Veja o que Carl Sagan, ídolo de Michelson Borges, ensinou sobre a “Criação”…

Este texto é de Michelson Borges e foi publicado no site Criacionismo.Com.Br. Apesar de “ateu e evolucionista”, Michelson faz questão de exaltar a seu ídolo, endeusando-o, como a Rede Novo Tempo fez com Charles Darwin:

Quando tinha 15 anos, encontrei o livro Cosmos em um sebo. O porte dele e a capa preta com uma nebulosa me chamaram a atenção de imediato. Peguei-o, folheei as páginas ricamente ilustradas com fotos, desenhos e gráficos. Foi paixão à primeira vista. Naquele mesmo momento tomei a decisão: iria gastar minhas economias para comprar aquele livro do astrônomo Carl Sagan.

Feliz da vida, levei para casa a obra (usada, mas em ótimo estado de conservação) que teria grande impacto em minha vida. Devorei o livro em pouco tempo, sonhando com o dia em que poderíamos viajar pelo Universo e talvez até mesmo encontrar raças alienígenas em outros sistemas solares ou mesmo em galáxias distantes, as quais poderíamos alcançar usando “buracos de minhoca”.

Nessa fase da minha vida, os três autores que mais influenciaram meu gosto por cosmologia, astronomia e pela ciência de modo gral foram Sagan, Stephen Hawking e Isaac Asimov. Mas Sagan, com sua obra monumental Cosmos, teve um impacto especial sobre mim. Além de astrônomo, ele foi um grande popularizador da ciência, praticamente um jornalista científico. Se eu não pudesse ser astrônomo, pelo menos a segunda coisa talvez eu pudesse ser… Sagan escreveu vinte livros de ciência e ficção científica (entre esses, o ótimo Contato).

Quando o cientista e escritor faleceu em 1996, vitimado pela leucemia, fiquei melancólico. Ele, que tanto sonhou com viagens espaciais e com o contato com seres extraterrestres, acabou seus dias bem aqui, na Terra, sem nunca sair dela. Respeito a memória dele e sua obra, embora Sagan tenha sido ateu e evolucionista. E é justamente esse aspecto da vida dele que me deixou triste. Sagan abriu mão de um conhecimento que poderia tê-lo ajudado a ver que a esperança dele, se ajustada, não era vã.

Um dia faremos contato, sim, com seres de mundos não caídos e com o próprio Criador. (Descobri isso quando conheci o criacionismo e passei a estudar a Bíblia profundamente, no começo dos anos 1990.) Um dia poderemos viajar pelos mundos incontáveis, livres das amarras e das fragilidades da nossa mortalidade. Conheceremos planetas, estrelas, galáxias! E conheceremos o Criador deles!

O curta-metragem abaixo, “Star Stuff: The Story of Carl Sagan” (em português, “Poeira de Estrelas”), é um filme de dez minutos inspirado na vida e no trabalho do famoso cientista norte-americano. Escrito e dirigido por Ratimir Rakuljic, o curta exalta a capacidade de maravilhamento que deve existir em cada ser humano. Destaca a curiosidade e a sede de conhecimento de uma criança, características que deveriam ser as de toda pessoa criada por Deus para crescer e sonhar com as alturas do desenvolvimento de seu potencial e com o mundo maravilhoso porvir.

Michelson Borges

Fonte: Curta-metragem conta a história de Carl Sagan

Leia também sobre o livro “Contato”:

Ironicamente, Contato foi baseado num romance do falecido Carl Sagan, um apaixonado evolucionista que acreditava na geração espontânea e que foi uma pessoa fundamental para o início do programa do SETI verdadeiro. A ironia reside no fato de que Sagan estava absolutamente convencido de que uma simples …

2 ideias sobre “Veja o que Carl Sagan, ídolo de Michelson Borges, ensinou sobre a “Criação”…

  1. Como vocês interpretam esse texto de EGW?

    […]Mas É AO QUE PROCEDEU MAL mesmo que nos cumpre apresentar o erro. NÃO DEVEMOS fazer disso assunto de COMENTÁRIOS E CRÍTICAS ENTRE NÓS; nem mesmo depois de isso haver sido comunicado à igreja, achamo-nos na LIBERDADE DE REPETIR AOS OUTROS. O conhecimento das faltas dos cristãos só servirá de PEDRA DE TROPEÇO PARA O MUNDO INCRÉDULO; e, demorando-nos sobre essas coisas, SÓ NOS FAZEMOS MAL; pois é pela contemplação que somos transformados. Ao procurarmos corrigir os erros de um irmão, o Espírito de Cristo nos levará a resguardá-lo quanto possível até da crítica dos próprios irmãos, QUANTO MAIS DE CENSURA NO MUNDO INCRÉDULO. Nós mesmos somos falíveis, e necessitamos da piedade e do perdão de Cristo, e da mesma maneira que desejamos que nos trate, pede-nos que nos tratemos uns aos outros. Desejado Todas as Nações pág. 312.2

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *