Igreja Adventista chegou a proibir a entrada de Judeus nos cultos durante o Nazismo de Hitler

O palestrante é o pastor Rogel M. N. Tavares, um dos responsáveis pelo trabalho de aproximação com os judeus, desenvolvido pela Igreja Adventista do Sétimo Dia. A palestra versou sobre esse ministério judaico-adventista, que teria como fundamento orientações da profetisa Ellen G. White (1827-1915) em favor dos judeus, as quais só foram atendidas muito recentemente, a partir de 1994.

judeus-proibidosO encontro registrado em vídeo teve cerca de duas horas de duração e aconteceu na tarde do sábado 16 de agosto de 2014, na Igreja Adventista do Sétimo Dia, do Distrito do Boqueirão, em Curitiba, PR. Entre as dificuldades para a conversão de judeus ao Adventismo, o pastor Rogel Tavares incluiu o triste episódio do apoio denominacional a Hitler na Alemanha durante a 2ª Guerra Mundial, citando alguns casos lamentáveis e encerrando com a imagem de uma placa ou cartaz em que se proibia a entrada de judeus no templo adventista.

Em seguida, mencionou episódios positivos de iniciativas individuais de leigos e até de um pastor que teriam contrariado as ordens da Direção da Igreja e socorrido judeus perseguidos pelo nazismo. Rogel, porém, deu razão “em parte” aos líderes, dizendo que, se não apoiassem o nazismo, poderiam perder as propriedades da Igreja.

Ao final do vídeo completo, percebe-se que o principal ou real objetivo da reunião era entreter os irmãos no sábado à tarde, com um relato interessante de trabalho missionário em prol de um segmento especial, retendo-os até depois do pôr do sol (fim do sábado), para convidá-los a participar de excursões à Terra Santa, exibindo possíveis roteiros turísticos pelo Egito, Jordânia, Israel, Palestina e Turquia a um custo de aproximadamente 4.500 dólares.

Não se trata, portanto, infelizmente, de uma confissão ou mea culpa de alguém ligado ao pastorado adventista, que teria se envergonhado pelo apoio denominacional ao nazismo.

Leia também:

6 ideias sobre “Igreja Adventista chegou a proibir a entrada de Judeus nos cultos durante o Nazismo de Hitler

  1. Sou Judia – Cristã da Igreja Adventista de Cedro de Juquiá – SP, nasci em São Paulo e tenho vários irmãos
    Judeus que querem conhecer o Cristianismo da Igreja Adventista do Sétimo Dia em São Paulo.
    Necessitam estudos bíblicos. Pode me ajudar á ajuda-los?

  2. Não entendi o propósito destas publicações. Frequentei por um pouco tempo a IASD, mas não me adaptei, pois encontrei muitos equívocos. Inclusive sobre o apoio a guerra, fui orientado que a igreja se dividiu por causa dos que apoiaram, acho que o bush…
    Bem ,descordei de muita coisa, mas não a ponto de sentir por eles aversão. Eu não conseguiria ser hipócrita em caminhar com eles discordando de tantas coisas. Então simplismente saí, sem batizar, etc.
    Mas qual o objetivo em atacá-los. Também não entendi se vocês também são adventistas.

    • Em vez de sair, preferimos ficar e denunciar o que está errado antes que Deus vomite a Igreja de Sua boca, como está previsto no Apocalipse.

    • “Deus vomite a igreja” de sua boca? O tom de vocês é que causa forte náusea. Vocês realmente acreditam que com essas palavras…com esse tom…conseguiriam aproximar alguém de Cristo? Em que Bíblia aprenderem esse “tipo de amor”, esse tipo de abordagem de evangelismo? Queridos, ainda que toda a verdade estivesse com vocês, SEM AMOR, nada adiantaria. Na Bíblia de vocês tem Cor:13 ? Que a luz e o amor de Deus habitem em nós, mas desejo sobretudo a PAZ. Não é possível alguém que dedica tanto tempo a uma guerra fria possuir paz interior. A paz do Senhor esteja com vocês. Com amor.

      • Impressionante como evocam o amor e a piedade quando sentem-se afrontados. Vitimizam-se facilmente pois assim foram orientados: “Todos estão contra nós. Oóhhoo! Eles nos perseguem por causa da verdade!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *