Sempre a admirei, mas estou decepcionado com a Igreja Adventista do Sétimo Dia


“Sempre admirei os adventistas, pela seriedade que sempre enxerguei na Igreja Adventista do Sétimo Dia no trato do caminho santo…”

Duas observações de um leitor não-adventista, que nos escreveu:

Primeiro, todos somos pecadores, isso é insofismável, e ninguém atire a primeira pedra, salvo se nunca pecou.

Não obstante observo que o Pastor Ivan Saraiva é uma pessoa pública, ele buscou incansavelmente essa publicidade, e sobre o caso, percebe-se claramente ter ele permanecido na apostasia e na mentira por dois anos, talvez mais tempo, o pai da mentira é o demônio e quem manipula a mentira serve a ele.

Mentiu para a Eloá com falsas promessas amorosas, mentiu para milhares, quiçá milhões, de pessoas com seus vídeos assaz veiculados nas redes sociais, mentiu quando disse ter recebido um “chamado” para assumir uma igreja em Nova York, com seu ato não respeitou a família de sua comparsa e a sua própria.

“Cuspiu” na face de Deus, um pecado casual é até normal, haja vista a falibilidade humana, entretanto a reiteração do mal, merece uma aquilatação mais profunda, como diz a palavra falsos profetas surgirão, a palavra de Deus não mente.

Segundo, não sou adventista, sou de outra denominação, mas sempre admirei os adventistas, pela seriedade que sempre enxerguei na Igreja Adventista do Sétimo Dia no trato do caminho santo. Por isso estou sem entender a posição da igreja em relação ao caso, por exemplo excluir o vídeo em que Eloá conversa com aquele homem nas redes sociais.

Isso não é aceitável. Será que a mentira também está sendo preferida pela igreja à verdade. Aconselho essa centenária instituição que reveja essa posição, e encare o fato com decisões cristãs, pois a verdade é um Princípio divino e bíblico. — Luiz Alberto

8 thoughts on “Sempre a admirei, mas estou decepcionado com a Igreja Adventista do Sétimo Dia

  1. Quem confia em um homem? Não é o tolo?!
    Outra, a fé e doutrina adventista estão além no CNPJ da igreja. Ele foi desligado da igreja. Não adianta por guampa em cabeça de cavalo, ele não vai ser boi!

  2. “Segundo, não sou adventista, sou de outra denominação”
    Qual é essa “denominação” “pura e perfeita”???!!!
    Ao declarar essa posição de pertencer a “outra denominação”, atacando uma outra, ou qualquer outra, implica em apresentar aquela que não se iguala à denominação atacada.
    É, no mínimo, uma obrigação moral dizer qual é a “denominação” escolhida por sua “perfeição”, pois muitos querem conhecê-la e possivelmente se filiar a ela também.
    Por misericórdia, qual é a “sua” denominação?

    1. Poderia informar-nos onde foi publicada essa nota de repúdio, irmã? Sabemos apenas de uma nota de esclarecimento, incompleta e questionável.

  3. – Feriu, porém, o Senhor a Faraó e a sua casa, com grandes pragas, por causa de Sarai, mulher de Abrão.
    Então chamou Faraó a Abrão, e disse: Que é isto que me fizeste? Por que não me disseste que ela era tua mulher?
    Por que disseste: É minha irmã… Gênesis 12:17-19
    – …Assim tomou Sarai, mulher de Abrão, a Agar egípcia, sua serva, e deu-a por mulher a Abrão seu marido, ao fim de dez anos que Abrão habitara na terra de Canaã. Gênesis 16:3
    – SEGUNDA VEZ – … E havendo Abraão dito de Sara, sua mulher: É minha irmã; enviou Abimeleque, rei de Gerar, e tomou a Sara.
    Deus, porém, veio a Abimeleque em sonhos de noite, e disse-lhe: Eis que morto serás por causa da mulher que tomaste; porque ela tem marido. Gênesis 20:2,3
    .
    – Jacó, neto de Abraão, teve 4 mulheres …
    – Elcana, que era pai do profeta Samuel, tinha Ana e Penina, como mulheres…
    .
    A lista poderia ser maior…

    Essas situações eram erros? Certamente que sim!
    Agora, como Deus tratou essas pessoas?
    Esse Deus é o mesmo Deus? – É o mesmo que ontem, hoje e eternamente?
    É verdade que naquele tempo não havia os meios de comunicação de hoje, mas será que Deus trata as pessoas, hoje, diferente do que naquele tempo?
    Será que naquele tempo as pessoas não ficavam sabendo dos erros dos outros?
    Por quê, hoje, pessoas tão “puras” ficam fazendo tanto “carnaval” com erros dos outros?
    Fico imaginando, hoje, como Deus irá tratar as pessoas que erram, seja praticando pecados sexuais/emocionais, seja praticando o pecado de ficar “perpetuando o massacre” degradando o semelhante !

    1. Poligamia não é adultério no contexto bíblico do Antigo Testamento. Adultério era o duplo pecado de cobiçar (décimo mandamento) e manter relações sexuais com mulher casada com outro (sétimo mandamento). Aí veio Jesus e relembrou que cobiçar a mulher do próximo, no íntimo do coração ou pensamento, também é pecado (Êxodo 20:17 e Mateus 5:28).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *