deu à luz Jabal, o pai de todos os que moram em tendas, e Jubal, o pai de todos os que tocam harpa e flauta de cana. 15Então os habitantes da terra começaram a cometer violência e a contaminar as esposas de seus vizinhos, acendendo assim a ira do Senhor. E eles então começaram a tocar harpa e flauta de cana, e a se divertir com todo tipo de música, corrompendo a terra. Este mesmo Jubal descobriu a ciência da música, de onde surgiram todas as melodias dos dois instrumentos acima citados. Esta é uma grande ciência, como expliquei em seu devido lugar (acima). 16E aconteceu que, quando Jubal ouviu a profecia de Adão a respeito dos dois julgamentos que viriam sobre o mundo por meio do dilúvio, a dispersão e o fogo, ele escreveu a ciência da música sobre dois pilares, um de branco fino de mármore e a outra de tijolo, de modo que, no caso de um derreter e ser destruído pelas águas, o outro se salvaria. 17 E Sillah deu à luz Tubal Cain, que costumava afiar todos os instrumentos de ferro para a guerra, e trabalhava em toda espécie de ferro. Ele também inventou a arte de unir chumbo e ferro, para temperar o ferro e tornar a lâmina mais afiada. Ele também inventou as pinças, o martelo, o machado e todos os instrumentos de ferro. 18A irmã de Tubal Cain era Na’amah. Foi ela quem inventou a arte de tecer e costurar seda, lã e linho, e toda a arte do extravagante e do tecelão. Ṣillah também gerou Miza e Tipa. Tubal trabalhava com estanho, chumbo, ferro, cobre, prata e ouro. Então os homens começaram a fazer imagens de escultura para sua adoração. 19 ‘Ada também deu à luz Jabal, que era o pai dos que moram em tendas e cuidam do rebanho. Ele descobriu o trabalho pertencente aos pastores, e fez tendas e currais para o gado, um para as ovelhas e outro para os bois, distintos uns dos outros. Ele também inventou as fechaduras, para evitar que ladrões entrassem na casa, assim, χ.Capítulo 32
3 … Desta terra Assur, isto é, Ninus, o filho de Bel, o filho de Ninrod, saiu.4  Ninus derrotou Zoroastres, o Sábio, que descobriu a arte da Nigromancia,  ou seja , Nagirā. Ele reinou em Bractia (Bactria), e escreveu as sete ciências (ou artes) em quatorze pilares, sete de latão e sete de tijolo, para que fossem à prova de água – do dilúvio – e do fogo – do dia do julgamento. Mas Ninus o derrotou e queimou os livros da sabedoria.  E Ninus escreveu (?) Outro livro de sabedoria. 

Traduzido por Moses Gaster (1899).
 

 

Gervase de Tillbury, Otia Imperiala 1.20 (1211)

(…) Jubal inventou tendas e ensinou a humanidade a dividir e manejar rebanhos. Jubal era chamado de pai de todos os que tocam harpa e órgão; não porque ele foi o inventor deles, pois eles não foram inventados até muito tempo depois, mas porque ele foi o inventor da música, isto é, da harmonia, para que o pastor <span “font-size:12.0pt;mso-bidi-font-size:11.0pt;=”” font-family:”times=”” roman”,serif;mso-fareast-font-family:calibri;mso-fareast-theme-font:=”” minor-latin;mso-bidi-theme-font:minor-bidi;mso-ansi-language:en-us;mso-fareast-language:=”” en-us;mso-bidi-language:ar-sa”=””>’s labuta pode ser transformada em prazer. E porque ele tinha ouvido Adão profetizar dois julgamentos, ele escreveu todo o sistema em cada uma das duas colunas, uma das quais era de tijolo, a outra de mármore, para que uma não fosse lavada por uma inundação, nem a outra perecesse no fogo. Josefo narra que o pilar de mármore ainda existe na terra de Siriad. […] Alguns relatam que Zoroastro, o inventor da magia, cujo outro nome era Ham, filho de Noé, ensinou a Abraão o conhecimento das estrelas; pois Zoroastro ainda estava vivo nos dias de Abraão e então reinou na Báctria. Ele foi conquistado por Ninus, filho de Bel, e rei dos assírios. Agora Zoroastro havia inscrito as quatorze artes liberais em quatorze pilares; sete eram de latão e sete de tijolo, para que sobrevivessem ao julgamento pela água ou pelo fogo. Mas Ninus queimou seus livros. Além do mais, Abraão, sendo hábil nas estrelas, instituiu o ano do jubileu; isto é, a remissão de cativos a cada cinquenta anos.

Traduzido pelo Rev. HB Taylor.

 

 

<span “font-size:12.0pt;mso-bidi-font-size:11.0pt;=”” font-family:”times=”” roman”,serif;mso-fareast-font-family:calibri;mso-fareast-theme-font:=”” minor-latin;mso-bidi-theme-font:minor-bidi;mso-ansi-language:en-us;mso-fareast-language:=”” en-us;mso-bidi-language:ar-sa”=””>Murtada ibn al-‘Afif, A História do Egito (antes de 1237 dC)

<span “font-size:10.0pt;font-family:”charis=”” sil”;=”” mso-fareast-font-family:”times=”” roman”;mso-ansi-language:en-us;mso-fareast-language:=”” en-us;mso-bidi-language:ar-sa”=””>Posteriormente, Deus enviou a Sete vinte e nove folhas [de sabedoria]. Ele viveu na montanha e Cabel  (isto é, Caim) construiu no fundo do vale. Seth viveu novecentos e doze anos, e teve como sucessor seu filho Enos, que viveu novecentos e cinquenta anos, e nomeou como seu sucessor após sua morte seu filho Cainan, em cujo favor ele fez seu último testamento, e depois distribuiu a Terra entre os filhos de seus filhos. <span “font-size:10.0pt;=”” font-family:”charis=”” sil”;mso-fareast-font-family:”times=”” roman”;mso-ansi-language:=”” en-us;mso-fareast-language:en-us;mso-bidi-language:ar-sa”=””>Cainan<span “font-size:10.0pt;font-family:”charis=”” sil”;mso-fareast-font-family:”times=”” roman”;=”” mso-ansi-language:en-us;mso-fareast-language:en-us;mso-bidi-language:ar-sa”=””> morreu com novecentos e vinte anos, e fez seu último testamento em favor de seu filho Mahalel. Em sua época, o templo quadrado foi construído. Ele morreu com novecentos e setenta e cinco anos, e nomeado como sucessor seu filhoJared, a quem ensinou todas as ciências e contou tudo o que estava para acontecer no mundo. Ele considerou as estrelas e leu o livro dos segredos do Reino, que foi enviado do Céu a Adão: então ele teve que seu filho Enoque, que é Idris, que<span “font-size:10.0pt;font-family:”charis=”” sil”;mso-fareast-font-family:”times=”” roman”;=”” mso-ansi-language:en-us;mso-fareast-language:en-us;mso-bidi-language:ar-sa”=””> a paz de <span “font-size:10.0pt;font-family:”charis=”” sil”;mso-fareast-font-family:”times=”” roman”;=”” mso-ansi-language:en-us;mso-fareast-language:en-us;mso-bidi-language:ar-sa”=””>Deus <span “font-size:10.0pt;font-family:”charis=”” sil”;mso-fareast-font-family:”times=”” roman”;=”” mso-ansi-language:en-us;mso-fareast-language:en-us;mso-bidi-language:ar-sa”=””>esteja com ele. <span “font-size:10.0pt;font-family:”charis=”” sil”;mso-fareast-font-family:”times=”” roman”;=”” mso-ansi-language:en-us;mso-fareast-language:en-us;mso-bidi-language:ar-sa”=””>[…]  Espíritos falavam com ele [Enoch-Idris]; ele conhecia os nomes da subida e descida, e subia e descia, e girava a esfera, e conhecia os significados das estrelas e tudo o que estava para acontecer, e gravou todas as ciências em pedras e tijolos. 

Adaptado da tradução de John Davies .

 

 

Al-Qazwini, Maravilhas de Criaturas e as Coisas Estranhas Existentes (antes de 1238 CE)

É relatado nas histórias que uma raça de Jinn nos tempos antigos, antes da criação de Adão, habitou a terra e a cobriu, a terra e o mar, e as planícies e as montanhas; e os favores de Deus foram multiplicados sobre eles e tiveram governo e profecia e religião e lei; mas eles transgrediram e ofenderam e se opuseram aos seus profetas, e fizeram a maldade abundar na terra: então Deus, cujo nome é exaltado, enviou contra eles um exército de anjos, que tomou posse da terra, e expulsou os Jinn para o regiões das ilhas, e fez muitos deles prisioneiros; e entre aqueles que foram feitos prisioneiros estava ‘Azazīl (posteriormente chamado de Iblīs, devido ao seu desespero), e um massacre foi feito entre eles. Naquela época, ‘Azazīl era jovem; ele cresceu entre os anjos [e provavelmente por esse motivo foi chamado de um deles], e tornou-se instruído em seu conhecimento, e assumiu o. governo deles; e seus dias foram prolongados até que ele se tornou o chefe; e assim continuou por muito tempo, até que o caso entre ele e Adão aconteceu, como Deus, cujo nome é exaltado, disse: ‘Quando dissemos aos Anjos, Adorem Adão, e [todos] adoraram exceto Iblis, [ que] era um] dos Jinn ‘(Sūrah L. 49).
 
Traduzido por Edward William Lane (adaptado por Thomas Patrick Hughes).
 

 

O Zohar , Bereishit (c. Século 13 dC)

58  ‘“Pela palavra’ carne ‘”, disse Rabi Simeon, “entende-se o anjo da morte, enquanto as palavras’ os dias do homem serão cento e vinte anos ‘significam o fio ou cordão de prata. é denominado, será quebrado que une corpo e alma. Está escrito: ‘Havia nefalins (gigantes, caídos) na terra naqueles dias.’ ”(Gênesis 6, 4).

Disse o Rabino José: “Os nefalins aqui mencionados eram os anjos Aza e Azael, que o Santo atirou do céu para a terra. Se a pergunta for feita, como eles poderiam existir na terra em um estado tão diferente do que desfrutavam no céu? ”

Disse o Rabino Hiya: “Eles eram daquela classe de anjos de quem as escrituras dizem ‘e aves que voam sobre a terra’ (Gênesis 1, 20), e que se manifestam à humanidade, em forma humana. Ao descer à terra, eles são capazes de assumir várias formas que se materializam e, portanto, são visíveis aos olhos mortais. Esses anjos rebeldes Aza e Azael lançados sobre a terra se encarnaram em corpos materiais dos quais eles não puderam se livrar depois. Encantadas e superadas com a beleza das filhas dos homens, elas continuam vivendo até hoje, ensinando os homens e iniciando-os na arte e na ciência mágicas. Eles geraram filhos que foram denominados anakim (gigantes), Giborim (poderosos). Tais eram os anjos caídos que anteriormente eram chamados de filhos de Deus. ”

Traduzido por Nurho de Manhar (1912).

464 Quando as gerações de Caim estavam andando no mundo, elas igualariam e aplainariam a terra, e eram semelhantes aos anjos acima e às pessoas abaixo. É assim porque Caim era da sujeira de SAM que veio sobre Eva, e que era um anjo, bem como do sêmen de Adão. Por causa do poder dos filhos de Caim, com suas caminhadas, eles transformaram as montanhas e os vales da terra em uma planície. Quando Aza e Azael caíram de seu lugar de Kedusha de cima, eles viram as filhas dos homens e pecaram com elas, gerando filhos. Eles são como está escrito: “Os caídos estavam na terra naqueles dias, e também depois, quando os filhos de Deus vieram às filhas dos homens e geraram filhos”.

465 Os filhos de Caim eram filhos dos deuses porque quando SAM apareceu sobre Eva, ele lançou sujeira nela e ela concebeu e deu à luz a Caim. Portanto, sua forma não era semelhante à do resto do povo porque ele era filho de um anjo. Da mesma forma, todos aqueles que vieram do lado de Caim foram chamados de “filhos dos deuses” porque sua aparência era a de anjos, que são chamados de “deuses”.

468 Dois anjos do céu, Aza e Azael, disseram ao Criador: “Se estivéssemos na terra, como o homem, seríamos justos”. O Criador disse a eles: “Você pode superar a inclinação do mal, que está governando na terra?” Eles disseram a Ele: “Nós podemos”. Prontamente, o Criador os largou do céu. Quando desceram à terra, a inclinação para o mal entrou neles, como foi dito: “E tomaram para si mulheres”. Eles pecaram e foram arrancados de sua Kedusha .

Traduzido pelo  Rabino Yehuda Ashlag em kabbala.info.

 

 

Vicente de Beauvais, Speculum historiale 1.101 (c. 1250-1260 CE)

Ninus conquistou Cham, que ainda estava vivo na época e reinava na Báctria. Ele foi chamado de Zoroastro, inventor das artes mágicas, e ele descobriu as sete artes liberais. Ele as inscreveu em quatorze colunas, sete de bronze e sete de tijolos contra o fogo e a inundação. Ninus queimou seus livros.

Traduzido por Jason Colavito.

Al-Juzjani, Tabaqat-iN asiri 1 (c. 1259-1260 CE)

No tempo de Unnush [Enosh], um filho de Adam chamado Nabaṭī [ sic para al-Yaqza , os Vigilantes], com seus filhos, retirou-se para as montanhas de Jarmūn [Hermon] e se dedicou à religião, e muitos outros se juntaram a ele. Desde a morte de Adão até este período, de acordo com Abū Ma’shar-i-Munajjim, [citado] no Qānūn-al-mas’ūdī[de al-Bīrūnī], foi de 432 anos. Depois de algum tempo, Nabaṭī e seus descendentes desceram das montanhas e se juntaram aos descendentes de Ḳābīl [Cain], que havia tomado posse das colinas de Shām e partes ao redor, que aumentaram além da computação. Iblīs [o Diabo] havia ensinado a eles a adoração do fogo; e embriaguez, e todos os tipos de outros pecados graves prevaleciam entre eles. Mil anos se passaram desde a morte de Adão, e os filhos rebeldes de Ḳābīl e Nabaṭī começaram a agir tiranicamente. Eles escolheram um deles para governá-los, que se chamava Sāmīārush [Semjaza]; e entre eles e os outros descendentes de Adão, que eram apenas pessoas, surgiu hostilidade e inimizade.

Os filhos de Shīs [Seth], e outros descendentes de Adão que reconheceram a autoridade de Shīs, se reuniram e escolheram um dos Kārānīān Maliks, que são denominados Bāstānīān Maliks, para defendê-los da maldade dos filhos de Ḳābīl e Nabaṭī; e esta, a primeira pessoa entre os reis retos e justos que eles estabeleceram, é denominada Aylūrūs [Aloros, o primeiro rei antediluviano da Babilônia de Berossus] no Yūnānī [Jônico; isto é, idioma grego]; e os Yūnānīs dizem que ele é o mesmo que os ‘Ajamīs chamam pelo nome de Gaiū-mart. Ele foi intitulado Gil-Shāh e foi o primeiro rei da dinastia Gil-wānīān, que também chamou a dinastia Pesh-Dādīān e Bāstānīān. Quando Aylūrūs se tornou rei, 1024 anos se passaram desde a queda de Adão, e a terra de Bābil tornou-se a sede de seu governo, e os filhos justos de Shīs, e outros descendentes justos de Adão o obedeceram. Quando 1162 anos se passaram, os países de ‘Arab,’ Ajam, Shām e Maghrab tornaram-se colonizados; e de acordo com oQānūn-al-mas’ūdī , antes do dilúvio de Nūh, onze reis da dinastia Gil-wānīān reinaram.

Adaptado da tradução de Major HG Raverty.

 

 

Bar Hebraeus, Chronography 1, pp. 4-6 (1286 CE)

Depois que ADAM [veio] SETH, seu filho. No tempo de SETH, quando seus filhos se lembraram da vida abençoada [que eles levaram] no PARAÍSO, eles subiram à montanha de HERMON, e lá eles levaram uma vida casta e sagrada, estando longe de relações carnais (ou casamento ); e por esta razão eles foram chamados de ‘IRE (isto é,’ Vigilantes ‘e’ Filhos de ‘ALOHIM’ (= Filhos de Deus)). Agora SETH, tendo duzentos e cinco anos, gerou ‘ANOSH; e todos os anos que SETH viveu foram novecentos e doze anos.

Depois de SETH [veio] ‘ANOSH, seu filho. Ele anunciou que invocaria o Nome do Senhor. Agora, embora ele tenha se submetido ao casamento, ele não foi negligente em agradar a Deus, e ele o fez mais do que aqueles que escolheram uma vida de virgindade e que subiram [a montanha de HERMON], mas que não permaneceram em sua aliança. ‘ANOSH tinha cento e noventa anos quando gerou KAINAN, e todos os seus anos foram novecentos e cinco. Depois de ‘ANOSH [veio] KAINAN, seu filho, que com a idade de cento e setenta anos gerou MAHLALA’IL; e todos os anos de sua vida foram novecentos e dez anos.

E depois de KAINAN [veio] MAHLALA’IL seu filho, que com a idade de cento e sessenta e cinco anos gerou YARD; e todos os anos de sua vida foram oitocentos e noventa e cinco anos.

E depois de MAHLALA’IL [veio] YARD seu filho, que, quando ele tinha cento e sessenta e dois anos de idade gerou HANOKH (ENOCH); e todos os anos de sua vida foram novecentos e sessenta e dois anos. E no quadragésimo ano [da vida] de YARD, ou seja, no ano mil do mundo, os Filhos de Deus, cerca de duzentas almas, desceram da montanha de HERMON, porque haviam perdido toda a esperança de um retorno ao PARAÍSO. E porque eles desejavam relações carnais com mulheres, seus irmãos, os filhos de SETH e ANOSH, os desprezavam e os consideravam como transgressores do pacto, e eles se recusaram a lhes dar suas filhas. E por causa disso eles (isto é, os homens de HERMON) foram aos filhos de CAIN, e tomaram esposas, e geraram homens poderosos de nome, isto é, homens notórios por assassinatos e roubos. Além disso,

O primeiro era um homem cujo nome era ‘ALOROS.
E o segundo era ‘ALPAROS.
E o terceiro era ‘ALMILON.
E o quarto foi ‘AMMANON.
E o quinto foi MIGHALAROS.
E o sexto era ‘AONOS, o pastor.
E o sétimo foi ‘AODHORANBOS.
E o oitavo era ‘AMPESIS.
E o nono era ‘AOTYARTIS,
E o décimo era KSISOTHROS (ou KSISORTHOS) seu filho, em cujos dias a INUNDAÇÃO ocorreu.

Todos esses eram KHALDHAYE, isto é, SÍRIOS ANTIGOS, de acordo com a tradição dos primeiros escritores. E porque a maior parte [desses] escritores eram GREGOS, eles mudaram os sons dos nomes caldeus e não os pronunciaram como eram pronunciados no estilo caldeu. Pois eis que, também, no caso de ‘NOH’ (NOAH), que é um nome sírio puro e é derivado de nawha , eles (isto é, os gregos) o chamam de ‘NOACHOS’. E não são apenas os [escritores] antigos que fazem isso, mas as pessoas que vivem em nossos dias têm o hábito de mudar a pronúncia [das palavras], assim YA’KOB, que [é derivado] de ‘Ekbha é chamado de ‘AIAKOBHOS’, e BAR-SAWMA eles chamam de ‘SOMOS’; e muitos outros.

E depois de YARD [veio] HANOKH (ENOCH), que na idade de cento e sessenta e cinco anos gerou MATHUSHLAH (METHUSELAH). E tendo agradado a Deus por trezentos anos, ele foi transladado para o lugar onde Deus queria que ele [estivesse], e é dito, para o Paraíso, o lugar onde o primeiro ADÃO estava quando ele transgrediu o comando nos dias antigos. Ora, este ENOCH tornou manifesto diante de cada homem o conhecimento dos livros e a arte de escrever. Os antigos gregos dizem que ENOCH é HARMIS (HERMES) TRIS-MAGHISTOS (o ‘TRÊS GRANDE’), e foi ele quem ensinou os homens a construir cidades; e ele estabeleceu leis maravilhosas. E em seus dias foram construídas cento e oitenta cidades; dos quais o menor é URHAI (EDESSA). E ele inventou a ciência das constelações e os cursos (órbitas?) Das estrelas. E ele ordenou que os filhos dos homens adorassem a Deus e jejuassem, orassem, dessem esmolas, [fizessem] ofertas votivas e [pagassem] dízimos. E ele rejeitou os alimentos [que produziam] impurezas e embriaguez. E ele ordenou festivais para a entrada do sol em cada signo do zodíaco, e para a lua nova, e para cada estrela (planeta?) Quando entrar em sua casa ou quando nascer. E ele ordenou [aos homens] que apresentassem ofertas de perfumes (incenso doce?), E animais para abate sacrificialmente, e vinho, e ofertas de primícias de toda espécie. E eles dizem que ele recebeu toda esta doutrina (ou, aprender) de ‘AGHATHODAHMON (AGATHODAIMON), e eles também dizem que’ AGHATHODAHMON era SETH, o filho de ‘ADHAM, isto é, o sacerdote do sacerdote de ENOCH. E eles também dizem que ‘

Traduzido por EA Wallis Budge (1932)

 

 

Egídio de Zamora, Ars Musica 2 (c. 1300)

Depois de reproduzir o relato de Petrus Comestor sobre Tubal Caim e os Pilares, Egídio continua:

Deve-se notar, além disso, que Zoroastro (chamado por alguns de Cham), o inventor das artes mágicas, inscreveu elegantemente as sete artes liberais em quatorze pilares. Sete dos pilares eram de bronze e sete de tijolo, para resistir ao Dilúvio e ao fogo mencionados acima.

Traduzido por James McKinnon (1974).

 

 

Ovide moralisé 1.2405-2423 (início do século 14 DC)

Cham fez sete pilares de mármore
E sete de tijolo, sobre os quais escreveu
As sete ciências que possuía.
Ele fez isso porque sabia
que viria duas vezes o tempo em que
a terra seria destruída, uma
vez pela água e outra pelas chamas. Ele não queria
que as ciências perecessem,
E então, para que elas não perecessem,
No mármore, que não se dissolveria,
Não importa quanto tempo ficasse submerso,
E por medo do julgamento vindouro,
Ele inscreveu os sete artes liberais e ciências.
E ele os inscreveu em tijolos – porque as chamas
só tornariam as artes mais sólidas
Quanto mais secos e mais duros se tornavam –
Para preservar sua memória.
Este Cham, de quem esta história fala,
é chamado Zoroastro.Traduzido por Jason Colavito.
 

 

Ranulf Higden, Polychronicon  (c. 1326-1342 CE)

Livro 2
 … Petrus [Comestor] . Os filhos de Sete foram bons até a sétima geração; mas depois disso os homens abusaram dos homens e as mulheres abusaram das mulheres. Genesis . Os filhos de Deus vieram às filhas dos homens, ou seja, os filhos de Sete às filhas de Caim, gerando gigantes. Petrus . E pode ser que os espíritos gerassem gigantes, nos quais a imensidão de alma correspondia à imensidão de seus corpos. Mas outros gigantes nasceram em Hebron após o grande dilúvio, e outros em Than, uma cidade do Egito, que eram chamados de Titãs, da linhagem de quem era Enachim, cujos filhos moravam em Hebron, de quem veio Golias. Josefo. Os homens daquela época, sabendo por Adão que deveriam perecer pela água ou pelo fogo, escreveram artes que haviam adquirido trabalhando em duas grandes colunas. Uma coluna era de mármore, contra o fluxo de água; aquela outra era de tijolo ( lateritia ), contra a queima de fogo; pois deveria ser salvo dessa maneira para ajudar a humanidade. Eu digo que a coluna de pedra logo escapou do dilúvio e dizem que ainda permanece na Síria.  9  … Petrus, capítulo 36 . […]  Ninus, o filho de Belus, após a morte de seu pai obteve a Assíria […] Ele derrotou até Cham, que é Zoroastro, rei de Bactria, que escreveu as sete artes liberais em quatorze pilares, em sete de latão e sete de tijolo, para salvá-los contra qualquer inundação [ Rudolf omite  <span “font-size:12.0pt;mso-bidi-font-size:11.0pt;=”” font-family:”times=”” roman”,serif;mso-fareast-font-family:calibri;mso-fareast-theme-font:=”” minor-latin;mso-bidi-theme-font:minor-bidi;mso-ansi-language:en-us;mso-fareast-language:=”” en-us;mso-bidi-language:ar-sa”=””>“ Ou chama <span “font-size:12.0pt;mso-bidi-font-size:11.0pt;=”” font-family:”times=”” roman”,serif;mso-fareast-font-family:calibri;mso-fareast-theme-font:=”” minor-latin;mso-bidi-theme-font:minor-bidi;mso-ansi-language:en-us;mso-fareast-language:=”” en-us;mso-bidi-language:ar-sa”=””>” ]. Nilus também queimou seus livros.Adaptado de uma tradução inglesa anônima do século XV, com restaurações da tradução de 1387 de John Trevisa.
 

 

Al-Maqrizi, Al Khitat 2,80 (c. 1400 CE)

O templo de Akhmim estava entre os melhores e maiores [no Egito]. Os egípcios o construíram para armazenar seu trigo porque foram avisados ​​com antecedência sobre a chegada do Dilúvio. Mas eles discordaram sobre a natureza da destruição; de acordo com alguns, seria um fogo que queimaria tudo na superfície da terra; de acordo com outros, seria uma inundação. Portanto, eles construíram este templo antes do Dilúvio. Nele, eles retratam retratos dos reis que governaram o Egito. O templo foi construído com blocos de mármore, cada um medindo cinco côvados de largura e dois côvados de espessura. Incluía sete quartos construídos com pedras, cada uma com dezoito côvados de comprimento e cinco de largura; essas pedras foram cobertas com tinta da cor de lápis-lazúli e outros tons, e para quem as vê, essas pinturas parecem ter sido executadas hoje, pois são tão perfeitas.

Traduzido por Jason Colavito.

 

 

Manuscrito de Matthew Cooke (maçônico), fólios 12-15 (c. 1450 dC)

ee que a outra pedra que não afundará na água e essa pedra é chamada de latres, e então eles planejaram escrever todas as ciências que haviam encontrado nessas 2 pedras, [para que] se aquele Deus se vingasse, pelo fogo, que o mármore não deve queimar. E se Deus mandou vingança, por água, para que o outro não se afogasse, e então eles oraram a seu irmão mais velho Jabal que [ele] fizesse 2 colunas destas 2 pedras, isto é, de mármore e de latres, e que ele escreveria nos 2 pilares toda a ciência [s] e ofícios, que todos eles haviam encontrado, e assim o fez e, portanto, podemos dizer que ele era mais astuto na ciência, pois ele primeiro começou e executou o antes de Noé enchente. [para que] se aquele Deus se vingasse, pelo fogo, que o mármore não queimasse. E se Deus mandou vingança, por água, para que o outro não se afogasse, e então eles oraram a seu irmão mais velho Jabal que [ele] fizesse 2 colunas destas 2 pedras, isto é, de mármore e de latres, e que ele escreveria nos 2 pilares toda a ciência [s] e ofícios, que todos eles haviam encontrado, e assim o fez e, portanto, podemos dizer que ele era mais astuto na ciência, pois ele primeiro começou e executou o antes de Noé enchente. [para que] se esse Deus se vingasse, pelo fogo, que o mármore não queimasse. E se Deus mandou vingança, por água, para que o outro não se afogasse, e então eles oraram a seu irmão mais velho Jabal que [ele] fizesse 2 colunas destas 2 pedras, isto é, de mármore e de latres, e que ele escreveria nos 2 pilares toda a ciência [s] e ofícios, que todos eles haviam encontrado, e assim o fez e, portanto, podemos dizer que ele era mais astuto na ciência, pois ele primeiro começou e executou o antes de Noé enchente.

Por gentileza, sabendo dessa vingança, que Deus enviaria, seja por fogo ou água, os irmãos não a tinham como uma profecia, eles sabiam que Deus enviaria uma delas e, portanto, escreveram sua ciência [ s] nas 2 colunas de pedra, e alguns homens dizem que escreveram nas pedras todas as 7 ciências, mas como [tinham] em sua mente que uma vingança viria. E foi assim que Deus enviou vingança para que viesse tal dilúvio que todo o mundo se afogou, e todos os homens morreram nele, exceto 8 pessoas, E esse foi Noé, e sua esposa, e seus três filhos, e suas esposas , dos quais vieram 3 filhos em todo o mundo, e seus nomes foram nomeados desta maneira, Shem, Ham e Japhet. E esse dilúvio foi chamado de dilúvio de Noé, pois ele e seus filhos foram salvos nele. E depois dessa enchente, muitos anos,Polychronicon diz que um grande escrivão chamado Pitágoras encontrou aquele, e Hermes, o filósofo, encontrou aquele outro, e eles ensinaram as ciências que encontraram nele escritas.

Ortografia modernizada. Nota: O material atribuído ao Polychronicon  no último parágrafo não aparece naquele texto e é uma referência aparente a Petrus Comestor, que comparou Tubal Cain ( sic  para Jubal) e Pitágoras como inventores da música.

 

 

Livro de Jasher 2: 11-13 (c. 1500 EC)

11 E Cainan cresceu e tinha quarenta anos, e ele se tornou sábio e tinha conhecimento e habilidade em toda a sabedoria, e ele reinou sobre todos os filhos dos homens, e ele conduziu os filhos dos homens à sabedoria e ao conhecimento; pois Cainã era um homem muito sábio e tinha entendimento em toda a sabedoria, e com sua sabedoria ele governou sobre espíritos e demônios; 12 E Cainan sabia por sua sabedoria que Deus destruiria os filhos dos homens por terem pecado na terra, e que o Senhor nos últimos dias traria sobre eles as águas do dilúvio. 13 E naqueles dias Cainan escreveu em tábuas de pedra, o que aconteceria no tempo por vir, e ele as colocou em seus tesouros.

Tradução anônima de 1887.

 

 

Manuscrito de Buchanan maçônico  (c. 1660)

4. Se você perguntar como esta Ciência [ da Geometria] começou, direi: antes do dilúvio de Noé havia um homem chamado Lameque: como você pode encontrar no quarto capítulo de Genisis, que tinha duas esposas, o nome de uma era Ada: e o nome da outra era Zillah: de sua primeira esposa Adah hee teve dois filhos, o nome do Ancião era Jaball: e o outro se chamava Juball: e de sua outra esposa Zillah hee teve um filho chamado Tuball e uma filha chamada Naamah: Estes quatro filhos encontraram o início de todos os Ofícios do mundo: E o filho mais velho Jaball encontrou o Ofício de Geometrye e separou rebanhos de ovelhas e terras no campo e primeiro construiu uma casa de stoone e madeira como é notado no capítulo acima mencionado: e seu irmão Juball encontrou o Ofício de Musicke songe de língua harpe órgão e Trumpett: E o terceiro irmão Tuball encontrou o Smith ‘s Habilidade para trabalhar em Ouro Prata Brasse Cobre Ferro e Steele e a filha Naamah encontraram a Arte da Tecelagem: e essas crianças sabiam que Deus se vingaria dos pecados seja pelo fogo, seja pela água, pelo que escreveram as ciências que encontraram em dois pilares de pedra para que pudessem ser encontrados depois que Deus se vingasse por seno, um era mármore e não queimaria com fogo: o outro era Latrão e não se afundaria nas águas.
 
V. Resteth mais para lhe contar como foram encontradas as pedras nas quais as Ciências foram escritas após o dito dilúvio o grande Hermarynes que era Tusses seu Sonne o que era o filho de Sem o filho de Noé o mesmo Hermarynes foi posteriormente chamado de Hermes o pai dos sábios: ele encontrou uma das duas colunas de pedra e hee encontrou as ciências escritas nela e as ensinou a outros homens. 
 

 

Manuscrito Maçônico de Alnwick (1701)

Como esta valiosa Ciência foi iniciada pela primeira vez, direi. Antes do Dilúvio de Noé, havia um homem chamado Lameck, como está escrito no capítulo 4 de Gen .: e este Lameck tinha duas esposas. Uma se chamava Ada e a outra Zila; Pela primeira esposa Adah ele obteve dois Filhos, um chamado Jaball, e o outro Juball, e pela outra esposa Zillah ele teve um Filho e uma Filha, e os quatro filhos encontraram o início de todos os Ofícios Tuball Cain no mundo. Este Jaball era o Filho mais velho, e ele encontrou o e Naamah Ofício de Geométrica, e ele separou rebanhos, como de Ovelhas e Cordeiros nos campos, e primeiro construiu Casas de Pedra e Árvore, como é notado no Chape acima mencionado, e seu irmão Juball encontrou o artesanato de Música, de Canções, Órgãos e Harpa.

O Terceiro Irmão descobriu o ofício de Smith para trabalhar Ferro e aço, e sua irmã, Naamah, descobriu a arte da Tecelagem; Essas crianças sabiam que Deus tomaria a vingança por Sinne, seja pelo fogo ou pela água, pelo que escreveram essas Ciências que haviam encontrado em Dois Pilares de Pedra, para que pudessem ser encontradas após o Dilúvio.

Uma pedra foi chamada de Marbell – não pode queimar com fogo, e a outra foi chamada de Laturus, que não pode se afogar na água:

Nossa intenção é dizer a você com sinceridade e de que maneira essas pedras foram encontradas nas quais a ciência foi escrita.

O Grande Hermemes que era Filho de Cush, que era Filho de Shem, que era Filho de Noé: Este mesmo Hermemes foi posteriormente chamado de Hermes o Pai da Sabedoria, ele encontrou um dos Dois Pilares de Pedras, e encontrou a Ciência escrita nele, e ele ensinou a outros homens.

 

 

Thomas Webb, The Freemason‘s  Monitor 2.1.10 (1797)

Enoque sendo inspirado pelo Altíssimo, e em comemoração a uma visão maravilhosa, construiu um templo subterrâneo e o dedicou a Deus. Matusalém, filho de Enoque, construiu o prédio, sem conhecer os motivos de seu pai.

Isso aconteceu naquela parte do mundo que mais tarde foi chamada de terra de Canaã, e desde então conhecida pelo nome de Terra Santa.

Enoque fez com que uma placa triangular de ouro fosse feita, cada lado com um côvado de comprimento; ser enriquecido com as pedras mais preciosas, e incrustado o prato sobre uma pedra de ágata, da mesma forma. Ele então gravou nele os caracteres inefáveis ​​e colocou-o sobre um pedestal triangular de mármore branco, que depositou no arco mais profundo.

Quando o templo de Enoque foi concluído, ele fez uma porta de pedra e colocou nela um anel de ferro, pelo qual poderia ser erguido ocasionalmente; e colocou-o sobre a abertura do arco, para que os assuntos nele contidos pudessem ser preservados da destruição universal iminente. E ninguém, exceto Enoque, sabia do tesouro que os arcos continham.

E eis que a maldade da humanidade aumentou mais e se tornou grave aos olhos do Senhor, e Deus ameaçou destruir o mundo inteiro. Enoque, percebendo que o conhecimento das artes provavelmente se perderia na destruição geral, e desejoso de preservar os princípios das ciências, para a posteridade daqueles a quem Deus quisesse poupar, construiu dois grandes pilares no topo da montanha mais alta, a de bronze, para resistir à água, a outra de mármore, para resistir ao fogo; e ele gravou na coluna de mármore, hieróglifos, significando que havia um tesouro muito precioso escondido nos arcos sob o solo, que ele havia dedicado a Deus. E ele gravou na coluna de latão os princípios das artes liberais, particularmente da alvenaria.

[…] O dilúvio ocorreu no ano mundial de 1656, e destruiu a maioria dos magníficos monumentos da antiguidade. O pilar de mármore de Enoque caiu na destruição geral; mas, com a permissão divina, a coluna de latão resistiu à água, por meio do qual o antigo estado das artes liberais, e particularmente da alvenaria, foi transmitido a nós.

 

 

George Oliver, Antiquities of Freemasonry , capítulo 4 (1823)

Enoque praticava a Maçonaria, da qual ele agora era nomeado Grão-Mestre, com tal efeito, que Deus concedeu, por revelação imediata, comunicar a ele alguns mistérios peculiares, em sinal de sua aprovação. O mais valioso deles, de acordo com as antigas tradições, era aquele NOME OU PALAVRA SAGRADA, que exige nossa máxima veneração e permite ao homem refletir sobre a bondade de seu Criador com renovados sentimentos de reverência e devoção.

Com o aumento da degeneração da humanidade, Enoque os exortou a abandonar seus caminhos injustos e imitar a pureza de seus antepassados. Ele pressionou sobre eles a natureza de suas obrigações; ele reiterou seu dever para com Deus e o homem; mas a fascinação do prazer embriagou tanto seus sentidos, que as advertências sóbrias da razão e do dever foram pouco consideradas. Ele, portanto, convocou uma assembléia especial de maçons em quem pudesse confiar, e na presença de Adão, Seth, Jared, seu pai, e Matusalém, seu filho, enumerou a maldade acumulada do homem e os enormes males que estavam desolando a terra; e implorou seu conselho e assistência para conter a torrente de impiedade que ameaçava uma corrupção universal. Foi aqui que Adão comunicou aquela terrível profecia, de que toda a humanidade, exceto algumas pessoas,

A partir dessa informação, Enoque formou seus planos para preservar o conhecimento que havia adquirido, em meio à devastação que necessariamente acompanhava a calamidade prevista. Os sagrados mistérios confiados a seus cuidados ocuparam sua primeira e mais ansiosa solicitude. Sendo inspirado por seu Criador, e em comemoração a uma visão maravilhosa na montanha sagrada,no qual esses segredos sublimes foram revelados a ele, ele construiu um templo nas entranhas da terra, cuja entrada era por meio de nove vários pórticos, cada um sustentado por um par de pilares, e curiosamente escondido da observação humana. A profundidade perpendicular deste templo era de trinta e um pés da superfície. Enoch, Jared e Methusaleh foram os três arquitetos que construíram este edifício subterrâneo; mas os dois últimos não estavam familiarizados com os motivos secretos que influenciaram Enoque em fazer com que esta caverna fosse cavada. Os arcos foram formados nas entranhas de uma montanha, que mais tarde foi denominada Calvário, na terra de Canaã; e o templo foi dedicado ao Deus vivo.

Ele então fez uma placa de ouro na forma de um triângulo equilátero, cada um de cujos lados tinha 45 centímetros; que ele enriqueceu com pedras preciosas e incrustou em uma ágata triangular das mesmas dimensões. Nesta placa ele gravou os personagens inefáveis ​​que ele tinha visto em sua visão; e sozinho, em silêncio e solidão, ele desceu através dos nove portais do templo e colocou este tesouro inestimável sobre um pedestal cúbico de mármore branco.

