Rodrigo Silva descarta e ridiculariza “vestes brancas” dos salvos no Céu


“Vestes brancas? É assim que Deus disse?” Em novo ataque à credibilidade da inspiração das Escrituras como a real Palavra de Deus aos homens, Rodrigo Silva fala como se a linguagem da Bíblia não fizesse sentido para toda a humanidade de qualquer tempo ou nação e devesse ser entendida e aplicada apenas a seus leitores originais, segundo o contexto, valores e conceitos da época em que foi escrita, precisando ser corrigida e atualizada para nosso tempo.

Em outras palavras, só seríamos capazes de entender plenamente a Bíblia com a ajuda de arqueólogos ou historiadores, especialistas profissionais em exegese e hermenêutica, os quais seriam os intérpretes oficiais e autorizados das Escrituras, devido a seu ‘conhecimento especial” sobre as “expressões idiomáticas” e sentidos ocultos do texto.

Ou seja, depois de alegorizar o relato do Gênesis, que inclui a cosmologia da Terra plana, Rodrigo Silva — infiltrado pelo Vaticano? — quer alegorizar também o Apocalipse, colocando mais uma vez sua suposta Ciência acima da Inspiração. E obviamente desacreditar novamente a cosmologia hebraica da terra plana coberta pelo domo celeste, que também é evidente no livro da Revelação.

Assim, sem a intervenção de um arqueólogo, para o leitor comum o Apocalipse deixaria de ser a “revelação de Jesus Cristo, a qual Deus lhe deu, para mostrar aos seus servos as coisas que brevemente devem acontecer; e pelo seu anjo as enviou, e as notificou a João seu servo; O qual testificou da palavra de Deus, e do testemunho de Jesus Cristo, e de tudo o que tem visto. Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo.” — Apocalipse 1:1-3

O “arqueólogo” adventista ridiculariza a expressão bíblica, quando faz piada, chamando as “vestes brancas” de “promessa que sinceramente não faz muito sentido” e referindo-se a ela como uma “camisola”, que impediria as crianças de “subir em árvore e jogar bola com isso.” — (Aos 45 segundos do vídeo aproximadamente.) Ver…

“A veste branca de inocência foi usada por nossos primeiros pais, quando foram postos por Deus no santo Éden. Viviam eles em perfeita conformidade com a vontade de Deus. Todas as suas afeições eram devotadas ao Pai celeste. Luz bela e suave, a luz de Deus, envolvia o santo par. Esse vestido de luz era um símbolo de suas vestes espirituais de celeste inocência. Se permanecessem leais a Deus, continuaria sempre a envolvê-los. Ao entrar o pecado, porém, cortaram sua ligação com Deus, e desapareceu a luz que os aureolava. Nus e envergonhados, procuraram suprir os vestidos celestiais, cosendo folhas de figueira para uma cobertura.

…Somente as vestes que Cristo proveu, podem habilitar-nos a aparecer na presença de Deus. Estas vestes de Sua própria justiça, Cristo dará a todos os que se arrependerem e crerem. “Aconselho-te”, diz Ele, “que de Mim compres… vestes brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez.” Apoc. 3:18.

“Este vestido fiado nos teares do Céu não tem um fio de origem humana. Em Sua humanidade, Cristo formou caráter perfeito, e oferece-nos esse caráter. “Todas as nossas justiças” são “como trapo da imundícia.” Isa. 64:6. — Parábolas de Jesus, pág. 310-311.

“Mais próximo do trono estão os que já foram zelosos na causa de Satanás, mas que, arrancados como tições do fogo, seguiram seu Salvador com devoção profunda, intensa. Em seguida estão os que aperfeiçoaram um caráter cristão em meio de falsidade e incredulidade, os que honraram a lei de Deus quando o mundo cristão a declarava nula, e os milhões de todos os séculos que se tornaram mártires pela sua fé. E além está a “multidão, a qual ninguém podia contar, de todas as nações, e tribos, e povos, e línguas, que estavam diante do trono e perante o Cordeiro, trajando vestidos brancos e com palmas nas suas mãos”. Apocalipse 7:9. Terminou a sua luta, a vitória está ganha. Correram no estádio e alcançaram o prêmio. O ramo de palmas em suas mãos é um símbolo de seu triunfo, as vestes brancas, um emblema da imaculada justiça de Cristo, a qual agora possuem. — Visões do Céu, pág. 157

“Nesse dia os remidos brilharão na glória do Pai e do Filho. Tocando suas harpas de ouro, os anjos darão as boas-vindas ao Rei e aos Seus troféus de vitória – os que foram lavados e branqueados no sangue do Cordeiro. Testemunhos Seletos, vol. 3, pág. 432.

“O conflito está terminado. As tribulações e lutas chegaram ao fim. Cânticos de vitória enchem todo o Céu, enquanto os remidos permanecem em volta do trono de Deus. Todos entoam o jubiloso coro: “Digno é o Cordeiro, que foi morto” (Apocalipse 5:12), e vive outra vez, como triunfante vencedor.

“Depois destas coisas, olhei, e eis aqui uma multidão, a qual ninguém podia contar, de todas as nações, e tribos, e povos, e línguas, que estavam diante do trono e perante o Cordeiro, trajando vestes brancas e com palmas nas suas mãos; e clamavam com grande voz, dizendo: Salvação ao nosso Deus, que está assentado no trono, e ao Cordeiro” (Apocalipse 7:9 e 10). Vida e Ensinos, págs. 231 e 232.

2 comentários sobre “Rodrigo Silva descarta e ridiculariza “vestes brancas” dos salvos no Céu”

  1. Jorge Carvalho disse:

    Graça e Paz da parte do Senhor Jesus Cristo de Nazaré.
    Gostaria de saber se alguém têm o vídeo em que Rodrigo Silva dá entender que a Terra é Plana, esse vídeo deve ter uns 7 a 10 anos atrás.
    Obrigado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *