DSA

Por que adventistas brasileiros são obrigados a crer na Trindade e em Ellen White se isso não é exigido em outros países?

Assista e comente no site.

3 thoughts on “Por que adventistas brasileiros são obrigados a crer na Trindade e em Ellen White se isso não é exigido em outros países?

  1. A Divindade deve-se considerar pela perceptiva bíblica e não por EGW (ela não pode ser base de doutrina chaves como essa). Ao utilizar tal afirmativa se demonstra total desconhecimento dos pioneiros: uns anti trinitarianos natos, outros semi arianos e assim por diante, uma pergunta importante : em que data foi escrito isso? Seria no início de sua carreira? Se foi, não duvido nada que ela tenha amadurecido e aprendido conforme se estudava (aqui está um desafio a ser feito por quem lê ela). Particularmente não me detenho nos escritos dela e só considero quando se tem uma visão direta (ali tendo observar as problemáticas da verdade presente dela e de quem estava lá) e não quando ela começa a escrever sem fim se apropriando até de outros autores da época. Faço a sugestão do livro em busca de identidade para ver o quão diferente era o adventismo até 1865, basicamente todos os pilares estavam de é antes dela assumir algum relevância, exemplo: estado dos mortos, sábado, santuário, o juízo vindouro. Talvez sua resposta esteja nessa perspectiva de época da escrita do texto. Vale lembrar que quase a totalidade da Igreja é incapaz de ver isso, pois, não foi ensinado.

  2. Como sei que, quase com certeza, líderes da IASD passeiam pelo seu “sítio”, gostaria de que fosse feito um questionamento sobre um comentário constante na Lição da Escola Sabatina de 06 de janeiro de 2019, sob o título “Em Patmos”, o último parágrafo sob a pergunta nº 1 (EGW, Atos dos Apóstolos, pgs. 570, 571), falando do apóstolo João, prisioneiro em Patmos:
    “… Ali, afastado das cansativas cenas da vida, e dos ativos labores dos primeiros anos, ele teve a COMPANHIA DE DEUS, DE CRISTO, DOS ANJOS CELESTIAIS, e deles recebeu instrução para a igreja no futuro.”

    Sabendo que EGW teve sua formação religiosa na Igreja Metodista (que tem sua doutrina ‘trinitariana’), e que os atuais defensores de EGW como “profetisa”, o que teria acontecido com essa declaração???!!!

    Cabe perguntar: teria sido tal registro “inspirado”?
    Ou, ela teria tido um deslize mental, estava com a memória fraca, já que era “trinitariana”, por quê teria ela omitido a “terceira pessoa da trindade”, uma vez que incluiu nessa “assistência” até a companhia dos anjos celestiais, e, deixou de fora uma suposta 3ª pessoa da ‘trindade’ ???!!!

    1. João, entenda que o espírito santo (sic), que é o poder de Deus ou sei lá o que, não estava com João.

      Falando sério: os textos da Bíblia e de Ellen White que mencionam o Pai e o Espírito Santo provam que Cristo não existe? Os textos da Bíblia e de Ellen White que mencionam Cristo e o Espírito Santo provam que o Pai não existe?

      E melhor: seguindo a sua lógica, os textos da Bíblia e de Ellen White que mencionam o Pai, Cristo e o Espírito Santo provam que a “terceira pessoa da Trindade” existe?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *