Funcionário deslumbrado da Novo Tempo enxerga o que não existe nos vídeos de Michelson Borges




Assista com atenção a vinheta de abertura desse e de outrs vídeos de Michelsn Borges.

Uma grande explosão (big bang), seguida pela imagem do globo em movimento. Cidades e civilizações que passam depressa. Fita do DNA, fósseis de dinossauros, cidade destruída pelpo fogo, um tigre, a Bíblia, um Grande Olho (que tudo vê!) e por fim, a volta de Cristo! Essa é a sequência e imagens que compõem a vinheta de abertura dos vídes de Michelson Borges.

Evidentemente, a explosão inicial tem a ver com a crença do “criacionismo científico” no Big Bang, que teria dado origem ao universo, surgimento das galáxias e suposta colocação do “planeta” Terra em movimento, com civilizações que se desenvolveram e até alteraram o DNA de homens e animais, antes da extinção dos dinossauros…

Mas o irmãozinho da Novo Tempo entrevistado por Michelsn Borges no vídeo acima, viu na explosão uma referência à volta de Cristo e alega ter sido beneficiado espiritualmente por essa vinheta. Aliás, Michelson Borges chegou a usar a frase “o poder de uma vinheta” como título para seu vídeo. Não se trata então do poder de Deus, através da vinheta. Ridículos.

Na comentada vinheta, a única referência ao segundo advento é a cena final, que, aliás, retrata a volta de Cristo no modelo de uma Terra plana, em que o céu pode se abrir, o firmamento se enrola como um pergaminho, sol escurece, ua não dá sua luz, estrelas caem, e Jesus desce do Céu, a casa do Pai, sobre as nuvens e todos os olhos O podem ver simultaneamente, o que não aconteceria numa bola molhada giratória, rodopiando no espaço infinito…

Veja também:




O cientificismo cristão é a mistura entre o cristianismo e as ideias da astronomia moderna difusora do heliocentrismo e até possui uma escatologia própria divorciada da verdade revelada nas Escrituras. Eles acreditam que o poder de Deus se revela em um universo gigantesco em expansão, em uma galáxia que gira em torno de si mesma, em conceitos derivados da “física” relativista, deusa gravidade, evolucionismo e também creem que para a Bíblia ser crida e aceita como um livro sério ela deve se coadunar com tais proposições formuladas por seus sacerdotes supremos que são os “cientistas” e — por tabela — seus acólitos “astronautas”.

O reconhecimento da possibilidade de conquista espacial e viagens ao “espaço sideral” faz parte dessa “teologia”. Um lixo regurgitado sobre a mente dos mais fracos que o absorvem (para dano) em suas mentes e almas como “alimento” e alimento “espiritual”. O sucesso da falácia tem sido eficaz!

Milhões de cristãos pelo mundo acreditam nesse dogma cientificista que contaminou a verdadeira compreensão da realidade. Há casos muito sérios da doença provacada por essa mistura antibíblica porque encontro cristãos chegarem ao cúmulo de afirmar crer em extraterrestres e em viagem temporal! Parábens! Diria o diabo. E deve dizer…

Deixe um comentário