PQP 1ª Temporada: História do Milerismo ao começo da Igreja Adventista em 3 episódios

A grande decepção no movimento milerita foi a reação que se seguiu às proclamações do pregador batista William Miller de que Jesus Cristo retornaria à Terra em 1844, o que ele chamou de Segundo Advento. Seu estudo da profecia de Daniel 8 durante o Segundo Grande Despertar o levou a concluir que a “purificação do santuário” de Daniel estava limpando o mundo do pecado quando Cristo viesse, e ele e muitos outros se prepararam. Quando Jesus não apareceu em 22 de outubro de 1844, Miller e seus seguidores ficaram desapontados.

A dor e o desapontamento nos dias após o histórico 22 de Outubro de 1844 são difíceis de descrever até hoje. Milhares choraram até não terem mais forças para chorar. Centenas de pessoas ficaram tão envergonhadas com as piadas e as zombarias, que literalmente fugiram e se esconderam em regiões afastadas, florestas e outras cidades por semanas e meses.

Hoje pode até parecer fácil ridicularizar este crentes que acreditaram em William Miller, mas olhando com um pouco mais de atenção aos efeitos devastadores dessa decepção, chega a ASSUSTAR O QUE uma fé irracional em homens e interpretações causou na vida de cada um deles.

Na metade do século 19 surgiu um movimento religioso conhecido como milerismo, liderado pelo pregador batista William Miller. Miller acreditava que a Segunda Vinda de Jesus Cristo era iminente e previu que ocorreria em 1843 ou 1844. Quando essa previsão não aconteceu, muitos seguidores do milerismo ficaram desapontados e desiludidos. No entanto, alguns desses crentes formaram novos movimentos religiosos baseados nos ensinamentos de Miller, incluindo a Igreja Adventista do Sétimo Dia e a Igreja Cristã do Advento. Esses movimentos continuam a existir hoje e têm uma presença significativa em todo o mundo.

No início de 1845 William Miller decidiu continuar estudando as profecias e publicando artigos e teses a respeito da volta de Cristo. Quase 4 meses após o Grande Desapontamento, Miller percebeu que o respeito com relação a sua autoridade interpretativa das profecias bíblicas tinha sido reduzida consideravelmente, não apenas entre os crentes Adventistas, mas principalmente ao redor dos América do Norte e Europa. Isso se transformaria num problema porque William Miller não havia estruturado o movimento de uma forma sólida o suficiente.

Ele acreditou que Cristo voltaria em 1844 e de acordo com todos os registros, nunca considerou a possibilidade de estar errado. A ausência de um plano B, criou espaço o espaço necessário para que novas idéias, líderes e movimentos apagassem a imagem e diminuíssem a voz de William Miller para sempre.

Produção e Edição – Rodrigo Custodio

E VEM AÍ…

A História, os Eventos, a Vida, as Profecias, A Literatura e a Organização da Igreja Adventista do Sétimo Dia.

Deixe um comentário