Como você avalia o novo rito batismal desta igreja adventista para ricos?

Veja também este outro batismo realizado no novo “Espaço Primeira Essência”, inaugurado há cerca de um ano em Campo Grande, MS, como Igreja Adventista do Sétimo Dia camuflada, “dissidência” oficializada para atrair endinheirados de mente secular para o rol de colaboradores fnanceIros da IASD.

Em décadas passadas, o método adventista de evangelismo era bem mais direto e honesto. Embora o nome do programa evangelístico de rádio inicialmente escondesse a identidade da denominação que o produzia, pois chamava-se simplesmente “A Voz da Profecia”, ligado a uma suposta Escola Bíblica radiopostal, a isca oferecida para a fisga de homens na pesca ordenada por Cristo era o conteúdo profético bíblico.

Com o passar do tempo percebeu-se que se deveria identificá-lo como um programa da Igreja Adventista, pois nós plantávamos e outros colhiam! Ou seja, o programa apresentado pelo pastor Roberto Rabelo despertava no público interesse pelo estudo da Bíblia, mas como não se dizia claramente o nome da denominação parte dos ouvintes terminava filiando-se a outras igrejas cristãs.

A partir daí, adotou-se o slogan “um programada Igeeja Adventista do Sétimo Dia”, o que obviamente gerou certa rejeição do público já religioso que o acompanhava e, naquele período, ainda nos via como uma seita sabatista dos Estados Unidos. Aliás, a princípio, percebia-se um certo sotaque norte-americano tanto na voz do pastor Rabelo quantona dos componentes do quarteto Arautos do Rei.

Além das alterações doutrinárias para que deixássemos de ser vistos como uma seita entre os protestantes, em anos posteriores, alterou-se o slogan para uma tentativa de formulação mais dissumulada, ocultando-se a palavra igreja e acrescentando uma expressão entendida como mais positiva: “A Voz da Profecia: um programa dos seus amigos adventistas do sétimo dia.”

Por fim, foi criada uma rede de rádio e televisão que substituiu a veiculação de programas pagos em outras emissoras e o tradicional programa A Voz da Profecia saiu do ar, retornando apenas recentemente na programação da Rede Novo Tempo, como um programete adicional, que tenta retomar para a IASD todo o investimento no marketing na massificação da marca “A Voz da Profecia”, que por pouco não se perdeu e ainda permanece forte.

Página impressa

No chamado ministério da página impressa, não foi diferente. Enganávamos os interessados potenciais na mensagem adventista do sétimo dia, apresentando-nos como simpáticos representantes do “Serviço Educacional Lar e Saúde”, muitas vezes obtendo primeiramente uma apresentação por escrito do padre ou bispo da cidade, recomendando-nos no prospecto de vendas como gente de bem, depois de ser presenteado com revistas e livros sobre saúde. Para os fiéis, oferecíamos os mesmos livros de saúde, incluindo no pacote um exemplar brochura do Grande Conflito como brinde.

Houve também edição encadernada, do que se convencionou chamar Série Conflito dos Séculos da “educadora” Ellen G. White, subdividida em vários volumes, cuja aparência remetia à das enciclopédias caríssimas, que todo pai fazia questão de ter em casa para facilitar os estudos e pesquisas dos filhos e ostentar na estante um certo interesse cultural e melhor nível intelectual da família, naqueles idos.

Nas estantes, mesmo não lidos, nossos livros conferiam um status diferenciado à família. Nós os imaginávamos como “mensageiros silenciosos”, bombas de conhecimento que um dia explodiriam, trazendo toda a verdade à luz. Até bíblias encadernadas, com imagens semelhantes às dos santos católicos, fomos capazes de vender, incluindo nelas roteiros de estudos bíblicos adventistas direcionados!

Outros métodos

Essa simulação de catolicismo também foi usada quando lançamos inicialmente as pregações da “Semana do Calvário”, coincidindo com a data católica dos feriados da semana santa. E o engodo se tornou ainda mais descarado quando assumimos a designação Evangelismo Semana Santa, contrariandoo que cremos a respeito do sábado, o sétimo dia da semana, único dia de fato santificado na Bíblia por Deus.

Vieram os cursos Como Deixar de Fumar, palestras para o lar e família, encontros de casais com Cristo, Está Escrito, temas de saúde e bem viver, Encontro com a Vida… A “bullonizacíón” do adventismo brasileiro!

Por fim, optamos por esconder definitivamente o nosso nome denominacional, que nos identifica como aguardadores da voltade Cristo e guardadores do sábado. O objetivo é atrair gente rica, poderosa, intelectualizada e moderna, como doadores de recursos para a Organização. Assim, surgiram as comunidades Nova Semente, Espaço Novo Tempo, Espaço Primeira Essência, cujos nomes sequer nos identificam como igreja e muito menos cristãos, envergonhando-se de nossas crenças.

Até o rito batismal foi alterado, para uma situação curiosa que lembra um afogamento de nuance sadomasoquista. No primeiro vídeo, o sacerdote de preto sequer entra na água para “afogar” o candidato vestido de branco. No segundo vídeo, pastor e candidato entram de mãos dadas na água… Cena, no mínimo, romântica demais para quem conheceu a Igreja Adventista do Sétimo Dia no tempo dos grandes conferencistas, que denunciavam Babilônia como a mãe de todas as prostitutas e abominações que se cometem sobre a Terra.

19 ideias sobre “Como você avalia o novo rito batismal desta igreja adventista para ricos?

  1. Um recado aos organizadores deste site, vão cuidar da sua vida, nao tem igreja certa, mas sim a busca individual de cada um para sua salvação nesta terra, ser correto, ter bom caráter ter amor ao próximo ajudar quem precisa, saber respeitar as religiões, este e melhor bem que temos durante nossa vida aqui terra, no final tudo vira pó……

  2. Eu vejo muitas críticas de pessoas que não conhecem a obra Adventista. Vejo pessoas que comentam e buscam pesquisa pelo Google para argumentar contra algo que de fato nunca conheceram.
    Eu me orgulho de ser adventista do sétimo dia, nós vemos diariamente para onde vai nosso dinheiro, aquele da rádio e tv novo tempo, aquele dos dízimos e ofertas, nossa igreja tem uma obra humanitária que ajuda milhares de pessoas hoje. Sim é com o dinheiro do programa que não se rotula, sim são com doações e se são ricas?! Amém que apareçam mais anjos – o mundo precisa de anjos, o mundo precisa de pessoas com coração – como são batizados? Se é com ritual cristão ou judeu – acho que pra Jesus vai importar muito mais a transformação da minha vida e do meu coração – eu acredito que seja pra isso que esse ato exista – então parem de hipocrisia – a maioria que critica aqui não faz absolutamente nada para melhorar o mundo de pessoas que precisam – Jesus quer que preguemos o Evangelho – e com à rádio, com a tv, com redes sociais, boca a boca, vamos pregar o evangelho e amar o próximo – quer fazer parte de algo importante, de algo transformador? Venha para a Igreja Adventista do sétimo dia – onde não temos pastores ricos, onde temos doações aos pobres e o evangelismo humanitário. Amém

  3. Gosto de ver este site, ele me mostra o que a IASD esta fazendo pelo nosso Pais e o mundo, coisa que muitas vezes eu não consigo achar, você criador deste site esta de parabéns, porque graças a você consigo ver expressamente lúcifer falando, espalhando discórdia, manipulando a mente de muitas pessoas que estão ali bem em cima do muro.
    Ao invés de começar a pregar sobre o nosso DEUS lindo e maravilhoso, sim o DEUS de Abraão, o DEUS de Jaco, o DEUS de Davi.
    Esqueça os IASD, você esta fazendo o mesmo que satanas faz, se doendo por algo que não faz mais significado em sua vida, e ao invés de ajudar hoje ele atrapalha.
    Hoje dobre seus joelhos e reflita se todo esse tempo perdido vale a pena, e veja se seu trabalho não se compara o do inimigo(que é trazer discórdia entre os cristãos).

    DEUS Criador e mantenedor te abençoe e guarde.

  4. Não devemos ser extremistas. Quando os pobres se convertem e são batizados, os mesmos ocorrem naquelas piscinas de lona, que a água dá no joelho. Ninguém reclama. Os ricos não frequentam aqueles ambientes, da mesma forma os pobres não frequentam ambientes de ricos. Acho que a Igreja deve ser versátil em atender as pessoas dentro do seu “habitat”. Jesus morreu por eles. O batismo que vi, foi por imersão. Se foi feito de lado, ou de frente foi por imersão. Algumas vezes temos que tirar as fendas das nossas vistas. Esse negócio de só ficar criticando vicia. Se a Igreja faz, está mal, se não faz, está mal. E uma coisa que me preocupa no meio de tantas Igrejas para criticarem só escolheram a militante Igreja Adventista do Sétimo Dia. Se ela não serve por que não fundam uma Igreja conforme idealizam? O Diabo agora usa métodos chatos. Antigamente se a pessoa não concordasse com a Igreja, largava ou ia para outra ou ficava em casa. Agora não. Eles ficam mesmo na Igreja, só para verem defeitos.

