Leia e descubra se você é ou não um escravo da Babilônia econômica e o que fazer para ser liberto

Adaptado de “Stylo Urbano”

O Sistema de Escravidão pelo Dinheiro da Babilônia alimenta o lado egoísta e ganancioso de nossa natureza, ao invés do lado amoroso e gentil de nosso caráter. Não podemos fazer nada no momento sem dinheiro. Precisamos comer, precisamos de cuidados médicos, precisamos de moradia entre outras coisas. Não deveria ser assim…

Há centenas de anos, o mundo está sob o controle de um pequeno grupo de banqueiros e aristocratas europeus. Eles criaram o Sistema de Escravidão pelo Dinheiro da Babilônia. Este sistema tem o poder de controlar e escravizar a todos nós completamente. Além dos humanos, nenhum outro ser vivo neste planeta depende de dinheiro para viver.

O mundo todo é escravizado por um “elite” formada principalmente pela realeza europeia e algumas famílias de banqueiros. A família do império bancário Rothschild é a mais conhecida, mas são apenas a fachada usada pela Nobreza Negra (realeza europeia) que comanda tudo. Os banqueiros/Nobreza Negra controlam as máquinas de impressão de dinheiro para que tenham dinheiro ilimitado.

Eles se certificam de que tenhamos o mínimo possível, então ficamos desesperados e vamos até eles e nos tornamos seus escravos por mais dinheiro. O dinheiro é então devolvido a eles por meio de contas, multas e dívidas. Esses banqueiros utilizam seu papel estampado com números para pagar políticos, policiais e militares para proteger seu império de escravos.

Temos que trabalhar para obter dinheiro, senão não temos comida, energia, roupas, abrigo, etc. Poderíamos viver numa economia orientada para os recursos, mas isso é desaprovado pelas “autoridades”, que nos obrigam a trabalhar e competir para ganhar mais dinheiro. Isso ocupa a maior parte do nosso tempo. Não temos tempo para pensar, sonhar, seguir nossos impulsos criativos. Tudo o que queremos fazer, cada ideia que temos, geralmente custa dinheiro, cada hobby custa dinheiro.

Algumas pessoas se sentem totalmente constrangidas por esse sistema escravista e perdem toda a esperança. Eles se voltam para as drogas e o álcool para encontrar algum tipo de alívio. Acabam morando nas ruas sem nada. Pessoas e famílias podem passar a vida inteira em estado de pobreza, sem saída. Isso cria uma sociedade gananciosa e egoísta.

As pessoas farão qualquer coisa para subir na escada social e ganhar mais dinheiro. As pessoas se tornam implacáveis ​​e indiferentes. São capazes de fazer qualquer barbaridade por dinheiro. O dinheiro é apenas papel estampado lastreado em NADA.

O Sistema de Escravidão pelo Dinheiro da Babilônia é feitiçaria lançada contra a humanidade

A “elite globalista”, dona dos bancos centrais, pode imprimir papel com números à vontade e comprar o mundo todo. A feitiçaria dos banqueiros é fazer todos acreditarem que o dinheiro é seu Deus.

O Banco Central para os Bancos Centrais do Mundo é o Banco para Compensações Internacionais sediado na Basileia/Suíça, e controlado pela família satânica globalista Rothschild. A arquitetura do banco foi inspirada na Torre da Babel, retratada na Bíblia. Não é nenhuma “coincidência”.

Os emprestadores de dinheiro FIAT da Sinagoga de Satanás ainda estão no controle até hoje. Jesus açoitou o covil das víboras no templo e foi crucificado três dias depois.

O ex-presidente americano John F. Kennedy foi assassinado pelo cartel bancário ao assinar a Ordem Executiva 11110 que devolvia ao governo dos Estados Unidos o poder de emitir moeda, sem passar pelo Federal Reserve, criado por banqueiros privados que trabalham para a realeza europeia.

A parábola do “Sonho Americano”




A animação “O Sonho Americano” (acima) mostra como somos enganados pelos bancos e pelo governo a serviço dessas instituições. Ele trata do contexto do Estados Unidos mas é o mesmo golpe em quase todos os países do mundo (incluindo o Brasil). Você sabe como o dinheiro é criado? Ou como funciona um banco? Veja o desenho animado até o fim.

Conclusão cristã

A confiança plena em Deus, ou a certeza de que realmente “Deus proverá”, pode nos livrar dessa escravidão econômica, que leva ao trabalho ininterrupto. A fé plena fará com que deixemos de priorizar a permanência no emprego, que nos impede, por exemplo, de cessar as atividades profissionais durante o sábado indicado por Deus como dia sagrado a ser dedicado ao próximo que precisa de ajuda (Isaías 58).

“Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de aborrecer-se de um e amar ao outro, ou se devotará a um e desprezará ao outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas.

“Por isso, vos digo: não andeis ansiosos pela vossa vida, quanto ao que haveis de comer ou beber; nem pelo vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo, mais do que as vestes?

“Observai as aves do céu: não semeiam, não colhem, nem ajuntam em celeiros; contudo, vosso Pai celeste as sustenta. Porventura, não valeis vós muito mais do que as aves?

“Qual de vós, por ansioso que esteja, pode acrescentar um côvado ao curso da sua vida?

“E por que andais ansiosos quanto ao vestuário? Considerai como crescem os lírios do campo: eles não trabalham, nem fiam. Eu, contudo, vos afirmo que nem Salomão,em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles. Ora, se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, quanto mais a vós outros, homens de pequena fé?

“Portanto, não vos inquieteis, dizendo: Que comeremos? Que beberemos? Ou: Com que nos vestiremos? Porque os gentios é que procuram todas estas coisas; pois vosso Pai celeste sabe que necessitais de todas elas; buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.” — Mateus 6:24-33

Para nos libertar desse sistema, precisamos guardar os mandamentos de Deus e manter essa fé de Jesus.

 

Deixe um comentário