IASD ou INSD? Igreja Nazista do Sétimo Dia?




Íntegra da palestra na IASD do Voqueirão, em 14 de agosto de 2016:

https://www.youtube.com/watch?v=iFTCbXVCn2k

Bandeira da Alemanha Nazista

RESUMO
  • A IASD da Alemanha apoiou Hitler e o nazismo, a ponto de adventistas serem perseguidos e traídos por seus irmãos de fé. Isso é documentado por vários estudiosos adventistas.
  • A IASD se envolveu com o nazismo: saudou a chegada do movimento, posicionou-se a favor do nazismo, bajulou Hitler, fez amizade com altas autoridades nazistas.
  • A IASD deu apoio prático ao nazismo: orientou os membros a votarem de acordo com a vontade do governo, escreveu artigos artigos favoráveis ao governo, levou suas escolas a promoverem os ideais nazistas.
  • A IASD concordou com a ideologia da superioridade racial alemã: aceitou a esterilização em massa de certos grupos e se calou diante da eutanásia.
  • Revistas adventistas fizeram comentários negativos contra os judeus, e a IASD apoiou a expulsão de membros judeus e a perseguição de judeus em geral.
  • A IASD mudou o nome do sábado para “dia de descanso” e dispensou a sua guarda.
  • A motivação da IASD foi preservar a imagem e evitar o banimento e a destruição da sua estrutura.
  • Para justificar suas decisões, o malabarismo exegético adventista chegou a ponto de dizer que Jesus era judeu só por parte de mãe, pois o pai era Deus.
  • Sediada nos Estados Unidos, a Associação Geral da IASD foi cúmplice disso.
  • 60 anos depois do fim da guerra, adventistas alemães pediram perdão pelo erro do passado.
  • Uma avaliação: houve exceções, mas faltou Cristo na vida dos líderes da IASD e de muitos de seus membros.
  • Quatro perguntas para refletir. A terceira: Qual a justificativa da IASD para dispensar a guarda do sábado?

Igreja Nazista do Sétimo Dia?

Igreja Nazista do Sétimo Dia? Como assim? Será que o problema não estava em alguns membros e não na denominação?

A resposta vai deixar chocado o adventista sincero que ama a Cristo.

O que segue é um resumo de pesquisas acadêmicas realizadas por vários estudiosos. Todos são adventistas, com uma única exceção.

Leia a postagem e julgue você mesmo.

O caso de Hermann Kobs

“O pastor e teólogo adventista Hermann Kobs, que trabalhava na cidade de Leipzig, na Alemanha, foi suspenso porque deu um jeito para um irmão judeu assistir aos cultos. Esse irmão na fé havia sido expulso da congregação adventista por ser judeu. A suspensão de Kobs foi ordenada por sugestão dos líderes da igreja; a explicação oficial é que aquela era uma ‘medida cautelar’. Na verdade, em 1942 Kobs foi preso por causa de sua atitude amistosa com os judeus. Depois de mais de um ano de trabalhos forçados, foi libertado.”1

Existem, infelizmente, muitas histórias de adventistas perseguidos e traídos por seus irmãos de fé. Isso foi resultado da nefasta influência do nazismo na vida da IASD da Alemanha e seus membros. A história acima é apenas um exemplo. Outras histórias como essa você encontra na postagem Casos de adventistas traídos pelo adventismo.

A IASD e o nazismo

É inquestionável o envolvimento da IASD com o nazismo. Hitler, o principal expoente nazista, governou a Alemanha entre 1933 e 1945. Veja o que os próprios estudiosos adventistas escreveram sobre o assunto:

“Na Alemanha os adventistas apoiaram a política externa nazista e, finalmente, a guerra.”2

“Não se pode elogiar a Igreja Adventista do Sétimo Dia por suas ações durante o regime nazista.”3

Fonte: https://adventismo.com.br/2020/09/igreja-nazista-do-setimo-dia/

Deixe uma resposta