Parceria da IASD com Hitler: Casos de judeus adventistas traídos pelo adventismo

Razor and barbed wire fence concept for security and protection
Judeus adventistas perderam a vida em campos de concentração nazistas
RESUMO
  • Adventistas tanto judeus quanto amigos de judeus foram perseguidos pelo regime nazista e abandonados pela Igreja Adventista do Sétimo Dia da Alemanha, que apoiou oficialmente Hitler.
  • A breve história de alguns deles:

    • Sarah Nagelberg, judia adventista que foi abandonada pela Igreja Adventista do Sétimo Dia e foi deportada para campo de concentração
    • Wilhelm Jokel, judeu adventista austríaco procurou ajuda da sua igreja, a qual lhe virou as costas
    • Hermann Kobs, pastor adventista que foi suspenso por ajudar um adventista judeu e foi enviado para campo de trabalhos forçados
    • Franz e Frieda Ludwig, casal adventista expulso da igreja porque a esposa era judia
    • Frieda Redlich, adventista presa por ser judia; nenhum pastor ou ancião foi visitá-la na prisão; posteriormente foi mandada para um campo de concentração
    • Max-Israel Munk, judeu adventista que passou por dois campos de concentração e cuja filha perguntou ao responsável pela assistência social da IASD se havia outros judeus passando privações e ouviu: “Ainda não fiz uma lista”.
  • Duas perguntas para reflexão. A segunda: Por que, mesmo com o ensino claro de Jesus, pastores e líderes não foram visitar judeus adventistas que estavam presos?

História de adventistas traídos pelo adventismo

Há uns dois meses escrevi a postagem Testemunho de pessoas que deixaram o adventismo. A postagem de hoje traz alguns casos de adventistas traídos pelo adventismo.

Mas, como você vai perceber, é uma postagem diferente. É a história de adventistas que a Igreja Adventista do Sétimo Dia da Alemanha maltratou. Alguns até perderam a vida! Tudo porque eram judeus ou amigos de judeus. Deixaram a Igreja Adventista, ou melhor, foram deixados, abandonados, pela igreja.

Com exceção do último caso, os demais foram tirados do site adventista Shalom Learning Center.1

A IASD e o nazismo

A Igreja Adventista do Sétimo Dia da Alemanha se aliou ao nazismo, conforme detalhadamente demonstrado em inúmeros artigos acadêmicos e até em trechos de livros. Em suas publicações oficiais a IASD até mesmo elogiou Hitler e disse que ele era um enviado de Deus! Examino essa questão na postagem Igreja Nazista do Sétimo Dia.

Histórias tristes

Sarah Nagelberg

Em 1898 a judia adventista Sarah Frieda Nagelberg imigrou da Galícia para a Áustria. No ano de 1930, Sarah, que trabalhava como bordadeira e costureira, se uniu Igreja Adventista em Dornbirn. Em 1935, ela ficou bem doente e sem condições de ganhar a vida. Totalmente sem recursos, foi acolhida em um abrigo católico em Hohenems.

Em 1940, a Gestapo começou suas investigações. Sarah declarou que não sabia se ainda era considerada membro da Igreja Adventista. Isso deixa óbvio que os membros adventistas haviam cessado o contato com ela. Em 1942, a judia adventista — doente, indefesa e só — foi deportada de Hohenems para um campo de extermínio e, ao que tudo indica, morreu ali.

Wilhelm Jokel

O judeu adventista Wilhelm Jokel, da cidade de Viena, na Áustria, admitiu em 1938: “Como cervos assustados, estamos à procura de um esconderijo”. Jokel, que na época já fazia 33 anos que pertencia à Igreja Adventista, pediu ajuda aos líderes da igreja em Viena. Mandaram-no embora com a desculpa de que ele era responsabilidade da comunidade judaica vienense. Não se tem notícia do fim que ele teve.

Hermann Kobs

Fonte: https://adventismo.com.br/2020/09/casos-de-adventistas-traidos-pelo-adventismo/

Deixe uma resposta