A Cosmologia de Jesus: Terra plana no Evangelho de Mateus — Parte 2

Durante todo Seu ministério, Jesus reforçou em Sua mensagem e vivência a cosmovisão bíblica de que estamos em uma terra plana, sobre a qual existe um firmamento sólido, chamado Céu ou Céus, sobre o qual se localiza o trono de nosso Deus e Pai, em Seu santuário ou habitação. Abaixo de nós, está o abismo, onde se localiza o inferno (Sheol). Ora, se o Céu existe e sabemos que isso é verdade, existe também o submundo (ou mundo inferior), conforme ensina a cosmologia bíblica, do Gênesis ao Apocalipse, incluindo os Evangelhos.

No livro de Mateus, um episódio da vida de Jesus Cristo relembra-nos a criação do firmamento, quando o Filho de Deus exerceu Sua autoridade sobre as águas, separando-as acima e abaixo com a criação de um domo sólido (rakia ou raqia’) expandido no segundo dia da semana da Criação. Aquele que dividiu as águas na criação do mundo, dividiu também o Mar Vermelho e o Jordão para Israel e acalmou a tempestade para tranquilizar Seus discípulos:

“E eis que no mar se levantou uma tempestade, tão grande que o barco era coberto pelas ondas; ele, porém, estava dormindo. E os seus discípulos, aproximando-se, o despertaram, dizendo: Senhor, salva-nos! que perecemos. E ele disse-lhes: Por que temeis, homens de pouca fé? Então, levantando-se, repreendeu os ventos e o mar, e seguiu-se uma grande bonança. E aqueles homens se maravilharam, dizendo: Que homem é este, que até os ventos e o mar lhe obedecem?” — Mateus 8:24-27

Algum tempo depois, reforçou a necessidade de temermos a destruição total no Inferno:

“E não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno a alma e o corpo.” — Mateus 10:28

Sua ênfase, porém, era no aspecto positivo da cosmologia bíblica. Deus, o Pai, está no comando celeste de tudo que ocorre na terra e Ele nos observa e protege individual e minuciosamente, sabendo de cada detalhe de nossa vida. Não somos sete bilhões de criaturas minúsculas, girando velozmente por um Universo sem fim…

E até mesmo os cabelos da vossa cabeça estão todos contados. Não temais, pois; mais valeis vós do que muitos passarinhos. — Mateus 10:30-31

Não somos sete bilhões de criaturas minúsculas, girando velozmente num planetinha perdido, em volta do Sol ao redor da Via láctea, em meio a milhões de galáxias, grãozinho de areia, vagando por um Universo sem fim!

Se você está aqui, onde fica o Céu e para onde Jesus ascendeu?

O tempo todo, em Seus ensinos, Jesus se refere a Deus como o Pai que está nos Céus, um lugar específico, acima, no alto, localização que só é possível em uma terra plana, horizontal. Quem mora na superfície de uma esfera não tem como saber onde é exatamente a habitação de Deus!

Portanto, qualquer que me confessar diante dos homens, eu o confessarei diante de meu Pai, que está nos céus. Mas qualquer que me negar diante dos homens, eu o negarei também diante de meu Pai, que está nos céus. — Mateus 10:32-33

Vez por outra, também Se referia ao inferno, como um lugar a ser evitado:

E tu, Cafarnaum, que te ergues até ao céu, serás abatida até ao inferno; porque, se em Sodoma tivessem sido feitos os prodígios que em ti se operaram, teria ela permanecido até hoje. — Mateus 11:23

Nesta passagem, Jesus Se refere ao Pai como “Senhor do céu e da terra”. 

“Naquele tempo, respondendo Jesus, disse: Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, que ocultaste estas coisas aos sábios e entendidos, e as revelaste aos pequeninos.” — Mateus 11:25

Informou também que estaria por três dias no mundo inferior:

“Pois, como Jonas esteve três dias e três noites no ventre da baleia, assim estará o Filho do homem três dias e três noites no seio da terra.” — Mateus 12:40

Esclareceu que não basta adotar essa cosmovisão de que Deus é o nosso bomdoso Pai que está nos Céus a nos proteger e cuidar todo o tempo. É preciso fazer Sua vontade “assim na terra como no céu”…

“Porque, qualquer que fizer a vontade de meu Pai que está nos céus, este é meu irmão, e irmã e mãe.” — Mateus 12:50

No Antigo Testamento, usa-se com frequência expressão “fundação do mundo” para se referir à criação da terra, com seus fundamentos e estrutura em três camadas. A expressão é mencionada igualmente no Evangelho de Mateus:

“Para que se cumprisse o que fora dito pelo profeta, que disse: Abrirei em parábolas a minha boca; Publicarei coisas ocultas desde a fundação do mundo.” — Mateus 13:35

Para Ele, o Céu é o reino de Seu pai:

“Então os justos resplandecerão como o sol, no reino de seu Pai. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.”  —  Mateus 13:43

A fornalha de fogo no Sheol será exposta no fim dos tempos e o mal e os maus serão aniquilados:

E, estando cheia, a puxam para a praia; e, assentando-se, apanham para os cestos os bons; os ruins, porém, lançam fora. Assim será na consumação dos séculos: virão os anjos, e separarão os maus de entre os justos, E lançá-los-ão na fornalha de fogo; ali haverá pranto e ranger de dentes. — Mateus 13:48-50

Por preceito e exemplo, Cristo nos ensinou a olhar para cima e confiar que Deus do Céu nos ouve, quando oramos:

E, tendo mandado que a multidão se assentasse sobre a erva, tomou os cinco pães e os dois peixes, e, erguendo os olhos ao céu, os abençoou, e, partindo os pães, deu-os aos discípulos, e os discípulos à multidão. — Mateus 14:19

Leia também:

Deixe uma resposta