Pior que uma suposta “Abin Paralela” é a comprovação do uso de polícia secreta do STF, com apoio do FBI e financiada pelo George Soros

FBI, Soros e polícia secreta em vasta conspiração de censura no Brasil

Investigação de meses de duração revela esforço global para combater o populismo, em violação da constituição da nação latino-americana

DAVI ÁGAPE — 30 DE JAN. DE 2024

Diretor do FBI, Christopher Wray (à esquerda); O presidente do Tribunal Superior Eleitoral do Brasil, Alexandre de Moraes, no julgamento do ex-presidente Jair Bolsonaro, acusado de desinformação (centro) Alexander Soros, presidente da Open Society Foundations (à direita)

O Federal Bureau of Investigation (FBI) do governo dos EUA, George Soros, e a Suprema Corte do Brasil afirmam ser defensores da liberdade de expressão e da democracia. A missão do FBI é defender a Constituição dos EUA, cuja Primeira Emenda proíbe limites governamentais à liberdade de expressão. Soros e o seu filho Alex, que dirige a sua fundação filantrópica, afirmam querer “sociedades abertas”, onde as pessoas sejam livres de expressar as suas opiniões. E o Supremo Tribunal do Brasil afirma defender o compromisso da Constituição brasileira com a liberdade de expressão.

Mas agora, uma investigação que durou meses revela que: o FBI ajudou o Brasil a censurar os seus cidadãos; a “Open Society Foundation” dos Soroses está gastando pesadamente para promover a censura no Brasil; e o Brasil tem uma força policial judiciária secreta que existe especificamente para espionar e censurar pessoas consideradas espalhadoras de informações falsas. Juntos, o FBI, os Soroses e o Supremo Tribunal do Brasil estão empenhados num ataque direto às proteções à liberdade de expressão das Constituições do Brasil e dos EUA.

O FBI, a Fundação Soros e o governo brasileiro recusaram-se a ser entrevistados para este artigo. E há elementos-chave dos esforços de censura do governo brasileiro que não compreendemos.

Mas ninguém duvida que o governo brasileiro está engajado na censura em massa. Na verdade, a censura do Supremo Tribunal do Brasil é tão extrema que até jornais como o New York Times, que expressaram indignação com a disposição do Supremo Tribunal de prender jornalistas incluindo “o Joe Rogan do Brasil”.

E agora, a nossa investigação deixa claro que existe de facto um Complexo Censura-Industrial Brasileiro, que o governo dos EUA aconselhou e que a Open Society Foundations, juntamente com o fundador do eBay, Pierre Omidyar, estão a financiar. Este Complexo Industrial de Censura inclui até uma ONG semelhante à Liga Anti-Difamação (ADL) e o Centro de Combate ao Ódio Digital (CCDH), que pressiona os anunciantes corporativos a não anunciarem nas redes sociais, a menos que censurem mais.

Fonte: https://public.substack.com/p/white-house-and-dark-money-ngo-hype

Traduza pelo Google estes dois documentos:

Deixe um comentário