    • Este batismo foi sim por imersão, como vc disse. Foi feito numa piscina na casa dr um irmão porque a igreja ainda não tinha tanque batismal.

  5. Além das ramificações citadas acima, exitem também as “Beth Bnei Tsions” (Templo/Congregação dos Filhos de Sião), para atrair judeus ou simpatizantes do judaísmo.

  6. Queria entender qual é o problema com a forma de batismo???
    Pelo que vi no vídeo, foi um batismo por imersão, como são os batismos na IASD e foi realizado por um ministro autorizado?
    Além do mais, a forma como foi executado é mais próxima do costume judaico, ou seja, a forma como foram batizados Jesus e os apóstolos.

    • Judeus não batizam, irmão. Praticam banhos rituais. João Batista foi o primeiro a batizar. Depois viieram os apóstolos. Mas o rito de batismo não é descrito na Bíblia.

      • O rito cristão do “batismo” tem origem na prática do mikve judaico. Além do mais, era o meio pelo qual os goyim (gentios) adentravam na comunhão de Israel. Não foi invenção de João Batista.
        Quanto a dizer que “os judeus não batizam” no nível da terminologia bíblica, não existe diferença entre a imersão na mikve e o batismo. Para ambos é usado o mesmo verbo em grego. A mesma raiz, encontrada em Marcos 07:04, Lucas 11:38 e Hebreus 09:10, aplica-se à lavagem cerimonial judaica.

        • O mikvê é um local de represamento de água, um tanque de ‘água viva”, acumulada de água da chuva ou fonte natural, à qual pode-se acrescentar água encanada. Na conversão ao judaísmo, o interessado deve mergulhar na mikvê, como fez Naamã nas águas do Jordão e lavar-se, para ficar livre das impurezas. Não é um rito ministrado por terceiro, como no batismo cristã. Depois do período de menstruação, as mulheres judias se lavavam no mikvê antes de voltar a ter relações sexuais com o marido. Está ligado, portanto, à idéia de purificação pessoal, e não de morte para o pecado e renascimento para uma nova vida.

          Batismo de arrependimento para remissão dos pecados. Essa foi a novidade trazida por João, o imersor, a quem chamamos “Batista”. Não era um mergulho pessoal, depois de um empurrão pelo pescoço. Ele próprio imergia a pessoa arrependida e a retirava da água, para uma nova vida a partir de então.

          “No judaísmo a própria pessoa se imerge, sem contato físico com outra pessoa, após remover roupas e jóias, um preceptor, Rosh ou Rabino pode acompanhar a pessoa até o mikvê e recitar as devidas bênções, dependendo da ocasião, também deve haver a presença de duas testemunhas, caso a Tevilah seja uma imersão para arrependimento e conversão, porém nenhum dos acompanhantes intervirá no ato pessoal do canditado a Tevilah…” — http://www.judaismonazareno.com/2013/07/tevilah-e-o-mikve_12.html

          Batizar-se é, portanto, diferente de imergir-se (a si mesmo). Inclui a cooperação de um terceiro que executa o batismo, simulando a morte e posterior ressurreição. Imergir-se é apenas mergulhar-se, lavar-se, sem a cooperação de um terceiro. No caso batismo, esse terceiro, o oficiante, complementa o simbolismo, representando a ação divina na regeneração da vida humana. Já o rito da Primeira Essência está mais para um mergulho forçado por terceiro, uma espécie de simulação de afogamento.

  7. Os intere$$es se revelam cada dia mais…
    Nunca imaginei que algum dia teria de entender que o alerta de Jeová – “Sai dela, povo meu!”- também serviria à adventistas SINCEROS.
    A coisa está mais feia do que pensei estar.

    • Não sei se realmente preciso sair literalmente . Nos dias de Acabe DEUS disse a Elias que lá dentro da nação de Israel havia sete mil que não dobraram seus joelhos a Baal , quem sabe ajudavam uns aos outros , e , se fizermos isso na igreja?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *