Nova profetisa adventista desmente Ellen G. White e inclui a Trindade em Bíblia falsificada para crianças

Nova profetisa adventista desmente Ellen G. White e inclui a Trindade em Bíblia falsificada para crianças

Charlotte F. Lessa escreveu no livro O Mundo Maravilhoso da Bíblia para Crianças, pág. 20: “Ainda no sexto dia, Jesus disse para Deus Pai e para Deus Espírito Santo: — Agora Nós vamos fazer o homem. Ele vai ser parecido conosco…”

Sobre o mesmo acontecimento, Ellen G. White que era considerada até recentemente “mensageira inspirada do Senhor” pelos adventistas, escreveu:

“Depois que a Terra foi criada, com sua vida animal, o Pai e o Filho levaram a cabo Seu propósito, planejado antes da queda de Satanás, de fazer o homem à Sua própria imagem. Eles tinham operado juntos na criação da Terra e de cada ser vivente sobre ela. E agora disse Deus a Seu Filho: ‘Façamos o homem à Nossa imagem.'” — História da Redenção, pág.19 (ou 21).

Charlotte F. Lessa é esposa do Ex-Editor-Chefe da Casa Publicadora Brasileira, Rubens Lessa, que, pelo visto, decidiu seguir o exemplo de Tiago White e explorar o “dom profético” da esposa como fonte de renda para a família. Não se trata de uma pequena falha como alguém poderia supor, porque todo livro da CPB passa pelo crivo de vários pastores e teólogos antes de decidirem que deve ser publicado.

10989033_1538687246418888_598701120469595709_o

“Façamos o homem à nossa imagem e semelhança.”

Os teólogos se satisfazem apenas com a palavra “FAÇAMOS” porém, ao analisarmos o restante da frase, “O HOMEM À NOSSA IMAGEM E SEMELHANÇA”, observamos que à imagem e semelhança de Deus, foram criados dois seres, não três ou quatro seres, apenas dois, Adão e Eva.

Ao nos aprofundarmos um pouco mais, verificaremos que no início foi criado apenas Adão, quanto tempo se passou até que Eva surgisse não foi mencionado, mas sabemos que foi num breve período do mesmo.

Aprofundando-nos ainda mais em nossa análise, descobriremos que, embora Eva surgisse algum tempo após Adão, podemos dizer que ela já estava desde o princípio com Adão, pois ela foi tirada do seio de Adão e embora fosse igual a ele, tendo a mesma autoridade sobre toda a criação, ela lhe era submissa, uma submissão natural, agradável e harmoniosa.

Continuando em nossa análise e nos aprofundando até onde o Eterno nos permitir, verificaremos que o termo primogênito que também pode significar único da espécie, se aplica perfeitamente a Eva pois, dentre os bilhões de seres humanos que vivem em nossos dias, e os incontáveis que já viveram nos séculos e milênios passados, nenhum se iguala a Eva, ela é a única de sua espécie, a única que teve a sua origem no seio de Adão, enquanto que todo o restante da humanidade tiveram a sua origem nos propósitos de Adão e Eva, e sem eles, não existiriam.

Encerrando aqui nossa análise de Gênesis 1:26-27, apresentamos ainda a seguinte consideração: Será que o Eterno ao criar o ser humano não tinha o propósito de ensinar à hoste celestial Seus mistérios insondáveis ?

Ao criar o ser humano à Sua imagem e semelhança, não estaria Ele ensinando que no princípio Ele existia só e com o desejo de compartilhar Sua vida, de Si mesmo gerou a Seu Filho e juntos formaram todas as coisas criadas?

Não estaria Ele ensinando também que embora a hoste celestial seja inumerável e poderosa, nenhum dos seres celestiais se iguala a Seu Filho por Ele ser o único de Sua espécie, único que teve a Sua origem no seio do Deus Eterno, enquanto que todos os demais tiveram sua origem nos propósitos do Eterno e Seu Filho, e sem Eles não existiriam?

Na análise do texto de Gn 1:26-27, podemos observar que na divindade existem apenas dois seres, o Eterno e Seu Filho, o que também é confirmado no ritual do santuário onde, o Eterno é simbolizado por uma luz misteriosa sobre o propiciatório e Seu Filho pelo Sumo Sacerdote Lv 16:2 e 32. Isso é confirmado também pela declaração do Messias em João 17:3: “E a vida eterna é esta: que Te conheçam a Ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.” — I. B. Zaituni

1047917_1538687159752230_7826065699653554857_o

Adão e Eva: Imagens de Deus e de Jesus

Não compreendemos a Bíblia corretamente, por que na maioria das vezes buscamos defender nossas idéias e tradições pré-adquiridas. Devemos estudar a palavra de Deus, buscando coerência e solicitando a presença do Espírito de Cristo para a compreendermos corretamente.

No princípio Deus disse a seu filho: “Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança… Criou, pois, Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. (Gênesis 1:26-27)

Notemos que Deus disse: “façamos”. Porém, ao analisarmos o restante da frase, “o homem à nossa imagem e semelhança”, observarmos que à imagem e semelhança de Deus, foram criados dois seres, Adão e Eva. Deus não criou três, ou quatro, mas somente dois seres foram criados.

Mas antes que a mulher fosse formada, Deus fez os animais e ordenou que Adão desse nome a todos eles

“Da terra formou, pois, o Senhor Deus todos os animais o campo e todas as aves do céu, e os trouxe ao homem, para ver como lhes chamaria; e tudo o que o homem chamou a todo ser vivente, isso foi o seu nome. Assim o homem deu nomes a todos os animais domésticos, às aves do céu e a todos os animais do campo; mas para o homem não se achava ajudadora idônea. (Gênesis 02:19-20)

Não havia ajudadora idônia para o homem. Não é declarado quanto tempo passou entre a criação de Adãi e a criação de Eva, mas imagine o tempo que o homem levou para colocar nomes em toda criação que Deus havia feito e, após observar todos animais, perceber que estava sozinho.

Mas, mesmo que Eva tenha sido criada após Adão, podemos dizer que ela, de certa forma, já estava desde o princípio com Adão, pois ela foi tirada da costela de Adão (Gênesis 02:21-22), e embora fosse igual a ele (auxiliadora idônia), tendo a mesma autoridade sobre toda a criação, ela lhe era submissa. Adão não se aproveitava dessa situação, e tanto a amou que, após Eva comer o fruto proibido, foi solidário e também comeu do fruto proibido. Não quis que Eva morresse sozinha. Adão refletiu, de certa forma, o amor de Deus e seu filho. (Mas o filho de Deus em conselho com Seu Pai, decidir morrer para salvar a humanidade caída, visto Deus ser imortal e não poder morrer para pagar o preço do pecado (I Tim 06:16)).

Podemos utilizar o termo único (assim como termo Unigênito usado para o filho de Deus em João 3:16) à Eva, visto entre todos os seres humanos, Adão e Eva eram únicos. Adão foi formado primeiro, do Barro da Terra, Eva foi formada de Adão, de parte dele. Eva foi tirada de Adão, ao contrário do restante da humanidade que nasceria da união de ambos. Semelhança essa que deveria ser mantida no matrimonio, instituído por Deus.

Deus, em sua sabedoria, criou o homem a sua imagem e semelhança, homem e mulher os criou (Gen 1:27) Ao criar o ser humano à Sua imagem e semelhança Deus ensinou o princípio do reino divino. Primeiro Deus existia, depois tirou de si seu filho, o único de sua espécie, gerado no seio do pai. A sua semelhança, Deus criou o homem, e depois tirou do seio do homem a mulher, ambos a sua imagem e semelhança.

O filho de Deus, sempre submisso a Deus, e a mulher sempre submissa ao homem. A imagem e semelhança de Deus, homem e mulher os criou. O filho de Deus é o único de sua espécie, retirado do seio do pai, assim como Eva é a única e singular, retirada do seio de Adão. Ao honrar ao filho, estamos honrando o pai. Ao respeitar a esposa, estamos honrando o marido.

Vejamos o que a Bíblia diz de Jesus, quando estava com Deus antes da Criação.

Provérbios 8, falando da sabedoria, representação do filho de Deus:

“O Senhor me criou como a primeira das suas obras, o princípio dos seus feitos mais antigos. Desde a eternidade fui constituída, desde o princípio, antes de existir a terra. Antes de haver abismos, fui gerada, e antes ainda de haver fontes cheias d’água. Antes que os montes fossem firmados, antes dos outeiros eu nasci, quando ele ainda não tinha feito a terra com seus campos, nem sequer o princípio do pó do mundo. (Provérbios 8:22-26)

“…o qual é imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação” Col 1:15.

“Ao anjo da igreja em Laodicéia escreve: Isto diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus” Apocalipse 3:14

Adão e Eva foram criados como imagens de Deus. Primeiro Deus, depois Jesus foi gerado em seu seio. Primeiro Adão, depois Eva foi tirada do seu seio.

Em João 1, podemos compreender que Jesus estava em Deus no princípio, antes de Deus criar qualquer coisa, assim como Eva estava em Adão, antes de ser ‘tirada” dele.

“No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus.” João 1:1-2

Podemos entender que no principio da criação do mundo, Eva também estava com Adão (Em seu seio) e Eva era Adão. Deus, a exemplo de Sua imagem (imagem de Deus e Jesus), retirou Eva do seio de Adão. Antes do principio de Qualquer coisa existir, Deus tirou Jesus de seu seio. Jesus estava com Deus e Jesus era Deus, assim como Eva era Adão. Nunca podemos esquecer que Deus Criou o homem e a mulher a sua imagem e semelhança, inclusive Adão (Imagem de Deus, que existia primeiro) e Eva (Imagem do filho de Deus, Jesus, que Deus retirou de Seu seio).

Ao analisarmos o capítulo 5 (verso 13) do livro do Apocalipse, verificaremos que a autoridade outorgada por Deus ao Cordeiro, foi reconhecida por toda hoste celestial, somente após a Sua vitória sobre a cruz.

Ao criar o homem e a mulher (Gen 1:26-27) à sua imagem e semelhança, Deus não criou um terceiro ser, como representação do espírito Santo. O homem e a mulher foram formados e deveriam ser uma só carne, assim como Deus e Seu filho compartilham um só espírito, o espírito Santo. Assim como a ‘uma só carne’ que deveria ser Adão e Eva, o um só espírito, ou o espírito de santidade compartilhado pelo pai e o filho não significa que os dois são uma única pessoa.

Em Atos 5:1-5, Ananias mentiu para o espírito Santo. E em Atos 20:28 vemos que o espírito Santo comprou a igreja com Seu sangue, e em Efésios 4:8 lemos que Jesus deu dons aos homens. A quem Ananias mentiu? Quem comprou a igreja foi o espírito Santo ou foi o filho de Deus que foi tirado do seio de Deus? Quem dá dons aos homens, é o filho de Deus ou um terceiro deus? Quem intercede junto a Deus, é o filho de Deus ou um terceiro deus?

Homem e mulher deveriam, a exemplo de Deus e Seu filho do qual foram feitos imagens, terem o mesmo espírito, assim como o pai e o filho compartilham do mesmo espírito (que é Santo, ao contrário do meu…). Eles foram criados para serem uma só carne, terem um só propósito, assim como o Pai e o Filho tem um só propósito. (O bem estar e felicidade do Universo).

Em João 14:26 lemos que o “espírito Santo ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo que vos tenho dito” vemos que é o espírito, que o Filho compartilha com o Pai, que faria este trabalho. Vemos também que o Jesus prometeu que não deixaria Seus discípulos órfãos e que sempre estaria com eles até a consumação dos séculos. (João 14:18; Mateus 28:20);

Jesus está unido a Deus em um só espírito – I Cor 6:17 – Essa união Ele quer fazer com todos os crentes, e quer que todos sejam um com Ele assim como Ele é um em espírito com Deus (João 17:11). “para que todos sejam um; assim como Tu, ó Pai, és em Mim, e Eu em Ti, que também eles sejam um em Nós; para que o mundo creia que Tu me enviaste”.(João 17:21). Jesus quer se unir a nós, em espírito, para sejamos um com Ele assim como Ele é um com o Pai.

Homem e mulher, a exemplo de Deus, foram feitos ‘imagem e semelhança’ de Deus. Não foi feito um terceiro, para representar um terceiro deus. O espírito Santo é o espírito de Deus e do filho de Deus, gerado em Seu seio; que estava em Seu seio; tirado de Seu seio, assim como o matrimonio é a união feita por Deus para representar a união entre Ele (Deus) e Seu Filho. Os homens tem quebrado esta imagem de Deus, realizada no casamento, onde homem e mulher devem representar (ser a imagem) da união de Deus e Seu filho. Os homens tem deixado de ser a imagem de Deus e de Seu Filho, agindo dolosamente, cometendo torpeza e relações de adultério, falseando a criação de Deus, deixando de ser a imagem de Deus e de Cristo. (Romanos 1:21-27)

Todo universo não caído de Deus já reconheceu que somente aos dois, o Deus “que se assenta no trono, e o cordeiro” (Jesus) (Apoc 5:13), devem ser toda adoração, honra e louvor.

Estamos invalidando a palavra de Deus por causa da nossa tradição? (Mateus 15:6) Que possamos estar unidos em um só espírito,

E você, está refletindo a imagem de Deus em sua vida? Lembre-se, você foi criado a imagem de Deus e de Jesus, você irá refletir esta imagem, ou invalidará a palavra de Deus? O Espírito de Cristo une Seu povo, e este se torna um com Jesus e o pai, assim como os dois são um em espírito e propósitos. (João 17:21). — Por Misael Malagoli, Adventista do Sétimo Dia, de Anápolis, GO.

Clique no link abaixo e faça o download de mais um material sobe o tema, em PDF.

O Pai & Adão e o Filho & Eva

Quantos Seres Divinos Participaram da Criação: 2 ou 3?

Leiamos em Gênesis 1:1,2.

“No princípio, criou Deus os céus e a terra. E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas.”

Caro leitor gostaria de chamar sua atenção para um fato de suma importância: Quantos seres Divinos você consegue ver nos versos de Gênesis 1:1 e 2? Seguindo o que aprendemos foram três, perceba, o Máximo que podemos achar são dois, claro, considerando o “Espírito de Deus que paira sobre as águas” como o segundo ser. Sendo assim Moisés ao relatar a criação em Gênesis viu dois seres, o primeiro ele O chama de “Deus”, e o segundo de ”o Espírito de Deus”. Talvez você esteja se perguntando e o Verbo que se fez carne em João 1:1-3 não se faz presente? Calma, chegaremos lá. Se continuarmos a leitura da criação chegaremos em Gen. 1:26.

