Entenda o que EGW queria dizer com as palavras “amálgama” e “amalgamação”

Para EGW, a “amalgamação”, que envolveu humanos, animais e vegetais, é o resultado da “amálgama” realizada por Satanás mediante seus “métodos engenhosos”. Segundo ela, através dessa manipulação genética, houve até mistura de homens com animais, “o que degenerou a imagem de Deus e gerou o caos em toda parte”. Ela qualifica essa ação diabólica como um “crime” e “um pecado acima de todos que acarretou o dilúvio”.

EGW afirma que essas “espécies estranhas” de animais que Deus não criou foram então destruídas, mesmo assim, ainda hoje, infinitas espécies de animais e até raças humanas permanecem afetadas. Também a vegetação foi alterada pela satânica “amálgama”.

Veja de novo as citações de Ellen G. White referentes ao assunto:

Dos Homens com Animais Antes do Dilúvio — Mas, se houve um pecado acima de todos que acarretou na destruição do mundo pelo dilúvio foi o crime da amalgamação do homem com animais que degenerou a imagem de Deus e gerou caos em toda parte. Deus planejou destruir através de um dilúvio esta raça poderosa e de vida longa que havia corrompido seus caminhos diante dEle. Ele não lhes permitiria continuar vivendo normalmente os dias de sua vida natural, o que seriam centenas de anos. Neste tempo, poucas gerações haviam se passado desde que Adão se aproximou daquela árvore que prolongava a vida. Após a desobediência do homem, foi-lhe proibido comer da árvore da vida. Privado daquela árvore, sua vida gradativamente definharia. 3 SG, pág. 64 (1864), (1SP, pág. 69).

Sobre os Homens e os Animais Após o Dilúvio — Todas as espécies de animais criadas por Deus foram preservadas na arca. As espécies estranhas que Deus não havia criado, as quais eram resultado da amalgamação, foram destruídas pelo dilúvio. Desde o dilúvio vem ocorrendo amalgamação de homens com animais, como pode ser visto na maioria das infinitas espécies de animais e em algumas raças humanas. 3 SG, pág. 75 (1864), (1SP, pág. 78).

Sobre as Plantas — Remédios que Limpam o Organismo — Cristo nunca plantou as sementes da morte no organismo. Satanás plantou essas sementes quando tentou Adão a comer da árvore do conhecimento, que implicava em desobediência a Deus. Nenhuma planta nociva foi colocada no grande jardim do Senhor, mas depois que Adão e Eva pecaram, nasceram ervas venenosas. Na parábola do semeador, foi feita ao dono da casa a pergunta: “Senhor, não semeaste boa semente no teu campo? Donde vem, pois, o joio?” O dono da casa respondeu: “Um inimigo fez isso”. (Mat. 13:27 e 28). Todo joio é semeado pelo maligno. Toda erva nociva é de sua semeadura, e por seus métodos engenhosos de amálgama ele corrompeu a Terra com joio. MS 65, 1899 (2 ME, pág. 288), 2ME, pág. 452.

6 thoughts on “Entenda o que EGW queria dizer com as palavras “amálgama” e “amalgamação”

  1. A bíblia e a lampada que ilumina meu caminho, apesar de ser um grande pecador, apego-me a ela acima de todos, porem os escritos de E.G. White só reforça essa ideia e não me confunde.
    Que Deus tenha misericórdia de todos nós.

  2. O texto original em inglês diz assim: But if there was one sin above another which called for the destruction of the race by the flood, it was the base crime of amalgamation of man and beast which defaced the image of God, and caused confusion everywhere. SG, vol 3, pg 64. a expressão of man and beast significa HOMEM E ANIMAL. Vcs traduziram erroneamente como “homem com animal” e isso muda totalmente o sentido do texto. Houve amalgama nos tempos antes do dilúvio, mas de homens com homens (especie humana) e animais com animais. Por isso ela diz amalgama de homens e animais. Inclusive na página 75 do mesmo livro ela confirma essa expressão. Eu gostaria que vcs corrigissem esse erro gravíssimo pois se trata de uma mentira e sabemos muito bem quem é o pai da mentira…

    1. O senhor nos acusa de algo que não fizemos. A tradução publicada não é nossa, mas da própria Igreja Adventista do Sétimo Dia. E não está errada.

      “Amalgamation” ou “amálgama” é sinônimo de “mistura” e neste caso evidentemente não é mistura de elementos de uma mesma espécie. Afinal, “degenerou a imagem de Deus e gerou caos em toda parte”. Simples cruzamentos entre animais de uma mesma espécie não gerariam “espécies estranhas que Deus não havia criado, as quais eram resultado da amalgamação, foram destruídas pelo dilúvio.”

      O uso da partícula aditiva e (homens e animais) em lugar da preposição com (homens com animais) não altera o sentido da frase, que é reforçado pelo contexto.

      Para confirmação do que dissemos sobre a origem adventista dessa tradução, acesse, por exemplo, o site do Instituto de Pesquisa de Geociência (Geoscience Research Institute), da Igreja Adventista:

      1. http://www.evidenciasonline.org/?page_id=270

      2) http://www.evidenciasonline.org/?page_id=119

      Caso mudem o texto, depois desta publicação, temos o print das páginas conforme acessadas em 17/06/2014:

      1) http://www.adventistas.com/?p=1398

      2) http://www.adventistas.com/?p=1399

      Mentirosa é a sua acusação contra nós.

  3. o Cruzamento de um cavalo com uma jumenta, nasce um burro ou mula como muitos chamam, a ciência comprova que tais animais são híbridos, não podem gerar outros da mesma espécie, mais apesar disso ja vi em alguns lugares em casos isolados animais como a mula gerar outros da mesma espécie. E assim existe tipos de plantas também.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *