Tudo que EGW nunca soube (ou escondeu) sobre a história dos Estados Unidos




Especialmente no livro O Grande Conflito, Ellen G. White se refere aos Estados Unidos como terra da liberdade e da oportunidade, cujo governo, estabelecido pela providência divina, corromper-se-ia e se oporia ao povo de Deus apenas depois que o protestantismo se apostatasse e desse as mãos ao catolicismo para promover o sábado espúrio. Mas a história demonstra que os EUA se posicionaram ao lado do Mal e do ocultismo desde o início.
















1 comentário em “Tudo que EGW nunca soube (ou escondeu) sobre a história dos Estados Unidos”

  1. Achei o título muito desonesto. Acho que o fato de EGW não ter mencionado isso no Grande Conflito é por que não sentido de expor naquele momento essas questões, uma vez que, de fato, o conceito de separação de Estado e Igreja era um alicerce da formação dos Estados Unidos. Além disso, a mentalidade puritana e anti religião oficial era bem significativa, embora não fosse um consenso. Além de que ela, já deixa claro que havia um processo de acelerada apostasia entre os protestantes, que são denominadas de igrejas nominais ou populares. Assim, a presença do ocultismo ( e romanismo) presente na formação da federação, não implica que durante um tempo, os EUA não tivesse um papel profético favorável a pregação bíblica e ao estudo da Biblia. Acho que você perdeu a oportunidade de mostrar que mesmo sem “conhecer” ou “citar” essas origens, EGW e os pioneiros da IASD estavam muito conscientes de que o EUA aos poucos se tornaria um país intolerante na questão religiosa, e não segue o pensamento do cristianismo popular estadunidense que apoia um discurso nacionalista-cristão ao EUA!

Deixe um comentário