(ATUALIZADO!) Pastor adventista desvendou papel profético da Rússia e China em livro publicado no ano 2000




Esta mensagem foi proferida pelo Pr. Cesar Augusto da Costa já no ano de 2010 no recinto da Igreja Adventista do 7° Dia Central de Sorocaba. O pastor fala sobre a Origem e Poderio do Anticristo (A caixa preta da Globalização), mostrando o que podíamos esperar para o futuro próximo e exemplificando a temática singular e atualizada do livro que lançou na virada do século, com apoio do irmão Mauro Trivelato e outros fiéis adventistas do Paraná.

Dez anos antes, portanto, ele já antevia com base na Bíblia o cumprimento literal de profecias de Daniel e outros profetas de uma forma bem mais literal e específica que a escatologia tradicional adventista no livro Como Afinal Será o Fim?.

À época, singularidade da mensagem e a receptividade desse conteúdo por parte de centenas de irmãos de todo o Brasil, que adquiriram o livro, levou o então presidente da UCB, Tércio Sarli, a proibir que as igrejas do Campo convidassem ou recebessem o Pr. Cesar Augusto. Essa foi apenas uma das muitas situações em que Tércio Sarli prejudicou a IASD brasileira.

Em contrapartida, aqueles que o ouviram e acompanharam o raciocínio inspirado desenvolvido no livro, percebem hoje que havia mesmo muito fundamento para suas conclusões sobre a Rússia e a China. E tudo isto já era pregado e foi escrito pelo Pastor César, hoje com 86 anos, antes do ano 2000!

Aí coligadas estão a “Besta do Mar”, a “Besta da Terra” e a poderosíssima “Besta do Abismo” de Apocalipse 17 (a já mencionada ILLUMINATI, que derrubou o domínio papal em 1798, conforme Apoc. 11:7), que tentarão impor a todos os povos, com o apoio irrestrito do BLOCO DOS SETE (Nações Ricas Dominantes), um GOVERNO MUNDIAL, sob a liderança oculta da Illuminati. Sim, a TRÍ-PLICE ALIANÇA: Catolicismo/Protestantismo/Espiritualismo. Mas tal imposição mundial não passará absolutamente na garganta de GOGUE; a ela não se subordinará.

Ao contrário: continuará se considerando Guardiã das Nações do Terceiro Mundo, e se arremeterá contra a Grande Babilônia, num desesperado e derradeiro esforço para ser ela, a RÚSSIA, a Senhora de um Império Mundial. Aquela nação, a história que o diga, sempre teve sangue imperial nas veias. Não há transfusão que mude sua natureza. Um armistício sim, um tratado de coexistência sim, mas submissão incondicional, capitulação passiva, jamais ela aceitará. Preferirá, antes, a destruição mútua. Seu arsenal ainda intacto será a resposta à pretensão de hegemonia da Grande Babilônia.

Um armistício sim, um tratado de coexistência sim, mas submissão incondicional, capitulação passiva, jamais ela aceitará. Preferirá, antes, a destruição mútua. Seu arsenal ainda intacto será a resposta à pretensão de hegemonia da Grande Babilônia. Não é necessária visão de águia a qualquer estudante de Filosofia da História para que se perceba esta realidade. Nem tampouco referendar estas afirmações com declarações de ‘experts’ em política internacional. Entre “trigo ou bomba, a Rússia sempre optou por bomba”. Circunstancialmente apenas teve agora que optar por “trigo”. Daí sua temporária abertura para o Ocidente. …

As alianças atuais, entre a Rússia e os países Ocidentais ricos, claro que são um engodo. A esta conclusão haveríamos de chegar, mesmo que as predições bíblicas não nos revelassem assim: “quando disserem paz e segurança, haverá repentina destruição” (I Tessalonicenses 5:3). A História, se a aceitamos como mestra, nos apresenta este triste panorama. O Império Russo e Europa Ocidental, etc., nunca se consorciaram, nunca formaram parcerias. Afinal, lembre-se, não são irmãos de sangue. Sempre foram Impérios distintos sem qualquer coligação na História.

A ausência moderadora do Espírito Santo dará ensejo a decisões surpreendentes no termo da história, no relacionamento entre Nações e Nações. Vale a pena que seja acrescentado mais um dado importante: o bloco da antiga U.R.S.S. continua internamente bem amarrado por acordos, tratados, etc. A “U.R.S.S”, realmente nunca deixou de existir; antes, tem apenas sua nomenclatura alterada para “Federação Russa”. …

Em circunstâncias determinadas, não nos iludamos, o estremecido Império [Russo] ressuscitará, com funestos resultados para toda a humanidade, em firme oposição ao pretendido domínio mundial EUA/EUROPA, pelo estabelecimento do PROJETO mediúnico chamado NOVA ORDEM MUNDIAL, ou Globalização, comandado pela Illuminati, a mais poderosa e rica organização, ateísta, espiritualista. …

Uma segunda questão também notável: como temos dito, a Rússia, ao reverso do que muitos imaginam, politicamente não morreu. O seu Legislativo é ainda de tendência perceptivelmente comunista. Da mesma forma, a maioria de seus Generais. Seu temporário pacto com o Ocidente é apenas estratégico. Amealhar algumas divisas e desguarnecer o Ocidente de seu estado de vigilância. Ao serem frustrados seus sonhos de ser guindada, econômica e socialmente a um melhor status, tudo pode mudar. Mormente quando perceber a efetivação de um regime e governo global, sob a égide da Nação Americana e da Europa. A frágil estabilidade política e militar tenderá a ruir.

Vale notar ainda que seu arsenal mal avaliado, é colossal. Não está sucateado como se supõe. Há de ser usado, como o indicam Ezequiel 38 e 39. Dois capítulos puramente escatológicos. Uma campanha militar para o “fim dos anos” (38:8), para o “fim dos dias” (38:16). É aqui que se encaixa conhecida predição, que destaca inclusive o elemento surpresa, que dará alguma vantagem aos “reis do norte”: I Tessalonicenses 5:3 – “Pois, que, quando disserem: Há paz e segurança, então lhes sobrevirá repentina destruição, […]”

É muito oportuno inserir aqui mais um esclarecedor texto da Inspiração, confirmando-nos o colossal arsenal mundial que será usado no período repetidamente referido: Testemunhos Seletos, vol. 3. pág. 286 – “Os agentes humanos estão-se preparando e usando sua faculdade inventiva para fazer funcionar o mais poderoso aparelhamento para ferir e matar.” (do capítulo: A Última Crise) Será de fato surpreendente. Esmagadora surpresa. Ocorrerá justo no Fim da Graça, após o Selamento, quando os anjos soltarem os “Ventos”, como foi anteriormente considerado.

É, principalmente por esta razão, que devemos sair das Grandes Cidades, primeiros alvos na estratégia militar. Tudo nos leva a crer que disporemos de apenas quinze dias, desde o Decreto Dominical até a eclosão deste conflito, no fim da graça, quando esta unidade mundial será fragmentada, segundo profecia bem específica.

O estudo de Escatologia, que está sempre atado à História, é muito adverso. Traz em si a possibilidade ou necessidade de eventuais mudanças de conceitos, em parte ou no todo. E isto, se entende, não faz o gênero do teólogo. É muito indigesto. Mas é necessária esta adaptabilidade, a não ser que não se importe em perder o sentido da realidade, para se fixar no culto à tradição. — Pr. Cesar Augusto da Costa

A Sexta Taça: A Entrada da China no Espólio

Finalmente, o GIGANTE ASIÁTICO acordou, entrou em cena, não que estivesse em realidade dormindo, mas, ao invés, bem atento aguardando sua hora estrategicamente certa de avançar sobre as nações em luta, já a esta altura bem desgastadas e militarmente enfraquecidas. É este o terceiro bloco de nações que também sonha se tornar um império mundial.

Um exército estupendo, como já referido na 6ª Trombeta: Apocalipse 9:16 – “E o número dos exércitos de cavaleiros era de duzentos milhões; […]” …

Embora tenha a China condições de organizar uma infantaria desse porte, vale lembrar que, sem dúvida, outras nações próximas e dela aliadas, também avançam sobre o despojo. Note, para tanto, que está no plural a referência às mesmas: Apocalipse 16:12 – “O sexto anjo derramou a sua taça sobre o grande rio Eufrates; e a sua água secou-se, para que se preparasse o caminho dos reis do oriente.”

Nem o Iraque, nem a Arábia Saudita, nem o Irã, nem a Síria, nem a Turquia e Afeganistão tem, juntos, qualquer força militar expressiva, significativa para serem considerados. Simplesmente “secaram-se” a esta altura, dando agora, plenas condições à China e seus aliados para seu avanço, não por via aérea ou marítima, já que não dispõe de Marinha ou Força Aérea que se preze. Ou este “secamento” poderia significar uma redução significativa de sua população, por conflitos internos e intervenção externa. Por morticínios e emigração.

A China avança sobre o espólio das nações fustigadas, desgastadas pelo conflito que já dura quem sabe meses. Uma infantaria fantástica, com 200 milhões de soldados, enxameando, de início, os territórios, as nações mais próximas (ver Apocalipse 9:16), para, inclusive, apoderar-se da riqueza petrolífera da região. Ao que parece, é em decorrência de seus movimentos militares agora iniciados, que a Rússia se vê em pânico, visto que suas exauridas tropas estão espalhadas em várias frentes: na Europa, Oriente Médio, África quem sabe. Daí o registro escatológico: Daniel 11:44 – “Mas os rumores DO ORIENTE e DO NORTE o espantarão; […]”

Milhões de soldados chineses cruzando as extensas fronteiras russas, num surpreendente ataque, pela retaguarda e certamente pelo “rei do sul”, a Besta da Terra, via Alasca. …

Este imenso exército, numérico, matemático, de 20.000 vezes 10.000, igual a 200.000.000 de soldados, não está fora da realidade do potencial humano da China. Nenhuma outra nação teria população suficiente para alistar tal número de soldados em sua infantaria, principalmente. Trata-se, ao que tudo indica, de um número bem definido, literal. Se simbólico, convém lembrar que, quando profecias tratam com números, a realidade-cumprimento é imensamente superior à predição, o que torna, neste caso específico, impossível um exército de tal magnitude.

Voltamos a dizer: tudo são análises, apenas estudos. Tudo pode ser revisto, reconsiderado. Não pode haver ideia fixa, preestabelecida. Interessa-nos apenas saber COMO SERÁ O FIM. Segundo todo o material inspirado de que dispomos, estas são as conclusões mais razoáveis, mais próximas da realidade, até que outra publicação, quem sabe, mais consistente, demonstre o equívoco das mesmas. Estamos francamente abertos ao diálogo em alto nível, salutar, cristão, descontraído. Todavia, qualquer discordância, qualquer outra linha de interpretação, deverá considerar absolutamente todos os dados fornecidos pela Inspiração, de todo este vasto contexto escatológico. — Pr. Cesar Augusto da Costa

Para mais detalhes, baixe e leia pelo menos estes três capítulos que selecionamos de livro publicado por ele no ano 2.000 — Como Afinal Será o Fim? — sobre o papel profético da Rússia e China no tempo do fim:

https://www.adventistas.com/wp-content/uploads/2022/05/Como-Afinal-Sera-o-Fim-3-Capitulos.pdf

Se quiser saber mais sobre o assunto, leia o livro completo: Como Afinal Será o Fim? Download gratuito através do link:

https://drive.google.com/file/d/11wLkBerzKTlwX5ShmSxpU9725F2bjspO/view

Clique e baixe o livro completo!

Como Afinal Será o Fim -- 3 Capítulos

 

Deixe um comentário