image_pdfimage_print

Hacksaw Ridge: “Matem o máximo de japoneses que conseguirem, que eu recolho os pedaços de vocês…”

Desmond Doss foi, com certeza, um valente leigo adventista do sétimo dia, que não perguntou a nenhum pastor ou líder da IASD se deveria ou não alistar-se para a guerra, mas o fez voluntariamente e decidido a não portar armas.Se perguntasse ou pesquisasse, talvez ficasse surpreso ao saber que naquele momento lideranças da IASD na Europa apoiavam a Hitler! A própria Associação Geral havia trazido para os Estados Unidos Hulda Jost, uma propagandista do nazismo.

Apesar disso, Desmond Doss não precisaria ter ido à guerra, uma vez que o serviço militar não era obrigatório como é no Brasil. Afinal, todo cristão sabe que deve amar os inimigos. Um seguidor de Cristo deve ser pacificador porque sua cidadania não é deste mundo. Assim sendo, um jovem adventista que não aceitava usar armas por uma questão de princípio religioso não deveria jamais ir à guerra e, igualmente, não deveria apoiá-la ou legitimá-la com sua presença, ainda que com supostos propósitos beneméritos. Continuar lendo

Conferência Geral da Igreja Adventista apoiou divulgação “positiva” do nazismo nos Estados Unidos

OS ADVENTISTAS DO SÉTIMO DIA NA ALEMANHA NAZISTA

Por Corrie Schroder

A Alemanha nazista era um lugar horrível para pequenas igrejas denominacionais porque não tinha nenhuma liberdade religiosa. Uma pequena denominação que sobreviveu foi a Adventista do Sétimo Dia. Quando Adolf Hitler subiu ao poder na Alemanha, a denominação dos Adventistas do Sétimo Dia na Alemanha (doravante chamada os adventistas) achava que era o momento para um líder forte na Alemanha. Hitler parecia o melhor candidato por causa de “sua dedicação pessoal e seu abstinência do chá, do café, do álcool e da carne, práticas compartilhadas pelos adventistas; [portanto,] foi recebido como salvador”. [1] Continuar lendo

Pedido de Desculpas da IASD por ter apoiado Hitler completa dez anos em 2015

csm_max_israel_munk001_b53f9baf96

O pedido formal de desculpas aconteceu no mês de Maio de 2005, embora a notícia tenha sido publicada oficialmente pela Adventist Review somente em agosto de 2005. O noticiário mundial da Igreja Adventista do Sétimo Dia publicou o pedido de desculpas, sob este título:

Europa: Igrejas da Alemanha e Áustria Pedem Desculpas Por Ações Durante Holocausto Continuar lendo

Tiro pela culatra: Adventistas trinitarianos usam vídeo de Hitler para atacar adventistas unitarianos

Esse mesmo vídeo, com outras legendas, já foi utilizado por lideranças de jovens para promover acampamentos e outras programações dos J.A. Seria apenas ignorância e desinformação, ou o fascínio por Hitler, sua figura e suas idéias, permanece forte no seio da Igreja Adventista do Sétimo Dia? Continuar lendo

CPB publica artigo de pastorzinho adventista que propõe nova redação para mandamento da Lei de Deus

AV120412_cah0007

“Foi assim que Deus disse: Não matarás?” Esse deveria ter sido o título do texto publicado na edição de março de 2015 da Revista Adventista, pág. 50, e reproduzido na versão digital da revista. Favorável à pena de morte, o autor, José Flores Júnior, pastor adventista em Guarulhos, SP, questiona a aplicação do sexto mandamento do Decálogo aos governos terrestres, concluindo que autoridades humanas estariam divinamente autorizadas a descumpri-lo sem que sobre elas paire qualquer condenação posterior. Continuar lendo

Leandro Quadros e Rede Novo Tempo da IASD contrariam a Constituição e defendem pena de morte

estadoislamico-execucao

Suposta autorização divina ao Estado para matar, defendida por pastores adventistas, colocaria terroristas do Estado Islâmico sob a aprovação divina e acima do mandamento “Não matarás”

Texto retirado da fanpage do programa “Na Mira da Verdade” no Facebook:

Olá, amigos do “Na Mira da Verdade”! Acabei de publicar um post bastante polêmico, porém, necessário para aqueles que desejam pensar mais biblicamente.

Escrevi sobre a “pena de morte”, com base num ótimo artigo publicado na Revista Adventista deste mês de março de 2015, da autoria do Pr. José Flores Júnior que reside em Guarulhos, SP. Continuar lendo

Até o Papa Francisco diz que pena de morte é fracasso do Estado de Direito!

Lucas 16:8: “Porque os filhos deste mundo são mais prudentes na sua geração do que os filhos da luz.”

PapaPenaDeMuerte231014

“Para um Estado de Direito, a pena de morte representa a falência, porque obriga a morte em nome da justiça”, criticou o líder da Igreja Católica

O papa católico Francisco afirmou nesta sexta-feira (20) que a pena de morte é “inadmissível” e que representa uma “falência” do Estado de Direito.

Em uma mensagem à Comissão Internacional Contra a Pena de Morte, recebida em audiência no Vaticano, o Pontífice católico afirmou que a pena capital é “inadmissível pelo quanto possa ser grave um crime cometido por um condenado”. “Para um Estado de Direito, representa a falência, porque obriga a morte em nome da justiça”, criticou o líder da Igreja Católica, ressaltando que a “justiça humana é, entre outras coisas, imperfeita e pode errar”. Continuar lendo

Pena de morte: Opinião Adventista X Opinião Católica

Marco-Archer-Cardoso

Lucas 16:8: “Porque os filhos deste mundo são mais prudentes na sua geração do que os filhos da luz.”

Igreja Adventista diz SIM à Pena de morte

Não matarás — Os argumentos contra a pena de morte são válidos?

Todas as vezes que um crime hediondo é cometido, surge a pergunta sobre o que deve ser feito com o criminoso. Tem início uma grande discussão a respeito da pena capital. Desta vez, o que levantou a questão foi o fuzilamento do brasileiro Marco Archer Cardoso na Indonésia, à 0h30 do dia 18 de janeiro no horário local. Ele foi condenado por tráfico de drogas. Outro brasileiro, Rodrigo Gularte, também se encontra no corredor da morte naquele país e pode ter o mesmo destino.

Qual deve ser a posição cristã nesse caso? Como harmonizar o sexto mandamento com as leis que exigem a morte do transgressor? Como conciliar a misericórdia e o perdão de Deus com tais procedimentos? Continuar lendo

Igreja que apoiou Hitler, agora desestimula protesto contra corrupção e roubalheira no Governo Dilma

40904-970x600-1

998457_10152125004167995_1934151654_n1

Depois de apoiar como igreja as ações de Hitler contra os judeus na Europa com argumentação fundamentada na Bíblia, décadas depois, direto do setor de mansões de Brasília, onde residem os maiorais da DSA, a liderança adventista do Brasil repete o erro de legitimar a ação de autoridades corruptas brasileiras, usando para isso argumentos também extraídos da Bíblia e de livros atribuídos ao Espírito de Profecia.

Desta vez, o apoio, expresso na forma de desestímulo à participação de adventistas no protesto contra a corrupção e roubalheira durante o governo Dilma, está documentado em recentes publicações denominacionais na internet. Continuar lendo

image_pdfimage_print