Novo desafio a Rodrigo Silva: Responder com deboche e ameaça videozinho do Thiago Lima é fácil, queremos ver responder aos vídeos dos irmãos da WLC!

O dublê de arqueólogo e guia turístico na Terra Santa, Rodrigo Silva, fez nova aparição no You Tube, desta vez com o evidente duplo objetivo de (1) tentar fazer com que esqueçamos por um tempo de sua desastrosa tentativa de retratação quanto a ter dito que os escritores bíblicos eram terraplanistas e de (2) destacar-se como paladino da defesa denominacional, digno de convites para palestras com passagens de avião e hospedagem em hotel de luxo pagos pelas igrejas mais chiques da IASD ou mesmo por instituições não-adventistas que se deslumbrem com subcelebridades do meio religioso brasileiro.

Desta vez, ele entra em cena arrotando [sic] que um YouTuber com complexo de Messias — Thiago Lima — ousou desafiar a liderança adventista, classificando-a como mercenária, e alegando que os membros estariam sendo enganados ao serem levados a guardar o sábado como sétimo dia da semana, enquanto se sabe que o ciclo semanal pode ter se quebrado nas mudanças de calendário e não considerando o papel da Lua Nova na identificação do início da sequência semanal a cada mês, como faziam os judeus.

Rodrigo Silva diz não estar certo de que estaria glorificando a Cristo ao participar desse debate, mas que por respeito aos irmãos que o questionaram iria tentar esclarecer os fatos, sem se dirigir diretamente ao desafiante Thiago Lima. Nesse ponto, começa a falácia e argumentação mentirosa que está se tornando peculiar aos defensores do adventismo, como Rodrigo Silva, Leandro Quadros e Michelson Borges.

Primeiro que Thiago Lima não lançou desafio algum, apenas fez um alerta aos adventistas que viessem a ter contato com esse vídeo no seu canal. Segundo, se não estava convencido de que essa é a maneira de glorificar a Cristo, Rodrigo Silva nada deveria ter dito. Mas o dublê de apresentador e convidado de programas ecumênicos de tevê, simula invadir o campo mesmo sem ter sido escalado, alegando que “não pode ficar calado, porque se não falar nada, parece que a igreja nao tem resposta.”

Começam então os deboches em relação ao youtuber, denominados “Dez Razões porque Eu Discordo de Você, Thiago Lima”:

Primeiro, o dublê de arqueólogo e agora também na versão psicólogo, Rodrigo Silva, diagnostica o oponente imaginário como portador de uma suposta síndrome messiânica. Fala dele como um louco desses famosos denunciadores da internet, que veem conspiração em tudo, da Nasa, dos Iluminatti, que se acham os donos da verdade, perseguidos pelas forças do Mal, arrogantes, etc, na descrição do arqueólogo de plantão com tempo para atender até programas com traço de audiência em nível nacional.

Logo depois, Rodrigo Silva traz a novidade de que o quarto mandamento só estará em vigor para valer, quando for sancionado um decreto dominical de alcance mundial, que obrigue a guarda do domingo em lugar do sétimo dia da semana. Até lá, o que vale não é a disposição para obedecer a Deus custe o que custar, mas apenas a sinceridade:

“Estou plenamente convicto que devemos guardar o sabado, mas eu sei que Deus tem muitos filhos sinceros em todas as igrejas hoje, que nao guardam o sábado. E e se eles morrerem hoje, sinceros e em Cristo, vão para o mesmo paraíso que eu vou, mesmo sem ter guardado o sábado, porque nao é o sábado que salva,” afirma.

E para os outros mandamentos, Dr. Rodrigo, vale o mesmo critério? Pode-se ter mais de um Deus (Trindade), adorar imagens de escultura como aquelas da Associação Geral, levar o nome de remanescente de Deus em vão, desonrar pai e mãe, matar, adulterar, roubar, dizer inverdades sobre o próximo, cobiçar coisas e a mulher do próximo? Vale tudo, se for feito com sinceridade?

Melhor pararmos por aqui, para o texto não ficar tao longo e entediante quanto seu vídeo. Contudo, fazemos questão de registrar que não havia necessidade de uma ameaça descabida de processo como essa que Rodrigo Silva fez ao final. Afinal de contas, Thiago Lima está sendo sincero ao tentar alertar os adventistas. E mesmo aqueles que o senhor chama de “sabatistas lunares” também o fazem por desejarem seguir a estrita vontade de Deus.

Agora, Dr. Rodrigo Silva, se a semana teve oito dias em algum tempo durante o período em que se adotou o calendário Juliano, como afirmam os irmãos da World Last Chance, então temos realmente um problema com o sábado… Felizmente, antes de subir ao Céu, Jesus nos garantiu que estaria conosco TODOS OS DIAS até a consumação dos séculos!

Obs. Embora não responda completamente aos argumentos dos irmãos da WLC, sugerimos a leitura do artigo O calendário lunar e a guarda do sábado.

Leia também: O sábado está sendo guardado no dia correto?

Veja o vídeo de Thiago Lima:

Agora compare com os vídeos dos irmãos da World Last Chance:

Leia mais sobre o assunto:
 
Quando foi a lua criada? Será que o dia realmente importa?

Quando foi a lua criada? Será que o dia realmente importa?

O Calendário do Criador é baseado na Lua e no Sol, conforme especificado nas Escrituras. Como a aceitação do verdadeiro Calendário cresce, assim também crescem as discussões tolas contra ele. Quando a lua foi realmente criada e como isso afeta sua capacidade de ser um relógio Celestial preciso? Podemos honestamente confiar na sabedoria e no padrão estabelecido em Gênesis? Vamos descobrir.

Ellen G. White & o Começo do Sábado

Ellen G. White & o Começo do Sábado

A Escritura estabelece que o dia, e o sábado semanal, começam ao amanhecer. WLC sustenta o ministério de Ellen G. White como sendo uma profeta para o remanescente, apesar do fato de ela ter aprovado uma observância de sol-a-sol do sábado. O estudo cuidadoso dos princípios estabelecidos pelas Escrituras e dos escritos de Ellen White concilia a discrepância aparente.

Malfeitores Jesuítas: Escondendo a Terra Plana & o Sábado Lunar!

A Ordem dos Jesuítas foi o cérebro por trás de algumas das maiores decepções da história. Coincidências de datas, objetivos e agendas relacionam-os ao engano em todo o mundo. Pesquisando cuidadosamente as Escrituras, arqueologia e história, podemos ligá-los a uma mentira que engana fiéis a quase 1.700 anos: a crença de que o sábado (gregoriano) é o sábado do sétimo dia bíblico.

Sábado Lunissolar

Sábado Lunissolar

Muitas pessoas que desejam adorar no Sábado do sétimo dia, adorando no sábado gregoriano porque é o sétimo dia da semana moderna. Agora, um crescente número de pessoas acredita que o verdadeiro Sábado do sétimo dia é um Sábado lunar, que deve ser calculado pelo antigo calendário Lunissolar. Um cuidadoso exame da evidência é necessário para todos que desejam adorar no Sábado do sétimo dia do Criador. Todos devem estudar e escolher por si mesmos: Sábado Gregoriano? Ou Sábado Lunar?

Resposta de Eder Leal no You Tube

O Calendário Hebreu é Luni-Solar (de 29 ou 30 dias) e por que?

Por causa do ciclo da lua que é de 29 dias e meio!

Ou seja…pra ficar fixo tinha que ajustar os meses tirando este “meio” e colocando no próximo… por isso o calendário hebreu é fixo sempre os meses sendo alternados em 29 e 30 dias!

O Sol determina o ano e a Lua os Meses!

Os Hebreus e nem os Judeus nunca utilizaram outro calendário que não o que Deus os deu…apenas quando foram obrigados na Babilônia ou no tempo do Sumo Sacerdote HILLEL para não morrerem!

O argumento de 2 de Atos que vc usa é tendencioso porque como já foi dito a conta do dias foi feita utilizando dois meses e com a alternância e como a conta não utilizou todos os dias mas apenas 50 ficou inútil este argumento !

Obvio que os Hebreus foram obrigados a utilizar outro calendário na Babilônia…pois até os nomes de Sadraque, Mesaque e Abdnego foi trocado a força para eles perderam a identidade e é claro que Esdras precisou recuperar isso!

O argumento da saída do Egito é ridícula pois a bíblia não cita a obrigatoriedade do Sábado antes de 20 de Êxodo os seja já tinham saído faz tempo do Egito!

O Sábado do Éden foi de Deus..foi ele quem descansou e não o homem..e não existe mandamento ou relato de observância do Sábado de Adão até Moisés referente ao Sábado!

Vc só acertou que o cara que fez o vídeo apresentou um calendário errado e que a conta dos dias do Shabbat está errada por isso te deu argumento para falar sobre o Maná e sobre algumas viagens!

De resto, um vídeo caseiro que não explicou a Verdade : A LUA NOVA É O PRIMEIRO DIA DO ANO JUDEU e conta-se 7 dias incluindo o dia da lua é então é o SHABBAT e não que se deve contar sete dias após a lua nova sendo o primeiro Shabbat no dia 7 e não no dia 8 como o rapaz apresentou no vídeo dele!

Sem contar que vc fez toda as contas utilizando o calendário ocidental..rsrs

Existe um livro chamado: O SÁBADO NÃO É O SHABBAT, de Robson Cardoso!

Pesquisem!

Obviamente que o Rodrigo não ia colocar um vídeo que iria contra a sua própria fé!

É um vídeo caseiro para manter o gado debaixo da mentira dando seu dízimo na igrejinha deles!

E é Verdade: TODAS AS IGREJAS QUE INSTITUEM DÍZIMO COMO REGRA DE DOUTRINA É PARA ENRIQUECER LOBOS!

FUJAM DO ERRO: O SÁBADO NÃO É O VERDADEIRO SHABBAT!

Conheça a opinião de Robson Cardoso, citado acima:

O SÁBADO DE HOJE É O SÁBADO BÍBLICO?

Suposições são perigosas, especialmente quando estão relacionadas à religião. Se uma crença teológica é baseada numa suposição falsa, a prática dessa religião estará em erro. Uma suposição comum feita por sabatistas que guardam o sábado é que o dia sábado temque ser o sábado da Bíblia por que é o dia que o judeus guardam. O raciocínio é este: “Os judeus nunca guardariam nenhum dia que não fosse o sábado verdadeiro. Assim, o dia sábado tem que ser o sábado verdadeiro porque é quando os judeus adoram.” Um excelente exemplo de raciocínio circular!

É verdade que os judeus nunca perderam a noção do verdadeiro sábado. No entanto, os próprios judeus admitiram que deliberada e conscientemente mudaram o seu calendário pelo qual o verdadeiro sábado havia sido calculado. Durante o século IV DC, a perseguição de todos os que usavam o calendário bíblico para a adoração foi tão intensa que, no final, os judeus desistiram do seu calendário transmitido desde a Criação através de Moisés e adotaram um calendário ajustado para para a adoração no calendário Juliano.

Os judeus são abertos em admitir o fato de que o calendário original foi anulado sob a intensa perseguição romana de todos os que usavam o calendário bíblico, no século IV DC “Sob o reinado de Constâncio (337-362) as perseguições dos judeus chegou a uma altura que. . . o cálculo do calendário foi proibido, sob pena de punição severa. “(1)

Há três áreas principais em que o calendário original difere do falsificado:

1 – O Calendário do Criador é luni-solar. Isto significa que o ano é solar, mas os meses são lunares, seguindo o ciclo lunar. O ano começou originalmente com a nova vida na primavera, no momento da colheita da cevada.

2 -Sendo que o calendário Juliano/Gregoriano é um calendário solar, as falsificações honram o deus sol começando o ano logo após o “renascimento” do deus do sol no solstício do inverno (2)

3 – A maior diferença entre as falsificações e o calendário genuíno encontra-se no ciclo semanal. O calendário pagão Juliano/Gregoriano tem um ciclo semanal contínuo. O calendário original estabelecido na Criação, não. O ciclo semanal reinicia a cada lua nova.

Esses fatos são livremente admitidos por estudiosos judeus. O Rabino Louis Finklestein do Seminário Americano de Teologia Judaica foi selecionado pelo Kehillas of the World (Comunidades Judaicas) como um dos 120 judeus que melhor representou “uma lâmpada do judaísmo” para o mundo. Em uma carta ao Dr. L.E. Froom, datada de 20 de fevereiro de 1939, Finklestein admitiu: “O atual calendário judaico foi mudado [ajustado] no século IV.” (3) Maimonides e a maioria dos outros judeus cronologistas concordam que o calendário judaico moderno é baseado nos “movimentos médios do sol e da lua, com o verdadeiro [calendário] tendo sido anulado.” (4)

A Lua Nova ainda é, e o sábado foi originalmente, dependente do ciclo lunar… Originalmente, a Lua Nova era celebrada da mesma forma como o sábado; gradualmente tornou-se menos importante, enquanto o sábado se tornou mais e mais um dia de religião e de humanidade, de meditação e instrução religiosa, de paz e deleite da alma. (5)

Com o desenvolvimento da importância do sábado como um dia de consagração e a ênfase colocada sobre o significativo número sete, a semana tornou-se mais e mais distante da sua conexão com a lua. . . . (6)

Os meses do ano eram lunares, e começavam com a lua nova (“hodesh”, que veio a significar “mês”). Durante a era dos Reis a lua nova era observada através de um festival de dois dias (1 Sam. 20:24 -47.) (7)

Durante o tempo de Cristo, os israelitas estavam usando o calendário original, dado por Moisés. O sumo sacerdote, que foi selecionado a partir da classe dominante dos saduceus, era encarregado de declarar quando um novo mês tinha começado. Os fariseus, cujas “tradições dos homens” Cristo tão enfaticamente denunciada, não controlavam o calendário. Este é um ponto muito importante porque o calendário em uso atualmente é um calendário elaborado pelos fariseus e justificado por sua tradição oral.

Com a destruição do Templo (70 DC), os saduceus desapareceram por completo, deixando a regulamentação de todos os assuntos judaicos nas mãos dos fariseus. Daí em diante, a vida judaica foi regulamentada pelos fariseus; toda a história do judaísmo foi reconstruída a partir do ponto de vista dos fariseus, e um novo aspecto foi dado ao Sinédrio do passado. A nova cadeia de tradição suplantou a antiga tradição sacerdotal (Abot 1:1). Fariseísmo moldou o caráter do Judaísmo bem como a vida e o pensamento dos judeus para todo o futuro. (8)

Como resultado da perseguição extrema associada com qualquer tentativa de usar o calendário bíblico, Hillel II, o último presidente do Sinédrio, criou um calendário reformado.
Declaração do novo mês pela observação da lua nova, e o ano novo pela chegadada primavera, são decisões que só poderiam ser tomadas pelo Sinédrio. No tempo de Hillel II [4 século CE], o último presidente do Sinédrio, os romanos proibiram esta prática. Hillel II foi, portanto, obrigado a instituir o seu calendário modificado, dando assim antecipadamente a autorização do Sinédrio para os calendários de todos os anos futuros. (9)

Desde os tempos bíblicos os meses e anos do calendário judaico foram estabelecidos pelos ciclos da lua e do sol. A lei tradicional prescreve que os meses devem acompanhar de perto o curso da lua. . . Nos primeiros tempos da nossa história a solução foi encontrada pelo seguinte procedimento prático: O início dos meses era determinado pela observação direta da lua nova.

. . . Este método de observação e intercalação foi usado durante todo o período do segundo templo (516 aC – 70 dC), e cerca de três séculos depois de sua destruição, sempre que houvesse um Sinédrio independente. No quarto século, no entanto, quando a opressão e a perseguição ameaçaram a existência do Sinédrio, o patriarca Hilel II deu um passo extraordinário para preservar a unidade de Israel. . . ele fez público o sistema de cálculo do calendário que até então tinha sido um segredo bem guardado. Ele tinha sido usado no passado apenas para verificar as observações e depoimentos de testemunhas, e para determinar o início da temporada de primavera.. (10)

O calendário hebraico era tanto de cálculo como de observação. A lua é extremamente precisa e exata. Mesmo as várias anomalias, devido à sua órbita elíptica, podem ser previstas. Com conhecimentos astronômicos avançados, que os ancestrais possuíam, o calendário luni-solar é ao mesmo tempo exato e previsível permitindo calcular o passado e o futuro. A beleza deste método de fazer calendário, porém, é que até o pastor na encosta da montanha, sem qualquer conhecimento astronômico, pode usá-lo através da observação.

Quando Hillel II “modificou” o calendário, ele mudou o Ano Novo e corrompeu o ciclo semanal. Isso é tudo. Os princípios pelos quais um calendário luni-solar é calculado são puramente astronômicas. Hillel II não os criou. Ele apenas “tornou público o sistema de cálculo de calendário que até então tinha sido um segredo bem guardado.” (11)

Quando o Messias estava na terra, a única coisa que Ele repetidamente e com veemência denunciou foi as “tradições dos homens” – os ensinamentos dos fariseus. É freqüentemente dito: “Se o calendário estivesse incorreto no tempo de Cristo, Ele o teria corrigido.” Isto é verdade. O fato de que Ele não o fez prova que o calendário, sob o controle dos saduceus, era de fato o calendário original que o próprio Cristo estabeleceu na Criação. O calendário usado pelos judeus hoje é uma corrupção farisáica. O Rabino Louis Finklestein declarou:

Fariseísmo se tornou Talmudismo … [Mas] o espírito do antigos fariseus sobrevive inalterado. Quando o judeu … estuda o Talmud, está na verdade repetindo os argumentos usados ​​nas academias palestinas. . . . O espírito da doutrina [fariseus] tem permanecido rápida e vital. . . . Da Palestina à Babilônia; da Babilônia à África do Norte, Itália, Espanha, França e Alemanha, destes à Polônia, Rússia e Europa Oriental em geral, o antigo Fariseísmo tem vagado. (12)

O Talmud deriva sua autoridade da posição ocupada pelas academias antigas (ou seja, os fariseus). Os professores dessas academias, tanto da Babilônia como da Palestina, eram considerados os sucessores legítimos do velho Sinédrio. . . . No presente momento, o povo judeu não tem nenhuma autoridade central comparável aos Sinédrios antigos ou às academias que os sucederam. Portanto, qualquer decisão relativa à religião judaica deve basear-se no Talmud como o currículo final do ensino das autoridades de quando existiram. (13)

As tradições dos fariseus preservadas no Talmud e das quais Cristo procurou libertar o povo, ensinam que se não se sabe quando ocorre o sábado, simplesmente deve-se guardar um dia em sete. (14) É fácil ver como uma tradição assim poderia ser usada para justificar a alteração do calendário devido à extrema perseguição que enfrentaram todos os que adoravam pelo calendário bíblico. Usando sua autoridade como presidente do Sinédrio, Hillel II conectou as festas anuais ao equinócio da primavera. Em seguida, ajustou o Sábado semanal hebráico (Sabbath) ao sábado sétimo dia (Saturday) do calendário Julian/Gregoriano. Isso “libertou” os judeus da condenação da lei, uma vez que já não se podia saber quando o verdadeiro Sábado ocorria. Assim, eles justificaram a utilização do calendário pagão.

O calendário de verdade é muito fácil de usar. Os dias da semana e Sábados (Sabbaths) de cada mês lunar sempre caem exatamente nas mesmas datas todo mês; (15) os dias da semana não flutuam entre os dias do mês como acontece agora no calendário moderno. Após Hillel II “modificou” o calendário para fazê-lo encaixar com a estrutura do calendário Julian e mudou a observância do sábado sétimo dia da semana lunar para o ciclo continuo da semana Julian, as dificuldades surgiram. Às vezes a lua nova apareceria no dia da semana Julian o que causou com que as festas anuais caissem no dia errado da nova semana. Como resultado, regras de adiamento foram estabelecidas – algo que nunca foi necessário quando o calendário original estava em uso.

Ninguém que deseje guardar o verdadeiro Sábado hebráico deveria seguir as orientações dos judeus para aprender quando ele ocorre. Todos os que guardam o sábado porque “os judeus guardam o sábado” estão seguindo a corrupção que fezHillel II no calendário do Criador e, assim, quebrando a Sua lei.

Lembre-se: Estamos sob o novo pacto, assim que todos aqueles que aceitam o presente daGRAÇA já não estão sujeitos à lei de pedra, mas são salvos pela FÉ em JESUS CRISTO.

“Mas, antes que viesse a fé, estávamos guardados debaixo da lei, encerrados para aquela fé que se havia de revelar. De modo que a lei se tornou nosso aio, para nos conduzir a Cristo, a fim de que pela fé fôssemos justificados. Mas, depois que veio a fé, já não estamos debaixo de aio.” Gálatas 3:23-25

(1) “Calendar,” The Jewish Encyclopedia, ênfase provida por este site.
(2) Isso será abordado em profundidade mais tarde, mas no original calendário Juliano, o solstício de inverno era 25 de dezembro, VIII Kal. Jan., ou oito dias antes do primeiro dia de janeiro.
(3) Caixa 6, pasta 4; Grace Amadon Collection (Coleção 154), Centro de Pesquisa Adventista, Andrews University, Berrien Springs, Michigan.
(4) Maimonides, Kiddusch Ha-hodesch, Tr. Mahler, Wein, 1889, ênfase provida por este site.
(5) “Holidays”, Universal Jewish Encyclopedia, 1899 ed.,p. 410. Veja o original aqui.
(6) The Universal Jewish Encyclopedia, Isaak Landman (ed.), Vol. X, “Week,” (1943 ed.), p. 482.
(7) The Universal Jewish Encyclopedia, “Calendar,” p. 631.
(8) “Pharisees,” The Jewish Encyclopedia, Vol. IX, (1901-1906 ed.), p. 666.
(9) “The Jewish Calendar and Holidays (incl. Sabbath)”: The Jewish Calendar; Changing the Calendar, www.torah.org, ênfase provida por este site.
(10) Arthur Spier, The Comprehensive Hebrew Calendar, (Jerusalem and New York: Feldheim Publishers, 1986), pp. 1-2, ênfase provida por este site.
(11) Ibid.
(12) Louis Finklestein, The Pharisees: The Sociological Background of their Faith, (Philadelphia: The Jewish Publication Society of America, 1946), Vol. 1, Forward to first edition, p. XXI, ênfase provida por este site.
(13) Louis Finklestein, The Jews — Their History, Culture, and Religion, (Philadelphia: The Jewish Publication Society of America, 1949), Vol. 4, p. 1332.
(14) Tractate Shabbat, capítulo 7, Mishna 1, www.JewishVirtualLibrary.org.
(15) Isso explica por que sempre que a data de um sábado (sétimo dia) é dada na Bíblia ele sempre cai no dia 8, 15, 22 ou 29 do mês hebraico.

Fontes: http://cristaoslivres-francisco.blogspot.com.br/2014/12/os-judeus-admitem-o-verdadeiro.html

Onde comprar o livro que penso ter este texto acima – Título:(O Sábado não é o shabat) —> https://books.google.com.br/books?id=KDxQBQAAQBAJ&hl=pt-BR

Ver amostra: https://books.google.com.br/books?id=KDxQBQAAQBAJ&printsec=frontcover&hl=pt-BR&source=gbs_atb#v=onepage&q&f=false

11 ideias sobre “Novo desafio a Rodrigo Silva: Responder com deboche e ameaça videozinho do Thiago Lima é fácil, queremos ver responder aos vídeos dos irmãos da WLC!

    • Falta apenas responder qual a importância profética da mudança de calendário ´prevista em Daniel 7, se não houve alteração no ciclo semanal.

  1. Ola amigos. Assistindo aos videos dos irmãos da WLC , percebi que os mesmos usam para os calculos do sabado lunar , os movimentos de rotaçao do sol ,lua e terra no modelo da terra esferica. Achei muito importante este tema do verdadeiro dia de repouso , mas confesso que fico um pouco constrangido ao ouvir os irmaos explicando as mediçoes desta forma , o heliocentrismo ,ja que comecei a crer na forma plana da terra.mas vi tambem que os irmaos passaram a crer na forma plana da terra. Portanto , gostaria de saber se alguem ja publicou algum estudo do sabado lunar , baseados na forma plana da terra, digo,como identificar a lua nova e o setimo dia neste modelo? grato desde já.

    • Ainda iremos fazer uma boa pesquisa sobre esse assunto, irmão, para elaborar-lhe uma resposta mais completa, mas por enquanto sugerimos-lhe a leitura do texto em que os irmãos da WLC se comprometem a verificar todos esses cálculos, entre outros pontos, e corrigi-los em seu site:

      “Ao longo das próximos semanas e meses, WLC irá corrigir todos os artigos e vídeos que se referem ao fato da teoria do globo heliocêntrica errôneo. A equipe pede pela sua paciência durante este processo. Devido ao tamanho do site, é uma tarefa difícil que irá levar algum tempo. No entanto, WLC está empenhada em fazer avançar cada verdade que o Céu revela.”

      Leia o texto completo em: Terra Plana: Deixando de lado o Globo!

  2. A verdade da Terra Plana biblica, os Mandamentos de Deus, e todas as suas profecias prevalescerao por sempre… Bendito seja Yahuwah e seu Filho amado Yahushua! YWHW reina! Elohym vive por sempre!

  3. Pq vcs não respeitam, as pessoas e as religiões???? Cada um tem um ponto de vista diferente. Nem todos precisam ter e ver da mesma forma que vc. Deus tenha misericórdia de vc e de quem debocha da palavra de Deus.

  4. Esse Rodrigo Silva, é um doente mental.Todo seu estudo torna-se lixo, mediante a demoniaca vontade de defender com enganos a membresia, tudo isso em nome do dinheiro e honrarias mundanas.

    • Com certeza vc não conhece o Rodrigo Silva para falar tamanha baboseira! Se liga e cuide de conhecer a vontade de Deus pois esse é seu dever, assim como meu dever.

Deixe uma resposta para Joseval Santos Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *