Jovem adventista denuncia duplo assédio durante Missão Calebe na ARJ

Em algum lugar do Brasil neste momento, temos uma “Marielle adventista” mais morta do que viva, porque um ministerial, pastor de pastores, teria abusado da confiança dela e matado seu sonho missionário, sua confiança na igreja e seus projetos mais elevados. Só não matou a esperança de ver a Justiça triunfar…

Um Jota de Deus adventista quase matou nossa Marielle, nome fictício. Ela tentou suicídio e teve de iniciar tratamento psicológico e psiquiátrico depois do ocorrido. Há informações de que o mesmo indivíduo teria assediado outras jovens adventistas, em outras situações e locais.

Marielle participou do projeto Missão Calebe 2017 na ARJ e, primeiro, foi assediada e apalpada enquanto dormia por uma outra participante. Quando reclamou do caso ao referido pastor, ele não se importou, mandou simplesmente perdoar. Dias depois, procurou Marielle no serviço, um hospital adventista em que ela trabalha, e a chamou para almoçar no restaurante que fica em frente. (Clique aqui para saber a localização exata)

Marielle foi, imaginando que ele iria resolver o caso do abuso da participante lésbica, que se aproveitou dela enquanto dormia. Mas o pastor ministerial, lar e família e mordomia, à época, enfiou a mão por debaixo da mesa e apalpou as coxas dela, dizendo que faria o mesmo que a amiga dela fez com ela, se tivesse oportunidade. Ou seja, não resolveu o primeiro problema e abusou da confiança dela pela segunda vez.

Decepcionada, ela desistiu de participar do Um Ano em Missão, para o qual já tinha se preparado, e depois do Missão Calebe tentou suicídio e teve de se afastar do trabalho no Hospital, onde ele insinuou que poderia atrapalhá-la se quisesse. Por isso, teve e ainda tem medo do que pode acontecer… Foi perseguida por gente mal encarada, precisa do emprego… Mas quer justiça, ou seja, punição exemplar para o pastor de pastores da ARJ, que já havia assediado sua secretária quando trabalhou em Governador Valadares, no Campo da Mineira Leste.

O projeto “Um Ano em Missão” (em inglês, One Year in Mission – OYiM), do qual participaria, “promove a participação de jovens adventistas na missão de evangelizar centros urbanos de oito países da América do Sul, unindo seus talentos, recursos e conhecimento profissional com as necessidades da comunidade,” segundo a descrição oficial. “O OYiM tem o objetivo de criar uma nova geração de missionários. No projeto você se unirá a outros jovens que também dedicarão um ano de suas vidas para cumprir a ordem do Mestre,” prometia o anúncio.

Já o Projeto Missão Calebe se destina a “mobilizar milhares de jovens em toda a América do Sul, desafiando-os a dedicarem parte de suas férias para fazerem evangelismo em lugares onde não há presença adventista.”

5 thoughts on “Jovem adventista denuncia duplo assédio durante Missão Calebe na ARJ

  1. Fico triste com tantos lobos vestidos de ovelhas na casa do Pai,eu e meu esposo estavamos ajudando um pequeno grupo,grupo esse que o Pasto nem aparece ficamos ajudando eles 3 meses,não somos batizados ajudavamos como estrutores no clube que se iniciou…porém meu esposo ele ja participava de outro clube desbravadores quando era casado com outra pessoa!saiu prq não aceito o batismo por algum motivo na epoca.
    Hj ele e desvorciado e estamos recebendo estudos para nos batizar!voltando ao Pastor desse grupo ele não tem uma fama boa,nem sei como ele ainda e pastor…quando descobrimos que ele era o pastor dali decedimos nos afasta,mas os membros pediram para ficarmos…tivemos uma converssa com o pastor ele extremamente preconceituoso,2 caras… pois para os membros falou uma coisa e para nos outra.
    Tudo que ele falava,nos respodiamos que ja sabiamos que poderiamos ser no momento só instrutores,acho que ele ficou com raiva que não tinha motivos para nos tira e soltou o verbo EU QUE NÃO QUERO VCS TRABALHANDO NEM COMO INSTRUTORES SE QUISE PODEM FICA VINDO SÓ ISSO.pense em uma pessoa extremamente trsasformada,alego que nos oferencia riscos para as crianças.ele fico revoltado porque falamos que não iriamos nos batizar com ele,e mas foi pessoal pois ele conhece a ex e amigos… dela,pessoas essas que não gostaram que eles tenha se separado ela pago de vitima…fico triste pois as crianças ja não estão indo todas.quando ele ja não tinha mas nada a falar contra disse que meu esposo teve um problema serio no outro clube,gente meu esposo tem contato com os lideres do outro cubles,e de outros quem chamo ele pra ser istrutor foi exatamente que trabalhou com ele!isso fica evidente que nem tudo os grandãos da adventista sabe quem eles coloca para trabalhar como pastor!

  2. Esse mesmo “Ministerial”, “Pastor de Pastores”, ficou conhecido por perseguir outros pastores injustamente. Muitos nem se encontram mais aqui no Rio, porque ele investia contra. Nos corredores do CMAS era o que mais escutávamos! Quantos não sofreram na mão dele? Sem contar jovens que ele tentou, ou teve alguma coisa, tanto no Rio ou em Minas como Departamental de Jovens. Muitos sabem, mas ficam calados! Abafam! Que nojo! Bancava de “Santo”, “moralista”, mas não passa de um lobo!

    Eu conheço o caso! Conheço tudo daqui do Centro Médico, dos corredores. Garanto que tudo aconteceu, e muito mais… Tanto que ele foi substituído na quadrienal e está em um distrito de uma cidadezinha aqui no Rio. Tenho pena dos membros de lá! Mandaram ele para lá para abafarem o caso.

    Enquanto isso, a jovem continua afastada e não me surpreende se ela for demitida quando retornar da licença. É assim, vítima virando a vilã! João de Deus ou Jorge de Deus, muda apenas os nomes, mas o mesmo caso!

  3. De frente o hospital Adventista do RJ não tem rua para atravessar e uma ladeira Que dá de frente ao portão, que não tem comércio,Que restaurante é esse.??

    1. O restaurante fica de frente ao Centro Médico Adventista Silvestre. O CMAS faz parte do Hospital, mas fica em Botafogo. Em frente, atravessando a rua, no sentido leste, fica um prédio da Dataprev. No sentido Sul, tem o restaurante/pizzaria Galeto Coimbra:

      null

      Essas eram as posições dos envolvidos assim que ela desceu do prédio. O “pastor” estava do outro lado da rua esperando a jovem. Ela trabalhava no atendimento eletivo, no caso consultas médicas, exames e setor administrativo.

  4. “Errar é humano, abafar é adventista.” Denúncia como essa e outras como a do Rodrigo Silva ter maltratado com violência a própria mãe e adulterado várias vezes, inclusive na Terra Santa, acabam em pizza vegetariana. Os fatos estão aí. O pastor que era ministerial na ARJ, deixou de ser e está como distrital, uma das fotos mostra a moça no carro dele com o cachorro de estimação, tem o pessoal da Mineira Leste que sabe do caso, bastaria apertar um pouquinho que a confissão viria. Mas os caras preferem ficar represando lama, como o pessoal do site disse. Uma hora tudo isso explode e a maior vítima será a credibilidade de todo o sistema, que vai perder mais e mais recursos. Conheço muita gente da Igreja que parou de dar o dízimo e o está direcionando para outros projetos, por conta dessa conivência e cumplicidade da liderança com o mal feito.

Deixe uma resposta para Michele Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *