Browse By

Adventistas concordam com o Papa e aceitam teoria jesuíta do Big Bang

Esta é a descrição da Criação do Universo pelo nosso “BIG DEUS”, segundo a Bíblia:

“No princípio, Deus criou os céus e a terra.” — Gênesis 1:1.

“Deus fez os dois grandes luzeiros: o maior para governar o dia, e o menor para governar a noite; e fez também as estrelas. E os colocou no firmamento dos céus para iluminarem a terra, para governarem o dia e a noite e fazerem separação entre a luz e as trevas. E Deus viu que isso era bom.” Gênesis 1:16-19.

“Assim, pois, foram acabados os céus e a terra e tudo o que neles há. E, havendo Deus terminado no sétimo dia a sua obra, que tinha feito, descansou nesse dia de toda a obra que tinha feito. E Deus abençoou o sétimo dia e o santificou; porque nele descansou de toda a obra que, como Criador, tinha feito. — Gênesis 2:1-3

“Porque em seis dias o SENHOR fez os céus e a terra, o mar e tudo o que neles há e, ao sétimo dia, descansou; por isso o SENHOR abençoou o dia de sábado e o santificou.” — Êxodo 20:11.

Os céus por sua palavra se fizeram, e, pelo sopro de sua boca, o exército deles. Ele ajunta em montão as águas do mar; e em reservatório encerra os abismos. Que toda a terra tema o SENHOR, que tremam todos os habitantes do mundo. Pois ele falou, e tudo se fez; ele ordenou, e tudo passou a existir.” — Salmo 33:6-9

“Pela fé, entendemos que o universo foi formado pela palavra de Deus, de maneira que o visível veio a existir das coisas que não são visíveis.” — Hebreus 11:3

“Ele é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação. Pois nele foram criadas todas as coisas, nos céus e sobre a terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam soberanias, quer principados, quer potestades. Tudo foi criado por meio dele e para ele.” — Colossenses 1:15-16.

Para confirmar o que estamos dizendo, sobre os adventistas e o “BIG BANG”, leia estes textos, entrevistas, notícias e artigos:

Big Bang e Teoria da Evolução não contradizem cristianismo, diz Papa

Papa Francisco fez declarações sobre a ciência durante inauguração de busto em homenagem ao Papa Emérito Bento XVI (Foto: Osservatore Romano/Reuters)

Francisco ainda criticou interpretação errada do Gênesis: ‘Deus não é mago’. Declarações foram feitas à Pontifícia Academia de Ciências, no Vaticano.

O Papa Francisco afirmou nesta segunda-feira (27), durante discurso na Pontifícia Academia de Ciências, que a Teoria da Evolução e o Big Bang são reais e criticou a interpretação das pessoas que leem o Gênesis, livro da Bíblia, achando que Deus “tenha agido como um mago, com uma varinha mágica capaz de criar todas as coisas”.

Segundo ele, a criação do mundo “não é obra do caos, mas deriva de um princípio supremo que cria por amor”. “O Big Bang não contradiz a intervenção criadora, mas a exige”, disse o pontífice na inauguração de um busto de bronze em homenagem ao Papa Emérito Bento XVI.

O Big Bang é, segundo aceita a maior parte da comunidade científica, a explosão ocorrida há cerca de 13,8 bilhões de anos que deu origem à expansão do Universo. Já a Teoria da Evolução, iniciada pelo britânico Charles Darwin (1809-1882), que prega que os seres vivos não são imutáveis e se transformam de acordo com sua melhor adaptação ao meio ambiente, pela seleção natural.

O Papa acrescentou dizendo que a “evolução da natureza não é incompatível com a noção de criação, pois exige a criação de seres que evoluem”.

Ele criticou que quando as pessoas leem o livro do Gênesis, sobre como foi a origem do mundo, pensam que Deus tenha agido como um mago. “Mas não é assim”, explica.

Segundo Francisco, o homem foi criado com uma característica especial – a liberdade – e recebe a incumbência de proteger a criação, mas quando a liberdade se torna autonomia, destrói a criação e homem assume o lugar do criador.

“Ao cientista, portanto, sobretudo ao cientista cristão, corresponde a atitude de interrogar-se sobre o futuro da humanidade e da Terra; de construir um mundo humano para todas as pessoas e não para um grupo ou uma classe de privilegiados”, concluiu o pontífice.

Fonte: http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2014/10/papa-diz-que-big-bang-e-teoria-da-evolucao-nao-contradizem-lei-crista.html

Você sabia que um padre católico foi quem propôs a teoria do Big Bang?

Você sabia que um padre católico foi quem propôs a teoria do Big Bang?

Albert Einstein e Georges Lemaitre / georgeslemaitre.blogspot.com

Para muitos o pai da teoria do Big Bang (a grande explosão), é o físico americano nacionalizado russo, George Gamov; No entanto, poucos sabem que anos atrás essa teoria que busca explicar a origem do universo já havia sido proposta pelo padre Georges Lemaître.

Hoje marca o 50º aniversário da morte deste matemático formidável que, desde muito jovem, descobriu sua dupla vocação de religioso e cientista.

Padre Lemaître nasceu em Charleroi (Bélgica), em 1894. Era filho de um médico e desde a sua infância distingue-se pela sua capacidade de matemática e pelo seu espírito curioso. Atração pelas ciências que enriquecem com sua vocação sacerdotal.

Graças a seus estudos, na década de 1920 ele teve a intuição de que o universo tinha uma história e estava em evolução; opondo-se assim à concepção de todos os cientistas da época, especialmente Albert Einstein, que estava convencido da teoria do universo estático, imutável e eterno.

Como o cientista Eduardo Riaza explica, Lemaître não teve problemas em propor um universo com um passado infinito. Seus estudos de filosofia com base em Aristóteles e São Tomás de Aquino mostraram-lhe que sua abordagem não contradiz sua crença em um Deus que criou o mundo, uma vez que um universo criado não precisa de um começo no tempo.

“Conhecemos a origem temporal do cosmo através da Revelação Divina, mas em teoria nada impediria que Deus criasse o universo para sempre. Embora o tempo fosse infinito – tanto no passado como no futuro -, não deixaria de ter uma causa “, diz ele.

Assim, em 1930, Georges Lemaître propôs um modelo do universo sob o nome de hipótese do “átomo primitivo” ou “ovo cósmico”, que mais tarde ficou conhecido como Big-Bang. Sua reflexão baseou-se nos dados fornecidos pela observação dos espectros de algumas galáxias recentemente descobertas.

Segundo o padre, a história do universo é dividida em três períodos.

O primeiro é chamado de ” a explosão do átomo primordial “, segundo a qual cinco bilhões de anos atrás, houve um núcleo de hiperdenso e matéria instável que explodiu na forma de um super-radioatividade. Esta explosão se espalhou por um bilhão de anos e os astrônomos percebem seus efeitos sobre os raios cósmicos e as emissões de X.

Depois vem o período de equilíbrio ou o universo estático de Einstein . Ele afirma que a conclusão da explosão, um equilíbrio entre as forças do cósmica na origem da repulsa evento e forças gravitacionais estabelecidos durante este equilíbrio de fases, que dura dois bilhões de anos, os nós são formados e dar à luz estrelas e galáxias.

Finalmente, os períodos de expansão começam , dois bilhões de anos atrás. Ele afirma que o universo está se expandindo a uma velocidade de 170 km. por segundo indefinidamente.

Em 1933, durante uma série de conferências organizadas pelo Prêmio Nobel de Física, Robert Andrews Millikan, com a participação de Lemaître e Einstein, este último aceitou que o universo se expandiu. No entanto, ele nunca admitiu que o cosmos poderia ter tido um começo; ele sempre acreditou que Lemaître queria introduzir na ciência a criação divina.

De sua parte, o padre nunca tentou explorar a ciência em benefício da religião, porque estava convencido de que ambos conduziam à verdade de maneiras diferentes.

“O cientista cristão tem os […] mesmos meios que seu colega não-crente. Ele também tem a mesma liberdade de espírito […] Ele sabe que tudo foi feito por Deus, mas ele também sabe que Deus não substitui suas criaturas […] A revelação divina não nos ensinou o que somos capazes de descobrir por nós mesmos, menos quando essas verdades naturais não são indispensáveis ​​para entender a verdade sobrenatural. Portanto, o cientista cristão avança livremente, com a garantia de que sua pesquisa não pode entrar em conflito com sua fé “, disse ele uma vez.

O padre Lemaître nunca buscou honras ou reconhecimento, embora várias republicações e traduções de seu artigo sobre o átomo primitivo de 1933 o colocassem à frente da física mundial.

Em 1948, George Gamov propôs uma nova descrição do começo do universo; e embora ele seja considerado hoje como o pai da teoria do Big Bang, as linhas principais estavam claramente presentes na cosmologia do Padre Lemaître.

Durante sua vida ele obteve vários cargos na Pontifícia Academia de Ciências, sendo assessor pessoal do Papa Pio XII e presidente do mesmo em 1960.

Em 1979, durante o discurso do Papa João Paulo II à Pontifícia Academia das Ciências sobre a ocasião da comemoração do nascimento de Albert Einstein , ele citou algumas palavras de Pe Lemaître sobre a relação entre a Igreja ea ciência:

“A Igreja poderia ter necessidade de ciência? Não pelo caminho; a cruz e o Evangelho são suficientes para ele. Mas nada é estranho para o cristão. Como poderia a Igreja ser desinteressada na mais nobre das ocupações estritamente humanas, na investigação da verdade?

Fonte: https://www.aciprensa.com/noticias/sabias-que-un-sacerdote-catolico-fue-quien-propuso-la-teoria-del-big-bang-41743

Papa Francisco: O Big Bang e a evolução não contradizem a intervenção de Deus

A teoria do Big Bang e a evolução da natureza não contradizem a intervenção de Deus como Criador, mas a requer, disse segunda-feira o Papa Francisco em um discurso para a Assembléia Plenária da Pontifícia Academia das Ciências, onde ele também revelou um busto em homenagem a Bento XVI.

Francisco salientou que “quando lemos em Gênesis a história da criação, acreditamos que Deus é um mago, que fez todas as coisas com uma varinha mágica. Mas não é assim. Ele criou os seres e permitiu que eles se desenvolvessem de acordo com as leis internas que ele deu a cada um, para que eles alcançassem seu próprio desenvolvimento. Ele deu autonomia aos seres do universo e, ao mesmo tempo, assegurou-lhes sua presença contínua, dando o ser a toda a realidade “.

“E assim”, ele explicou, “a criação continuou sua marcha por séculos e séculos, milênios e milênios até se tornar o que conhecemos hoje; exatamente porque Deus não é um mago, mas o Criador que dá o ser a todas as coisas “.

“O começo do mundo não é o trabalho do caos que deve sua origem a outro, mas deriva diretamente de um princípio supremo que cria por amor. O Big Bang, que hoje está situado na origem do mundo, não contradiz a intervenção de um criador divino, pelo contrário, exige-o. A evolução da natureza não contrasta com a noção de criação, porque a evolução pressupõe a criação de seres que evoluem. ”

O Papa indicou que “no que diz respeito ao ser humano, há uma mudança e uma novidade. Quando, no sexto dia da história de Gênesis, a criação do homem vem, Deus dá ao ser humano outra autonomia, uma autonomia diferente da da natureza, que é a liberdade. E ele diz ao homem para nomear todas as coisas e seguir em frente no curso da história “.

“Isso o torna responsável pela criação, para que ele domine a criação, para que ela a desenvolva e assim por diante até o fim dos tempos. Por que o cientista e, especialmente, o cientista cristão corresponde questão atitude o futuro da humanidade e da Terra e, como livre e responsável, contribuindo para preparar para defendê-lo, e eliminar os riscos ambientais, ser natural do que humano “.

“Mas, ao mesmo tempo, o cientista deve ser movido pela confiança de que a natureza esconde, em seus mecanismos evolutivos, potenciais que tocam inteligência e liberdade para descobrir e colocar em prática para alcançar o desenvolvimento que está no projeto do Criador Então, por mais limitada que seja, a ação do homem participa do poder de Deus e é capaz de construir um mundo apropriado para sua dupla vida corpórea e espiritual; construir um mundo humano para todos os seres humanos e não para um grupo ou classe de pessoas privilegiadas “, disse Francisco.

Em seu discurso, o Papa disse que “essa esperança e confiança em Deus, autor da natureza e na capacidade do espírito humano, pode fornecer ao pesquisador uma nova energia e uma profunda serenidade”.

