Até quando o Presidente da DSA vai se omitir quanto aos crimes dos líderes da União Argentina?

image_pdfimage_print

Dá até a impressão de que a União Argentina não faça parte da Divisão Sul-Americana da Igreja Adventista do Sétimo Dia, quando você acessa a versão em português do site oficial www.adventistas.org, pois não há qualquer menção ao escândalo do uso de contêiners da ADRA, camuflados com falsas doações de medicamentos vencidos e perigoso lixo hospitalar contaminado, para esconder um contrabando milionário de equipamentos eletrônicos. Continuar lendo

Clipping: Cúpula da IASD na Argentina renuncia após processo por contrabando milionário de equipamentos

image_pdfimage_print

Em dois supostos contêiners de doações americanas para a ADRA na Argentina, foram encontrados equipamentos eletrônicos contrabandeados avaliados em aproximadamente 3 milhões de reais (cerca de 15 milhões de pesos argentinos) camuflados entre remédios vencidos e lixo hospitalar. O processo por contrabando milionário já custou a renúncia de quatro líderes da IASD na Argentina, além de gastos equivalentes a um milhão e seiscentos mil reais pagos como fiança para que estes não ficassem presos e o bloqueio de bens pertencentes á Organização avaliados em cerca de 56 milhões de reais. O imposto de inportação sonegado apenas nessa remessa de equipamentos totaliza o equivalente a um milhão e duzentos mil reais, mas há suspeita de que esse tipo de fraude ocorra há mais de vinte anos.

Há alguns dias nesse vídeo do Youtube, o pastor Carlos Gill Krug, presidente da Igreja Adventista do Sétimo Dia da Argentina, fez pose de caudilho preocupado para os fiéis dos 1055 templos adventistas existentes em sua União. “É difícil, irmãos, descrever a dor de tantos de vocês”, disse o pastor, “ao ver a sua Igreja submetida ao opróbrio dos meios de comunicação”. Para Gill Krug, ver-se nas manchetes dos jornais era no mínimo incômodo. Suas declarações não poderiam ser menos graves: Os adventistas, talvez a maior denominação protestante da Argentina, atravessavam o maior escândalo de sua história no país. Continuar lendo

Desmond Doss: Ele tentou servir a Deus e a Pátria durante a II Guerra

image_pdfimage_print

Este documentário legendado conta a verdadeira história de Desmond Doss, que há pouco tempo o ator e diretor Mel Gibson levou para o cinema. Embora fosse cristão adventista do sétimo dia, Doss alistou-se como voluntário para lutar pelos Estados Unidos contra o Japão em Okinawa, imaginando que se não portasse armas e socorresse aos feridos mesmo no sábado estaria fazendo a vontade de Deus.

Ao final, numa guerra em que 115 mil soldados e 100 mil civis japoneses, inclusive mulheres e crianças, além de 15 mil soldados americanos, foram mortos, Doss foi condecorado pelo Governo americano como herói. Afinal, mesmo sem usar armas, apoiou e serviu como estímulo aos colegas de farda por sua dedicação a ponto de recolher sozinho do campo de batalha mais de 75 soldados americanos ainda com vida.

Apesar de neurótico, inválido e surdo como resultado de sua participação na Guerra, o próprio Desmond Doss narra parte de sua história neste vídeo. Assista e comente.

Hacksaw Ridge: “Matem o máximo de japoneses que conseguirem, que eu recolho os pedaços de vocês…”

image_pdfimage_print

Desmond Doss foi, com certeza, um valente leigo adventista do sétimo dia, que não perguntou a nenhum pastor ou líder da IASD se deveria ou não alistar-se para a guerra, mas o fez voluntariamente e decidido a não portar armas.Se perguntasse ou pesquisasse, talvez ficasse surpreso ao saber que naquele momento lideranças da IASD na Europa apoiavam a Hitler! A própria Associação Geral havia trazido para os Estados Unidos Hulda Jost, uma propagandista do nazismo.

Apesar disso, Desmond Doss não precisaria ter ido à guerra, uma vez que o serviço militar não era obrigatório como é no Brasil. Afinal, todo cristão sabe que deve amar os inimigos. Um seguidor de Cristo deve ser pacificador porque sua cidadania não é deste mundo. Assim sendo, um jovem adventista que não aceitava usar armas por uma questão de princípio religioso não deveria jamais ir à guerra e, igualmente, não deveria apoiá-la ou legitimá-la com sua presença, ainda que com supostos propósitos beneméritos. Continuar lendo

Conferência Geral da Igreja Adventista apoiou divulgação “positiva” do nazismo nos Estados Unidos

image_pdfimage_print

OS ADVENTISTAS DO SÉTIMO DIA NA ALEMANHA NAZISTA

Por Corrie Schroder

A Alemanha nazista era um lugar horrível para pequenas igrejas denominacionais porque não tinha nenhuma liberdade religiosa. Uma pequena denominação que sobreviveu foi a Adventista do Sétimo Dia. Quando Adolf Hitler subiu ao poder na Alemanha, a denominação dos Adventistas do Sétimo Dia na Alemanha (doravante chamada os adventistas) achava que era o momento para um líder forte na Alemanha. Hitler parecia o melhor candidato por causa de “sua dedicação pessoal e seu abstinência do chá, do café, do álcool e da carne, práticas compartilhadas pelos adventistas; [portanto,] foi recebido como salvador”. [1] Continuar lendo

Doutores adventistas de teoologia inventam novo versículo e se rendem ao catolicismo trinitariano

image_pdfimage_print

Doutor Adventista Armando Juarez, para defender a doutrina da Trindade (Doutrina Católica, criada pelo Catolicismo), diz que é necessário “MANTER” os “estandartes” ou “padrões” católicos, e mente descaradamente sobre passagem da Bíblia, adicionando palavras que não estão na Bíblia. Continuar lendo