“E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança…”

A quem disse Deus “Façamos o homem à nossa imagem”? Quantas pessoas estavam presentes? Normalmente a resposta é: Ao Filho e ao Espírito Santo, formando assim a trindade. Se esta foi a sua Resposta, observe que o texto é claro em não revelar a quantidade de pessoas, mas somente relata uma pluralidade. Não podemos afirmar que são três, pois, poderia ser quatro, quinze ou até mesmo infinito por não especificar um número. De que forma podemos achar o número exato de pessoas? É simples, observe que Gen. 1:26 é a continuação de Gen.1:1,2, aonde Moisés revela dois Seres Divinos sendo o 1° “Deus” e o 2° “o Espírito de Deus”. Fica claro que quando Deus disse “Façamos” Ele falava diretamente para o Segundo “o Espírito de Deus” somente. No façamos só se fazia presente duas pessoas Divinas e não três.

Passemos a analisar João 1:1-3.

“No princípio, era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. 2 Ele estava no princípio com Deus. 3 Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez”.

Nos versos acima o apóstolo João é enfático ao relatar a criação. Observe que ele é muito claro em especificar que no princípio só havia duas pessoas assim como Moisés o fez, e não três. João 1:1-3 está confirmando o que Moisés havia revelado. Um profeta verdadeiro jamais poderá contradizer o outro. A preocupação de João é identificar quem estava no princípio com Deus, ele O descreve como “o Verbo de Deus”, o qual Moisés o descrevera como “o Espírito de Deus”, não podemos enxertar o texto de João 1:1-3 em Gen. 1:1,2 e 26, para afirmar que na criação eram três, o Pai, o Filho e o Espírito. João 1:1-3 não é uma complementação de Gen.1:1,2 e 26 e sim uma confirmação ao relato do profeta Moisés, ambos falam do mesmo assunto (o princípio da criação de Deus), e revelam a mesma quantidade de pessoas, o Primeiro como “Deus” e o segundo como “o Espírito de Deus” e por João “o Verbo de Deus”.

EGW confirma o que Moisés e João dissseram

Como já disse, um Profeta verdadeiro não pode contradizer o outro, porque se assim fizessem não seriam verdadeiros. Um bom Adventista do Sétimo Dia, que crer no dom de profecia que foi dado por Deus a esta igreja através de Sua serva Ellen G. White, faz jus verificarmos qual a posição dela nesta questão.

“O Soberano do Universo não estava só em Sua obra de beneficência. Tinha um companheiro – um cooperador que poderia apreciar Seus propósitos, e participar de Sua alegria ao dar felicidade aos seres criados. “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus.” João 1:1 e 2. Cristo, o Verbo, o Unigênito de Deus, era um com o eterno Pai – um em natureza, caráter, propósito – o único ser que poderia penetrar em todos os conselhos e propósitos de Deus.” – Patriarcas e profetas,pág.9.[33,34].

Pai e Filho empenharam-Se na grandiosa, poderosa obra que tinham planejado – a criação do mundo. A Terra saiu das mãos de seu Criador extraordinariamente bela… Depois que a Terra foi criada, com sua vida animal, o Pai e o Filho levaram a cabo Seu propósito, planejado antes da queda de Satanás, de fazer o homem à Sua própria imagem. Eles tinham operado juntos na criação da Terra e de cada ser vivente sobre ela. E agora, disse Deus a Seu Filho: “Façamos o homem à Nossa imagem.” Gên. 1:26. História da Redenção, pág. 20-21.

“O Pai operou por seu Filho na criação de todos os seres celestiais. ‘Nele foram criadas todas as coisas… sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades; tudo foi criado por Ele e para Ele.’ Col. 1:16. – Patriarcas e Profetas, pág.11, [34].”

A Adão em sua inocência fora assegurada comunhão, direta, livre e feliz, com seu Criador. Depois de sua queda Deus se comunicaria com o homem mediante Cristo e os anjos. – Historia da Redenção; Pág. 51 – CPB, Santo André – S P.

Assim, a serva do Senhor confirma que:

Deus só “Tinha um companheiro – um cooperador” e não dois.
Que Ele era um com o Pai, em natureza, caráter e propósito.
O único ser que poderia penetrar em todos os conselhos e propósitos de Deus.
Pai e Filho foram os que planejaram a criação do mundo.
Deus tinha dito “façamos o homem a nossa imagem”, para o segundo ser que foi visto por Moisés e João, Seu Filho, o único companheiro em todos os Seus projetos.
Que toda criação foi feita por Deus através de Seu Filho.
Deus se comunicaria com a raça humana depois do pecado através de Cristo e os anjos.
Vejamos outros textos da bíblia que falam desses dois Seres relatados por Moisés, João e Ellen White, e a unidade existente entre Eles. Todos os textos abaixo foram proferidos por Jesus.

Mateus 11:27

“Todas as coisas me foram entregues por meu Pai; e ninguém conhece o Filho, senão o Pai; e ninguém conhece o Pai, senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar”.

João 14:6.

“Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim”.

João 10:30.

“Eu e o Pai somos um”.

João 17:3.

“E a vida eterna é esta: que conheçam a ti só por único Deus verdadeiro e a Jesus Cristo, a quem enviaste”.

Ellen G. White:

Agora, como nunca antes, precisamos compreender a verdadeira ciência da educação. Se deixarmos de compreender isso, jamais teremos lugar no reino de Deus. “E a vida eterna é esta: que conheçam a Ti só por único Deus verdadeiro e a Jesus Cristo, a quem enviaste.” João 17:3. Se é esse o preço do Céu, não deveria então nossa educação ser conduzida nessas linhas? Mente Caráter e Personalidade Vol.1 pg.53.

A ciência da salvação da alma humana é a primeira lição da vida. Nenhuma linha de literatura ou educação em conhecimento livresco deve tornar-se supremo. Mas conhecer a Deus e a Jesus Cristo, a quem Ele enviou, é vida eterna. Mente Caráter e Personalidade vol.1 pg.358.

O apóstolo [Paulo] sentia-se responsável em grande medida pelo bem-estar espiritual dos que se convertiam por seus labores. Seu desejo era que crescessem no conhecimento do único verdadeiro Deus, e de Jesus Cristo, a quem Ele enviou. Serviço Cristão, pg.71

Os apóstolos se esforçaram por comunicar a esses idólatras o conhecimento de Deus, o Criador, e de Seu Filho, o Salvador do gênero humano. Atos dos Apóstolos pg.180

O conhecimento de Deus e de Jesus Cristo expresso no caráter é uma exaltação acima de tudo o mais, e a que tanto na Terra como no Céu se dá valor. É de todas a mais elevada educação. É a chave que abre os portais da cidade celestial. É desígnio de Deus que todos os que se revestem de Cristo possuam este conhecimento. Conselhos Sobre Educação pg.247

A Quem Adoraremos na Eternidade?

Veja as declarações feitas por João em seu livro o Apocalipse a respeito dos dois Seres que ele e Moisés revelaram em Gênesis a quem devemos adoração.

“Então, ouvi que toda criatura que há no céu e sobre a terra, debaixo da terra e sobre o mar, e tudo o que neles há, estava dizendo: Àquele que está sentado no trono e ao Cordeiro, seja o louvor, e a honra, e a glória, e o domínio pelos séculos dos séculos. E os quatro seres viventes respondiam: Amém; também os anciãos prostraram.” – Apocalipse 5:13-14.

“Depois destas coisas, olhei, e eis aqui uma multidão, a qual ninguém podia contar, de todas as nações e tribos, e povos, e línguas, que estavam diante do trono, e perante o Cordeiro, trajando vestidos brancos e com palmas nas suas mãos. E clamavam com grande voz, dizendo: Salvação ao nosso Deus, que está assentado no trono, e ao Cordeiro. E todos os anjos estavam ao redor do trono, e dos anciãos, e dos quatro animais, e prostraram-se diante do trono, sobre os seus rostos, e adoraram a Deus, Dizendo: Amém. Louvor, e glória, e sabedoria, e ação de graças, e honra, e poder, e força ao nosso Deus, para todo o sempre. Amém.” Apocalipse 7:9 – 12.

“Temei a Deus e dai-lhe glória, pois é chegada a hora do seu juízo; e adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas.” – Apocalipse 14:7.

A quem Adão e Eva adoravam no jardim do Éden antes de pecarem?

Ellen White responde.

“Chegara a hora dos alegres e felizes cânticos de louvor a Deus e a Seu amado Filho. Satanás havia dirigido o coral celestial. Sempre entoava a primeira nota, e então toda a multidão angélica se unira a ele, fazendo com que gloriosos acordes musicais ressoassem pelos Céus em honra a Deus e Seu querido Filho. … Aproximava-se a hora da adoração, quando resplandecentes e santos anjos se ajoelhavam diante do Pai. Não mais se uniria ele [Satanás] ao cântico celestial. Nunca mais se ajoelharia em reverente e santo temor diante da presença de Deus eterno. … – The Spirit of Prophecy, vol. 1, págs. 28 a 30.”

“Não é aos homens que devemos exaltar e adorar; é a Deus, o único Deus verdadeiro e vivo, a quem são devidos nosso culto e reverência… Unicamente o Pai e o Filho devem ser exaltados…” The Youth’s Instructor, 7 de julho de 1898. — Filhos e Filhas de Deus, MM 1956, 21 de fevereiro, pág. 58

Os anjos uniram-se a Adão e Eva em santos acordes de harmoniosa música, e enquanto seus cânticos ressoavam cheios de alegria pelo Éden, Satanás ouviu o som destas melodias de adoração ao Pai e ao Filho. Ouvindo-as, sua inveja, ódio e malignidade aumentaram, e ele expressou a seus seguidores a ansiedade de incitá-los [Adão e Eva] à desobediência. – The Spirit of Prophecy, vol. 1, págs. 34 e 35.”

“Adão e Eva estavam encantados com as belezas de seu lar edênico. Eram deleitados com os pequenos cantores em torno deles, os quais usavam sua brilhante e graciosa plumagem, e gorjeavam seu feliz, jubiloso canto. O santo par unia-se a eles e elevava sua voz num harmonioso cântico de amor, louvor e adoração ao Pai e a Seu amado Filho pelos sinais de amor ao seu redor. Reconheciam a ordem e a harmonia da criação, que falavam de sabedoria e conhecimento infinitos”. (História da Redenção. 3ª Santo André – SP, CPB, 1973. p. 22,23.).

“Adão e Eva asseguraram aos anjos que nunca transgrediriam o expresso mandamento de Deus, pois era seu mais elevado prazer fazer a Sua vontade. Os anjos associaram-se a Adão e Eva em santos acordes de harmoniosa música, e como seus cânticos ressoassem cheios de alegria pelo Éden, Satanás ouviu o som de suas melodias de adoração ao Pai e ao Filho. E quando Satanás o ouviu, sua inveja, ódio e malignidade aumentaram, e expressou a seus seguidores a sua ansiedade por incitá-los (Adão e Eva) a desobedecer, atraindo assim sobre eles a ira de Deus e mudando os seus cânticos de louvor em ódio e maldições ao seu Criador”. (Ibidem. p. 31.).

Amigo leitor, mais claro que isto só na eternidade, mas lembre-se que a nossa salvação depende unicamente em conhecer apenas duas pessoas: Jesus e Deus, e não três.

Que Deus nos conceda esta graça e que voltemos às origens de um louvor e adoração ao Deus verdadeiro e a Seu Filho. — Ivan O. S.

18 thoughts on “Nova profetisa adventista desmente Ellen G. White e inclui a Trindade em Bíblia falsificada para crianças

  1. Amado,
    Agradeço a Deus por ter revelado sua vontade e o essencial para minha salvação.
    Creio em Um DEUS. e não em três deuses. Deste artigo publicado dá a ideia de exclusão do Santo Espirito de Deus.
    O que dizer de João 14:15 a 17, ainda João 16:13 a 15, e Atos 13:2,3 e 4?
    Ao lermos João 16:13, Jesus diz do Espirito Santo de ELE veja que é um pronome.
    que dizer?

    1. O Espírito Santo mencionado em João 14 é o próprio Cristo após Sua glorificação, exaltação e entronização, ao retornar ao Céu depois de cumprir a missão que o Pai Lje confiou aqui na Terra. Veja os cersos seguintes:

      “O Espírito de verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque habita convosco, e estará em vós. Não vos deixarei órfãos; voltarei para vós Ainda um pouco, e o mundo não me verá mais, mas vós me vereis; porque eu vivo, e vós vivereis. Naquele dia conhecereis que estou em meu Pai, e vós em mim, e eu em vós. Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele. Disse-lhe Judas (não o Iscariotes): Senhor, de onde vem que te hás de manifestar a nós, e não ao mundo? Jesus respondeu, e disse-lhe: Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele, e faremos nele morada.” — João 14:17-23.

      “Ouvistes que eu vos disse: Vou, e venho para vós. Se me amásseis, certamente exultaríeis porque eu disse: Vou para o Pai; porque meu Pai é maior do que eu.” João 14:25.

  2. Foge um pouco do assunto, mas quero compartilha um fato com os irmãos. Segundo o movimento adventista, Jesus entrou no santo dos santos em 1844 se não me engano. Agora eu pergunto, a palavra de Deus está errada em afirma que Jesus já havia entrado no santo dos santos? Aonde está a verdade? Na bíblia, ou no erro adventista daquela época em interpreta uma profecia errada, e querer corrigir dando outra interpretação que contradiz a escritura? Eu fico com a verdade diga na escritura.

    Hebreus: 9. 11. Quando Cristo chegou como Sumo Sacerdote dos benefícios que estavam por vir, Ele mesmo adentrou o maior e mais perfeito Tabernáculo, não construído por mãos humanas, isto é, não pertencente a esta criação. 12. Não por intermédio de sangue de bodes e novilhos, porém mediante seu próprio sangue, Ele entrou no Santo dos Santos, de uma vez por todas, conquistando a eterna redenção.

    1. Nós adventistas acreditamos que nossa salvação se completou na ressurreição de Jesus Cristo, seguida por sua imediata entronização à direita de Deus no santuário celestial. Em 1844, começou simplesmente uma nova fase do ministério de Jesus Cristo, à qual chamamos “Juízo Pré-Advento” ou “investigativo”, tipificada pelo dia judaico da expiação. O senhor está equivocado quanto às nossas crenças.

      1. Obrigado pela resposta. Mas é isso que ouvi da boca de alguns adventistas. Mas fiquei feliz pela resposta, pois eu não gostaria de estar certo nessa questão. Obrigado.

        1. meu querido busque a verdade na Biblia examine -a e vc vai descubrir lindas verdade a respeito da verdadeira
          Igreja ela nao e perfeita mas procurar guardar as Leis q o senhor nos deixou os 10 mandamento
          inclusive o santo sabado

  3. No português temos apenas o SINGULAR e o PLURAL. Em hebraico, língua usada para escrever Gênesis, temos três formas: SINGULAR, DUAL e PLURAL. Dual é para DOIS, APENAS. Em hebraico, a forma dual é usada para coisas que vêm em PARES, como olhos, orelhas e mãos. A palavra “Elohim”, usada no texto: “Façamos (Elohim) o homem à nossa imagem” Gênesis 1:26 e “Depois disto ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem há de ir por nós (Elohim)?” Isaías 6:8, são formas de PLURAL – que no hebraico são DEFINITIVAMENTE MAIS DE DOIS, e devem estar se referindo a TRÊS ou mais (Pai, Filho, Espírito Santo). Um último verso que gostaria de deixar: “Porque TRÊS são os que testificam no céu: o PAI, a PALAVRA [JESUS, segundo joão 1], e o ESPÍRITO SANTO; e estes TRÊS SÃO UM.”1 João 5:7

    1. O irmão precisa conhecer melhor o uso do “plural majestático” em Hebraico. Temos estudado o “plural majestático” e notado como este é documentado nas cartas de Tell el Amarna endereçada aos príncipes cananeus, que abordam Faraó como “meus deuses”. Há algumas inscrições fenícias usando o “plural Majestático” também.

      Muitos eruditos bíblicos concluíram que o “plural majestático” é uma forma antiga bem estabelecida datando dos tempos da Idade do Bronze (tardia). Antes de falar em detalhes sobre este plural, vamos nos deter em algumas informações básicas a respeito do plural na Bíblia Hebraica.

      A terminação plural regular para o gênero masculino em hebraico יִם (im) ocorre em muitas palavras de forma compreensível a nós do ocidente. Exemplo הר (har) “monte”, no plural se torna הרים (harim) ‘montes”, בית (bait) “casa” no plural se torna בתים (batim) “casas”. Entendemos que a terminação יִם (im) é o equivalente a nossa letra S que, comumente encontrada no final de substantivos, indica o plural ;

      A terminação יִם (im) era muito comum nos idiomas fenício, assírio e aramaico. Em árabe vulgar também observa-se uma terminação semelhante (in) que ocorre no aramaico e até mesmo no hebraico encontrado exclusivamente nos livros posteriores do V.T ou em Provérbios e no livro dos antigos Reis de Israel (1 Reis 11:33; 2 Reis 11:13)

      יַעַן אֲשֶׁר עֲזָבוּנִי, וַיִּשְׁתַּחֲווּ לְעַשְׁתֹּרֶת אֱלֹהֵי צִדֹנִין

      Há também no texto massorético da Bíblia Hebraica o plural feminino dos substantivos que normalmente terminam com ות (ot/oth) muito embora nem sempre, como é o caso das palavras hebraicas “ano” e “mulheres” que são femininas e quando no plural também terminam com im e não ot. O hebraico bíblico possui também uma forma morfológica dual para os substantivos que ocorrem naturalmente em pares. É o chamado plural dual. (יום ‘dia’ יומים ‘dois dias’ ימים ‘dias’)

      Ocorre porém que a medida que o idioma hebraico foi sendo estudado durante o século XVIII e XIX percebeu-se características peculiares presentes no idioma no que se refere a várias formas plurais usadas para coletivos e honoríficos. Vamos considerar porém um destes plurais em hebraico bíblico em vista das implicações que este apresenta quanto ao entendimento da natureza de Deus.

      Que evidência há de que existe de fato um plural majestático nas Escrituras?

      O plural em hebraico não é usado de forma a expressar unicamente um número de indivíduos ou objetos separados, mas é usado para representar um plural abstrato. Em harmonia com isso a obra Gesenius’ Hebrew Grammar (1909) produzida por Wilhelm Gesenius faz a seguinte afirmação:

      “A suposição de que אֱלֹהִים (elohim) deve ser considerado apenas como um remanescente de pontos de vista politeístas anteriores (ou seja, como sendo originalmente apenas um plural numérico ) é, no mínimo, altamente improvável, e, além disso, não explicaria os plurais análogos. Que a linguagem rejeitou totalmente a idéia de pluralidade numérica em אֱלֹהִים (sempre que se refere a um Deus), é provado, especialmente por apresentar quase que invariavelmente uma aplicação adjetival singular …” O Plural de Excelência ou Majestático Gramática Hebraica de Gesenius , pg. 398,399.

      A frase plural majestático ou plural de excelência é entendida pelos eruditos como se aplicando aqueles que ocupam posições de poder sobre humanos ou domínio e poder, tais como Deus, deuses, reis e juízes, etc. É usado normalmente para denotar o poder , excelência ou dignidade de uma pessoa. Até mesmo documentos de autoridades religiosas como Papas costumam usar o pronome “Nós” na primeira pessoa do plural ao invés da palavra “eu” se referindo ao Papa. Este pronome é conhecido como o “Nós da realeza”. Há muitos versos no Alcorão onde Alah fala usando o pronome “Nós” (nahnu). (Quran 6:112, 10:87, 15:23; 26, 20:77, 25:50, 32:21; 24, 47:31, 56:57, 78:40), Quem ousaria afirmar que o Islam tem um Deus trinitário? De maneira similar os judeus entendem a palavra “Deus” que ocorre em Gênesis em sua forma plural, como sendo um “plural de majestade” e não um plural numérico na divindade. (Judeus par o Judaísmo.org)

      A maioria dos eruditos e pesquisadores tanto evangélicos como católicos também entendem que existe na Bíblia o plural Majestático. Alguns poucos críticos discordam deste fato, muitos deles obviamente para promover a doutrina da trindade usando de um recurso que nem mesmo os mais respeitados eruditos evangélicos usam.

      Opinião de eruditos católicos e evangélicos

      Começamos por ver a opinião de Bruce Metzger, considerado pelos evangélicos e teólogos do mundo inteiro como um dos mais influentes eruditos do Novo Testamento do século XX:

      “A palavra hebraica usual para Deus é Elohim , outro plural de majestade com um significado singular quando utilizado a respeito de Javé”. (The Oxford companion to the Bible, Escrito por Bruce Manning Metzger, Michael David Coogan, Oxford University Press, pg. 548, 1993)

      O perito de Oxford, R. B. Girdlestone, escreve em sua obra Synonims of the Old Testament: “Muitos críticos, contudo, de indiscutível ortodoxia [trinitária], julgam ser mais sábio ater-se à posição adotada por tais divinos como Cajetan [teólogo] da Igreja de Roma, e Calvino, entre os protestantes, e considerar a forma plural como plural de majestade.” (Sublinhado é meu) Tais teólogos trinitaristas sem dúvida compreendiam que, se considerassem ’Elohím como plural numérico (deuses), tornar-se-iam politeístas!

      Veja a opinião de um professor de interpretação de um seminário teológico da Igreja Batista nos Estados Unidos:

      “Deus (hebraico Elohim) é um substantivo plural … é um exemplo do costume judaico de pluralizar um nome para denotar excelência e transcendência ” (Introdução ao Antigo Testamento, escrito por Clyde T. Francisco, John R. Sampey, Publicações Casa Batista , pg. 40)

      “Elohim, com uma forma gramatical plural, destaca a eminente majestade de Deus, sua transcendência e universalidade. O hebraico e outras línguas semíticas fornecem muitos exemplos desse uso do plural “(Introdução ao Antigo Testamento, escrito pelo professor católico Miguel Angel Tabet, pg. 96, 2004)

      Observe o que uma professora evangélica com baixarel e mestrado em doutrina cristã, escrituras hebraicas e história da igreja escreveu:

      “Elohim, que é o plural da palavra el. Este plural não quer dizer que Ele é mais do que um ser, em nenhum sentido, mas o plural é usado para pronunciar Sua majestade e grandeza “(Seu Nome Para Sempre: A história por trás do Nome de Deus, Escrito por Iris A Foreman, pg. 35, 2011)

      Observe a opinião de um dos mais aclamados pregadores evangélicos americanos:

      “”Elohim, é gramaticalmente plural, mas não indica um plural numérico (ie,” deuses “). O hebraico usa a forma plural para indicar a honra ou a intensidade, algumas vezes chamado de “plural de majestade”. A aparência consistente de um adjetivo singular (Salmo 7:9) ou verbo (Gen 20:6) usado com Elohim mostra que se referia a um Deus Único. “ (Apologetics Study Bible-HCSB, Escrito por Chuck Colson, Norm Geisler, Hank Hanegraaff, pg. 3, 2007)

      “Eruditos consideram a forma como sendo um plural, indicando a natureza superior do Deus de Israel sobre os deuses de outros povos.” (An introductory dictionary of theology and religious studies, Escrito por Orlando O. Espín, James B. Nickoloff, pg. 396, 2007 Espín é Doutorado e Professor Católico de Teologia sistemática)

      “Uma vez que esta palavra é sempre usada com um verbo no singular, é, provavelmente, um plural de majestade, em vez de um verdadeiro plural.” (Literatura da Sabedoria de Israel: escrito pela Professora Dianne Bergante da União Católica Teológica com Mestrado e Doutorado pela St. Louis University)

      “O plural não sugere politeísmo quando se refere ao Deus de Israel, mas é um plural majestático, a revelação da natureza infinita de Deus …“(Holman Concise Bible Dictionary, Escrito por Holman Bible Editorial Staff, pg. 443, 2011)

      “Elohim é plural na forma, mas geralmente é singular na construção (usado com um verbo ou adjetivo no singular. ). Quando aplicado ao Único Deus Verdadeiro, o plural é evidentemente devido ao idioma hebraico possuir um plural de grandeza ou majestade .. . usado para deuses pagãos, anjos ou juízes, como representantes de Deus, Elohim é plural, tanto no sentido como em sua forma”. (Zondervan Illustrated Bible Dictionary, Escrito por J. D. Douglas, Merrill C. Tenney, sobre elohim)

      Em A Dictionary of the Bible (Dicionário da Bíblia), William Smith diz: “A fantasiosa idéia de que [’elohím] se refere à trindade de pessoas na Divindade dificilmente encontra agora entre os peritos alguém que a apóie. Trata-se daquilo que os gramáticos chamam de plural de majestade, ou denota a plenitude da força divina, a soma dos poderes exibidos por Deus.”

      Obviamente que encontrará alguns eruditos defendendo a tese de que não existe “plural majestático”. Este artigo foi escrito para ir além disso e expor a questão de forma clara.

      Seria interessante que lesse com atenção um artigo paralelo escrito nesta página a fim de entender melhor este tema. Elohim (por ser plural) indica que Deus é uma trindade?

      Muita mentira e confusão tem sido feita ao se explicar a palavra Elohim. Observe relacionado com este tema, a saber, o plural majestático, a definição dada no Dicionário de Strong:

      Strong’s H430 – אֱלֹהִים

      [1] (plural)

      a) Governantes, juízes
      b) seres divinos
      c) anjos
      d) deuses
      [2] (plural intensivo – de significado singular)

      a) deus, deusa
      b) semelhantes a deus
      c) trabalhos ou posses especiais de Deus
      d) O [Verdadeiro] Deus
      e) Deus

      Existe ou não o plural majestático na bíblia hebraica?

      Seria errado afirmar que em Gênesis 1:26 a frase “façamos” é uma forma de plural majestático. É obvio que o Criador estava falando a alguém. Deus não usou ali um plural literário, como que falando consigo mesmo. Se nos atermos a Bíblia para obtermos o entendimento correto desta declaração observaremos que esta se refere-se a Jeová e seu “mestre-de-obras” juntos, quando diz “façamos”. (para uma pesquisa cabal deste assunto clique aqui)

      O plural majestático hebraico é também conhecido como “singular de intensidade” visto que destaca não a quantidade mas a grandeza do indivíduo ou objeto a que se refere. Os que negam a existência do plural majestático nem se dão ao luxo de tentarem negar também as abundantes evidências do plural intensivo em suas diversas formas. Podemos ver isso no caso da palavra שמים (shamayim, céu ). Alguns a citam afirmando que existem vários níveis de céus dando uma conotação quantitativa a este substantivo. Na verdade, é um plural intensivo indicando a grandiosidade ou somatória de atributos presentes no substantivo a que se refere. A própria existência de formas de plural intensivo em idiomas aparentados com o hebraico, tais como o árabe, fornece peso contra o argumento dos que negam a existência do plural majestático. Uma forma plural sendo adicionada a uma palavra já no plural é muito comum em árabe. Por exemplo بيت (bayt “casa” ) cujo plural é بيوت (buyuut, “casas”), pode ser acrescida de uma forma plural ـات (aat) e se tornar بيوتات (buyuutaat “casarão ou explendida casa”) sendo esta ultima nem sempre uma referência a várias casas. Os antigos povos cananeus se comunicavam com os Faraós usando plurais majestáticos. Encontramos o plural majestático em antigos escritos em acadiano encontrados no século XVII em quase 400 tabuas de argila com escritas cuneiformes acadianas nas cartas de Amarna. (Figura abaixo)

      Amenhotep III viveu na 8º dinastia Egípcia. (Entre 1386 to 1349 BC)

      Amarna letter

      Observe na escrita cuneiforme ao lado. Numa carta deYabitiri enviada para Amenhotep III onde encontramos a seguinte expressão :

      “Ao meu Senhor, meu Rei, meus deuses, meu sol. Isso é dito: Yabitiri teu servo, os pós dos teus pés, nos pés do meu Senhor, meu Rei, meus deuses, meu Sol, 7 vezes e 7 vezes mais.”

      Quando não é dirigido a pessoas de posição elevada, costuma se chamar plural de intensidade.

      O plural de intensidade ocorre frequentemente na Bíblia hebraica. Observe um exemplo no relato de Jó.

      Em Jó 40:15 lemos:

      “Eis aqui o beemote que eu fiz tanto quanto a ti. Come erva verde assim como o touro.”

      Deve-se notar que behemóth é o plural de Behemáh. Embora a palavra esteja no plural, se refere a uma criatura individual extremamente forte, o hipopótamo. Todo o contexto que se refere a este animal está no singular. O verbo que precede se referindo a este animal onde diz que “ele come” (heb> yokhal ) está no singular. (Jó 40:15,16,17) Interessante que no versículo seguinte (16) este animal é mencionado como muito “poderoso”. O que explica porque se usa um plural peculiar em idiomas semíticos. É um plural intensivo e logicamente o escritor de Jó não está propondo uma multiplicidade de animais, mas antes, enfatiza o poder do referido animal ao usar um recurso linguístico claramente compreensível e comum nos idiomas semíticos. Emprega-se então um plural abstrato de caráter intensivo.

      Por que será que a palavra “céu” está no plural em hebraico?

      Ou ainda a palavra “face”?

      A expressão “Jeová Elohim” (Jeová Deus) aparece 20 vezes em menos de 50 versículos dos capítulos 2 e 3 de Gênesis. O substantivo elohim é sintaticamente um plural, sendo que no singular se diz אלוה (eloah).

      Na gramática hebraica quando elohim está gramaticalmente associado a palavra seguinte, o “m” de elohim desaparece (chamado de relação constructa em hebraico). Portanto elohim se torna “elohey” אֱלֹהֵי ou “deuses de”.

      Em Juízes 16:23 se faz referência ao falso deus Dagom, emprega-se esta forma constructa de ’elo·hím; o verbo acompanhante está no singular, o que indica que se refere a apenas um deus. (Figura a esquerda do Museu de Louvre. Obs.: Dag em hebraico, דג significa “peixe” )

      Em Gênesis 42:30, fala-se de José como “senhor” e usa-se a palavra ’adho·néh, que é plural. Significa que José eram várias pessoas? Não! Mas era um plural majestático usado no idioma hebraico com referência a ele como o Rei do Egito. Os que negam a existência do plural majestático ficam engasgados aqui neste verso. De fato o plural majestático é uma forma de plural intensivo aplicado a pessoas em cargos de autoridade divinamente concedidos ou cargos que lhes atribuem certa autoridade ou poder.

      O idioma grego não possui ‘plural majestático ou de excelência’. Portanto, em Gênesis 1:1, os tradutores da LXX empregaram ho The·ós (Deus, no singular) como equivalente a ’Elo·hím. Em Marcos 12:29, onde se reproduz uma resposta de Jesus em que ele citou Deuteronômio 6:4, emprega-se similarmente o singular ho The·ós, em grego. Isto é evidência de que não existe pluralidade quantitativa na palavra ELOHIM(equivalente de THEÓS). Desbancando-se então o conceito de um plural indicativo de trindade na divindade.

      Em Deuteronômio 6:4, o texto hebraico contém duas vezes o Tetragrama, e, portanto, deve rezar mais adequadamente: “Jeová, nosso Deus, é um só Jeová.” (NM) A nação de Israel, a quem isto foi dito, não acreditava na Trindade. Os babilônios e os egípcios adoravam tríades de deuses, mas esclareceu-se a Israel que Jeová é diferente.

      Quando aplicado a Jeová, `Elo·hím é usado como plural de majestade, dignidade ou excelência. (Gên 1:1) Sobre isso escreveu Aaron Ember:

      “Que a linguagem do A[ntigo] T[estamento] renunciou inteiramente à idéia de pluralidade em . . . [Elo·hím] (conforme aplicado ao Deus de Israel) evidencia-se especialmente no fato de que é quase invariavelmente construído com um predicado verbal no singular e tem atributo adjetival singular. . . . [Elo·hím] deve ser antes explicado como plural intensivo, denotando grandiosidade e majestade, igual a O Grande Deus.” — The American Journal of Semitic Languages and Literatures (A Revista Americana de Línguas e Literaturas Semíticas), Vol. XXI, 1905, p. 208.

      No Salmo 82:1, 6, ʼelo·hím é usado referente a homens, juízes humanos, em Israel. Jesus citou este Salmo em João 10:34, 35. Eram deuses na sua qualidade de representantes e porta-vozes de Jeová. De modo similar, disse-se a Moisés que ele devia servir de “Deus” para Arão e para Faraó. — Êx 4:16 n.; Êx 7:1.

      Muitas versões da Bíblia vertem tanto a palavra hebraica Adon como ’Adho·naí por “Senhor”, sendo que ’Adho·naí é um exemplo de plural de excelência.

      “’Adho·naí” etimologicamente é o plural de Adoní, a saber adoním combinando com o sufixo do pronome possessivo, primeira pessoa do singular resultando na forma Adonai. É um plural respeitoso e não um plural sintático. (Fig. Abaixo)

      Transmite a idéia de “Senhor dos Senhores”ou mais apropriadamente vertido “Soberano Senhor” e é evidentemente um dos plurais que indicam a grandeza ou majestade exclusiva de Jeová. (mais sobre a palavra Adonaí)

      É muito comum nos depararmos com a expressão “Soberano Senhor Jeová” na Tradução do Novo Mundo , algo raro e não compreendido por outras versões, falhas neste quesito exatidão. Há muitas versões que vertem o tetragrama como “Jeová” ou “Javé” mas que usam a expressão “Senhor Jeová” ou “Senhor Javé”. Por que acrescenta a Tradução do Novo Mundo a palavra “Soberano”? Porque, conforme mostra a nota sobre Gênesis 15:2 (na edição inglesa, revista), o termo Adonai, usualmente traduzido “Senhor”, em tais casos, está no plural da excelência, literalmente “Senhores Jeová”. Visto que o plural é o de excelência, em vez de ser de número, a Tradução do Novo Mundo acrescenta “Soberano”, para mostrar que este Senhor não é nenhum Senhor comum. Jeová não é comum, mas é um Senhor muito especial, o Soberano Senhor.

      A expressão ’Adho·naí Yehwíh, “Soberano Senhor Jeová”, encontra-se 285 vezes na BHK e na BHS,usada como base para se traduzir a TNM, a saber, em Gên 15:2, 8; De 3:24; De 9:26; Jos 7:7; Jz 6:22; Jz 16:28; 2Sa 7:18, 19, 20, 22, 28, 29; 1Rs 2:26; 1Rs 8:53; Sal 71:5, 16; Sal 73:28; Is 7:7; Is 25:8; Is 28:16; Is 30:15; Is 40:10; Is 48:16; Is 49:22; Is 50:4, 5, 7, 9; Is 52:4; Is 56:8; Is 61:1, 11; Is 65:13, 15; Je 1:6; Je 2:22; Je 4:10; Je 7:20; Je 14:13; Je 32:17, 25; Je 44:26; Ez 2:4; Ez 3:11, 27; Ez 4:14; Ez 5:5, 7, 8, 11; Ez 6:3, 11; Ez 7:2, 5; Ez 8:1; Ez 9:8; Ez 11:7, 8, 13, 16, 17, 21; Ez 12:10, 19, 23, 25, 28; Ez 13:3, 8, 9, 13, 16, 18, 20; Ez 14:4, 6, 11, 14, 16, 18, 20, 21, 23; Ez 15:6, 8; Ez 16:3, 8, 14, 19, 23, 30, 36, 43, 48, 59, 63; Ez 17:3, 9, 16, 19, 22; Ez 18:3, 9, 23, 30, 32; Ez 20:3, 5, 27, 30, 31, 33, 36, 39, 40, 44, 47, 49; Ez 21:7, 13, 24, 26, 28; Ez 22:3, 12, 19, 28, 31; Ez 23:22, 28, 32, 34, 35, 46, 49; Ez 24:3, 6, 9, 14, 21, 24; Ez 25:3, 3, 6, 8, 12, 13, 14, 15, 16; Ez 26:3, 5, 7, 14, 15, 19, 21; Ez 27:3; Ez 28:2, 6, 10, 12, 22, 24, 25; Ez 29:3, 8, 13, 16, 19, 20; Ez 30:2, 6, 10, 13, 22; Ez 31:10, 15, 18; Ez 32:3, 8, 11, 14, 16, 31, 32; Ez 33:11, 25, 27; Ez 34:2, 8, 10, 11, 15, 17, 20, 30, 31; Ez 35:3, 6, 11, 14; Ez 36:2, 3, 4, 5, 6, 7, 13, 14, 15, 22, 23, 32, 33, 37; Ez 37:3, 5, 9, 12, 19, 21; Ez 38:3, 10, 14, 17, 18, 21; Ez 39:1, 5, 8, 10, 13, 17, 20, 25, 29; Ez 43:18, 19, 27; Ez 44:6, 9, 12, 15, 27; Ez 45:9, 15, 18; Ez 46:1, 16; Ez 47:13, 23; Ez 48:29; Am 1:8; Am 3:7, 8, 11, 13; Am 4:2, 5; Am 5:3; Am 6:8; Am 7:1, 2, 4, 5, 6; Am 8:1, 3, 9, 11; Am 9:8; Ob 1; Miq 1:2; Sof 1:7; Za 9:14.

      Observe um outro exemplo do plural majestático em Eclesiastes 12:1, para a expressão “Grandioso Criador”. Neste versículo “o particípio hebraico do verbo ‘criar’ está aqui no plural para denotar grandiosidade ou excelência.

      Eclesiastes 12:1

      12 Lembra-te, pois, do teu Grandioso Criador* nos dias da tua idade viril, antes que passem a vir os dias calamitosos, ou cheguem os anos em que dirás: “Não tenho agrado neles”. “Teu Grandioso Criador.” Hebr.: Boh·re’eí·kha. No hebr., é o particípio do verbo “criar” no plural para denotar grandiosidade ou excelência.

      O título “Criador” no singular não faria justiça ao original, e assim, bem apropriadamente, usa-se a expressão “Grandioso Criador”. Novamente, é difícil achar outras traduções que reconheçam este fato, uma exceção sendo a versão inglesa de Young, a qual, porém, reza: “Lembra-te também dos teus Criadores nos dias da tua juventude.” Significa isso que há mais de um Criador? A nota de rodapé da Bíblia de Soncino, neste texto, explica:

      “Quando o substantivo é construído com o plural, trata-se do ‘plural de majestade’. ‘Escolheu-se esta designação de Deus para dar ênfase Nele como derradeira causa e projetista de nossa estrutura física.’”

      Fonte: Clique neste link para aprender mais sobre este assunto.

    2. O dual não se refere a duas coisas juntas, simplesmente, mas ao par de coisas gêmeas, ou seja, olhos,orelhas, mãos, pernas, são duas coisas iguais.

      Se eu tiver uma pedra e uma uva, eu tenho duas coisas, plural, mas não é dual, porque a pedra é a pedra, a uva é a uva.

      O uso de dual seria inadequado para Deus e indicaria biteísmo.

      A Bíblia usa plural para duas pessoas. Não sei se estes são os melhores exemplos, mas são os dois mais óbvios que encontrei de bate-pronto:

      (Gênesis 19)
      30 Mais tarde, Ló subiu de Zoar e começou a morar na região montanhosa, e com ele suas duas filhas, porque ficou com medo de morar em Zoar. Começou assim a morar numa caverna, ele e suas duas filhas.31 E a primogênita passou a dizer à mais jovem: “Nosso pai já é velho e não há homem no país para ter relações conosco segundo o costume de toda a terra.32 Vem, demos de beber vinho a nosso pai e deitemo-nos com ele, e preservemos descendência a nosso pai. ”

      (Gênesis 24)
      55 A isto disseram o irmão e a mãe dela: “Deixa a moça ficar conosco pelo menos dez dias. Depois ela pode ir. ”11 Depois tivemos ambos um sonho, numa só noite, tanto eu como ele. Tivemos cada um o seu sonho com a sua própria interpretação.

      Será que o dual serve nestas passagens? “Conosco” se referindo a um par de duas coisas idênticas?

      Quem tiver condições de estudar mais sobre o dual e o plural, inclusive observando estes e outros textos, fique a vontade.

  4. Toda essa colocação feita na relação Deus e Jesus e perfeita pois esta relatada na Bíblia, porque criticá-la e aceitar de maneira irresponsável o dogma da trindade que não tem nenhum respaldo Bíblico , vamos acordar irmãos

    1. Meu amado olha ai o que diz em Mateus 12:31-32 e me diz se não há o Espírito Santo e tome cuidado! Portanto, eu vos digo: Todo o pecado e blasfêmia se perdoará aos homens; mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada aos homens.
      E, se qualquer disser alguma palavra contra o Filho do homem, ser-lhe-á perdoado; mas, se alguém falar contra o Espírito Santo, não lhe será perdoado, nem neste século nem no futuro.
      Entende?

  5. Precisamos ter o cuidado com a lógica. Visto que, a lógica é uma maneira de se errar com convicção.
    Vejam; a comparação da criação de Eva com a de Jesus, conforme feita, faz com que filho (Jesus), e Eva (esposa) são a mesma coisa. Podemos cair num marasmo de conceito e ficaremos sem saber se filho é esposa ou se esposa é filho.
    Deus não nos autoriza fazer comparação terrestre para exemplificar divindade.

    1. Quem nos autoriza a fazer essa comparação é a própria Bíblia, cara irmã.

      “E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança… E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.” Gênesis 1:26-27.

  6. Ellen White, de quem os adventistas dizem que escreveu tudo inspirado por Deus, citou apenas Pai e Filho, tanto na criação quanto na adoração recebida pelos seres criados.

    Como precisam defender a blasfêmia chamada trindade, essa mesma EGW não serve para falar sobre a criação e sobre quantos Criadores havia.

  7. Só uma observação:
    Vejam Gênesis 1:27 a 31
    Quanto à dúvida a quanto tempo se passou entre a criação de Adão e depois a criação de Eva, embora se tenha pensado pudesse ter passado muito tempo, considerando alguma demora para que Adão pudesse atribuir nomes a todos os animais e observá-los passeando como “casais” (macho e fêmea), como se esse fato pudesse representar muito tempo, isso não demorou 24 horas.
    Tanto Adão, como Eva, foram criados no mesmo dia, isto é; no sexto dia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *