Novo sermão do Pr. Samuel Ramos reacende o fogo da esperança de que Jesus Cristo breve virá




Pertencemos à última geração, que presenciará os acontecimentos finais em rápida sucessão após seis mil anos de pecado. O sétimo milênio está para começar.

3 comentários em “Novo sermão do Pr. Samuel Ramos reacende o fogo da esperança de que Jesus Cristo breve virá”

  1. Tenho pesquisado este assunto desde 2009 e, também, cheguei a mesma conclusão. Fiz, inclusive, um gráfico com a linha do tempo desde a semana da criação até o dilúvio e obtive uma data próxima a que o Pr. Samuel mencionou. Prossegui o meu estudo, passando pelo nascimento, batismo e morte de Jesus, e cheguei até os nossos tempos. Como resultado, concluí que a data possível da volta de Jesus será entre 2027 e 2031.
    Um detalhe que descobri e que quero compartilhar, pois o Pr. Samuel não falou a respeito, é sobre o ANO DO JUBILEU, que foi instituído por Moisés após a saída dos hebreus do Egito.
    O Ano do Jubileu era uma celebração realizada a cada 50 anos, na qual era apregoada a LIBERDADE na terra a todos os seu moradores, conforme Levítico 25:10. Em suma, as dívidas eram perdoadas, os servos eram libertados e a posse da terra era resgatada.
    Segundo os historiadores, a última vez que o Jubileu ocorreu em Israel foi por volta do ano 27 dC. A seguinte, seria no ano 77. Mas, como bem sabemos, Jerusalém foi destruída pelo exército romano no ano 70 e os judeus que sobreviveram ao massacre foram levados como escravos. Com isso, nunca mais houve o Ano do Jubileu nas terras de Israel.
    Quase 2 mil anos já se passaram e, conforme a contagem do tempo, o próximo Ano do Jubileu, deveria ser por volta de 2027. Se essa celebração não tivesse sido interrompida, é claro. Seria coincidência? Ou tudo faz parte de um plano divino? Se Jesus voltar nesse ano terá tudo a ver com a essência do Ano do Jubileu, pois a Terra e os seus moradores serão, enfim, LIBERTADOS de Satanás e do pecado.

  2. Citando Apc.20, o pregador reitera que serão sacerdotes e irão reinar; todo o sacerdote exerce um ministério em favor de outros e quem reina deve ter súbditos. Quem são esses “outros/súbditos”? Que tipo de sacerdócio/ministério e reinado/governo?

Deixe um comentário