image_pdfimage_print

Hacksaw Ridge: “Matem o máximo de japoneses que conseguirem, que eu recolho os pedaços de vocês…”

Desmond Doss foi, com certeza, um valente leigo adventista do sétimo dia, que não perguntou a nenhum pastor ou líder da IASD se deveria ou não alistar-se para a guerra, mas o fez voluntariamente e decidido a não portar armas.Se perguntasse ou pesquisasse, talvez ficasse surpreso ao saber que naquele momento lideranças da IASD na Europa apoiavam a Hitler! A própria Associação Geral havia trazido para os Estados Unidos Hulda Jost, uma propagandista do nazismo.

Apesar disso, Desmond Doss não precisaria ter ido à guerra, uma vez que o serviço militar não era obrigatório como é no Brasil. Afinal, todo cristão sabe que deve amar os inimigos. Um seguidor de Cristo deve ser pacificador porque sua cidadania não é deste mundo. Assim sendo, um jovem adventista que não aceitava usar armas por uma questão de princípio religioso não deveria jamais ir à guerra e, igualmente, não deveria apoiá-la ou legitimá-la com sua presença, ainda que com supostos propósitos beneméritos. Continuar lendo

Arquivo Adventistas.Com: Textos para baixar documentam uso de jovens adventistas como cobaias para armas químicas

medical-experiments

É vergonhoso, mas verdadeiro! São dois arquivos diferentes que você pode baixar, um em português e o outro em inglês, descrevendo o Projeto Whitecoat, em que centenas de jovens adventistas foram cedidos como “porquinhos-da-índia-humanos” para testes com armas biológicas, numa parceria maldita da Associação Geral com o Exército Americano.

Em português: O Projeto Whitecoat ou a Contribuição Adventista à Guerra Biológica — Arquivo .doc

Em inglês: Secret Project Whitecoat: Seventh-Day Adventists Germ Warfare Concessions — Arquivo .pdf

Clique neste link para acessar tudo que já publicamos sobre o Projeto Whitecoat.

Para entender a gravidade da situação, assista também o vídeo abaixo… Continuar lendo

Projeto ou Operação Whitecoat Explorou “Patriotismo e Devoção a Deus”

Tradução de trechos da segunda parte da reportagem-confissão, publicada no Youth’s Instructor, edição de 15 de outubro de 1963:

youths2_pag1Why do Seventh-Day Adventist young men participate in a program in which there are known dangers and possible complications? Elder J. R. Nelson, who has had official denominational interest in Operation Whitecoat for the past five years, gives the answer: Continuar lendo

Projeto Whitecoat: A Contribuição Adventista para as Armas Químicas e Biológicas

youths_instructor_13-10-1963Em edições anteriores, o Adventistas.Com resumiu para você a vergonhosa história do Projeto Whitecoat, que só foi admitido pela homepage da Associação Geral em agosto de 2000. Centenas de jovens adventistas teriam servido como cobaias humanas em experiências que deram origem a armas químicas e biológicas que hoje ameaçam a humanidade. A participação foi incentivada pela liderança mundial da igreja. Essa estranha parceria garantiria até o hoje o apoio financeiro do governo americano à Adra. Em compensação, somos acusados de ter colaborado até no surgimento do vírus da Aids! Continuar lendo

Projeto Whitecoat: Médico Discorda do Uso de Cobaias Humanas no Submundo da Medicina

“Desde a Segunda Guerra Mundial que a experimentação humana criou certos problemas difíceis com o crescente emprego de pacientes como objetos de experimentação, quando se torna aparente que eles não se disporiam a isso se tivessem consciência de como seriam usados.”

Robin Cook

O comentário acima foi feito por um apreciado professor de Pesquisa em Anestesia, da Escola de Medicina de Harvard, no início de artigo descrevendo 22 exemplos de experiências que ele achava que violavam a ética médica. Ele selecionou esses exemplos de um grupo de 50, e citou um professor na Inglaterra, o doutor M. H. Pappworth, que reuniu uma relação de 500. O problema não constitui um episódio isolado, raro. É endêmico, propagando-se do sistema de valor básico inerente à imagem do médico-experimentador, difundida pela atual corrente da comunidade médica orientada para a pesquisa. Continuar lendo

Projeto Whitecoat: Associação Geral Une-se ao Congresso e Exército dos EUA para Homenagear “Cobaias Adventistas”

Todos os jovens adventistas que participaram como “voluntários” do Projeto Whitecoat entre 1954 e 1973 em Fort Detrick, Maryland, estão sendo convocados pelo Exército Americano para uma reunião especial em San Antonio, Texas, de 16 a 18 deste mês (março de 2001). San Antonio é o local onde os não-combatentes adventistas receberam seu “treinamento” básico. Continuar lendo

Associação Geral Esconde a Verdade sobre o Projeto Whitecoat

Há quem prefira traduzir “whitecoat” simplesmente por “uniforme branco” ou “jaleco branco (de laboratorista)”, associando o nome do projeto à opção feita por cerca de 2.300 jovens norte-americanos, não-combatentes e adventistas, que foram incentivados pelo Departamento de Jovens da Associação Geral a trocar o serviço militar pela participação voluntária num programa de pesquisa biológica do exército americano.

Contudo, a expressão “coat” pode significar bem mais que “casaco” em inglês. Coat é também “pele de animal”, “cobertura”, “capa”, o que nos permitiria identificá-lo também como “Projeto Pele de Ovelha”, que encobriria a ação de lobos devoradores ligados à Associação Geral e o governo americano, ou mesmo “Projeto Sepulcro Caiado”, belo e humanitário apenas por fora. Continuar lendo

image_pdfimage_print