“Mas também é verdade que a ação do homem, quando sua liberdade se torna autonomia – que não é liberdade, mas autonomia – destrói a criação e o homem usurpa o lugar do Criador. E este é o grande pecado contra Deus, o Criador “, concluiu ele.

A teoria do big bang

A teoria do Big Bang nasceu graças aos estudos do padre jesuíta Georges Lemaître, considerado um precursor da cosmologia moderna.

Desde os anos 1920, o P. Lemaître tinha a intuição de que o universo tinha uma história e estava em evolução; opondo-se assim a concepção de todos os cientistas da época, entre eles Albert Einstein.

Assim, em 1930 propôs este modelo de universo conhecido sob o nome de universo Lemaître-Einstein ou hipótese do átomo primitivo, e que posteriormente tomará o nome de Big-Bang.

O padre Lemaitre apoiou sua reflexão nos dados fornecidos pela observação dos espectros de galáxias recém-descobertas. Ele interpreta quatro anos antes do Hubble o desequilíbrio espectral em direção ao vermelho como a prova da expansão do universo.

Fonte: https://www.aciprensa.com/noticias/papa-francisco-el-big-bang-y-la-evolucion-no-contradicen-la-intervencion-de-dios-18952

Religião:
Vaticano celebra “Big Bang” para afastar conflito fé-ciência

O Vaticano anunciou esta segunda-feira que vai comemorar a teoria do ‘Big Bang’ a partir de terça-feira, em homenagem a um cosmólogo jesuíta, para combater a noção da existência de conflito entre a fé e a ciência.

O Observatório do Vaticano convidou alguns dos principais cientistas e cosmólogos do mundo para falar de buracos negros, ondas gravitacionais e singularidades do espaço-tempo.

As conferências vão decorrer de 09 a 12 de maio no Observatório do Vaticano, fundado pelo papa Leão XIII, em 1891, para ajudar a eliminar a ideia de que a Igreja Católica Romana era contra a ciência.

A comemoração é uma homenagem a Georges Lemaître, um cosmólogo jesuíta considerado um dos pais da ideia de que o universo começou com uma explosão gigantesca.

O chefe do Observatório, Guy Consolmagno, disse que as pessoas podem acreditar em Deus e na teoria do ‘Big Bang’ sem que isso implique um conflito.

Fonte: https://www.jn.pt/mundo/interior/vaticano-celebra-big-bang-para-afastar-conflito-fe-ciencia-7949736.html

Baixe este texto sobre O Criacionismo e a Grande Explosão,  clicando neste link.

O Criacionismo e a Grande Explosão Inicial -- Eduardo Lutz

2 thoughts on “Adventistas concordam com o Papa e aceitam teoria jesuíta do Big Bang”

  1. hellfire says:

    Tenho 2 otimas noticias: Pela primeira vez na historia da Igreja, o Santo Padre vai reunir-se, com os cinco Patriarcas Catolicos de Rito Oriental (das igrejas maronita, melquita, siria, armenia e caldeia), ao mesmo tempo, no dia 19 deste mes(dia de N? Sr? de La Sallete). E um encontro muito importante para o futuro das relacoes entre todos nos e para a imagem publica de Igreja de Jesus Cristo. Rezemos por este encontro. E a outra e sobre a possivel uniao entre Igreja Catolica e Ortodoxa dentro de poucos meses.

  2. paulo jonas francischini says:

    EU Acredito que tem muita diferenca entre Entre Evolucao e Crescimento.ex evoluçao da tecnologia estou evoluindo em meus estudos ex, sobre animais marinhos ou sobre matematica. Momento em que uma pessoa ou qualquer outro tipo de coisa passa de um estagio para outro.algo mais simples para o mais complexo.ou tornar se melhor em algo que se faz. Agora crescimento,ex.Nossa como seu filho ou filha cresceu ,ato ou efeito de crescerex. crescimento da populacaçao crescimento da cidade era tao pequeno e cresceu.DEUS disse haja e houve apareceu do nada ok.DEUS pode DEUS faz .Hebreus 11×3 Pela fe entendemos que OS MUNDOS ,PELA palavra de DEUS foram Criados de maneira que aquilo que se VE nao foi feito do que e aparente Amem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *