Raio mata 16 em Igreja Adventista! Deus ainda pune Seu povo como antigamente?

Sábado 10 de março de 2018, por volta do meio-dia, um raio caiu numa igreja Adventista em Ruanda, no meio do sermão, e matou 16 adoradores da Trindade instantaneamente. E há mais gente em condições críticas!

O fato levanta muitas questões: Castigo de Deus, ou mero incidente em que aleatoriamente foram vítimas adoradores do Deus Trindade? Qual vai ser o impacto sobre a comunidade Adventista local? Não existe a hipótese do fato ter sido ignorado pelo único Deus Verdadeiro, afinal nem um passarinho cai, sem que Ele saiba. Continuar lendo

Vergonha: Pastores adventistas acusados de sequestrar e mandar matar colega foram condenados em Angola

Começado há pouco mais de um ano, o processo que ficou conhecido como “rapto do Pastor Adventista do Sétimo dia”, no caso Daniel Cem, chega, finalmente, ao fim, esta sexta-feira 29, quando o juiz da causa, apresentar a sentença, na sala de audiências da décima terceira secção dos crimes comuns, do Tribunal Provincial de Luanda, Dona Ana Joaquina, sito no Golf Estoril, ao Município do Kilamba Kiaxi, em Luanda.

O processo que conta com sete réus, todos dirigentes da Igreja Adventista do Sétimo dia, em Angola, cujo ofendido e queixoso é Daniel Cem, outro pastor da mesma Igreja, surge depois de este último ter sido raptado por elementos, segundo a acusação do Ministério Público, ligados àquela igreja, mandatados pelos Pastores, hoje, réus, tendo à testa Teixeira Vinte, Secretário da União e um confesso “inimigo de estimação” de Daniel Cem, por sinal seu sogro.

Continuar lendo.

Leigo compara caso de pastores de Angola à renúncia de Presidente da Conferência Geral

“O caso do pastor Daniel Cem Vs Teixeira Vinte com acusação de rapto, extorsão, chantagem… é o epicentro de uma igreja corrupta, dividida por questões tribais e regionalismo. A ganância dos fies é visível. O caso esta entregue à justiça. O tempo nos mostrou o verdadeiro rosto dos líderes desta igreja em Angola.”

Leia mais no Www.AngoAdventistas.Com.

Líderes da IASD acusados de raptar pastor para impedir que subisse de cargo na União

A Decima Terceira Secção dos crimes comuns, do Tribunal Provincial de Luanda, começou a julgar, na manhã desta sexta-feira, 29 de Setembro de 2017, os Réus envolvidos no caso do rapto de um Pastor da Igreja Adventista do Sétimo Dia, ocorrido na zona do Golf, ao Kilamba Kiaxi.

Segundo o Advogado de acusação, Alcíneo Cristóvão, os réus que já estiveram detidos como medida cautelar, responsáveis de áreas importantes daquela Igreja orquestraram o rapto, que considera violento, contra um outro Pastor, Daniel Cem, com o intuito de impedir a ascensão deste a um cargo de maior dimensão. Continuar lendo

‘Acho que nunca voltarei pra casa’, diz adventista leiga angolana que se refugiou em SP

EMILIO SANT’ANNA, DE SÃO PAULO

09/03/2016 02h00

Maria (nome fictício) refugiada angolana, que chegou ao Brasil fugindo da perseguição em seu país

Maria (nome fictício) refugiada angolana, que chegou ao Brasil fugindo da perseguição em seu país

O marido e a filha de dez anos desapareceram. A casa foi posta ao chão. Restaram um filho, uma gestação que só seria descoberta dois meses depois e uma passagem comprada às pressas por conhecidos para o Brasil.

De Angola, Maria (nome fictício), 29, não sabe mais nada. Da família, menos. Após fugir da violência e da perseguição religiosa naquele país, a vida por aqui é esperar: a terceira filha nascer, um emprego surgir, um aluguel que possa pagar, o tempo enterrar o que perdeu. Continuar lendo

Lobos em pele ovelha: Líderes oportunistas da IASD aliam-se ao governo de Angola para tentar encobrir genocídio que vitimou centenas de leigos adventistas

Lobos em pele ovelha: Líderes oportunistas da IASD aliam-se ao governo de Angola para tentar encobrir genocídio que vitimou centenas de leigos adventistas

Acusada de apoio explícito ao Governo ditadorial de Angola, com parceria espúria oficializada pelo presidente da Associação Geral, Ted Wilson, a liderança da IASD (Igreja Adventista do Sétimo Dia) em Angola, mais uma vez se posiciona como legitimadora dos desmandos e arbrietariedades que ocorrem no País, ignorando as denúncias de que houve centenas de mortes especialmente de mulheres e crianças adventistas que participavam de um grupo de leigos liderado pelo irmão José Julino Kalupeteka.

Por discordarem de alguns detalhes doutrinários e se oporem à maneira subserviente com que os líderes da IASD se uniram ao MPLA, partido a que pertence o presidente do País, esses irmãos leigos foram excluídos da Igreja Adventista e, a partir de então, perseguidos pelo governo como adeptos de uma “seita ilegal”. O resultado fatídico dessa aliança da IASD com o governo de Angola foi o genocídio de centenas de adventistas “dissidentes” no mês de abril de 2015, descrito em diversos artigos e reportagens publicados no site Www.AngoAdventistas.Com.