Quando o templo foi concluído, Enoque fez nove portas secretas de pedra e as colocou na entrada dos portais, com um anel de ferro inserido em cada uma para a facilidade de elevação, caso algum homem sábio e bom de eras futuras fosse conduzido para explorar os recessos secretos desta abóbada sepulcral. Ele então fechou tudo, para que os segredos ali depositados permanecessem em perfeita segurança em meio à destruição antecipada da humanidade; pois o conteúdo deste templo não foi confiado a nenhum ser humano. Enoque fazia visitas ocasionais ao templo, com o propósito de oferecer suas orações e ações de graças de uma maneira peculiar ao Deus que havia concedido somente a ele tais favores distintos.

À medida que o mundo aumentava em perversidade e a ameaça de destruição se aproximava visivelmente cada vez mais perto, Enoque, tremendo pelo destino daquelas artes e ciências úteis que havia inventado ou aprimorado, procedeu sem demora para providenciar sua transmissão para épocas futuras: para o realização disso, seu conhecimento das letras emprestou a maior facilidade. Em uma alta montanha, portanto, ele ergueu dois grandes pilares, um de mármore e outro de latão, para preservar os verdadeiros princípios da ciência para o benefício de um mundo futuro; o primeiro dos quais ele concebeu resistiria ao fogo e o último à água.Nelas ele gravou os elementos das ciências liberais, incluindo a Maçonaria; e também uma notificação de que ele havia escondido um tesouro valioso nas entranhas da terra, que continha a essência e o fim da Maçonaria, e foi consagrado ao único Deus vivo e verdadeiro. Que aquele que tem SABEDORIA o encontre!

Enoque percebendo que os homens não se reformavam, a partir de suas repetidas exortações, instituiu aquela forma de excomunhão conhecida entre os cristãos primitivos pelo nome de Maranatha, sendo derivada de Maran, o Senhor, e Ath, fogo. Depois de dar-lhes uma advertência solene sobre a punição terrível que aguardava sua iniqüidade obstinada, ele renunciou ao governo para seu filho Lameque; e em seu fervoroso pedido de morte, agradou a Deus transladá-lo da Loja na terra para a Loja acima, onde sua piedade foi recompensada com glória eterna. Sua exortação de despedida foi calculada para despertar a humanidade de sua letargia, se eles não estivessem mortos para todos os impulsos, exceto o do vício. “Eis”, diz ele, “o Senhor vem, com dez mil de seus santos, para executar julgamento sobre todos, e para convencer todos os que são ímpios entre eles de todas as suas ações ímpias que eles cometeram ímpios, e de todas as suas palavras duras que pecadores ímpios falaram contra ele. ” (Judas 14-15)

Sendo libertado de um monitor a quem eles olhavam com algum grau de temor e reverência, a humanidade procedeu à gratificação ilimitada de suas paixões rebeldes, sem medo de contenção. A fascinação exercida pelos Cainitas era muito poderosa para os filhos de Seth resistirem, e suas mentes foram rapidamente contaminadas com as abominações da idolatria; eles adoravam o exército do céu; eles ergueram santuários em honra de divindades rurais imaginárias; e finalmente Tubal Cain foi exaltado à dignidade de um deus, sob o nome de Vulcano.Esta foi a primeira vez que um mortal foi deificado e ocorreu na sétima geração a partir de Adão. A esse deus os egípcios posteriormente atribuíram os atributos de presciência, poder e duração ilimitada ou imortalidade. Enquanto o reinado de outros deuses foi confinado dentro de certos e específicos limites, o reinado de Vulcano foi declarado sem fim.

 

 

Charles T. McClenachan, O Livro do Rito Antigo e Aceito da Maçonaria Escocesa, “Royal Arch of Enoch”  (1868)

Enoque, aceitando sua visão como inspiração, viajou em busca da montanha que vira em seu sonho, até que, cansado da busca, parou na terra de Canaã, então já populosa com os descendentes de Adão, e ali empregou trabalhadores ; e com a ajuda de seu filho Matusalém, ele escavou nove apartamentos, um acima do outro, e cada um coberto com um arco, como ele tinha visto em seu sonho, o mais baixo sendo escavado na rocha sólida. No topo de cada arco deixou uma abertura estreita, fechada com uma pedra quadrada, e sobre a superior construiu um templo modesto, sem teto e de enormes pedras brutas, ao Grande Arquiteto do Universo.

Sobre uma placa triangular de ouro, incrustada com muitas pedras preciosas, ele gravou o nome inefável de Deus e afundou a placa em uma das faces de um cubo de ágata.

Ninguém sabia do depósito do precioso tesouro; e, para que pudesse permanecer sem ser descoberto e sobreviver ao Dilúvio, que era conhecido por Enoque, logo dominaria o mundo em um vasto mar de lama, ele cobriu a abertura, a pedra que a fechava e o grande anel de ferro usado para erguer a pedra, com o pavimento de granito de seu primitivo templo.

Então, temendo que todo o conhecimento das artes e ciências se perdesse no dilúvio universal, ele construiu duas grandes colunas em uma colina alta – uma de bronze, para resistir à água, e outra de granito, para resistir ao fogo. Na coluna de granito estava escrita em hieróglifos uma descrição dos apartamentos subterrâneos; no de latão, os rudimentos das artes e das ciências.

A coluna de granito foi derrubada e varrida, e transformada em uma massa informe pelo Dilúvio, mas a de latão permaneceu firme e foi encontrada por Noé.

 

Deixe uma resposta